Pedidos de Intenções de Missa

Página para pedir a celebração de Missa(s) na intenção de falecidos, pela Igreja, pelo Papa, pelos governantes, ou por algum dos outros motivos aqui mencionados:

ESPÓRTULA E FORMAS DE PAGAMENTO:

  • Espórtula*R$ 25,00 (vinte e cinco reais)
  • Pagamentopessoal, entregando diretamente ao padre. Ou através de depósito/transferência bancário(a) para a seguinte conta: 

Banco Bradesco

Agência: 3911-0
Conta corrente: 16251-5
Titular: José do Prado Leles

Os interessados também poderão pagar com Cartão de Crédito ou conta do Paypal:

Espórtula – Intenções gerais

R$25,00

Espórtula – Missa Gregoriana

R$1.567,50

OBSERVAÇÕES IMPORTANTES:

  • Cada tipo de intenção selecionada corresponde a uma espórtula e não necessariamente será rezada na mesma Missa.
  • Aqueles que pedirem a celebração de Missas nos 1º, 3º, 7º e 30º dias, deverá realizar o pagamento da quantia equivalente a 4 (quatro) espórtulas.
  • Com exceção das Missas pelos falecidos, nas datas de costume, as intenções serão colocadas na Missa em que couberem, já que um sacerdote só pode rezar a Missa com até 3 (três orações), incluídas as referentes ao ofício do dia. Destaque-se que, se houver mais de uma intenção, será celebrada em outro dia ou irá para a Irmandade do Carmo.
  • As Missas Gregorianas, assim entendidas aquelas celebradas durante 30 (trinta) dias ininterruptos pela alma de um falecido, tem valor diferente de espórtula1 salário-mínimo e meio (atualmente R$ 1567,50);
  • Aqueles que realizarem o pagamento via Depósito ou Transferência bancários, deverão enviar o comprovante para o e-mail <credoindeum@hotmail.com>.
  • As intenções no dia do falecimento sejam enviadas logo pela manhã, para que se possa organizar.

FORMULÁRIO DE SOLICITAÇÃO

* Espórtulas são os valores cobrados pela Igreja quando esta ministra alguns sacramentos como batismo, crisma e matrimônio; especialmente por intenções pedidas na Santa Missa.

  O Código de Direito Canônico, promulgado em 25/11/83, quando fala das espórtulas, diz:

Cânon 945 – § 1. “Segundo o costume aprovado pela Igreja, a qualquer sacerdote que celebra ou concelebra a Missa, é permitido receber a espórtula oferecida para que ele aplique a Missa segundo determinada intenção”. § 2. Recomenda-se vivamente aos sacerdotes que, mesmo sem receber nenhuma espórtula, celebrem a Missa segundo a intenção dos fiéis, especialmente dos pobres.

Cânon 946 – “Os fiéis que oferecem espórtula para que a Missa seja aplicada segundo suas intenções concorrem, com essa oferta, para o bem da Igreja e participam de seu empenho no sustento de seus ministros e obras”.

Cânon 947 – “Deve-se afastar completamente das espórtulas de Missas até mesmo qualquer aparência de negócio ou comércio.”

  Ainda em seu Cânon 222 § 1, nos recorda que: “Os fiéis têm obrigação de socorrer às necessidades da Igreja, a fim de que ela possa dispor do que é necessário para o culto divino, para as obras de apostolado e de caridade e para o honesto sustento dos ministros.”

Os recursos obtidos por meio do dízimo, coletas e espórtulas, são geridos da seguinte forma: manutenção das necessidades primárias do padre, funcionários, folhetos de missa, livros, toalhas, velas, hóstias, vinho, aquisição de material litúrgico, etc.