Liturgia Diária- 08/07/2020

S. ISABEL, RAINHA DE PORTUGAL, Viúva

Festa de 3ª Classe- Missa “Cognovi”, com Coleta própria

Era dotada de grande amor para com os pobres e aflitos. Várias vezes conseguiu fazer a paz entre príncipes e nações (Oração).


Páginas 1161, 1162 e 891 a 895 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Liturgia Diária- 10/06/2020

S. MARGARIDA, Viúva, Rainha da Escócia

Festa de 3ª Classe- Missa “Cognovi”, com Coleta própria

Padroeira da Escócia, ela foi um exemplo de rainha, esposa e mãe.


Páginas 1098 e 891 a 895 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Liturgia Diária- 04/05/2020

SANTA MÔNICA, Viúva

Festa de 3ª Classe- Missa “Cognovi”, com Coleta e leituras próprias

Modelo de esposa e mãe, viveu esta Santa uma vida de intensa fé. Dócil e paciente, esperou a conversão de seu marido até consegui-la no leito de morte deste. Durante 28 anos rezou e suplicou entre lágrimas a Deus pela conversão de seu filho. Teve a sorte de vê-lo receber o Batismo e a grande felicidade de expirar nos braços deste grande Bispo de Cartago e Doutor da Igreja. As Leituras da Missa nos falam de sua orações e da conversão de seu filho.


Páginas 1057, 1058 e 891 a 895 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Liturgia Diária- 09/03/2020

SEGUNDA-FEIRA DA 2ª SEMANA DA QUARESMA

Féria de 3ª Classe- Missa Própria – Estação em S. Clemente

A abside da igreja estacionai é ornada por uma bela cruz em mosaico. Jesus nos fala, no Evangelho, de sua morte na Cruz. Na Leitura, na pessoa de Daniel, ele pede pela cidade de Jerusalém e implora para os homens a piedade de Deus.


S. FRANCISCA ROMANA, Viúva

Comemoração – Missa do dia, com 2ªs orações próprias

Modelo de esposa e mãe, teve a graça de sempre ver o seu Anjo da guarda (Oração). Depois da morte do marido, entrou nas fileiras das Oblatas da Ordem de S. Bento que ela mesma havia fundado. Foi muito venerada pela santidade de sua vida e pelo dom dos milagres.


Páginas 197 a 201; 1003 a 1004 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Liturgia Diária- 19/11/2019

S. ISABEL, Viúva

Festa de 3ª Classe- Missa “Cognovi”, com Coleta própria e comemoração de S. Ponciano, Papa e Mártir

Esposa do landgrave da Turíngia, foi expulsa de sua residência depois da morte prematura de seu marido. Com grande paciência desprendeu-se de tudo e serviu a Deus, praticando a caridade, aceitando a pobreza e a humilhação. Morreu com a idade de 24 anos.


Páginas 1382, 1383 e 891 a 895 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Missa às 19 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- 16/10/2019

S. HEDVIGES (ou EDWIGES), Viúva

Festa de 3ª Classe- Missa “Cognovi”, com Coleta própria

Muito amada pelos súditos, esta duquesa da Sílésía foi um raro exemplo de virtudes. Depois da morte do marido, retirou-se para um mosteiro, entregando-se à oração e à mortificação (Oração).


Páginas 1338 e 891 a 895 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Missa às 19 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- 08/10/2019

S. BRÍGIDA, Viúva

Festa de 3ª Classe- Missa “Cognovi”, com orações próprias  e comemoração dos Ss. Sérgio, Baco, Marcelo e Apulejo, Mártires

Da família real da Suécia, casou-se com um príncipe. Depois de uma peregrinação a Compostela, o marido entrou na Ordem dos Cistercienses e ela dedicou-se inteiramente às obras de piedade e caridade. Fundou a Ordem do SSmo. Salvador e morreu em Roma.


Páginas 1324 a 1325 e 891 a 895 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Missa às 19 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- 21/08/2019

S. JOANA FRANCISCA FREMIOT DE CHANTAL, Viúva

Festa de 3ª Classe- Missa “Cognovi”, com orações próprias

Natural de Dijon, teve um grande amor aos pobres. Depois da morte do marido, dedicou-se à educação dos quatro filhos e à vida espiritual. Dirigida por S. Francisco de Sales, fundou a Ordem da Visitação e morreu em Moulins em 1641.


Páginas 1238, 1239 e 891 a 895 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Hoje não haverá Missa.


Liturgia Diária- 08/07/2019

S. ISABEL, RAINHA DE PORTUGAL, Viúva

Festa de 3ª Classe- Missa “Cognovi”, com Coleta própria

Era dotada de grande amor para com os pobres e aflitos. Várias vezes conseguiu fazer a paz entre príncipes e nações (Oração).


Páginas 1161, 1162 e 891 a 895 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Missa Cantada às 19 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- 04/05/2019

SANTA MÔNICA, Viúva

Festa de 3ª Classe- Missa “Cognovi”, com Coleta e leituras próprias

Modelo de esposa e mãe, viveu esta Santa uma vida de intensa fé. Dócil e paciente, esperou a conversão de seu marido até consegui-la no leito de morte deste. Durante 28 anos rezou e suplicou entre lágrimas a Deus pela conversão de seu filho. Teve a sorte de vê-lo receber o Batismo e a grande felicidade de expirar nos braços deste grande Bispo de Cartago e Doutor da Igreja. As Leituras da Missa nos falam de sua orações e da conversão de seu filho.


Páginas 1057, 1058 e 891 a 895 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Missa às 19 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- 09/03/2019

SÁBADO DEPOIS DAS CINZAS

Féria de 3ª Classe- Missa Própria – Estação em S. Trifão

A escolha da “Statio” e do Evangelho permite a conclusão de que a Missa foi composta em tempo de calamidade pública em Roma, talvez inundação do Tibre ou alguma peste (10 anos de ind.). Dura e penosa é a jornada no tempo da penitência, mas Jesus Cristo nos ensina e fortalece (Evangelho-Eucaristia).


SANTA FRANCISCA ROMANA, Viúva

3ª Classe- Missa do dia, com Coleta própria e demais orações da Missa “Cognovi”

Modelo de esposa e mãe, teve a graça de sempre ver o seu Anjo da guarda (Oração). Depois da morte do marido, entrou nas fileiras das Oblatas da Ordem de S. Bento que ela mesma havia fundado. Foi muito venerada pela santidade de sua vida e pelo dom dos milagres.


Páginas 155 a 158, 1003 a 1004, 894 a 895 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Missa às 19 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- 19/11/2018

SANTA ISABEL DA HUNGRIA, Viúva

Festa de 3ª Classe- Missa “Cognovi”, com Coleta própria

Esposa do “landgrave” da Turíngia, foi expulsa de sua residência depois da morte prematura de seu marido. Com grande paciência desprendeu-se de tudo e serviu a Deus, praticando a caridade, aceitando a pobreza e a humilhação. Morreu com a idade de 24 anos.


SÃO PONCIANO, Papa e Mártir

Comemoração – Missa “Si diligis me”

Papa de 230 a 235, Ponciano teve de sofrer a dura perseguição de Alexandre Severo, que visava sobretudo os chefes das igrejas. Preso e exilado para as minas da Sardenha, veio a morrer dos maus tratos que lhe infligiram. 


Liturgia Diária- 16/10/2018

SANTA HEDWIGES, Viúva

Festa de 3ª Classe- Missa “Cognovi” com Coleta própria

Muito amada pelos súditos, esta duquesa da Silésia foi um raro exemplo de virtudes. Depois da morte do marido, retirou-se para um mosteiro, entregando-se à oração e à mortificação (Oração).


Liturgia Diária- 21/08/2018

SANTA JOANA DE CHANTAL, Viúva

Festa de 3ª Classe- Missa “Cognovi”, com orações próprias

Joana Francisca Fremiót nasceu em Dijon em 1572. Unida em matrimônio com o barão de Chantal, foi esposa e mãe admirável. Viúva aos 28 anos permaneceu só para assegurar a educação dos filhos. A isso se consagrou com toda a alma, mas o encontro com São Francisco de Sales devia levá-la progressivamente a realizar os grandes desígnios que Deus tinha sobre ela; sob a doce e forte direção do santo, desprendeu-se de tudo o que no mundo podia prender-lhe a afeição, armou-se de coragem para se separar dos filhos e em 1610 fundou em Annecy a primeira casa da Visitação. As fundações multiplicaram-se rapidamente; quando a santa morreu, em 1641, a ordem estava em franco desenvolvimento. O corpo de Santa Joana de Chantal repousa na Visitação de Annecy, junto ao de São Francisco de Sales.  

Liturgia Diária- 04/05/2018

SANTA MÔNICA, Viúva

Festa de 3º Classe- Missa “Cognovi”, exceto Coleta, Epístola e Evangelho

download

Atribuindo às lagrimas e orações de Santa Mônica a conversão de seu filho (coleta) e aplicando-lhe o evangelho da viúva de Naim, a Igreja lembra-nos tudo o que Santo Agostinho deve a sua mãe. Santa Mônica parece ter nascido em Tagaste, na África, em 332; morreu em Óstia em 387. O dia 4 de maio é o aniversário da transferência de uma parte de suas relíquias para o mosteiro de Arrouaise, na França.


Páginas 1057 a 1058 891 a 895 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963).


Missa às 18:30 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


LEITURAS

Epístola (I Tim 5, 3-10)

Leitura da Epístola de São Paulo Apóstolo a Timóteo.

Caríssimo: Honra as viúvas que são realmente viúvas. Se uma viúva tem filhos ou netos, como primeira obrigação aprendam estes a exercer com a própria família o dever da piedade filial e a retribuir aos pais o que deles receberam, porque isto é agradável a Deus. Mas a que verdadeiramente é viúva e desamparada, põe a sua esperança em Deus e persevera noite e dia em orações e súplicas. Aquela, pelo contrário, que vive nos prazeres, embora viva, está morta. Recorda-lhes isto, para que sejam irrepreensíveis. Quem se descuida dos seus, e principalmente dos de sua própria família, é um renegado, pior que um infiel. Poderá ser inscrita como viúva apenas quem tenha pelo menos sessenta anos de idade, casada uma só vez, conhecida pelo seu bom comportamento, tenha educado bem os filhos, exercido a hospitalidade, lavado os pés dos santos, socorrido os infelizes e praticado toda espécie de boas obras.

Evangelho (Lc 7, 11-16)

Sequência do Santo Evangelho segundo Lucas.

Naquele tempo, dirigiu-se Jesus a uma cidade chamada Naim. Iam com ele diversos discípulos e muito povo. Ao chegar perto da porta da cidade, eis que levavam um defunto a ser sepultado, filho único de uma viúva; acompanhava-a muita gente da cidade. Vendo-a o Senhor, movido de compaixão para com ela, disse-lhe: Não chores! E aproximando-se, tocou no esquife, e os que o levavam pararam. Disse Jesus: Moço, eu te ordeno, levanta-te. Sentou-se o que estivera morto e começou a falar, e Jesus entregou-o à sua mãe. Apoderou-se de todos o temor, e glorificavam a Deus, dizendo: Um grande profeta surgiu entre nós: Deus voltou os olhos para o seu povo.

Liturgia Diária- 09/03/2018

SEXTA-FEIRA DA 3ª SEMANA DA QUARESMA

Féria de 3ª Classe- Missa Própria

A epístola e o evangelho destinavam-se, outrora, a preparar os catecúmenos para o batismo. A água, que Moisés fez brotar da rocha, no deserto, para dessedentar o povo, anuncia aquela água misteriosa de que Jesus fala à samaritana, e que dá a vida eterna. Esta água é a graça do batismo, a graça da penitência e dos outros sacramentos – toda a vida nova, que brota de Cristo. Nela encontram os cristãos com que acalmar, para sempre, a sua sede.


SANTA FRANCISCA ROMANA, Viúva

Comemoração- Missa do dia, com 2ªs orações da missa “Cognovi”, exceto a Coleta

Santa Francisca foi, no século XV, modelo perfeito de esposa cristã no seio da nobreza romana. Depois de lhe morrer o marido retirou-se do mundo para viver num mosteiro de oblatas por ela fundado, To de’ Spechi, perto do Tibre; observava-se nele a regra de São Bento. Deus favoreceu-a com a presença visível do seu anjo da guarda, com o qual a santa conversava familiarmente (coleta). Morreu em 1440 e foi enterrada na igreja de Santa Maria a Nova, depois chamada de Santa Francisca Romana. 


Páginas 245 a 251, 1003 a 1004 894 a 895 do Missal Quotidiano.


Missa às 18:30 horas na Capela São Judas Tadeu.


LEITURAS

Leitura (Num 20, 1-3 e 6-13)


A arte cristã primitiva representava Moisés e São Pedro ao lado do rochedo, figura de Cristo; os dois chefes do povo de Deus fazem jorrar a água viva que jamais se há de estancar.


Leitura do Livro dos Números.

Naqueles dias: Toda a assembléia dos filhos de Israel chegou ao deserto de Sin no primeiro mês. O povo ficou em Cades; ali morreu Maria, que foi sepultada no mesmo lugar. Como não houvesse água para a assembléia, o povo se ajuntou contra Moisés e Aarão, procurou disputar com Moisés e gritou: “Oxalá tivéssemos perecido com nossos irmãos diante do Senhor! Moisés e Aarão deixaram a assembléia e dirigiram-se à entrada da tenda de reunião, onde se prostraram com a face por terra. Apareceu-lhes a glória do Senhor, e o Senhor disse a Moisés: “Toma a tua vara e convoca a assembléia, tu e teu irmão Aarão. Ordenareis ao rochedo, diante de todos, que dê as suas águas; farás brotar a água do rochedo e darás de beber à assembléia e aos seus rebanhos.” Tomou Moisés a vara que estava diante do Senhor, como ele lhe tinha ordenado. Em seguida, tendo Moisés e Aarão convocado a assembléia diante do rochedo, disse-lhes Moisés: “Ouvi, rebeldes: acaso faremos nós brotar água deste rochedo?” Moisés levantou a mão e feriu o rochedo com a sua vara duas vezes; as águas jorraram em abundância, de sorte que beberam, o povo e os animais. Em seguida, disse o Senhor a Moisés e Aarão: “Porque faltastes à confiança em mim para fazer brilhar a minha santidade aos olhos dos israelitas, não introduzireis esta assembléia na terra que lhe destino.” Estas são as as águas de Meribá, onde os israelitas se queixaram do Senhor, e onde este fez resplandecer a sua santidade.

Evangelho (Jo 4, 5-42)


Não nos cansamos de reler esta página do Evangelho, na qual a alma de Jesus se revela plenamente. Vindo saciar-nos a sede, Ele próprio sente fome e sede das almas, que deseja salvar.


Sequência do Santo Evangelho segundo João. 

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: Chegou, pois, a uma localidade da Samaria, chamada Sicar, junto das terras que Jacó dera a seu filho José. Ali havia o poço de Jacó. E Jesus, fatigado da viagem, sentou-se à beira do poço. Era por volta do meio-dia. Veio uma mulher da Samaria tirar água. Pediu-lhe Jesus: Dá-me de beber. (Pois os discípulos tinham ido à cidade comprar mantimentos.) Aquela samaritana lhe disse: Sendo tu judeu, como pedes de beber a mim, que sou samaritana!… (Pois os judeus não se comunicavam com os samaritanos.) Respondeu-lhe Jesus: Se conhecesses o dom de Deus, e quem é que te diz: Dá-me de beber, certamente lhe pedirias tu mesma e ele te daria uma água viva. A mulher lhe replicou: Senhor, não tens com que tirá-la, e o poço é fundo… donde tens, pois, essa água viva? És, porventura, maior do que o nosso pai Jacó, que nos deu este poço, do qual ele mesmo bebeu e também os seus filhos e os seus rebanhos? Respondeu-lhe Jesus: Todo aquele que beber desta água tornará a ter sede, mas o que beber da água que eu lhe der jamais terá sede. Mas a água que eu lhe der virá a ser nele fonte de água, que jorrará até a vida eterna. A mulher suplicou: Senhor, dá-me desta água, para eu já não ter sede nem vir aqui tirá-la! Disse-lhe Jesus: Vai, chama teu marido e volta cá. A mulher respondeu: Não tenho marido. Disse Jesus: Tens razão em dizer que não tens marido. Tiveste cinco maridos, e o que agora tens não é teu. Nisto disseste a verdade. Senhor, disse-lhe a mulher, vejo que és profeta!… Nossos pais adoraram neste monte, mas vós dizeis que é em Jerusalém que se deve adorar. Jesus respondeu: Mulher, acredita-me, vem a hora em que não adorareis o Pai, nem neste monte nem em Jerusalém. Vós adorais o que não conheceis, nós adoramos o que conhecemos, porque a salvação vem dos judeus. Mas vem a hora, e já chegou, em que os verdadeiros adoradores hão de adorar o Pai em espírito e verdade, e são esses adoradores que o Pai deseja. Deus é espírito, e os seus adoradores devem adorá-lo em espírito e verdade. Respondeu a mulher: Sei que deve vir o Messias (que se chama Cristo); quando, pois, vier, ele nos fará conhecer todas as coisas. Disse-lhe Jesus: Sou eu, quem fala contigo. Nisso seus discípulos chegaram e maravilharam-se de que estivesse falando com uma mulher. Ninguém, todavia, perguntou: Que perguntas? Ou: Que falas com ela? A mulher deixou o seu cântaro, foi à cidade e disse àqueles homens: Vinde e vede um homem que me contou tudo o que tenho feito. Não seria ele, porventura, o Cristo? Eles saíram da cidade e vieram ter com Jesus. Entretanto, os discípulos lhe pediam: Mestre, come. Mas ele lhes disse: Tenho um alimento para comer que vós não conheceis. Os discípulos perguntavam uns aos outros: Alguém lhe teria trazido de comer? Disse-lhes Jesus: Meu alimento é fazer a vontade daquele que me enviou e cumprir a sua obra. Não dizeis vós que ainda há quatro meses e vem a colheita? Eis que vos digo: levantai os vossos olhos e vede os campos, porque já estão brancos para a ceifa. O que ceifa recebe o salário e ajunta fruto para a vida eterna; assim o semeador e o ceifador juntamente se regozijarão. Porque eis que se pode dizer com toda verdade: Um é o que semeia outro é o que ceifa. Enviei-vos a ceifar onde não tendes trabalhado; outros trabalharam, e vós entrastes nos seus trabalhos. Muitos foram os samaritanos daquela cidade que creram nele por causa da palavra da mulher, que lhes declarara: Ele me disse tudo quanto tenho feito. Assim, quando os samaritanos foram ter com ele, pediram que ficasse com eles. Ele permaneceu ali dois dias. Ainda muitos outros creram nele por causa das suas palavras. E diziam à mulher: Já não é por causa da tua declaração que cremos, mas nós mesmos ouvimos e sabemos ser este verdadeiramente o Salvador do mundo. Passados os dois dias, Jesus partiu para a Galileia

 

Liturgia Diária- 16/11/2017

SANTA GERTRUDES, Víuva

Festa de 3ª Classe- Missa “Dilexisti” com Coleta própria

Santa Gertrudes 27.09.2012

Santa Gertrudes, monja beneditina do mosteiro de Helfta, na Saxônia, é uma das grandes místicas da Idade Média. Foi agraciada com visões de Nosso Senhor, de que deixou uma admirável narrativa no livro que intitulou “Revelações” ou “O Arauto do Amor Divino”. O nome de Santa Gertrudes anda ligado às origens da devoção do Sagrado Coração de Jesus, que Santa Margarida Maria havia de propagar seis séculos mais tarde, depois de novas revelações de Nosso Senhor. Morreu no princípio do século XIV.

Nosso Senhor disse a Santa Gertrudes que a seguinte oração libertaria mil (1000) almas do Purgatório (por dia*) cada vez que fosse rezada. Esta oração foi estendida também aos pecadores ainda em vida:

Eterno Pai, eu Vos ofereço o preciosíssimo Sangue do Vosso Divino Filho Jesus, em união com todas as Santas Missas que hoje são celebradas em todo o mundo, por todas as santas almas do Purgatório, pelos pecadores em todos os lugares, pelos pecadores da Santa Igreja universal, pelos de minha casa e meus vizinhos. Amem!            

Oração (Coleta da Missa): Ó Deus, que preparastes para Vós uma agradável morada no coração da Santa Virgem Gertrudes, por seus méritos e intercessão, apagai, benignamente, as manchas do nosso coração, e fazei-nos gozar de sua companhia. Por Nosso Senhor Jesus Cristo. Amém.

LEITURAS

Epístola (II Coríntios 10,17-18; 11,1-2)

Leitura da Epístola de São Paulo Apostolo aos Coríntios. 

Irmãos, aquele que se gloria, glorie-se no Senhor. Pois merece a aprovação não aquele que se recomenda a si mesmo, mas aquele que o Senhor recomenda. Oxalá suportásseis um pouco de loucura de minha parte! Oh, sim! Tolerai-me. Eu vos consagro um carinho e amor santo, porque vos desposei com um esposo único e vos apresentei a Cristo como virgem pura.

Evangelho (Mt 25, 1-13)

Sequência do Santo Evangelho segundo Mateus.

Naquele tempo, contou Jesus a seus discípulos a seguinte parábola: “o Reino dos céus será semelhante a dez virgens, que saíram com suas lâmpadas ao encontro do esposo. Cinco dentre elas eram tolas e cinco, prudentes. Tomando suas lâmpadas, as tolas não levaram óleo consigo. As prudentes, todavia, levaram de reserva vasos de óleo junto com as lâmpadas. Tardando o esposo, cochilaram todas e adormeceram. No meio da noite, porém, ouviu-se um clamor: Eis o esposo, ide-lhe ao encontro. E as virgens levantaram-se todas e prepararam suas lâmpadas. As tolas disseram às prudentes: Dai-nos de vosso óleo, porque nossas lâmpadas se estão apagando. As prudentes responderam: Não temos o suficiente para nós e para vós; é preferível irdes aos vendedores, a fim de o comprardes para vós. Ora, enquanto foram comprar, veio o esposo. As que estavam preparadas entraram com ele para a sala das bodas e foi fechada a porta. Mais tarde, chegaram também as outras e diziam: Senhor, senhor, abre-nos! Mas ele respondeu: Em verdade vos digo: não vos conheço! Vigiai, pois, porque não sabeis nem o dia nem a hora.”

 

Liturgia Diária- 16/10/2017

SANTA HEDWIGES, Viúva

Festa de 3ª Classe- Missa “Cognovi” com Coleta própria

Santa Hedwiges pertencia a uma família real; era tia materna de S. Isabel da Hungria. Do seu casamento com Henrique, duque da Silésia, teve três filhos e três filhas, dos quais apenas lhe sobreviveu uma filha que foi abadessa cisterciense. Por morte do marido, renunciou por completo ao mundo e entrou no mosteiro cisterciense de Trebnitz por ela fundado. Morreu em 15 de outubro de 1243. O seu culto permaneceu intenso na Silésia e na Polônia. 

LEITURAS

Leitura (Pr 31, 10-31)

Leitura do Livro dos Provérbios

Uma mulher virtuosa, quem pode encontrá-la? Superior ao das pérolas é o seu valor. Confia nela o coração de seu marido, e jamais lhe faltará coisa alguma. Ela lhe proporciona o bem, nunca o mal, em todos os dias de sua vida. Ela procura lã e linho e trabalha com mão alegre. Semelhante ao navio do mercador, manda vir seus víveres de longe. Levanta-se, ainda de noite, distribui a comida à sua casa e a tarefa às suas servas. Ela encontra uma terra, adquire-a. Planta uma vinha com o ganho de suas mãos. Cinge os rins de fortaleza, revigora seus braços. Alegra-se com o seu lucro, e sua lâmpada não se apaga durante a noite. Põe a mão na roca, seus dedos manejam o fuso. Estende os braços ao infeliz e abre a mão ao indigente. Ela não teme a neve em sua casa, porque toda a sua família tem vestes duplas. Faz para si cobertas: suas vestes são de linho fino e de púrpura. Seu marido é considerado nas portas da cidade, quando se senta com os anciãos da terra. Tece linha e o vende, fornece cintos ao mercador. 25 Fortaleza e graça lhe servem de ornamentos; ri-se do dia de amanhã. Abre a boca com sabedoria, amáveis instruções surgem de sua língua. Vigia o andamento de sua casa e não come o pão da ociosidade. Seus filhos se levantam para proclamá-la bem-aventurada e seu marido para elogiá-la. Muitas mulheres demonstram vigor, mas tu excedes a todas. A graça é falaz e a beleza é vã; a mulher inteligente é a que se deve louvar.  Dai-lhe o fruto de suas mãos e que suas obras a louvem nas portas da cidade.

Evangelho (Mt 13, 44-52)

Sequência do Santo Evangelho segundo Mateus.

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos esta parábola: O Reino dos céus é também semelhante a um tesouro escondido num campo. Um homem o encontra, mas o esconde de novo. E, cheio de alegria, vai, vende tudo o que tem para comprar aquele campo. O Reino dos céus é ainda semelhante a um negociante que procura pérolas preciosas. Encontrando uma de grande valor, vai, vende tudo o que possui e a compra. O Reino dos céus é semelhante ainda a uma rede que, jogada ao mar, recolhe peixes de toda espécie. Quando está repleta, os pescadores puxam-na para a praia, sentam-se e separam nos cestos o que é bom e jogam fora o que não presta. Assim será no fim do mundo: os anjos virão separar os maus do meio dos justos e os arrojarão na fornalha, onde haverá choro e ranger de dentes. Compreendestes tudo isto? Sim, Senhor, responderam eles. Por isso, todo escriba instruído nas coisas do Reino dos céus é comparado a um pai de família que tira de seu tesouro coisas novas e velhas.

 

Liturgia Diária- 21/08/2017

SANTA JOANA DE CHANTAL, Viúva

Festa de 3ª Classe- Missa “Cognovi”, com orações próprias

Joana Francisca Fremiót nasceu em Dijon em 1572. Unida em matrimônio com o barão de Chantal, foi esposa e mãe admirável. Viúva aos 28 anos permaneceu só para assegurar a educação dos filhos. A isso se consagrou com toda a alma, mas o encontro com São Francisco de Sales devia levá-la progressivamente a realizar os grandes desígnios que Deus tinha sobre ela; sob a doce e forte direção do santo, desprendeu-se de tudo o que no mundo podia prender-lhe a afeição, armou-se de coragem para se separar dos filhos e em 1610 fundou em Annecy a primeira casa da Visitação. As fundações multiplicaram-se rapidamente; quando a santa morreu, em 1641, a ordem estava em franco desenvolvimento. O corpo de Santa Joana de Chantal repousa na Visitação de Annecy, junto ao de São Francisco de Sales.  

LEITURAS

Leitura (Pr 31, 10-31)

Leitura do Livro dos Provérbios 

Uma mulher virtuosa, quem pode encontrá-la? Superior ao das pérolas é o seu valor. Confia nela o coração de seu marido, e jamais lhe faltará coisa alguma. Ela lhe proporciona o bem, nunca o mal, em todos os dias de sua vida. Ela procura lã e linho e trabalha com mão alegre. Semelhante ao navio do mercador, manda vir seus víveres de longe. Levanta-se, ainda de noite, distribui a comida à sua casa e a tarefa às suas servas. Ela encontra uma terra, adquire-a. Planta uma vinha com o ganho de suas mãos. Cinge os rins de fortaleza, revigora seus braços. Alegra-se com o seu lucro, e sua lâmpada não se apaga durante a noite. Põe a mão na roca, seus dedos manejam o fuso. Estende os braços ao infeliz e abre a mão ao indigente. Ela não teme a neve em sua casa, porque toda a sua família tem vestes duplas. Faz para si cobertas: suas vestes são de linho fino e de púrpura. Seu marido é considerado nas portas da cidade, quando se senta com os anciãos da terra. Tece linha e o vende, fornece cintos ao mercador. 25 Fortaleza e graça lhe servem de ornamentos; ri-se do dia de amanhã. Abre a boca com sabedoria, amáveis instruções surgem de sua língua. Vigia o andamento de sua casa e não come o pão da ociosidade. Seus filhos se levantam para proclamá-la bem-aventurada e seu marido para elogiá-la. Muitas mulheres demonstram vigor, mas tu excedes a todas. A graça é falaz e a beleza é vã; a mulher inteligente é a que se deve louvar.  Dai-lhe o fruto de suas mãos e que suas obras a louvem nas portas da cidade.

Evangelho (Mt 13, 44-52)

Sequência do Santo Evangelho segundo Mateus.

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos esta parábola: O Reino dos céus é também semelhante a um tesouro escondido num campo. Um homem o encontra, mas o esconde de novo. E, cheio de alegria, vai, vende tudo o que tem para comprar aquele campo. O Reino dos céus é ainda semelhante a um negociante que procura pérolas preciosas. Encontrando uma de grande valor, vai, vende tudo o que possui e a compra. O Reino dos céus é semelhante ainda a uma rede que, jogada ao mar, recolhe peixes de toda espécie. Quando está repleta, os pescadores puxam-na para a praia, sentam-se e separam nos cestos o que é bom e jogam fora o que não presta. Assim será no fim do mundo: os anjos virão separar os maus do meio dos justos e os arrojarão na fornalha, onde haverá choro e ranger de dentes. Compreendestes tudo isto? Sim, Senhor, responderam eles. Por isso, todo escriba instruído nas coisas do Reino dos céus é comparado a um pai de família que tira de seu tesouro coisas novas e velhas.

 

Liturgia Diária- 08/07/2017

SANTA ISABEL DE PORTUGAL, Viúva

Festa de 3ª Classe- Missa “Cognovi” com Coleta própria

Nasceu na Espanha no ano de 1270. Pertencia à família real de Aragão, que lhe concedeu uma ótima formação cristã. Foi entregue em casamento ao rei Diniz, rei de Portugal, com apenas 12 anos de idade, e já dava testemunho de uma esposa cristã, uma mulher de oração e centrada na Eucaristia e ajudou a propagar a grande devoção à Nossa Senhora da Conceição. Aos 20 anos teve seu filho Afonso IV, que viveu muitos conflitos com o pai.

Isabel era mulher de caridade e reconciliadora, vivendo isso bem a partir de sua família. Era rainha, mas nunca esqueceu que também era irmã dos mais necessitados. Uma de suas últimas obras de caridade talvez, foi cuidar do seu próprio esposo. Dom Diniz que tanto a fez sofrer, agora precisava dos cuidados de Isabel, que se dispôs, quis cuidar dele. Ele ficou doente em 1324 e faleceu no ano seguinte. Então Isabel deixou a sua condição de viver no palácio como rainha e recebeu o hábito como franciscana, clarissa.

Em 1336 saiu de Coimbra e foi ao encontro de seu filho, devido a um novo conflito familiar. Mesmo com 66 anos e enferma conseguiu chegar. Foi acolhida e ouvida por seu filho. Ali ela faleceu, mas foi enterrada em Coimbra, como era seu desejo. Está enterrada em uma Igreja dedicado a ela.

LEITURAS

Leitura (Pr 31, 10-31)

Leitura do Livro dos Provérbios

Uma mulher virtuosa, quem pode encontrá-la? Superior ao das pérolas é o seu valor. Confia nela o coração de seu marido, e jamais lhe faltará coisa alguma. Ela lhe proporciona o bem, nunca o mal, em todos os dias de sua vida. Ela procura lã e linho e trabalha com mão alegre. Semelhante ao navio do mercador, manda vir seus víveres de longe. Levanta-se, ainda de noite, distribui a comida à sua casa e a tarefa às suas servas. Ela encontra uma terra, adquire-a. Planta uma vinha com o ganho de suas mãos. Cinge os rins de fortaleza, revigora seus braços. Alegra-se com o seu lucro, e sua lâmpada não se apaga durante a noite. Põe a mão na roca, seus dedos manejam o fuso. Estende os braços ao infeliz e abre a mão ao indigente. Ela não teme a neve em sua casa, porque toda a sua família tem vestes duplas. Faz para si cobertas: suas vestes são de linho fino e de púrpura. Seu marido é considerado nas portas da cidade, quando se senta com os anciãos da terra. Tece linha e o vende, fornece cintos ao mercador. 25 Fortaleza e graça lhe servem de ornamentos; ri-se do dia de amanhã. Abre a boca com sabedoria, amáveis instruções surgem de sua língua. Vigia o andamento de sua casa e não come o pão da ociosidade. Seus filhos se levantam para proclamá-la bem-aventurada e seu marido para elogiá-la. Muitas mulheres demonstram vigor, mas tu excedes a todas. A graça é falaz e a beleza é vã; a mulher inteligente é a que se deve louvar.  Dai-lhe o fruto de suas mãos e que suas obras a louvem nas portas da cidade.

Evangelho (Mt 13, 44-52)

Sequência do Santo Evangelho segundo Mateus.

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos esta parábola: O Reino dos céus é também semelhante a um tesouro escondido num campo. Um homem o encontra, mas o esconde de novo. E, cheio de alegria, vai, vende tudo o que tem para comprar aquele campo. O Reino dos céus é ainda semelhante a um negociante que procura pérolas preciosas. Encontrando uma de grande valor, vai, vende tudo o que possui e a compra. O Reino dos céus é semelhante ainda a uma rede que, jogada ao mar, recolhe peixes de toda espécie. Quando está repleta, os pescadores puxam-na para a praia, sentam-se e separam nos cestos o que é bom e jogam fora o que não presta. Assim será no fim do mundo: os anjos virão separar os maus do meio dos justos e os arrojarão na fornalha, onde haverá choro e ranger de dentes. Compreendestes tudo isto? Sim, Senhor, responderam eles. Por isso, todo escriba instruído nas coisas do Reino dos céus é comparado a um pai de família que tira de seu tesouro coisas novas e velhas.

 

Santo do dia – 19/11 – Santa Isabel da Hungria

Nascimento: 1207 (Pressburgo, Hungria)
Falecimento: 1231 (Marburgo, Hungria) (24 anos)11-19SantaElisabethHungria_03

⇒ Vida breve, mas intensa. Noiva aos 4 anos, esposa aos 14, mãe aos 15 e viúva aos 20 anos.
⇒ Teve três filhos, Hermano, Sofia e Gertrudes, em seis anos de vida conjugal.
⇒ A expulsaram da corte pelo tio do seu falecido esposo por suportar mal sua generosidade para com os pobres.
⇒ Abrigou-se num curral de porcos com os filhos, até ser socorrida como pobre pelos franciscanos de Eisenach.
⇒ Entrou para a Ordem Terceira de São Francisco.
⇒ Fundou um convento de franciscanas em 1229 e pôs-se a servir os doentes e enfermos até morrer, em 1231.
⇒ Quatro anos depois da sua morte, o papa Gregório IX inscreveu-a oficialmente no livro de ouro dos santos.

Fonte: paulinas.org.br e santo.cancaonova.com/

Liturgia – 19/11/2014 – Latim/Português

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Matthaeum.
R. Gloria tibi, Domine!
Matth 13:44-52
In illo témpore: Dixit Iesus discípulis suis parábolam hanc: Símile est regnum coelórum thesáuro abscóndito in agro: quem qui invénit homo, abscóndit, et præ gáudio illíus vadit, et vendit univérsa, quæ habet, et emit agrum illum. Iterum símile est regnum coelórum homini negotiatóri, quærénti bonas margarítas. Invénta autem una pretiósa margaríta, ábiit, et véndidit ómnia, quæ hábuit, et emit eam.Iterum símile est regnum coelórum sagénæ, missæ in mare et ex omni génere píscium cóngreganti. Quam, cum impléta esset educéntes, et secus litus sedéntes, elegérunt bonos in vasa, malos autem foras misérunt. Sic erit in consummatióne saeculi: exíbunt Angeli, et separábunt malos de médio iustórum, et mittent eos in camínum ignis: ibi erit fletus et stridor déntium. Intellexístis hæc ómnia? Dicunt ei: Etiam. Ait illis: Ideo omnis scriba doctus in regno coelórum símilis est hómini patrifamílias, qui profert de thesáuro suo nova et vétera.
R. Laus tibi, Christe!

Sequência Santo Evangelho segundo Mateus.
R. Glória a Vós Senhor!
Matth 13:44-52
Naquele tempo: disse Jesus aos seus discípulos esta parábola: O Reino dos céus é também semelhante a um tesouro escondido num campo. Um homem o encontra, mas o esconde de novo. E, cheio de alegria, vai, vende tudo o que tem para comprar aquele campo. O Reino dos céus é ainda semelhante a um negociante que procura pérolas preciosas. Encontrando uma de grande valor, vai, vende tudo o que possui e a compra. O Reino dos céus é semelhante ainda a uma rede que, jogada ao mar, recolhe peixes de toda espécie. Quando está repleta, os pescadores puxam-na para a praia, sentam-se e separam nos cestos o que é bom e jogam fora o que não presta. Assim será no fim do mundo: os anjos virão separar os maus do meio dos justos e os arrojarão na fornalha, onde haverá choro e ranger de dentes. Compreendestes tudo isto? Sim, Senhor, responderam eles.Por isso, todo escriba instruído nas coisas do Reino dos céus é comparado a um pai de família que tira de seu tesouro coisas novas e velhas.
R. Louvor a vós ó Cristo!

Tradução: Bíblia Ave Maria