Liturgia Diária- 24/04/2019

QUARTA-FEIRA DE PÁSCOA

Oitava de 1ª Classe (com Oitava)- Missa Própria – Estação em S. Lourenço extra muros

Para, exprimir a sua gratidão, os neófitos se reuniam no dia de hoje na igreja de seu padroeiro que os conduzia através da Quaresma (Setuagésima e III. Domingo). O Filho do Pai eterno convida aos neófitos, assim como o faz a nós, a tomarmos parte no “Reino” (a Igreja e os Sacramentos). Deus ressuscitou seu Filho (Epístola) e no Evangelho, Ele nos aparece e nos alimenta com peixe e pão (símbolos da Eucaristia). E nós comeremos o Pão dos Anjos (Ofertório).


Páginas 485 a 488 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Missa às 19 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


PRÓPRIO DO DIA

Introito (Mt 25, 34 | Sl 95, 1)

Veníte, benedícti Patris mei, percípite regnum, allelúia: quod vobis parátum est ab orígine mundi, allelúia, allelúia, allelúia. Ps. Cantáte Dómino cánticum novum: cantáte Dómino, omnis terra. ℣. Glória Patri… Vinde, benditos de meu Pai, tomai posse do reino, aleluia, que vos está preparado desde o princípio do mundo. Aleluia, aleluia, aleluia. Sl. Cantai ao Senhor um cântico novo; cantai ao Senhor, toda a terra. ℣. Glória ao Pai.

Coleta

Deus, qui nos Resurrectiónis Domínicæ ánnua solemnitáte lætíficas: concéde propítius; ut per temporália festa, quæ ágimus, perveníre ad gáudia ætérna mereámur. Per eúndem D.N. Ó Deus, que nos alegrais anualmente com a Solenidade dá Ressurreição do Senhor, concedei-nos propício que, celebrando estas festas no tempo presente, mereçamos chegar às alegrias eternas. Pelo mesmo J. C.

Epístola (At 3, 13-15 e 17-19)

Léctio Actuum Apostolórum.

In diébus illis: Apériens Petrus os suum, dixit: Viri Israelítæ, et qui timétis Deum, audíte. Deus Abraham et Deus Isaac et Deus Iacob, Deus patrum nostrórum, glorificávit Fílium suum Iesum, quem vos quidem tradidístis et negástis ante fáciem Piláti, iudicánte illo dimítti. Vos autem sanctum et iustum negástis, et petístis virum homicídam donári vobis: auctórem vero vitæ interfecistis, quem Deus suscitávit a mórtuis, cuius nos testes sumus. Et nunc, fratres, scio, quia per ignorántiam fecístis, sicut et príncipes vestri. Deus autem, quæ prænuntiávit per os ómnium Prophetárum, pati Christum suum, sic implévit. Pænitémini ígitur et convertímini, ut deleántur peccáta vestra.

Leitura dos Atos dos Apóstolos.

Naqueles dias, Pedro, tomando a palavra, disse: Homens de Israel e vós, tementes a Deus, ouvi: O Deus de Abraão, Deus de Isaac e Deus de Jacó, o Deus de nossos país, glorificou a seu Filho Jesus, que vós entregastes e renegastes diante de Pilatos, quando este O julgava e O queria livrar. Mas vós negastes o Santo e o Justo, e pedistes que concedessem a liberdade ao homicida. Fizestes morrer o Autor da vida a quem Deus ressuscitou dentre os mortos, do que somos testemunhas. Agora, porém, irmãos, sei que o fizestes por ignorância, assim como vossos magistrados. Deus, no entanto, que havia predito pela voz de todos os Profetas que o seu Cristo devia sofrer, assim o executou. Fazei, pois, penitência e convertei-vos para que os vossos pecados sejam apagados.

Gradual (Sl 117, 24 e16| Lc 24, 34)

Hæc dies, quam fecit Dóminus: exsultémus et lætémur in ea. ℣. Déxtera Dómini fecit virtútem, déxtera Dómini exaltávit me.

Allelúia, allelúia. Surréxit Dóminus vere: et appáruit Petro.

Este é o dia que o Senhor fez, exultemos e alegremo-nos nele. ℣. A Destra do Senhor opera milagres, a Destra do Senhor me exalta.

Aleluia, aleluia, ℣. O Senhor ressuscitou verdadeiramente e apareceu a Pedro.

Sequência

Víctimæ pascháli laudes ímmolent Christiáni.

Agnus rédemit oves: Christus ínnocens Patri reconciliávit peccatóres.

Mors et vita duéllo conflixére mirándo: dux vitæ mórtuus regnat vivus.

Dic nobis, María, quid vidísti in via?

Sepúlcrum Christi vivéntis et glóriam vidi resurgéntis.

Angélicos testes, sudárium et vestes.

Surréxit Christus, spes mea: præcédet vos in Galilǽam.

Scimus Christum surrexísse a mórtuis vere: tu nobis, victor Rex, miserére. Amen. Allelúia.

À vítima pascal louvor imolem os Cristãos.

O Cordeiro redimiu as ovelhas: O Cristo inocente, com o Pai, reconciliou os pecadores.

A morte e a vida se bateram. Num duelo estranho, o Rei da vida, morto, Reina vivo.

— Dize-nos, Maria, No caminho, o que havia?

O sepulcro do Cristo, que vive, e a sua glória que ante os olhos tive.

Testemunhas celestes, o sudário e as vestes.

O Cristo ressurgiu; minha esperança. Para a Galileia, antes de vos avança.

Sabemos que o Cristo ressurgiu, dos mortos, na verdade. Ó Rei vitorioso, De nós tende piedade. Amém Aleluia.

Evangelho (Jo 21, 1-14)

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Joánnem.

In illo témpore: Manifestávit se íterum Iesus discípulis ad mare Tiberíadis. Manifestávit autem sic. Erant simul Simon Petrus et Thomas, qui dícitur Dídymus, et Nathánaël, qui erat a Cana Galilǽæ, et fílii Zebedǽi et álii ex discípulis eius duo. Dicit eis Simon Petrus: Vado piscári. Dicunt ei: Venímus et nos tecum. Et exiérunt et ascendérunt in navim: et illa nocte nihil prendidérunt. Mane autem facto, stetit Iesus in lítore: non tamen cognovérunt discípuli, quia Iesus est. Dixit ergo eis Iesus: Púeri, numquid pulmentárium habétis? Respondérunt ei: Non. Dicit eis: Míttite in déxteram navígii rete, et inveniétis. Misérunt ergo: et iam non valébant illud tráhere præ multitúdine píscium. Dixit ergo discípulus ille, quem diligébat Iesus, Petro: Dóminus est. Simon Petrus cum audísset, quia Dóminus est, túnica succínxit se – erat enim nudus, – et misit se in mare. Alii autem discípuli navígio venérunt – non enim longe erant a terra, sed quasi cúbitis ducéntis, – trahéntes rete píscium. Ut ergo descendérunt in terram, vidérunt prunas pósitas, et piscem superpósitum, et panem. Dicit eis Iesus: Afférte de píscibus, quos prendidístis nunc. Ascéndit Simon Petrus, et traxit rete in terram, plenum magnis píscibus centum quinquagínta tribus. Et cum tanti essent, non est scissum rete. Dicit eis Iesus: Veníte, prandéte. Et nemo audébat discumbéntium interrogáre eum: Tu quis es? sciéntes, quia Dóminus est. Et venit Iesus, et áccipit panem, et dat eis, et piscem simíliter. Hoc iam tértio manifestátus est Iesus discípulis suis, cum resurrexísset a mórtuis. — CREDO…

Sequência do Santo Evangelho segundo João.

Naquele tempo, manifestou-se Jesus novamente a seus discípulos, junto ao mar de Tiberíades. E apareceu-lhes dessa maneira: Estavam juntos Simão Pedro, Tomé, chamado Dídimo e Natanael, que era de Caná de Galileia, os filhos de Zebedeu e dois outros de seus discípulos. Disse-lhes Simão Pedro: Eu vou pescar. Responderam-lhe eles: nós vamos contigo. E foram e subiram a uma barca, mas nesta noite, nada pescaram. De madrugada, estava Jesus em terra; porém os discípulos não reconheceram que era Jesus. Disse-lhes pois, Jesus: Moços, tendes porventura, alguma coisa para comer? Responderam-Lhe: Não. Disse-lhes Jesus: Lançai a rede à direita da barca e a achareis. Eles o fizeram e já nem podiam retirá-la, pela grande quantidade de peixes. Disse então o discípulo que Jesus amava, a Pedro: É o Senhor. Simão Pedro, ouvindo dizer que era o Senhor, cingiu-se com uma túnica (porque estava nu) e lançou-se ao mar. Vieram os outros discípulos com a barca (pois não estavam muito afastados da terra: apenas duzentos côvados), puxando a rede de peixes. Desembarcando em terra, viram brasas preparadas e nelas, um peixe e pão. Disse-lhes Jesus: Trazei-me do peixe que acabais de pescar. Subiu Simão Pedro à barca e puxou para terra a rede com cento e cinquenta e três peixes grandes. E embora fossem tantos, não se rompeu a rede. Disse-lhes Jesus: Vinde e comei. E nenhum dos que tomavam parte na refeição, ousava perguntar-Lhe: Quem és Tu? convencidos de que era o Senhor. E veio Jesus, e tomando o pão, deu-o a todos, assim como o peixe. Era essa a terceira vez que Jesus se mostrava a seus discípulos, depois que ressuscitou dentre os mortos. — CREIO…

Ofertório (Sl 77, 23-25)

Portas cœli apéruit Dóminus: et pluit illis manna, ut éderent: panem cœli dedit eis: panem Angelórum manducávit homo, allelúia. O Senhor abriu as portas do céu, e fez chover sobre eles maná para comerem; deu-lhes um pão do céu; e o homem comeu o pão dos Anjos, aleluia.

Secreta

Sacrifícia, Dómine, paschálibus gáudiis immolámus: quibus Ecclésia tua mirabíliter et páscitur et nutrítur. Per D.N. Senhor, em meio das alegrias pascais, nós Vos apresentamos estas oferendas que admiravelmente alimentam e nutrem a vossa Igreja. Por N.S.

Prefácio (da Páscoa)

℣. Dóminus vobíscum.
℞. Et cum spíritu tuo.
℣. Sursum corda.
℞. Habémus ad Dóminum.
℣. Grátias agámus Dómino Deo nostro.
℞. Dignum et iustum est.
.
Vere dignum et iustum est, æquum et salutare, te quidem Domine omni tempore, sed in hac potissimum die gloriosis prædicare, cum Pascha nostrum immolatus est Christus. Ipse enim verus est Angus qui abstulit peccáta mundi. Qui mortem nostram moriendo destruxit, et vitam resurgendo reparavit. Et ideo cum Angelis et Archangelis, cum Thronis et Dominationibus, cumque omnia milita coelestis exercitus, hymnum gloriæ tuæ canimus, sine fine dicentes: Sanctus, Sanctus, Sanctus…
℣. O Senhor seja convosco.
℞. E com o vosso espírito,
℣. Para o alto os corações.
℞. Já os temos para o Senhor,
℣. Demos graças ao Senhor, nosso Deus.
℞. É digno e justo.
.
Verdadeiramente é digno e justo, razoável e salutar, que Vos louvemos, Senhor, em todo o tempo e com especia!idade, mais gloriosamente neste dia em que Cristo, nossa Páscoa, foi imolado. Porque. Ele é o verdadeiro Cordeiro que tirou os pecados do mundo. Por sua morte destruiu a nossa, e ressurgindo restaurou a nossa vida. E por isso, com os Anjos e os Arcanjos, com os Tronos e as Dominações e com toda a milícia do exército celestial, cantamos hinos à vossa glória, dizendo sem fim: Santo, Santo, Santo…

Comunhão (Rm 6, 9)

Christus resúrgens ex mórtuis iam non móritur, allelúia: mors illi ultra non dominábitur, allelúia, allelúia.. O Cristo, ressuscitado dentre os mortos, já não morre, aleluia: a morte já não tem poder sobre Ele. Aleluia, aleluia.

Pós-comunhão

Ab omni nos, quǽsumus, Dómine, vetustáte purgátos: sacraménti tui veneránda percéptio in novam tránsferat creatúram: Qui vivis et regnas Nós Vos suplicamos, Senhor, que, purificados de nossas antigas faltas, sejamos, pela santa recepção de vosso Sacramento, transformados em novas criaturas. Vós, que, sendo Deus, viveis e reinais.

Traduções e comentários extraídos do Missal Quotidiano de D. Beda (1947).

Comente o post

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: