Liturgia Diária- IV Domingo depois de Pentecostes

Domingo de 2ª Classe- Missa Própria

Por causa de algumas mudanças feitas no decorrer do tempo, há apenas, pequeno, ou mesmo nenhum nexo entre o Evangelho e os outros textos das Missas depois de Pentecostes. A Missa de hoje tem como tema: a confiança em Deus. A Epístola e o Evangelho mostram-nos quando esta confiança é mais necessária. E é nos sofrimentos e nos trabalhos desta vida. A esperança e a certeza da glória futura nos dão coragem, pelo que, mesmo aqui neste mundo, não devemos temer. Aquele que para a nossa salvação fundou a Igreja, também a governará na pessoa de seus representantes. Á barca de Pedro não sossobrará, pois o Senhor é a sua salvação. O Senhor é realmente a nossa Luz e a nossa Salvação: a quem temeremos? O Senhor é o defensor de nossa vida! (Introito)


Páginas 610 a 613 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Liturgia Diária- 16/04/2020

QUINTA-FEIRA DE PÁSCOA

Oitava de 1ª Classe – Missa Própria – Estação na basílica dos Doze Apóstolos

Na igreja estacional de hoje encontra-se a sepultura do Apóstolo S. Filipe. O diácono Filipe (Epístola) e Maria Madalena (Evangelho) são arautos da Ressurreição do Cristo. A estes e aos neófitos, a Sabedoria divina abre a boca, assim como a nós (pelo Batismo), para cantarmos a Deus um cântico novo (Introito, Communio). A igreja dos Apóstolos, construída em Roma em estilo grego, simboliza a união dos povos em Cristo pelo Batismo. (Oração)


Páginas 488 a 492 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Liturgia Diária- 15/04/2020

QUARTA-FEIRA DE PÁSCOA

Oitava de 1ª Classe – Missa Própria – Estação em S. Lourenço extra muros

Para, exprimir a sua gratidão, os neófitos se reuniam no dia de hoje na igreja de seu padroeiro que os conduzia através da Quaresma (Setuagésima e III. Domingo). O Filho do Pai eterno convida aos neófitos, assim como o faz a nós, a tomarmos parte no “Reino” (a Igreja e os Sacramentos). Deus ressuscitou seu Filho (Epístola) e no Evangelho, Ele nos aparece e nos alimenta com peixe e pão (símbolos da Eucaristia). E nós comeremos o Pão dos Anjos (Ofertório).


Páginas 485 a 488 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Liturgia Diária- 11/07/2019

MISSA DA FÉRIA

Féria de 4ª Classe- Missa do domingo, com Comemoração de S. Pio I, Papa e Mártir (Missa “Si diligis me”)

A Missa de hoje tem como tema: a confiança em Deus. A Epístola e o Evangelho mostram-nos quando esta confiança é mais necessária. E é nos sofrimentos e nos trabalhos desta vida. A esperança e a certeza da glória futura nos dão coragem, pelo que, mesmo aqui neste mundo, não devemos temer. Aquele que para a nossa salvação fundou a Igreja, também a governará na pessoa de seus representantes. Á barca de Pedro não sossobrará, pois o Senhor é a sua salvação. O Senhor é realmente a nossa Luz e a nossa Salvação: a quem temeremos? O Senhor é o defensor de nossa vida! (Introito)

São Pio I: Ocupou a Cadeira de S. Pedro de 140 a 155.


Páginas 610 a 613 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Missa às 19 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- IV Domingo depois de Pentecostes

Domingo de 2ª Classe- Missa Própria

Por causa de algumas mudanças feitas no decorrer do tempo, há apenas, pequeno, ou mesmo nenhum nexo entre o Evangelho e os outros textos das Missas depois de Pentecostes. A Missa de hoje tem como tema: a confiança em Deus. A Epístola e o Evangelho mostram-nos quando esta confiança é mais necessária. E é nos sofrimentos e nos trabalhos desta vida. A esperança e a certeza da glória futura nos dão coragem, pelo que, mesmo aqui neste mundo, não devemos temer. Aquele que para a nossa salvação fundou a Igreja, também a governará na pessoa de seus representantes. Á barca de Pedro não sossobrará, pois o Senhor é a sua salvação. O Senhor é realmente a nossa Luz e a nossa Salvação: a quem temeremos? O Senhor é o defensor de nossa vida! (Introito)


Páginas 610 a 613 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


APENAS Missa Cantada às 09:30 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- 25/04/2019

QUINTA-FEIRA DE PÁSCOA

Oitava de 1ª Classe (com Oitava)- Missa Própria – Estação na basílica dos Doze Apóstolos

Na igreja estacional de hoje encontra-se a sepultura do Apóstolo S. Filipe. O diácono Filipe (Epístola) e Maria Madalena (Evangelho) são arautos da Ressurreição do Cristo. A estes e aos neófitos, a Sabedoria divina abre a boca, assim como a nós (pelo Batismo), para cantarmos a Deus um cântico novo (Introito, Communio). A igreja dos Apóstolos, construída em Roma em estilo grego, simboliza a união dos povos em Cristo pelo Batismo. (Oração)


Páginas 488 a 492 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Missa às 19 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- 24/04/2019

QUARTA-FEIRA DE PÁSCOA

Oitava de 1ª Classe (com Oitava)- Missa Própria – Estação em S. Lourenço extra muros

Para, exprimir a sua gratidão, os neófitos se reuniam no dia de hoje na igreja de seu padroeiro que os conduzia através da Quaresma (Setuagésima e III. Domingo). O Filho do Pai eterno convida aos neófitos, assim como o faz a nós, a tomarmos parte no “Reino” (a Igreja e os Sacramentos). Deus ressuscitou seu Filho (Epístola) e no Evangelho, Ele nos aparece e nos alimenta com peixe e pão (símbolos da Eucaristia). E nós comeremos o Pão dos Anjos (Ofertório).


Páginas 485 a 488 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Missa às 19 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- IV Domingo depois de Pentecostes

Domingo de 2ª Classe- Missa Própria

“Daqui em diante, Pedro, serás pescador de homens”. Pesca miraculosa da Igreja através dos séculos.

O evangelho da pesca milagrosa é o símbolo das conquistas da Igreja e a realização da palavra de Jesus a São Pedro: de futuro, serás pescador de homens. 

A confiança em Deus, no meio das lutas e sofrimentos desta vida, é o pensamento que domina a missa deste domingo. São Paulo lembra-nos que estas lutas e sofrimentos têm pouca duração, e resultam da situação de expectativa, que é a nossa e a de toda a criação, até ao dia aprazado para se revelar a glória plena dos filhos de Deus. Entretanto, Deus vem em nossa ajuda: atrai-nos a Si, sustenta-nos na vida, perdoa-nos, levanta-nos. 


Páginas 610 a 613 do Missal Quotidiano.


Missa APENAS às 9:30 horas na Igreja Bom Jesus (Rua Marciano de Ávila, 422, Bairro Bom Jesus).


PRÓPRIO DO DIA

Introito (Sl 26, 1.2.3)

Deus é a minha luz e salvação, quem temerei? Ele é que me defende, porque hei de ter medo? Os inimigos que apertavam comigo já caíram e pereceram. sl. Ainda que se ergam exércitos contra mim, o meu coração não temerá. Glória ao Pai.

Coleta


A sublime e santa devoção da Igreja teme a guerra e a confusão, pede a Deus que regule todas as coisas e nos dê a paz, necessária às almas para bem servirem.


Concedei-nos, Senhor, que o mundo caminhe em paz dentro das leis que lhe impusestes, e que a vossa Igreja desfrute da santa alegria de Vos servir. Por Nosso Senhor Jesus Cristo.

Epístola (Rm 8,18-23)


A aplicação da vitória de Cristo à nossa vida humana opera-se em dois momentos: na Terra, pela adoção batismal; no Céu, pela entrada na glória. Temos agora de suportar a nossa quota-parte de sofrimento. o sofrimento tem valor de redenção e fica muito aquém da glória que nos espera.


Leitura da Epístola de São Paulo Apóstolo aos Romanos.

Irmãos: Tenho para mim que os sofrimentos da presente vida não têm proporção alguma com a glória futura que nos deve ser manifestada. Por isso, a criação aguarda ansiosamente a manifestação dos filhos de Deus. Pois a criação foi sujeita à vaidade (não voluntariamente, mas por vontade daquele que a sujeitou), todavia com a esperança de ser também ela libertada do cativeiro da corrupção, para participar da gloriosa liberdade dos filhos de Deus. Pois sabemos que toda a criação geme e sofre como que dores de parto até o presente dia. Não só ela, mas também nós, que temos as primícias do Espírito, gememos em nós mesmos, aguardando a adoção, a redenção do nosso corpo.

Gradual (Sl 78, 9.10)

Sede, Senhor, propício e perdoai-nos. Não vão as nações dizer: Onde é que está o Deus deles? Ajudai-nos, pois, Senhor, nossa salvação, e livrai-nos por amor do vosso nome. 

Aleluia (Sl 9, 5.10)

Aleluia, aleluia. Senhor, que estais sentado no trono e julgais com equidade, sede o refúgio dos pobres no dia da tribulação. Aleluia. 

Evangelho (Lc 5,1-11)


Desde a manhã de pentecostes, a pregação dos Apóstolos ia fazer conversões sem conta. Era a realização da palavra de Jesus a Simão Pedro: “De futuro, serás pescador de homens”. Esta promessa continua a verificar-se na Igreja, no decorrer dos séculos.


Sequência do Santo Evangelho segundo Lucas.

Naquele tempo: Estando Jesus um dia à margem do lago de Genesaré, o povo se comprimia em redor dele para ouvir a palavra de Deus. Vendo duas barcas estacionadas à beira do lago, – pois os pescadores haviam descido delas para consertar as redes -, subiu a uma das barcas que era de Simão e pediu-lhe que a afastasse um pouco da terra; e sentado, ensinava da barca o povo. Quando acabou de falar, disse a Simão: Faze-te ao largo, e lançai as vossas redes para pescar. Simão respondeu-lhe: Mestre, trabalhamos a noite inteira e nada apanhamos; mas por causa de tua palavra, lançarei a rede. Feito isto, apanharam peixes em tanta quantidade, que a rede se lhes rompia. Acenaram aos companheiros, que estavam na outra barca, para que viessem ajudar. Eles vieram e encheram ambas as barcas, de modo que quase iam ao fundo. Vendo isso, Simão Pedro caiu aos pés de Jesus e exclamou: Retira-te de mim, Senhor, porque sou um homem pecador. É que tanto ele como seus companheiros estavam assombrados por causa da pesca que haviam feito. O mesmo acontecera a Tiago e João, filhos de Zebedeu, que eram seus companheiros. Então Jesus disse a Simão: Não temas; doravante serás pescador de homens. E atracando as barcas à terra, deixaram tudo e o seguiram.

Ofertório (Sl 12, 4-5)

Alumiai, Senhor, os meus olhos e não os tomem as trevas da morte, não vá o inimigo dizer: no final sempre o venci.

Secreta

Dignai-Vos aplacar, Senhor, com estas ofertas e compeli para Vós as nossas vontades, ainda que rebeldes. Por Nosso Senhor Jesus Cristo. 

Comunhão (Sl 17,3)

O Senhor é o meu arrimo, o meu refúgio e libertador; o meu Deus é o meu auxílio. 

Pós-comunhão

Que os santos mistérios que recebemos nos lavem e nos defendam com a sua proteção. Por Nosso Senhor Jesus Cristo.


PARTITURAS E AÚDIOS