Liturgia Diária – 14/08/2022 – X Domingo depois de Pentecostes

Domingo de 2ª Classe – Missa Própria

Deus resiste aos soberbos e dá a sua graça aos humildes, eis o tema desta Missa. Todos os textos deste formulário falam-nos da virtude fundamental da vida cristã: a humildade. O Evangelho, com a parábola do fariseu e do publicano, é uma bela ilustração desta virtude. Assim instruídos, façamos nossos os sentimentos de humilde confiança na bondade de Deus, expressos nos Cânticos e nas Orações, e voltaremos justificados para as nossas casas.


Páginas 635 a 638 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Missa cantada às 8:00 na Capela do Colégio Santo Tomás de Aquino.


PRÓPRIO DO DIA

Introito (Sl 54, 17-18, 20 e 23 | ib., 2) (Áudio)

Dum clamárem ad Dóminum, exaudívit vocem meam, ab his, qui appropínquant mihi: et humiliávit eos, qui est ante sǽcula et manet in ætérnum: iacta cogitátum tuum in Dómino, et ipse te enútriet. Ps. Exáudi, Deus, oratiónem meam, et ne despéxeris deprecatiónem meam: inténde mihi et exáudi me. ℣. Glória Patri… Clamei ao Senhor, e Ele ouviu a minha voz e me livrou daqueles que me perseguem. E humilhou-os O que existe antes dos séculos, e subsistirá para sempre. Descansa no Senhor os teus cuidados, e Ele mesmo te nutrirá. Sl. Ouvi, ó Deus, a minha oração, e não desprezeis a minha súplica; atendei-me e escutai-me. ℣. Glória ao Pai…

Coleta

Deus, qui omnipoténtiam tuam parcéndo máxime et miserándo maniféstas: multíplica super nos misericórdiam tuam; ut, ad tua promíssa curréntes, cœléstium bonórum fácias esse consórtes. Per D.N. Ó Deus, que manifestais a vossa onipotência, antes de tudo, compadecendo-Vos e perdoando, aumentai para conosco a vossa misericórdia, e buscando as vossas promessas, fazei-nos participar dos bens celestes. Por N. S.

Epístola (I Cor 12, 2-11)

Léctio Epístolæ beáti Pauli Apóstoli ad Corínthios.

 

Fratres: Scitis, quóniam, cum gentes essétis, ad simulácra muta prout ducebámini eúntes. Ideo notum vobisfacio, quod nemo in Spíritu Dei loquens, dicit anáthema Iesu. Et nemo potest dícere, Dóminus Iesus, nisi in Spíritu Sancto. Divisiónes vero gratiárum sunt, idem autem Spíritus. Et divisiónes ministratiónum sunt, idem autem Dóminus. Et divisiónes operatiónum sunt, idem vero Deus, qui operátur ómnia in ómnibus. Unicuíque autem datur manifestátio Spíritus ad utilitátem. Alii quidem per Spíritum datur sermo sapiéntiæ álii autem sermo sciéntiæ secúndum eúndem Spíritum: álteri fides in eódem Spíritu: álii grátia sanitátum in uno Spíritu: álii operátio virtútum, álii prophétia, álii discrétio spirítuum, álii génera linguárum, álii interpretátio sermónum. Hæc autem ómnia operátur unus atque idem Spíritus, dívidens síngulis, prout vult.

Leitura da Epístola de São Paulo Apóstolo aos Coríntios.

 

Irmãos: Sabeis, que, quando pagãos, vos deixastes conduzir, como o quiseram, aos ídolos mudos. Por isso vos faço saber que ninguém, falando pelo Espírito de Deus, profere maldições contra Jesus. E ninguém pode dizer-. Senhor Jesus, senão pelo Espírito Santo. Há realmente diversidade de graças, mas há um só Espírito. Há diversidade de ministérios, mas um mesmo é o Senhor. E há diversidade de operações mas um mesmo é o Deus, que tudo em todos opera. A cada um, porém, é dada a manifestação do Espírito para utilidade [comum]. Assim a um é concedida pelo Espírito a palavra da sabedoria, a outro, a palavra da ciência, pelo mesmo Espírito; a um terceiro, a fé pelo mesmo Espírito; a um, a graça de curar doenças no mesmo Espírito, a outro, o dom dos milagres; a este, o dom da profecia, àquele o discernimento dos espíritos; ainda a um, o dom das línguas, e a outro, a interpretação das palavras. Todas estas coisas, porém, opera o mesmo Espírito, que distribuí a cada um como quer.

Gradual (Sl 16, 8 e 2 | Sl 64, 2) (Vídeo) (Vídeo-aleluia)

Custódi me, Dómine, ut pupíllam óculi: sub umbra alárum tuárum prótege me. ℣. De vultu tuo iudícium meum pródeat: óculi tui vídeant æquitátem. 

 

Allelúia, allelúia. ℣. Te decet hymnus, Deus, in Sion: et tibi reddétur votum in Jerúsalem. Allelúia.

Guardai-me, Senhor, como à pupila dos olhos; protegei-me à sombra de vossas asas. ℣. Venha de vossa face o meu julgamento; vejam os vossos olhos o que é justo.

 

Aleluia, aleluia. ℣. A Vós, ó Deus, convém louvar em Sião; e a Vós se pagará o voto em Jerusalém. Aleluia.

Evangelho (Lc 18, 9-14)

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Lucam.

In illo témpore: Dixit Iesus ad quosdam, qui in se confidébant tamquam iusti et aspernabántur céteros, parábolam istam: Duo hómines ascendérunt in templum, ut orárent: unus pharisǽus, et alter publicánus. Pharisǽus stans, hæc apud se orábat: Deus, grátias ago tibi, quia non sum sicut céteri hóminum: raptóres, iniústi, adúlteri: velut étiam hic publicánus. Ieiúno bis in sábbato: décimas do ómnium, quæ possídeo. Et publicánus a longe stans nolébat nec óculos ad cœlum leváre: sed percutiébat pectus suum, dicens: Deus, propítius esto mihi peccatóri.Dico vobis: descéndit hic iustificátus in domum suam ab illo: quia omnis qui se exáltat, humiliábitur: et qui se humíliat, exaltábitur. — CREDO…

Sequência do Santo Evangelho segundo Lucas.

Naquele tempo, disse Jesus esta parábola a alguns que se tinham a si mesmos em conta de justos, e desprezavam os outros: Dois homens subiram ao templo para orar; um era fariseu, e o outro, publicano O fariseu, de pé, orava assim em seu íntimo: Graças Vos dou, ó Deus, porque não sou como os demais homens: como os ladrões, injustos, adúlteros, nem como este publicano. Jejuo duas vezes na semana; dou o dízimo de tudo quanto possuo. O publicano, porém, ficando de longe, nem ousava levantar os olhos ao céu, mas batia no peito, dizendo: Ó Deus, sede propício a mim pecador. Digo-vos que este voltou justificado para sua casa, e aquele, não; porque o que se eleva, será humilhado, e o que se humilha, será exaltado. — CREIO…

Ofertório (Sl 24, 1-3) (Áudio)

Ad te, Dómine, levávi ánimam meam: Deus meus, in te confído, non erubéscam: neque irrídeant me inimíci mei: étenim univérsi, qui te exspéctant, non confundéntur. A Vós, Senhor, elevo a minha alma; meu Deus em Vós confio, não serei envergonhado. Não se riam de mim os meus adversários porque todos os que em Vós esperam, não serão confundidos.

Secreta

Tibi, Dómine, sacrifícia dicáta reddántur: quæ sic ad honórem nóminis tui deferénda tribuísti, ut eadem remédia fíeri nostra præstáres. Per D. N. A Vós, Senhor, sejam consagrados estes sacrifícios que nos concedestes oferecer em honra de vosso Nome, para que os mesmos se tornem remédio para as nossas almas. Por N. S.

Prefácio (da Santíssima Trindade)

℣. Dóminus vobíscum.
℞. Et cum spíritu tuo.
℣. Sursum corda.
℞. Habémus ad Dóminum.
℣. Grátias agámus Dómino Deo nostro.
℞. Dignum et iustum est.
.
Vere dignum et justum est, aequum et salutare, nos tibi semper, et ubique gratias agere: Domine sancte, Pater omnipotens, aeterne Deus. Qui cum unigenito Filio: tuo et Spiritu Sancto, unus es Deus, unus es Dominus: non in unnius singularitate personae, sed in unius Trinitae substantiae. Quod enim de tua Gloria, revelante te, credimus, hoc de Filio tuo, hoc de Spiritu Sancto, sine differentia discretionis sentimus. Ut in confessione verae, sempiternaeque Deitatis, et in personis proprietas, et in essentia unitas, et in majestate adoretur aequalitas. Quam laudant Angeli atque Archangeli, Cherubim, quoque ac Seraphim: qui non cessant clamare quotidie, una voce dicentes: Sanctus, Sanctus, Sanctus…
℣. O Senhor seja convosco.
℞. E com o vosso espírito,
℣. Para o alto os corações.
℞. Já os temos para o Senhor,
℣. Demos graças ao Senhor, nosso Deus.
℞. É digno e justo.
.
É verdadeiramente digno, justo, racional e salutar, que sempre e em toda a parte Vos rendamos graças, Senhor Santo, Pai onipotente e Deus eterno; Que sois, com o Vosso Filho Unigênito e com o Espírito Santo, um só Deus e um só Senhor, não na singularidade duma só pessoa, mas na Trindade duma só substância. Porque tudo aquilo que nos revelastes e cremos da Vossa glória, isso mesmo sentimos, sem diferença nem distinção, do Vosso Filho e do Espírito Santo, de maneira que, confessando a verdadeira e eterna Divindade, adoramos a propriedade nas Pessoas, a unidade na Essência e a igualdade na Majestade, a qual louvam os Anjos e os Arcanjos, os Querubins e os Serafins, que não cessam de cantar dizendo a uma só voz: Santo, Santo, Santo…

Comunhão (Sl 50, 21) (Áudio)

Acceptábis sacrificium iustítiæ, oblatiónes et holocáusta, super altáre tuum, Dómine. Aceitai, Senhor, sobre o vosso altar o Sacrifício da justiça, as ofertas e os holocaustos.

Pós-comunhão

Quǽsumus, Dómine, Deus noster: ut, quos divínis reparáre non désinis sacraméntis, tuis non destítuas benígnus auxíliis. Per D.N. Nós Vos suplicamos, ó Senhor, nosso Deus, que por vossa bondade não priveis de vosso auxílio, aqueles aos quais não cessais de renovar com os divinos Sacramentos. Por N. S.

Traduções e comentários extraídos do Missal Quotidiano de D. Beda (1962).

Liturgia Diária – 12/08/2022

S. CLARA, Virgem

Festa de 3ª Classe – Missa “Dilexisti”

Santa Clara, Natural de Assis, fundou com S. Francisco a segunda Ordem Franciscana ou das Clarissas, para mulheres, com as mesmas normas que as dos Frades menores.


Páginas 1226 e 880 a 883 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Missa rezada às 19:00 na Capela do Colégio Santo Tomás de Aquino


Liturgia Diária – 11/08/2022

MISSA DA FÉRIA

Domingo de 2ª Classe – Missa Própria, com comemoração dos Ss. Tibúrcio e Susana, Mártires

Escolhido entre muitos, é o Cristão um predileto de Deus. Entretanto não exclui este fato a possibilidade de sermos cercados por perigos. Como outrora o povo de Deus, o povo escolhido, ainda Lhe podia ser infiel (Epístola e Evangelho) assim também, de nós não é afastado o perigo. Castigando o povo ingrato e predizendo como justo Juiz a sua ruína, avisa-nos Deus do risco que corremos. Lembremo-nos que há inferno e que a própria alma remida com o Sangue de Jesus Cristo ainda se pode perder. No mar tempestuoso da vida, seja-nos esta verdade como um farol que nos acautele dos escolhos. Mas a Igreja é sempre Mãe solícita; e em suas Orações e em seus Cânticos anima-nos à confiança.


Páginas 631 a 634; 1225 a 1226 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Missa às 7:00 na Capela do Colégio Santo Tomás de Aquino


Liturgia Diária – 10/08/2022

S. LOURENÇO, Mártir

Festa de 2ª Classe – Missa própria

Foi o primeiro dos Sete Diáconos em Roma. Citado pelo prefeito da cidade para entregar as riquezas da Igreja, pediu-lhe três dias. Neste tempo vendeu os vasos sagrados e deu o dinheiro aos pobres (Epístola). Morreu assado numa grelha, cantando alegremente louvores ao Senhor (Oração, Gradual).


Páginas 1222 a 1225 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Missa rezada às 19:00 na Capela do Colégio Santo Tomás de Aquino.


Liturgia Diária – 09/08/2022

VIGÍLIA DE S. LOURENÇO

Vigília de 3ª Classe – Missa própria e comemoração de S. Romano, Mártir


Páginas 1219 a 1221 do Missal Quotidiano.


Missa rezada às 7:00 na Capela do Colégio Santo Tomás de Aquino.


Liturgia Diária – 07/08/2022 – IX Domingo depois de Pentecostes

Domingo de 2ª Classe – Missa Própria

Escolhido entre muitos, é o Cristão um predileto de Deus. Entretanto não exclui este fato a possibilidade de sermos cercados por perigos. Como outrora o povo de Deus, o povo escolhido, ainda Lhe podia ser infiel (Epístola e Evangelho) assim também, de nós não é afastado o perigo. Castigando o povo ingrato e predizendo como justo Juiz a sua ruína, avisa-nos Deus do risco que corremos. Lembremo-nos que há inferno e que a própria alma remida com o Sangue de Jesus Cristo ainda se pode perder. No mar tempestuoso da vida, seja-nos esta verdade como um farol que nos acautele dos escolhos. Mas a Igreja é sempre Mãe solícita; e em suas Orações e em seus Cânticos anima-nos à confiança.


Páginas 631 a 634; 1189 a 1192 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Missa às 8:00 na Capela do Colégio Santo Tomás de Aquino


Liturgia Diária – 06/08/2022 – Festa da Transfiguração de Nosso Senhor

Festa de 2ª Classe – Missa Própria, com comemoração dos Ss. Sixto II, Papa e Felicíssimo e Agapito, Mártires – Missa “Sapientiam”

Para fortalecer os seus Apóstolos na fé, mostrou lhes Jesus, antes de sua Paixão, os esplendores da Transfiguração (Evangelho). S. Pedro, testemunha ocular, nos anima a esperarmos o dia da transfiguração final (Epístola). Os Cânticos põem diante de nós a imagem fulgurante do Cristo, e na Comunhão recebemos o penhor de nossa própria transfiguração. Também em nossos altares vemos a sua glória, e, compreendendo o valor do Santo Sacrifício da Missa, podemos exclamar: Como são amáveis os vossos tabernáculos, Senhor!


Páginas 1210 a 1212 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963).


Missa às 19:00 na Capela do Colégio Santo Tomás de Aquino.


Liturgia Diária – 05/08/2022

DEDICAÇÃO DE N. SENHORA DAS NEVES

Festa de 3ª Classe – Missa “Salve Sancta Parens”

Segundo a tradição, caindo neve em pleno estio, assinalou o lugar em que devia ser construída a basílica de Santa Maria Maior, pelo Papa Libório. Foi reconstruída e dedicada neste dia por Sixto III.


Páginas 802 a 805 e 1209 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963).


Missa às 19:00 na Capela do Colégio Santo Tomás de Aquino.


Liturgia Diária – 04/08/2022

S. DOMINGOS, Confessor

Festa de 3ª Classe – Missa própria

S. Domingos de Gusmão nasceu na Espanha, em 1170. Para combater a heresia dos Albigenses, fundou a Ordem dos Pregadores “Dominicanos”, Ordem que rapidamente se espalhou em muitos países.


Páginas 1207 a 1209 do Missal Quotidiano.


Missa às 07:00 na Capela do Colégio Santo Tomás de Aquino.


Liturgia Diária – 03/08/2022

MISSA DA FÉRIA

4ª Classe – Missa Própria

Já a Missa do domingo passado nos mostrou a humanidade dividida em dois campos: o escravo do pecado e o escravo de Deus. A boa árvore e a árvore má. Também nesta Missa, Nosso Senhor nos fala (Evangelho) dos filhos do mundo e dos filhos da luz. Aqueles são mais prudentes em sua espécie, isto é, em atingirem os fins que levam à perdição e à morte. E, ao contrário, quanto nós nos devemos ainda esforçar para conseguirmos o nosso fim, que é a vida eterna! Importa, porém, termos sempre presente a nossa fraqueza e pedirmos a Deus que nos inspire a graça de pensarmos no bem e o verdadeiro modo de agir (Oração). Cristãos, somos elevados à dignidade de filhos de Deus, e não devemos andar segundo a carne, mas, sim, segundo o Espírito. Deus é o nosso Pai, Jesus é o nosso Irmão e o Espírito Santo habita em nós; o céu e a bem-aventurança serão a nossa recompensa. 


Páginas 627 a 630 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963).


Missa às 19:00 na Capela do Colégio Santo Tomás de Aquino.


Liturgia Diária – 02/08/2022

S. AFONSO MARIA DE LIGÓRIO, Bispo, Confessor e Doutor

Festa de 3ª Classe – Missa própria, com comemoração de S. Estêvão I, Papa e Mártir (Missa “Si diligis me”)

Santo Afonso nasceu perto de Nápoles. Obteve o grau de Doutor em Direito. Ordenado Sacerdote, após grandes lutas com o pai, fundou a Congregação do SSmo, Redentor, cujos membros se dedicam à cura das almas. Apesar dos grandes trabalhos deste apostolado, da fundação e direção de seus Conventos, ainda lhe sobrou tempo para editar importantes obras, principalmente de Teologia moral, obras que lhe mereceram o título honroso de “Doutor da Igreja”. Feito Bispo de Santa Ágata de Goti, em obediência ao Papa, aí empreendeu importantes reformas. Morreu este grande devoto do SSmo. Sacramento e de Nossa Senhora, em Pagani, no meio de seus Religiosos.


Páginas 1204 a 1207 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963).


Missa às 7:00 na Capela do Colégio Santo Tomás de Aquino.


Liturgia Diária – 01/08/2022

MISSA DA FÉRIA

4ª Classe – Missa Própria, com comemoração de SS. Macabeus, Mártires

Já a Missa do domingo passado nos mostrou a humanidade dividida em dois campos: o escravo do pecado e o escravo de Deus. A boa árvore e a árvore má. Também nesta Missa, Nosso Senhor nos fala (Evangelho) dos filhos do mundo e dos filhos da luz. Aqueles são mais prudentes em sua espécie, isto é, em atingirem os fins que levam à perdição e à morte. E, ao contrário, quanto nós nos devemos ainda esforçar para conseguirmos o nosso fim, que é a vida eterna! Importa, porém, termos sempre presente a nossa fraqueza e pedirmos a Deus que nos inspire a graça de pensarmos no bem e o verdadeiro modo de agir (Oração). Cristãos, somos elevados à dignidade de filhos de Deus, e não devemos andar segundo a carne, mas, sim, segundo o Espírito. Deus é o nosso Pai, Jesus é o nosso Irmão e o Espírito Santo habita em nós; o céu e a bem-aventurança serão a nossa recompensa. 


Páginas 627 a 630 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Missa às 19:00 na Capela do Colégio Santo Tomás de Aquino.


Liturgia Diária – 31/07/2022 – VIII Domingo depois de Pentecostes

Domingo de 2ª Classe – Missa Própria

Já a Missa do domingo passado nos mostrou a humanidade dividida em dois campos: o escravo do pecado e o escravo de Deus. A boa árvore e a árvore má. Também nesta Missa, Nosso Senhor nos fala (Evangelho) dos filhos do mundo e dos filhos da luz. Aqueles são mais prudentes em sua espécie, isto é, em atingirem os fins que levam à perdição e à morte. E, ao contrário, quanto nós nos devemos ainda esforçar para conseguirmos o nosso fim, que é a vida eterna! Importa, porém, termos sempre presente a nossa fraqueza e pedirmos a Deus que nos inspire a graça de pensarmos no bem e o verdadeiro modo de agir (Oração). Cristãos, somos elevados à dignidade de filhos de Deus, e não devemos andar segundo a carne, mas, sim, segundo o Espírito. Deus é o nosso Pai, Jesus é o nosso Irmão e o Espírito Santo habita em nós; o céu e a bem-aventurança serão a nossa recompensa. 


Páginas 627 a 630 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


PRÓPRIO DO DIA

Introito (Sl 47, 10-11 | ib., 2) (Áudio)

Suscépimus, Deus, misericórdiam tuam in médio templi tui: secúndum nomen tuum, Deus, ita et laus tua in fines terræ: iustítia plena est déxtera tua. Ps. Magnus Dóminus, et laudábilis nimis: in civitate Dei nostri, in monte sancto ejus. ℣. Glória Patri…Alcançamos, ó Deus, a vossa misericórdia no meio de vosso templo. Como vosso Nome, ó Deus, assim o vosso louvor se estende até os confins da terra; vossa Destra está cheia de justiça. Sl. Grande é o Senhor e mui digno de louvores; na cidade de nosso Deus, na sua montanha santa. ℣. Glória ao Pai…

Coleta

Largíre nobis, quǽsumus, Dómine, semper spíritum cogitándi quæ recta sunt, propítius et agéndi: ut, qui sine te esse non póssumus, secúndum te vívere valeámus. Per D.N.Concedei-nos propício, Senhor, que sempre pensemos o que é reto e o pratiquemos, para que, não podendo viver sem Vós, vivamos conforme a vossa vontade. Por N. S.

Epístola (Rm 8, 12-17)

Léctio Epístolæ beáti Pauli Apóstoli ad Romános.

Fratres: Debitóres sumus non carni, ut secúndum carnem vivámus. Si enim secúndum carnem vixéritis, moriémini: si autem spíritu facta carnis mortificavéritis, vivétis. Quicúmque enim spíritu Dei aguntur, ii sunt fílii Dei. Non enim accepístis spíritum servitútis íterum in timóre, sed accepístis spíritum adoptiónis filiórum, in quo clamámus: Abba – Pater. – Ipse enim Spíritus testimónium reddit spirítui nostro, quod sumus fílii Dei. Si autem fílii, et herédes: herédes quidem Dei, coherédes autem Christi.

Leitura da Epístola de São Paulo Apóstolo aos Romanos.

 Irmãos: Nós não somos devedores à carne, para que vivamos segundo a carne. Porque se viverdes segundo a carne, morrereis; mas se pelo Espírito fizerdes morrer as obras da carne, vivereis. Pois todos os que se deixam conduzir pelo Espírito de Deus, esses são filhos de Deus. Com efeito, não recebestes o espírito de servidão para continuardes no temor; mas recebestes o Espírito de adoção de filhos, pelo qual clamamos: Abba! (Pai!) E este Espírito dá testemunho ao nosso espírito de que somos filhos de Deus. Ora, se somos filhos, também somos herdeiros; herdeiros de Jesus e co-herdeiros do Cristo. 

Gradual (Sl 30, 3; Sl 70, 1 | Sl 47, 2) (Vídeo) (Vídeo-aleluia)

Esto mihi in Deum protectórem, et in locum refúgii, ut salvum me fácias. ℣. Deus, in te sperávi: Dómine, non confúndar in ætérnum. 

 Allelúia, allelúia. ℣. Magnus Dóminus, et laudábilis valde, in civitáte Dei nostri, in monte sancto ejus. Allelúia.

Sede para mim, um Deus protetor e um lugar de refúgio para me salvar. ℣. Ó Deus, em Vós espero; Senhor, não serei confundido para sempre.

 Aleluia, aleluia. ℣. Grande é o Senhor, e mui digno de louvores, na cidade de nosso Deus, na sua montanha santa. Aleluia.

Evangelho (Lc 16, 1-9)

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Lucam.

In illo témpore: Dixit Iesus discípulis suis parábolam hanc: Homo quidam erat dives, qui habébat víllicum: et hic diffamátus est apud illum, quasi dissipásset bona ipsíus. Et vocávit illum et ait illi: Quid hoc audio de te? redde ratiónem villicatiónis tuæ: iam enim non póteris villicáre. Ait autem víllicus intra se: Quid fáciam, quia dóminus meus aufert a me villicatiónem? fódere non váleo, mendicáre erubésco. Scio, quid fáciam, ut, cum amótus fúero a villicatióne, recípiant me in domos suas. Convocátis itaque síngulis debitóribus dómini sui, dicébat primo: Quantum debes dómino meo? At ille dixit: Centum cados ólei. Dixítque illi: Accipe cautiónem tuam: et sede cito, scribe quinquagínta. Deínde álii dixit: Tu vero quantum debes? Qui ait: Centum coros trítici. Ait illi: Accipe lítteras tuas, et scribe octogínta. Et laudávit dóminus víllicum iniquitátis, quia prudénter fecísset: quia fílii huius sǽculi prudentióres fíliis lucis in generatióne sua sunt. Et ego vobis dico: fácite vobis amicos de mammóna iniquitátis: ut, cum defecéritis, recípiant vos in ætérna tabernácula. — CREDO…

Sequência do Santo Evangelho segundo Lucas.

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos esta parábola: Havia um homem rico que tinha um feitor; e este foi acusado perante ele de haver dissipado os seus bens. Então ele o chamou e lhe disse: Que é isto que ouço dizer de ti? Dá conta de tua administração, porque já não poderás ser feitor. Disse o feitor consigo: Que farei, visto que o meu senhor me tira a administração? Cavar não posso; de mendigar tenho vergonha. Sei o que hei de fazer, para que, quando for destituído da administração, encontre quem me receba em sua casa. Chamou cada um dos devedores de seu senhor, e disse ao primeiro: Quanto deves a meu senhor? Ele respondeu: Cem medidas de azeite. E o feitor disse: Toma a tua obrigação; senta-te depressa, e escreve cinquenta. Depois disse a outro: E tu, quanto deves? Ele respondeu: Cem alqueires de trigo. Disse-lhe o feitor: Toma as tuas letras, e escreve oitenta. E o senhor louvou o feitor infiel, por ter agido com inteligência, porque os filhos deste mundo entre si são mais espertos em seus negócios do que os filhos da luz. Portanto, também eu vos digo: Granjeai amigos com as riquezas da iniquidade, para que, quando chegar a vossa hora, eles vos recebam nos tabernáculos eternos. — CREIO…

Ofertório (Sl 17, 28 e 32) (Vídeo)

Pópulum húmilem salvum fácies, Dómine, et óculos superbórum humiliábis: quóniam quis Deus præter te, Dómine?Senhor, Vós salvais o povo humilde, e humilhais os olhos dos soberbos. Por que, quem é Deus, senão Vós, Senhor?

Secreta

Súscipe, quǽsumus, Dómine, múnera, quæ tibi de tua largitáte deférimus: ut hæc sacrosáncta mystéria, grátiæ tuæ operánte virtúte, et præséntis vitæ nos conversatióne sanctíficent, et ad gáudia sempitérna perdúcant. Per D. N.Recebei, Vos pedimos, Senhor, estes dons que por vossa liberalidade Vos oferecemos, a fim de que estes santos Mistérios, pela poderosa eficácia de vossa graça, nos santifiquem durante a vida presente e nos façam chegar às alegrias eternas. Por N. S.

Prefácio (da Santíssima Trindade)

℣. Dóminus vobíscum.
℞. Et cum spíritu tuo.
℣. Sursum corda.
℞. Habémus ad Dóminum.
℣. Grátias agámus Dómino Deo nostro.
℞. Dignum et iustum est.
.
Vere dignum et justum est, aequum et salutare, nos tibi semper, et ubique gratias agere: Domine sancte, Pater omnipotens, aeterne Deus. Qui cum unigenito Filio: tuo et Spiritu Sancto, unus es Deus, unus es Dominus: non in unnius singularitate personae, sed in unius Trinitae substantiae. Quod enim de tua Gloria, revelante te, credimus, hoc de Filio tuo, hoc de Spiritu Sancto, sine differentia discretionis sentimus. Ut in confessione verae, sempiternaeque Deitatis, et in personis proprietas, et in essentia unitas, et in majestate adoretur aequalitas. Quam laudant Angeli atque Archangeli, Cherubim, quoque ac Seraphim: qui non cessant clamare quotidie, una voce dicentes: Sanctus, Sanctus, Sanctus…
℣. O Senhor seja convosco.
℞. E com o vosso espírito,
℣. Para o alto os corações.
℞. Já os temos para o Senhor,
℣. Demos graças ao Senhor, nosso Deus.
℞. É digno e justo.
.
É verdadeiramente digno, justo, racional e salutar, que sempre e em toda a parte Vos rendamos graças, Senhor Santo, Pai onipotente e Deus eterno; Que sois, com o Vosso Filho Unigênito e com o Espírito Santo, um só Deus e um só Senhor, não na singularidade duma só pessoa, mas na Trindade duma só substância. Porque tudo aquilo que nos revelastes e cremos da Vossa glória, isso mesmo sentimos, sem diferença nem distinção, do Vosso Filho e do Espírito Santo, de maneira que, confessando a verdadeira e eterna Divindade, adoramos a propriedade nas Pessoas, a unidade na Essência e a igualdade na Majestade, a qual louvam os Anjos e os Arcanjos, os Querubins e os Serafins, que não cessam de cantar dizendo a uma só voz: Santo, Santo, Santo…

Comunhão (Sl 33, 9) (Áudio)

Gustáte et vidéte, quóniam suávis est Dóminus: beátus vir, qui sperat in eo.Provai e vede como o Senhor é amável. Bem-aventurado o homem que n’Ele confia.

Pós-comunhão

Sit nobis, Dómine, reparátio mentis et córporis cæléste mystérium: ut, cuius exséquimur cultum, sentiámus efféctum. Per D.N.Senhor, este celestial Mistério renove a nossa alma e o nosso corpo, para que sintamos os efeitos do Mistério que celebramos. Por N. S.

Traduções e comentários extraídos do Missal Quotidiano de D. Beda (1962).

Liturgia Diária – 29/07/2022

S. MARTA, Virgem

Festa de 3ª Classe – Missa “Dilexisti”, com evangelho próprio e comemoração de SS. Félix II (Papa), Simplício, Faustino e Beatriz, Mártires

Irmã de Lázaro e Maria de Betânia, hospedou várias vezes Nosso Senhor. O Evangelho nos conta que ela foi testemunha da ressurreição de Lázaro.


Páginas 1196 a 1197 e 880 a 883 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Missa rezada às 19:00 na Capela do Colégio S. Tomás de Aquino.


Revista Benedicta – V. 3, Julho/2022

A Revista Benedicta é o veículo eletrônico de divulgação católica da Irmandade do Carmo. Compõe-se por estudos de fiéis da Irmandade e convidados externos que versam sobre Tradição, Teologia, Política, Magistério, História, Filosofia, Arte e Apologética da Igreja Romana. É um apostolado para formação espiritual, intelectual e moral dos membros da Irmandade e de todos que desejam fortalecimento no caminho da santidade.

De periodicidade anual desde o ano de 2022, a Benedicta é publicada todo mês de julho, em honra a Nossa Senhora do Carmo, nossa padroeira. Seus textos possuem temáticas variadas e independentes. Na presente edição, identificada pelo Volume 3, constam:

revista-benedicta-julho-2022

 

– Seção FIDES QUAERENS INTELLECTUM, própria para artigos e ensaios:

Alguns aspectos do pensamento político de José Pedro Galvão de Sousa: José Pedro Galvão de Sousa (1912-1992) foi um filósofo e jurista brasileiro que evidenciou a sacralidade do direito natural, legando à apologética as armas para combater as iniquidades do atual Estado de direito democrático.

O homem que deseja ser Deus: Liev Tolstói (1828-1910), famoso escritor russo, professou um cristianismo pessoal que tinha como base filosófica os pilares mais contrários à Fé. Assim tornou-se o guru da nova religião radicalmente humanista da modernidade.

A batalha da escola católica: De todas as instituições promovidas historicamente pela cristandade em todo o Ocidente, a escola tem sido a mais sequestrada pelos ideais nefastos dos servos de Satanás. Desenrola-se diante dos católicos uma missão de reconquista.

– Seção CATHOLICAE LITTERAE, dedicada a resenhas:

O Napoleão de Notting Hill, de G. K. Chesterton: Este ensaio aborda uma obra literária de G. K. Chesterton (1874-1936), que tematiza de forma pictórica a morte do sobrenatural no homem moderno; e apresenta um panorama geral do procedimento estético chestertoniano.

– Seção YSTORIA SANCTI, espaço hagiológico:

Santa Rita de Cássia: S. Rita de Cássia (1381-1457) fez-se freira agostiniana após a Providência divina tê-la feito esposa e viúva. Desde criança sua vida foi marcada por episódios sobrenaturais e grande devoção. É comemorada em 22 de maio pela Santa Igreja.

– Seção EUTRAPELIAM, de conteúdo lúdico-educativo:

De joelhos: Em lembrança dos 400 anos de canonização de S. Teresa d’Ávila e em resgate das raízes católicas da poética brasileira, publicamos o poema místico-devocional “De joelhos”, da escritora paulista Francisca Júlia da Silva (1871-1920).

– Base ilustrativa da capa: La Inmaculada Concepción, de Giambattista Tiepolo (1769)

Boa leitura!

Que Nossa Senhora, Rainha do Céu e da Terra, olhe sempre por nós e pela Revista Benedicta.

Acesse aqui os volumes anteriores.

Liturgia Diária – 28/07/2022

Ss. NAZÁRIO e CELSO, Mártires, S. VITOR I, Papa e Mártir, S. INOCÊNCIO I, Papa e Confessor

Festa de 3ª Classe – Missa “Intret” com orações e Epístola próprias

Os Ss. Nazário e Celso foram martirizados na perseguição de Nero, em Milão. S. Vítor I. foi Papa de 189 a 198 e S. Inocêncio de 401 a 417.


Páginas 1195 a 1196, 830 a 833 do Missal Quotidiano. 


Liturgia Diária – 27/07/2022

MISSA DA FÉRIA

4ª Classe – Missa Própria, com comemoração de S. Pantaleão, Mártir

O Introito é um alegre convite de louvor ao Senhor, nosso Deus, que é o Rei supremo, Rex magnus, da terra. Este é o destino de cada homem e mais particularmente o dos Cristãos. Nem todos, porém, compreendem a sua missão. Vemos o mundo dividido em dois campos e não só no mundo como em cada indivíduo, existe um conflito perene entre o bem e o mal. S. Paulo, na Epístola, fala-nos do escravo do pecado e do escravo de Deus, e o Evangelho não nos deixa em dúvida sobre o que nos importa escolher. Devemos, como as boas árvores, produzir bons frutos. Só com a graça de Deus o conseguiremos. Imploremos humildemente esta graça (Oração) e alcançá-la-emos pela celebração dos santos Mistérios (Postcommunio). 


Páginas 623 a 626 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963).


Liturgia Diária – 26/07/2022

S. ANA, Mãe de Nossa Senhora

Festa de 2ª Classe – Missa própria

Sant’Ana, exemplo de esposa e mãe, gozou de grande veneração na Igreja oriental desde os primeiros séculos. O Papa Gregório XIII ordenou a festa em 1554, na Igreja ocidental, embora já existisse também o culto, desde o VIII século. Os textos da Missa nos falam das virtudes desta Santa.


Páginas 1193 a 1194 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Missa rezada às 7:00 na Capela do Colégio S. Tomás de Aquino.


Liturgia Diária – 25/07/2022

SÃO TIAGO MAIOR, Apóstolo

Festa de 2ª Classe – Missa própria, com comemoração de S. Cristóvão, Mártir

Como S. João, filho de Zebedeu, bebeu, como primeiro dos Apóstolos, o cálice do sofrimento, em 42. Suas relíquias gozam de grande veneração em Compostela, na Espanha.


Páginas 1189 a 1192 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Missa rezada às 19:00 na Capela do Colégio S. Tomas de Aquino.


Liturgia Diária – 24/07/2022 – VII Domingo depois de Pentecostes

Domingo de 2ª Classe – Missa Própria

O Introito é um alegre convite de louvor ao Senhor, nosso Deus, que é o Rei supremo, Rex magnus, da terra. Este é o destino de cada homem e mais particularmente o dos Cristãos. Nem todos, porém, compreendem a sua missão. Vemos o mundo dividido em dois campos e não só no mundo como em cada indivíduo, existe um conflito perene entre o bem e o mal. S. Paulo, na Epístola, fala-nos do escravo do pecado e do escravo de Deus, e o Evangelho não nos deixa em dúvida sobre o que nos importa escolher. Devemos, como as boas árvores, produzir bons frutos. Só com a graça de Deus o conseguiremos. Imploremos humildemente esta graça (Oração) e alcançá-la-emos pela celebração dos santos Mistérios (Postcommunio). 


Páginas 623 a 626 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963).


Missa cantada às 8:00 na Capela do Colégio Santo Tomás de Aquino


Liturgia Diária – 23/07/2022

S. APOLINÁRIO, Bispo e Mártir

 Festa de 3ª Classe – Missa própria com comemoração de S. Libório, Bispo e Confessor

Bispo de Ravena, foi dali expulso e martirizado na Dalmácia.


Páginas 1185 a 1189 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Missa rezada às 19:00 na Capela do Colégio Santo Tomás de Aquino.


Liturgia Diária – 22/07/2022

S. MARIA MADALENA

Festa de 3ª Classe – Missa própria

“Porque muito amou, muito lhe foi perdoado”, é o resumo de sua vida. A liturgia identifica Maria Madalena com Maria de Betânia, irmã de Lázaro e de Marta, que ungiu os pés de Jesus (Oração), com a pecadora pública (Evangelho) e ainda com aquela Maria que primeiro viu o Ressuscitado (Epístola). Lendas antigas dizem que ela morreu no sul da França.


Páginas 1181 a 1185 do Missal Quotidiano.


Missa rezada às 19:00 na Capela do Colégio Santo Tomás de Aquino


Liturgia Diária – 21/07/2022

S. LOURENÇO DE BRINDISI, Confessor e Doutor

Festa de 3ª Classe- Missa “In medio”, com comemoração de S. Praxedes, Virgem

Sobre a santa virgem: Filha do senador Pudens e irmã de Santa Pudenciana, tratou dos pobres e dos Mártires. A ela é dedicada uma das mais antigas igrejas de Roma.


Páginas 1179 a 1181; 856 a 860 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre)


Missa rezada às 7:00 na Capela do Colégio Santo Tomás de Aquino


Liturgia Diária – 20/07/2022

S. JERÔNIMO EMILIANO, Confessor

 Festa de 3ª Classe – Missa própria com comemoração de Sta. Margarida, Virgem e Mártir

Ardente caridade inflamou o coração deste Santo. Exerceu-a no cuidado dos doentes e especialmente dos meninos abandonados ou órfãos. “Pai dos órfãos” foi chamado merecidamente. Fundou a Ordem dos Somascos, para a educação dos meninos. Morreu de peste.


Páginas 1175 a 1179 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Missa rezada às 19:00 na Capela do Colégio Santo Tomás de Aquino


Liturgia Diária – 19/07/2022

S. VICENTE DE PAULO, Confessor

Festa de 3ª Classe – Missa “Justus” com Coleta e Evangelho próprios

O segundo apóstolo da caridade nestes dias, é S. Vicente. Pobre pastor em sua infância, após duras privações, chegou a ordenar-se Sacerdote. Desenvolveu extraordinária atividade pastoral em Paris. Associaram-se a ele homens e mulheres animados dos mesmos ideais e assim foram formadas as congregações dos Lazaristas e das Irmãs da Caridade. S. Vicente é o padroeiro das obras e associações caritativas.


Páginas 1175, 864 a 867 do Missal Quotidiano.


Missa rezada às 7:00 na Capela do Colégio Santo Tomás de Aquino.


Liturgia Diária – 18/07/2022

S. CAMILO DE LELLIS, Confessor

 Festa de 3ª Classe – Missa própria com comemoração de Sta. Sinforosa e seus filhos, Mártires 

Hoje e nos dois dias seguintes celebra a Igreja três heróis da caridade cristã. O primeiro, S. Camilo, dedicou-se à cura de enfermos. Ordenado sacerdote fundou uma Ordem com o fim de tratar dos doentes, especialmente dos pestíferos, e assisti-los na hora da morte (Oração). Ele mesmo morreu, vítima de sua caridade e heroísmo, das doenças contagiosas que contraíra (Introito, Epístola, Evangelho e Postcommunio).


Páginas 1172 a 1174 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Missa rezada às 19:00


Liturgia Diária – 17/07/2022 – VI Domingo depois de Pentecostes

Domingo de 2ª Classe – Missa Própria

Este domingo é uma pequena Páscoa. Na Páscoa, pelo Batismo, nos conferiu Deus a vida que é alimentada pela Eucaristia. Esta verdade é lembrada e representada pela Missa de hoje. A Epístola recorda-nos que pelo Batismo morremos com o Cristo ao velho homem e ressurgimos para uma vida nova. O Evangelho pelo milagre da multiplicação dos pães, mostra-nos a eficácia da Eucaristia, Jesus Cristo no santo Sacrifício da Missa (no qual devemos comungar), se compadece de nós e nos alimenta no deserto da vida, para que não pereçamos no caminho. Os Cânticos mostram confiança na proteção e na misericórdia de Deus. 


Páginas 618 a 622 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Liturgia Diária – 16/07/2022 – Festa de Nossa Senhora do Carmo

PADROEIRA DE UBERLÂNDIA E DA IRMANDADE

A festa de hoje tem por fim agradecer a Nossa Senhora as extraordinárias graças que ela concedeu à Ordem do Carmelo e a todos os que, usando o escapulário, se confessam dedicados servos de Nossa Senhora. A festa foi prescrita para toda a Igreja em 1726 por Bento XIII.

OBS.: Festa de 1ª Classe para os uberlandenses e demais localidades em que é padroeira. Nas demais localidades, a missa é de 3ª Classe.


Páginas 1168 a 1170 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Liturgia Diária – 15/07/2022

BEM-AVENTURADOS INÁCIO DE AZEVEDO E COMPANHEIROS, Mártires

Festa de 3ª Classe – PRÓPRIO DO BRASIL – Missa “Intret” com orações próprias e comemoração de S. Henrique, Imperador e Confessor

Inácio nasceu era 1527 no Porto e entrou na Companhia de Jesus, em 1548. No generalato de S. Francisco de Bórgia ele foi nomeado visitador das missões nas índias e no Brasil. Designado finalmente como Superior das missões no Brasil, embarcou com 39 companheiros. Durante a viagem seguiram a vida regular, fazendo do navio um convento. Aproximando-se das ilhas Canárias foram surpreendidos por corsários calvinistas que, por ódio à religião católica, massacraram todos os missionários, em 15 de julho de 1570. Pio IX (em 1854), confirmou o culto público e solene prestado a estes Mártires.


Páginas [30] a [31] (fim do Missal), 1169, 830 a 833 do Missal Quotidiano. 


Liturgia Diária- 14/07/2022

S. BOAVENTURA, Bispo, Confessor e Doutor

Festa de 3ª Classe – Missa “In medio”, com próprios

Da Ordem de S. Francisco, foi célebre mestre de filosofia e teologia em Paris. Era amigo de Santo Tomas d’Aquino. Distinguiu-se por sua sabedoria e piedade. É chamado o “doutor seráfico”.


Páginas 1166 a 1167; 856 a 860 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre)


Liturgia Diária – 13/07/2022

MISSA DA FÉRIA

4ª Classe – Missa Própria

Eis como eles se amam, foi dito em louvor dos primeiros Cristãos. E não podia ser de outra forma, pois se sentiam e eram membros de um só Corpo, que é. Jesus Cristo. N’Ele amavam a Deus, o Pai comum de todos, e n’Ele amavam-se uns aos outros. Este ideal de que viviam os nossos antepassados é assim delineado e posto diante dos nossos olhos na Missa destes dias, e é uma esplêndida introdução e uma preparação, para o sacrifício comum, o centro do serviço divino que a Comunidade cristã presta a seu Criador.


Páginas 614 a 617 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Liturgia Diária – 12/07/2022

S. JOÃO GUALBERTO, Abade

Festa de 3ª Classe – Missa “Os justi” (2) com evangelho próprio e comemoração dos Ss. Nabor e Félix, Mártires

Filho de família nobre, seguiu a carreira militar. Encontrando num dia de Sexta-feira Santa o assassino de seu único irmão, em honra do mistério do dia perdoou-o. Deus o recompensou dando-lhe a vocação para o estado religioso (Evangelho). Fundou o Mosteiro e a Ordem de “Vallis umbrosa”, segundo a regra de S. Bento.


Páginas 1164 a 1166 e 867 a 870 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Liturgia Diária – 11/07/2022

MISSA DA FÉRIA

4ª Classe – Missa Própria, com Comemoração de S. Pio I, Papa e Mártir (Missa “Si diligis me”)

Eis como eles se amam, foi dito em louvor dos primeiros Cristãos. E não podia ser de outra forma, pois se sentiam e eram membros de um só Corpo, que é. Jesus Cristo. N’Ele amavam a Deus, o Pai comum de todos, e n’Ele amavam-se uns aos outros. Este ideal de que viviam os nossos antepassados é assim delineado e posto diante dos nossos olhos na Missa destes dias, e é uma esplêndida introdução e uma preparação, para o sacrifício comum, o centro do serviço divino que a Comunidade cristã presta a seu Criador.

São Pio I: Ocupou a Cadeira de S. Pedro de 140 a 155.


Páginas 614 a 617 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Liturgia Diária – 10/07/2022 – V Domingo depois de Pentecostes

Domingo de 2ª Classe – Missa Própria

Eis como eles se amam, foi dito em louvor dos primeiros Cristãos. E não podia ser de outra forma, pois se sentiam e eram membros de um só Corpo, que é. Jesus Cristo. N’Ele amavam a Deus, o Pai comum de todos, e n’Ele amavam-se uns aos outros. Este ideal de que viviam os nossos antepassados é assim delineado e posto diante dos nossos olhos na Missa destes dias, e é uma esplêndida introdução e uma preparação, para o sacrifício comum, o centro do serviço divino que a Comunidade cristã presta a seu Criador.


Páginas 614 a 617 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Liturgia Diária – 09/07/2022

NOSSA SENHORA, RAINHA DA PAZ

Festa de 3ª Classe – PRÓPRIO DO BRASIL – Missa “Salve Sancta Parens”


Páginas 802 a 805 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Liturgia Diária – 08/07/2022

S. ISABEL, RAINHA DE PORTUGAL, Viúva

Festa de 3ª Classe – Missa “Cognovi”, com Coleta própria

Era dotada de grande amor para com os pobres e aflitos. Várias vezes conseguiu fazer a paz entre príncipes e nações (Oração).


Páginas 1161, 1162 e 891 a 895 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Liturgia Diária – 07/07/2022

Ss. CIRILO e MEDÓDIO, Bispos e Confessores

Festa de 3ª Classe – Missa “Sacerdotes tui”, com próprios

Estes dois irmãos são chamados Apóstolos dos Eslavos. Com grandes sacrifícios pregaram o Evangelho na Boêmia e na Rússia. Traduziram a Bíblia para a língua eslava e introduziram a celebração da liturgia na mesma língua, prática que depois foi aprovada pela Santa Sé.


Páginas 1160 a 1161 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Liturgia Diária – 06/07/2022

MISSA DA FÉRIA

4ª Classe – Missa Própria

Por causa de algumas mudanças feitas no decorrer do tempo, há apenas, pequeno, ou mesmo nenhum nexo entre o Evangelho e os outros textos das Missas depois de Pentecostes. A Missa de hoje tem como tema: a confiança em Deus. A Epístola e o Evangelho mostram-nos quando esta confiança é mais necessária. E é nos sofrimentos e nos trabalhos desta vida. A esperança e a certeza da glória futura nos dão coragem, pelo que, mesmo aqui neste mundo, não devemos temer. Aquele que para a nossa salvação fundou a Igreja, também a governará na pessoa de seus representantes. A barca de Pedro não sossobrará, pois o Senhor é a sua salvação. O Senhor é realmente a nossa Luz e a nossa Salvação: a quem temeremos? O Senhor é o defensor de nossa vida! (Introito)


Páginas 610 a 613 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Liturgia Diária – 05/07/2022

S. ANTÔNIO MARIA ZACARIAS, Confessor

Festa de 3ª Classe – Missa própria

Natural de Cremona (1502), seguiu a vocação sacerdotal. Dedicou-se ao apostolado junto aos doentes e pobres. Amou muito o Mistério da Cruz e a Santa Eucaristia. Promoveu a Comunhão frequente e era grande devoto do Apóstolo S. Paulo (Texto da Missa). Fundou os Clérigos regulares dos Barnabitas.


Páginas 1156 a 1159 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Liturgia Diária – 04/07/2022

MISSA DA FÉRIA

4ª Classe – Missa Própria

Por causa de algumas mudanças feitas no decorrer do tempo, há apenas, pequeno, ou mesmo nenhum nexo entre o Evangelho e os outros textos das Missas depois de Pentecostes. A Missa de hoje tem como tema: a confiança em Deus. A Epístola e o Evangelho mostram-nos quando esta confiança é mais necessária. E é nos sofrimentos e nos trabalhos desta vida. A esperança e a certeza da glória futura nos dão coragem, pelo que, mesmo aqui neste mundo, não devemos temer. Aquele que para a nossa salvação fundou a Igreja, também a governará na pessoa de seus representantes. A barca de Pedro não sossobrará, pois o Senhor é a sua salvação. O Senhor é realmente a nossa Luz e a nossa Salvação: a quem temeremos? O Senhor é o defensor de nossa vida! (Introito)


Páginas 610 a 613 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Liturgia Diária – 03/07/2022 – IV Domingo depois de Pentecostes

Domingo de 2ª Classe – Missa Própria

Por causa de algumas mudanças feitas no decorrer do tempo, há apenas, pequeno, ou mesmo nenhum nexo entre o Evangelho e os outros textos das Missas depois de Pentecostes. A Missa de hoje tem como tema: a confiança em Deus. A Epístola e o Evangelho mostram-nos quando esta confiança é mais necessária. E é nos sofrimentos e nos trabalhos desta vida. A esperança e a certeza da glória futura nos dão coragem, pelo que, mesmo aqui neste mundo, não devemos temer. Aquele que para a nossa salvação fundou a Igreja, também a governará na pessoa de seus representantes. Á barca de Pedro não sossobrará, pois o Senhor é a sua salvação. O Senhor é realmente a nossa Luz e a nossa Salvação: a quem temeremos? O Senhor é o defensor de nossa vida! (Introito)


Páginas 610 a 613 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Liturgia Diária – 02/07/2022 – Visitação de Nossa Senhora

Festa de 2ª Classe – Missa própria, com comemoração dos SS. Processo e Martiniano, Mártires

A Igreja recorda hoje a visita que Nossa Senhora fez à sua prima Santa Isabel e os acontecimentos que se deram nessa ocasião (Evangelho). No Introito saudamos Maria como Mãe do Rei dos céus e da terra. A Leitura, tirada do livro da Sabedoria, nos descreve em imagem poética o terno amor que uniu a Mãe ao Filho. Gradual e Ofertório cantam a maternidade virginal da excelsa Mãe de Deus. A Comunhão nos faz participar da grandeza de Nossa Senhora, unindo-se a nós o Verbo Divino.


Páginas 1149 a 1153 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Liturgia Diária – 01/07/2022 – Festa do Preciosíssimo Sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo

Festa de 1ª Classe – Missa própria

Juntamente com o Corpo de Nosso Senhor, adoramos na santa Missa o seu preciosíssimo Sangue. Se a Igreja celebra ainda uma festa especial em honra do preciosíssimo Sangue, é porque quer pôr diante dos nossos olhos as graças que o Salvador nos comunicou, derramando-o em nosso favor (Epístola). Pelo Sangue que correu do seu lado, perdoou Deus ao mundo (Introito e Oração). A água e o Sangue nos comunicam a salvação e os frutos da Redenção pelos Sacramentos do Batismo e da Eucaristia. No santo Sacrifício corre este mesmo Sangue em nossos altares (Ofertório), e dele participamos, enquanto esperamos a sua vinda, para nossa salvação (Communio).


Páginas 1145 a 1148 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Liturgia Diária – 30/06/2022 – Festa do Coração Eucarístico de Jesus

Festa de 1ª Classe – PRÓPRIO DO BRASIL Missa própria, com comemoração de S. Paulo Apóstolo

Por decreto da Sagrada Congregação dos Ritos de 25 de janeiro de 1935, a celebração desta solenidade foi estendida para todo o Brasil, pois antes desta data era celebrada apenas em algumas dioceses.

O decreto da instituição desta festividade delineia os seus fins particulares da seguinte maneira: “A razão particular dessa instituição é comemorar o amor de Nosso Senhor Jesus Cristo no mistério da Eucaristia. Por este meio a Igreja quer estimular os fiéis a se aproximarem com mais confiança deste augusto mistério pelo qual sempre mais se inflamam os corações nas chamas de amor do Coração Divino. No SSmo. Sacramento, o Coração de Jesus protege e ama as almas, vivendo e permanecendo no meio delas, como elas por sua vez vivem e permanecem n’Ele. Neste Sacramento, Jesus se dá a nós como vítima, como companheiro, como alimento, como viático e como penhor de glória eterna”.

E podemos nós acrescentar ao assistirmos e tomarmos parte ativa na santa Missa: Ele nos dá um meio para nos tornarmos também seus companheiros, seus membros, suas vítimas. Dai-nos, Senhor, permanecermos e ainda crescermos em vosso amor até o fim (Postcommunio).


Páginas [25] a [28] (ao final) e 1140 a 1144 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Liturgia Diária – 29/06/2022

SÃO PEDRO E SÃO PAULO, Apóstolos

Festa de 1ª Classe – Missa própria

Peter_Paul_Pic
Entre a cruz e a espada que os martirizou, um segura as chaves do poder, o outro rolos das suas epístolas. Com as suas mãos unidas, ambos sustentam a Igreja fundada sobre eles, em que Cristo, inquebrável pedra angular, une os pagãos evangelizados por Paulo aos Judeus convertidos por Pedro.

O culto dos dois grandes Apóstolos, Pedro e Paulo, tem como raízes os próprios alicerces da Igreja. Estando na origem da sua fé, ficarão para sempre seus patronos e seus guias. Roma deve-lhes a sua verdadeira grandeza. Foi a providência divina que os conduziu a ambos para fazer da capital do império, santificada pelo seu martírio, o centro do mundo cristão, donde irradiaria a pregação do Evangelho. 

São Pedro sofreu o martírio na perseguição de Nero, no ano 66 ou 67. Foi sepultado na colina do Vaticano, onde escavações recentes acabam de encontrar o seu túmulo no próprio lugar da basílica construída em sua honra por Constantino. São Paulo foi decapitado na Vila Óstia no local onde se ergue a basílica do seu nome. No decurso dos séculos, as multidões cristãs jamais cessaram de ir em peregrinação aos túmulos dos grandes Apóstolos. Nos séculos II e III vinham já retemperar a sua fé ao contato com a Igreja de Roma, constatar a sua apostolicidade, confrontar a sua doutrina infalível com a das outras Igrejas, honrar a memória de São Pedro e de São Paulo. A missa deste dia atesta a confiança da Igreja na intercessão daqueles “por quem recebeu as premissas da fé” (orações). Dá particular relevo às prerrogativas de São Pedro (evangelho), à proteção especial de Deus sobre a sua pessoa (introito, epístola); e os cristãos sabem que, quando cantam o “Tu es Petrus”, as prerrogativas do Príncipe dos Apóstolos se transmitiram aos papas, sucessores de Pedro na cátedra de Roma, como sabem também que a Providência especial de Deus continua até ao fim dos séculos a dirigir o Vigário de Cristo nas funções de chefe da Igreja. 


Páginas 1136 a 1140 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Liturgia Diária – 28/06/2022

VIGÍLIA DOS Ss. PEDRO E PAULO, Apóstolos

2ª Classe – Missa própria


Páginas 1132 a 1135 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Liturgia Diária – 27/06/2022

MISSA DA FÉRIA

4ª Classe – Missa Própria

O amor de Deus manifesta-se pelo cuidado que Ele tem de nós. Até no tempo da tribulação devemos lembrar-nos disto (Epístola).

Mas não só dos bons cuida o Senhor, pois vemos o seu amor na ânsia com que procura a ovelha desgarrada. No Evangelho mostra o Divino Mestre todo este seu Amor em duas comparações que nos fazem contemplar em nova luz a ternura do Coração de Deus. Nem mesmo o pecado, o único inimigo da Paz no Reino de Deus, está fora do plano divino. Também ele é previsto pela misericórdia do Senhor. Seu amor não se cansa até encontrar a ovelha perdida. O Introito é a voz dessa pobre ovelhinha, a saudade que o homem tem da Redenção. Esta se renova na Santa Missa


Páginas 605 a 609 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Liturgia Diária – 26/06/2022 – III Domingo depois de Pentecostes

Domingo de 2ª Classe – Missa Própria

O amor de Deus manifesta-se pelo cuidado que Ele tem de nós. Até no tempo da tribulação devemos lembrar-nos disto (Epístola).

Mas não só dos bons cuida o Senhor, pois vemos o seu amor na ânsia com que procura a ovelha desgarrada. No Evangelho mostra o Divino Mestre todo este seu Amor em duas comparações que nos fazem contemplar em nova luz a ternura do Coração de Deus. Nem mesmo o pecado, o único inimigo da Paz no Reino de Deus, está fora do plano divino. Também ele é previsto pela misericórdia do Senhor. Seu amor não se cansa até encontrar a ovelha perdida. O Introito é a voz dessa pobre ovelhinha, a saudade que o homem tem da Redenção. Esta se renova na Santa Missa


Páginas 605 a 609 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Liturgia Diária – 25/06/2022

S. GUILHERME, Abade

3ª Classe- Missa “Os justi” (2)

Nasceu em Vercelli, na Itália. Fundou no Montevergine um Mosteiro de Beneditinos Eremitas. Operou muitos milagres.


Liturgia Diária – 24/06/2022 – Festa do Sagrado Coração de Jesus

Festa de 1ª Classe – Missa própria

POR SER DIA DE 1ª CLASSE, HOJE NÃO SE FAZ ABSTINÊNCIA

Desde o ano de 1928, foi elevada à categoria de Iª classe, a festa do Sagrado Coração de Jesus.

No formulário, com o Prefácio próprio, ainda mais se acentua que o Coração do Homem-Deus é a fonte das graças e da misericórdia divinas. No Evangelho somos levados à nascente deste rio de águas vivas. Um soldado abre com a lança o lado do Salvador, e dele sai sangue e água. No sangue fomos remidos, na água nos foram aplicados os frutos da Redenção, e fomos regenerados pelo Batismo. A generosidade e o amor do Coração de Jesus exigem de nossa parte fidelidade e reparação de nossas faltas.


Páginas 600 a 605 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Liturgia Diária – 23/06/2022 – Vigília de S. João Batista

2ª Classe – Missa própria

Ouvimos na Missa de hoje a narração dos acontecimentos que se deram antes do nascimento de S. João. Por causa das graças especiais que recebeu, celebra a Igreja o nascimento deste Santo, assim como o faz com o de Nossa Senhora.


Páginas 1122 a 1125 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Liturgia Diária – 22/06/2022

S. PAULINO, Bispo e Confessor

Festa de 3ª Classe – Missa própria

Nasceu em Bordéus (353) de família nobre. Após exercer vários cargos de grande importância converteu-se ao Cristianismo, renunciou às suas dignidades, distribuiu seus bens aos pobres e foi para a Espanha. Ordenado sacerdote e feito Bispo de Nola, deu ali belo exemplo de abnegação e caridade (Epístola e Evangelho).


Páginas 1119 a 1122 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Liturgia Diária – 21/06/2022

S. LUÍS GONZAGA, Confessor

Festa de 3ª Classe – Missa própria

Nasceu em Castiglione, perto de Mântua, em 1568. Amante apaixonado da pureza e da oração, abdicou o seu condado e entrou na Companhia de Jesus. Morreu de peste, vítima de seu zelo e caridade.


Páginas 1116 a 1119 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Liturgia Diária – 20/06/2022

MISSA DA FÉRIA

4ª Classe – Missa Própria, com comemoração de S. Silvério, Papa e Mártir

Amor e Eucaristia são os dois pensamentos principais da Missa deste dia (Evangelho). Devemos amar a Deus (Introito) e ao próximo (Epístola), porque Deus nos convida para o seu Banquete — o Reino de Deus neste mundo e a felicidade no céu. A Igreja católica é a sala do festim, e a Sagrada Eucaristia a mesa preparada. Os Cânticos respiram confiança na vitória, que é um fruto da santa Comunhão, ou imploram o auxílio contra os inimigos da salvação.

Sobre o santo: Foi Papa de 536 a 540 e morreu no exílio. Segundas orações da Missa “Si diligis me”.


Páginas 596 a 599, 1116 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Liturgia Diária – 19/06/2022 – II Domingo depois de Pentecostes

Domingo de 2ª Classe – Missa Própria

Amor e Eucaristia são os dois pensamentos principais da Missa deste dia (Evangelho). Devemos amar a Deus (Introito) e ao próximo (Epístola), porque Deus nos convida para o seu Banquete — o Reino de Deus neste mundo e a felicidade no céu. A Igreja católica é a sala do festim, e a Sagrada Eucaristia a mesa preparada. Os Cânticos respiram confiança na vitória, que é um fruto da santa Comunhão, ou imploram o auxílio contra os inimigos da salvação.


Páginas 596 a 599 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Liturgia Diária – 18/06/2022

S. EFRÉM, Diácono, Confessor e Doutor

Festa de 3ª Classe- Missa “In medio”, com Coleta própria e comemoração dos Ss. Marcos e Marcelino, Mártires

Nascido em Nisibe em 306, foi célebre por suas pregações e instruções, pelos escritos numerosos e hinos que deixou. Combateu as heresias. Bento XV. o elevou à dignidade de Doutor da Igreja.


Páginas 1110 a 1111; 856 a 860 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre)


Liturgia Diária – 17/06/2022

S. GREGÓRIO BARBARIGO, Bispo e Confessor

Festa de 3ª Classe – Missa “Statuit” (2), com Coleta própria

Nascido em Veneza em 1625, da célebre família Barbarigo, veio a dedicar-se à carreira diplomática. Quando esta lhe acenava com os louros, abraçou o estado eclesiástico. Criado cardeal, ocupou as sedes episcopais de Bérgamo e Pádua; numa e noutra dedicou-se de alma e coração a por em prática as determinações do Concílio de Trento. Morreu em 1697. Foi declarado bem-aventurado por Clemente XIII em 1761 e João XXIII inscreveu-o no catálogo dos santos em 1960.


Páginas 1110, 849 a 852 do Missal Quotidiano.


Liturgia Diária – 16/06/2022 – Festa do SSmo. Corpo de Deus

Festa de 1ª Classe – Missa própria

DIA DE PRECEITO

A festividade do Corpo de Deus é a solene comemoração da instituição do Santíssimo Sacramento do Altar. Agradecemos e louvamos neste dia o amor de Jesus pelo dom inefável da Eucaristia. Propriamente é a Quinta-feira Santa o dia da instituição, mas á lembrança da Paixão e Morte do Salvador não permite expansões de alegria.

A santa Missa composta pelo insigne teólogo e poeta, Santo Tomás de Aquino, é uma explicação das palavras da Sequência — Panis vivus et vitalis — Pão vivo e que dá vida. Dela fazem parte os trechos mais importantes da Sagrada Escritura sobre a Eucaristia (Epístola e Evangelho). No Introito agradecemos pelo alimento do céu, a Eucaristia. Ela é para nós “fiorde trigo” e “mel do rochedo”, isto é, o Cristo, a lembrança de sua Paixão e de seu Amor (Oração). Celebrando a santa Missa anunciamos a morte do Cristo. E sob este aspecto, a Eucaristia é um verdadeiro Sacrifício (Epístola) e alimento sobrenatural (Gradual, Evangelho), símbolo da união e paz entre os fiéis (Secreta), e penhor da união com Deus (Communio). “Omnes in Christo unum”, “Todos somos um só (Corpo místico) em Jesus Cristo”.


Páginas 584 a 594 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Liturgia Diária – 15/06/2022

MISSA DA FÉRIA

4ª Classe- Missa do I Domingo depois de Pentecostes, com comemoração dos Ss. Vito, Modesto e Crescência, Mártires

Não se celebra este domingo por causa da festa da SSma. Trindade. A Missa é rezada durante a semana, nos dias em que não há festa de algum Santo. Não se diz o Glória nem o Credo.

“Deus é Amor. Quem ama a Deus ama também a seu irmão. Sede misericordiosos como o vosso Pai é misericordioso”. Estes belos textos da Epístola e do Evangelho nos lembram o mandamento máximo — o amor de Deus e do próximo — e nos traçam o programa para todo o tempo depois de Pentecostes. Imploremos nos Cânticos e na Oração, com muita confiança, o auxílio de Deus.

Sobre os santos: Vito, filho de pagãos, foi batizado por Modesto, seu professor e Crescência, sua ama. Os três sofreram juntos o martírio. Segundas orações próprias, ou Missa dos santos (própria), com comemoração da Féria.


Páginas 579 a 583, 1108 a 1110 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Liturgia Diária – 14/06/2022

S. BASÍLIO MAGNO, Bispo, Confessor e Doutor

Festa de 3ª Classe – Missa própria

Nasceu em 329. Monge, pregador, teólogo e Bispo, foi um homem extraordinário em seu tempo. Abandonou o mundo e retirou-se para a solidão. Feito Bispo, mostrou-se árduo defensor da fé católica. Mereceu o título de Pai dos Monges do Oriente (S. Bento o foi dos Monges do Ocidente), porque deu forma definitiva à vida monástica, com sua regra. Foi um dos grandes Doutores da Igreja do Oriente e muito fez pelo desenvolvimento da liturgia oriental.


Páginas 1105 a 1107 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre)


Liturgia Diária – 13/06/2022

S. ANTÔNIO DE PÁDUA, Confessor e Doutor

Festa de 3ª Classe – Missa “In medio”, com orações próprias

Nasceu em Lisboa, fez-se Agostiniano e mais tarde, Franciscano. Foi um dos Santos mais populares por suas pregações e numerosos milagres. Sua intercessão é implorada em muitas ocasiões. S. Antonio ensinou Teologia, o primeiro professor na Ordem Seráfica. Exerceu seu magistério em Bolonha, depois em Tolosa e, por fim, no “Monte Persulano”. Nas Litterae Apostolicae de sua elevação à dignidade de doutor, o Santo Padre Pio XII diz que S. Antônio ensinou não só pelo magistério da palavra, mas, também, pelo exemplo de sua vida santíssima. No perscrutar os dogmas, foi teólogo exímio; na ascese e na mística, um insigne doutor e mestre. Seus ensinamentos, sobretudo, suas pregações evangélicas podem servir de auxílio precioso para as heresias e reconduzir as almas perdidas. É digno do título de “Doutor Evangélico”, porque frequentemente usou do testemunho e das sentenças do Evangelho. Ainda mais, cita o santo Padre testemunhos de seus predecessores, sobretudo, de Gregório IX, que, ao canonizá-lo, entoou a antífona dos Doutores. Foi, pois, com sobejos motivos que o Santo Padre o elevou à dignidade de Doutor da Igreja.


Páginas 1104; 856 a 860 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre)


Liturgia Diária – 12/06/2022 – Festa da Santíssima Trindade

Domingo de 1ª Classe – Missa Própria

A festa de hoje é uma justa homenagem à SSma. Trindade, uma ação de graças ao Pai e à Sabedoria de Deus e ao Divino Amor, o qual durante o Ano eclesiástico se manifestou de um modo tão admirável na obra da Redenção. Por este motivo se celebra esta solenidade no final da primeira parte do Ano eclesiástico. Não somente neste dia como também em todas as Missas. Devemo-nos lembrar de render graças à SSma. Trindade. Sejam nossos cânticos de louvor o prelúdio do cântico perene: Santo, Santo, Santo é o Senhor, Deus dos exércitos, que os Eleitos em união com os Serafins cantam cheios de profunda reverência à Majestade de Deus.

A glória da SSma. Trindade é oferecido o Santo Sacrifício. Unamo-nos à imolação da Vítima imaculada. Notemos na Santa Missa o Glória Patri, o Glória in excelsis Deo, o final das Orações, o Credo, o Súscipe, Sancta Trinitas, o Prefácio e o Pláceat tibi, Sancta Trinitas.


Páginas 576 a 579 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Comentário sobre este Tempo litúrgico: clique aqui


Liturgia Diária – 11/06/2022 – Sábado das Têmporas de Pentecostes

Oitava de 1ª Classe – Missa Própria – Estação em S. Pedro

Em poucas palavras resume a Santa Igreja, neste dia em que termina o Tempo pascal, todo o Mistério do amor de Deus. “Deus caritas est“, Deus é a Caridade e esta Caridade foi derramada em nossos corações (Introito, Epístola). Na casa de Pedro (Statio), isto é, na santa Igreja, encontramos Nosso Senhor, que nos dá a saúde, comunicando-nos o seu Espírito. Pelos Mistérios Sagrados recebemos o “fervor divino” e neste fervor caminharemos para as alegrias eternas (Postcommunio).


Páginas 564 a 572 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Liturgia Diária – 10/06/2022 – Sexta-feira das Têmporas de Pentecostes

Oitava de 1ª Classe – Missa Própria – Estação na basílica dos Santos Apóstolos

HOJE NÃO SE FAZ ABSTINÊNCIA (FESTA DE 1ª CLASSE)

A Leitura lembra o tempo das colheitas e a bondade de Deus, que nos deu o Espírito Santo (aquele que ensina a justiça). Como chuva benfazeja, Ele descerá sobre a terra — a Igreja —e nela fará germinar e amadurecer frutos espirituais. O Evangelho fala do perdão do pecado e da cura de um doente.


Páginas 561 a 564 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Liturgia Diária – 09/06/2022 – Quinta-feira de Pentecostes

Oitava de 1ª Classe – Missa Própria – Estação em S. Lourenço extra muros

Não havia outrora neste dia, Ofício Divino. Hoje repete-se a Missa da festa, com exceção das Leituras. O diácono Filipe (o padroeiro das igreja estacionai também foi diácono) na Epístola, e os Apóstolo: no Evangelho, pregaram e fizeram milagres pela “força do Espírito Santo”.


Páginas 559 a 560 e 542 a 549 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Liturgia Diária – 08/06/2022 – Quarta-feira das Têmporas de Pentecostes

Oitava de 1ª Classe – Missa Própria – Estação em S. Maria Maior

Nos países do Sul da Europa, faz-se, neste tempo, a colheita do trigo. A Igreja agradece por isso as bênçãos de Deus. Os fiéis ofereciam outrora neste tempo, as dízimas, e entre outras coisas, o trigo (matéria da Eucaristia). Agradeçamos também nós, nestes dias (quarta-feira, sexta-feira e sábado) os benefícios recebidos neste Tempo pascal. Nos textos destas Missas falam do Milagre de Pentecostes (Batismo, Eucaristia e Confirmação) e alguns tratam também das curas de doentes e expulsão dos espíritos malignos. Aproveitemos estes dias para nossa renovação, purificando-nos do contacto com o espírito do mundo.


Páginas 555 a 559 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Liturgia Diária – 07/06/2022 – Terça-feira de Pentecostes

Oitava de 1ª Classe – Missa Própria – Estação em S. Anastásia

Santa Anastásia, a ressuscitada, nos reúne hoje em sua igreja. Gratos e jubilosos pela graça batismal que nos ressuscitou, aparecemos diante do Senhor (Introito). O Espírito Santo nos santificou (Epístola) e nos fez achar a porta que dá para o aprisco do Bom Pastor (Evangelho e Ofertório). Este mesmo Espírito, dando-nos o alimento celeste, nos dará também a glória eterna.


Páginas 552 a 555 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Liturgia Diária – 05/06/2022 – Domingo de Pentecostes

Domingo de 1ª Classe – Missa Própria – Estação em S. Pedro

Na igreja do Apóstolo que primeiro explicou o Mistério deste dia, na basílica de S. Pedro, hoje nos reunimos. No altar, que é obra do Espirito Santo, se vai repetir, por todos os tempos e em todo o orbe (Introito), o que aconteceu naquele memorável dia de Pentecostes, de que fala a Epístola. Imploramos para nós a mesma graça, no Gradual e na Sequencia. No Evangelho, Jesus nos promete a realização deste desejo, que se cumprira no Santo Sacrifício. Unindo-nos ao Filho de Deus virá também habitar em nós o Divino Espírito Santo (Communio). Cheios desse Espírito Divino falaremos também nós das grandezas de Deus. Lembremo-nos que, neste dia, nasceu a Igreja e com ela nasceu igualmente o Apostolado ou a Ação Católica. A força, o amor fervoroso do Divino Espírito Santo nos deve animar e fazer de nós, Sacerdotes, Soldados e Apóstolos do Reino de Deus.


Páginas 542 a 549 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Liturgia Diária – 04/06/2022 – Vigília de Pentecostes

Vigília de 1ª Classe – Missa Própria – Estação em S. João de Latrão

A Leitura fala do Batismo e da Confirmação, porque outrora estes dois Sacramentos eram administrados, um em seguida ao outro. O mundo não conhece o Espírito de Deus (Evangelho). Nós o conhecemos, e neste Espírito nos unimos a Nosso Senhor. Ele, que renova a face do mundo, renova também os que recebem o Batismo.

O decreto que renova a liturgia da Semana Santa, aboliu tudo que outrora precedia à Missa da Vigília de Pentecostes: leitura, benção da água batismal, ladainha. 


Páginas 538 a 541 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Liturgia Diária – 03/06/2022

MISSA DA FÉRIA

4ª Classe – Missa do Domingo depois da Ascenção

A Missa deste domingo é uma transição entre a Ascensão e a Solenidade de Pentecostes. Para melhor compreensão de seu formulário, procuremos compenetrar-nos dos sentimentos da pequena Comunidade dos primeiros tempos do Cristianismo. Cheia de saudade, ela dirige o seu olhar para o Cristo que desapareceu. Ansiosa e com ardentes preces, espera a vinda do Consolador prometido. Ouve atentamente as palavras de S. Pedro, seu chefe (Epístola) . Confiantes, todos se preparam para dar testemunho da verdade, quando tiverem recebido o Espírito da verdade, que procede do Pai, e que lhes foi prometido pelo próprio Cristo (Evangelho). Estes mesmos sentimentos serão também para nós uma ótima preparação para a próxima solenidade de Pentecostes.


Páginas 535 a 538 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Liturgia Diária – 02/06/2022

MISSA DA FÉRIA

4ª Classe – Missa do Domingo depois da Ascenção, com comemoração dos Ss. Marcelino, Pedro e Erasmo, Mártires

A Missa deste domingo é uma transição entre a Ascensão e a Solenidade de Pentecostes. Para melhor compreensão de seu formulário, procuremos compenetrar-nos dos sentimentos da pequena Comunidade dos primeiros tempos do Cristianismo. Cheia de saudade, ela dirige o seu olhar para o Cristo que desapareceu. Ansiosa e com ardentes preces, espera a vinda do Consolador prometido. Ouve atentamente as palavras de S. Pedro, seu chefe (Epístola) . Confiantes, todos se preparam para dar testemunho da verdade, quando tiverem recebido o Espírito da verdade, que procede do Pai, e que lhes foi prometido pelo próprio Cristo (Evangelho). Estes mesmos sentimentos serão também para nós uma ótima preparação para a próxima solenidade de Pentecostes.


Páginas 535 a 538 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Liturgia Diária – 01/06/2022

SANTA ÂNGELA DE MERICI, Virgem

Festa de 3ª Classe – Missa “Dilexisti”, com orações próprias

Está Santa foi fundadora das Ursulinas, que se dedicam à educação da juventude feminina. Foi distinguida por Deus com graças extraordinárias.


Páginas 1087 a 1088 e 880 a 883 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Liturgia Diária – 31/05/2022

NOSSA SENHORA RAINHA

2ª Classe – Missa própria com comemoração de Santa Petronila, Virgem (somente nas missas rezadas)

Ao se encerrar o ano mariano de 1954, o Santo Padre Pio XII instituiu esta festa para consagrar o mundo à proteção de nossa celestre e poderosa Rainha.


Páginas 1083 a 1086 do Missal Quotidiano. 


Meditações – Mês de Maria – 31º Dia

31º DIA – Maria é minha mãe a quem eu me entrego

Revista Benedicta – V. 2, Nº 12

O número 12, publicado no mês de dezembro, é dedicado à Natividade de Nosso Senhor Jesus Cristo, encontrando-se assim constituído:
 
revista-benedicta-dezembro-2021

– Seção FIDES QUAERENS INTELLECTUM, própria para artigos e ensaios:

Uma civilização em busca da ordem: Após as revoluções sucessivas e ainda em voga, a civilização ocidental, o maior produto cultural do cristianismo, será capaz de retomar a cristandade, ou ao menos preservar o mínimo da moralidade cristã?

A beleza foi esquecida: O apagamento e a substituição da beleza por formas desordenadas e desproporcionais da matéria refletem a progressiva decadência da fé e da religião de Deus, fundada desde o princípio sobre o Belo, Bom e Verdadeiro.

– Seção CATHOLICAE LITTERAE, dedicada a resenhas:

A oração, de S. Afonso de Ligório: Neste escrito sobre a oração, S. Afonso de Ligório (1696-1787) defende a tese de que a graça de orar é dada normalmente a todos e que, mediante a oração, todos podem obter de Deus os outros auxílios necessários para a salvação.

– Seção DOMINUS VOBISCUM, própria para homilias e meditações:

Sobre o Natal: Neste sermão sobre o nascimento de Nosso Senhor Jesus Cristo, S. Leão Magno (ca-461) exorta-nos a reconhecer a dignidade da natureza humana após o evento da Encarnação.

– Seção YSTORIA SANCTI, espaço hagiológico:

São Pedro Crisólogo: S. Pedro Crisólogo (406-450), bispo, confessor e doutor, é sobretudo conhecido pelas belas homilias, tendo sido, ao mesmo tempo, um grande combatente do arianismo e do monofisismo. É comemorado em 4 de dezembro pela Santa Igreja.

– Seção EUTRAPELIAM, de conteúdo lúdico-educativo:

A Natividade na pintura: Encerramos a última edição do ano com uma seleção de pinturas sobre a Natividade de Nosso Senhor Jesus Cristo.

– Base ilustrativa da capa: Holy Birth Place, de Weiszflog Irmãos (1919)

Boa leitura!

Que Nossa Senhora, Rainha do Céu e da Terra, olhe sempre por nós e pela Revista Benedicta.

Revista Benedicta – V. 2, Nº 11

O número 11, publicado no mês de novembro e dedicado às Almas do Purgatório, encontra-se assim constituído:
 
revista-benedicta-novembro-2021

– Seção FIDES QUAERENS INTELLECTUM, própria para artigos e ensaios:

A oração e o purgatório: Este breve texto em formato de questões tem a pretensão de buscar nas Sagradas Escrituras e na Tradição as evidências de que a oração pelas almas padecentes é um ato de caridade e um dever cristão.

A perspectiva de Deus: No mês dedicado às almas do purgatório é oportuno tratar da afirmação da vida pela Igreja, um grito solitário diante da cultura de morte, eterna e terrena, fruto do abandono dos valores evangélicos.

– Seção CATHOLICAE LITTERAE, dedicada a resenhas:

O ente e a essência, de S. Tomás de Aquino: Ainda que não seja um texto estritamente religioso, este opúsculo metafísico de S. Tomás de Aquino (1225-1274) ajuda a desvendar os princípios da Criação, contribuindo para a melhor compreensão do operar de Deus.

– Seção DOMINUS VOBISCUM, própria para homilias e meditações:

Morramos com Cristo: Esta pequena meditação é parte de uma série de discursos proferido por S. Ambrósio (340-397) na ocasião de morte de seu irmão, S. Sátiro (337-379). Pauta- -se na tese teológica de que a morte de Cristo é o princípio da vida dos santos.

– Seção YSTORIA SANCTI, espaço hagiológico:

São Carlos Borromeu: S. Carlos Borromeu (1538-1584), cardeal e arcebispo de Milão, teve papel fundamental na retomada do Concílio de Trento e na reforma do clero e dos costumes do povo. Foi exemplo vivo do governo espiritual da Igreja.

– Seção EUTRAPELIAM, de conteúdo lúdico-educativo:

Alfaias e vasos sagrados: Na continuação da série sobre os objetos litúrgicos, agora tratamos dos panos e dos vasos sagrados.

– Base ilustrativa da capa: Virgin of Carmel Saving Souls in Purgatory, de Diego Quispe Tito (século XVII); Brooklyn Museum

Boa leitura!

Que Nossa Senhora, Rainha do Céu e da Terra, olhe sempre por nós e pela Revista Benedicta.

Liturgia Diária – 29/05/2022 – Domingo depois da Ascensão

Domingo de 2ª Classe – Missa Própria

A Missa deste domingo é uma transição entre a Ascensão e a Solenidade de Pentecostes. Para melhor compreensão de seu formulário, procuremos compenetrar-nos dos sentimentos da pequena Comunidade dos primeiros tempos do Cristianismo. Cheia de saudade, ela dirige o seu olhar para o Cristo que desapareceu. Ansiosa e com ardentes preces, espera a vinda do Consolador prometido. Ouve atentamente as palavras de S. Pedro, seu chefe (Epístola) . Confiantes, todos se preparam para dar testemunho da verdade, quando tiverem recebido o Espírito da verdade, que procede do Pai, e que lhes foi prometido pelo próprio Cristo (Evangelho). Estes mesmos sentimentos serão também para nós uma ótima preparação para a próxima solenidade de Pentecostes.


Páginas 535 a 538 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Liturgia Diária – 28/05/2022

S. AGOSTINHO DE CANTUÁRIA, Bispo e Confessor

Festa de 3ª Classe – Missa “Sacerdotes tui”, com orações e leituras próprias

Foi abade de um mosteiro beneditino em Roma. O Papa S. Gregório Magno o enviou com 40 Monges para a Inglaterra a fim de pregar o Evangelho. Com o auxílio divino conseguiu a conversão do rei Etelberto, e grande parte de seu povo. Estabeleceu a sua Sé arquiepiscopal na Abadia de Cantuária. é chamado o Apóstolo da Inglaterra.


Páginas 1080 a 1082 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)