Liturgia Diária- 05/02/2020

SANTA ÁGUEDA, Virgem e Mártir

Festa de 3ª Classe- Missa Própria, com orações da Missa “Loquébar”

Para confessar a sua fé e guardar a sua virgindade sofreu atrozes martírios. O algoz lhe cortou os seios (Communio) e queimou os lados com um ferro em brasa, porém Deus, durante a noite, curou-a milagrosamente. Depois de sofrer novos martírios morreu no cárcere.


Liturgia Diária- 30/01/2020

SANTA MARTINHA, Virgem e Mártir

Festa de 3ª Classe- Missa “Loquébar”

Pouco se sabe de Santa Martinha, venerada em Roma como virgem e mártir. No seculo VIII, foi construída em sua honra uma igreja no lugar onde fora um anexo do senado romano.

O estado de virgindade sempre foi considerado pela Igreja, a justo título, como um estado privilegiado. Esta vida isenta de divisões, dada toda inteira a Deus, sem que nada a possa desviar, corresponde às aspirações mais profundas da alma cristã; exprime, no que há de mais religioso, o ideal que anima toda a Igreja. Ao glorificar as virgens consagradas, a Igreja celebra o seu destino, canta as núpcias da alma cristã com Deus.


Páginas 956; 870 a 875 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963). 


Liturgia Diária- 21/01/2020

SANTA INÊS, Virgem e Mártir

Festa de 3ª Classe- Missa Própria

Semelhante a Sta. Luzia, Inês guardou fidelidade ao Esposo Divino, apesar de graves lutas. Cruelmente martirizada, morreu aos 13 anos. Por cima de sua sepultura, levanta-se uma das mais antigas e belas basílicas edificadas pelo imperador Constantino. Seu nome está no Cânon da Missa.


Páginas 941 a 943 do Missal Quotidiano. 


Missa às 19 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes. 


Liturgia Diária- 05/02/2019

SANTA ÁGUEDA, Virgem e Mártir

Festa de 3ª Classe- Missa Própria, com orações da Missa “Loquébar”

Para confessar a sua fé e guardar a sua virgindade sofreu atrozes martírios. O algoz lhe cortou os seios (Communio) e queimou os lados com um ferro em brasa, porém Deus, durante a noite, curou-a milagrosamente. Depois de sofrer novos martírios morreu no cárcere.


Inscreva-se para a Turma de Catequese de 2019: Clique aqui e confira.


Inscreva-se em nosso Curso de Introdução ao Credo. ÚLTIMA SEMANA! Clique aqui.


Liturgia Diária- 30/01/2019

SANTA MARTINHA, Virgem e Mártir

Festa de 3ª Classe- Missa “Loquébar”

Pouco se sabe de Santa Martinha, venerada em Roma como virgem e mártir. No seculo VIII, foi construída em sua honra uma igreja no lugar onde fora um anexo do senado romano.

O estado de virgindade sempre foi considerado pela Igreja, a justo título, como um estado privilegiado. Esta vida isenta de divisões, dada toda inteira a Deus, sem que nada a possa desviar, corresponde às aspirações mais profundas da alma cristã; exprime, no que há de mais religioso, o ideal que anima toda a Igreja. Ao glorificar as virgens consagradas, a Igreja celebra o seu destino, canta as núpcias da alma cristã com Deus.


Páginas 956; 870 a 875 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963). 


Inscreva-se para a Turma de Catequese de 2019: Clique aqui e confira.


Inscreva-se em nosso Curso de Introdução ao Credo. ÚLTIMAS VAGAS! Clique aqui.


Liturgia Diária- 21/01/2019

SANTA INÊS, Virgem e Mártir

Festa de 3ª Classe- Missa Própria

Semelhante a Sta. Luzia, Inês guardou fidelidade ao Esposo Divino, apesar de graves lutas. Cruelmente martirizada, morreu aos 13 anos. Por cima de sua sepultura, levanta-se uma das mais antigas e belas basílicas edificadas pelo imperador Constantino. Seu nome está no Cânon da Missa.


Páginas 941 a 943 do Missal Quotidiano. 


Missa às 19 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes. 


Inscreva-se para a Turma de Catequese de 2019. Clique aqui e confira.


Inscreva-se em nosso Curso de Introdução ao Credo. ÚLTIMAS VAGAS! Clique aqui.


Confira as Missas desta semana: clique aqui.


Liturgia Diária- 16/11/2018

SANTA GERTRUDES, Virgem

Festa de 3ª Classe- Missa “Dilexisti” com Coleta própria

Entre as Santas que Deus concedeu à sua Igreja, na Idade média, Santa Gertrudes “Magna” é, sem dúvida, uma das mais notáveis. Jovem ainda, entregou-se a Deus no Mosteiro das Beneditinas de Helfta, onde Deus lhe concedeu muitas e extraordinárias graças. Ela nos legou no “Embaixador do Amor Divino”, as suas profundas considerações teológicas e litúrgicas.


Dia de abstinência. 


Liturgia Diária- 01/11/2018

FESTA DE TODOS OS SANTOS

Festa de 1ª Classe- Missa Própria – Missa de Preceito

O Cordeiro, Rei do Céu, primeiro e último, alfa e omega, que nos resgatou com o seu sangue, impera do seu trono, rodeado dos quatro animais simbólicos da visão de Ezequiel, no esplendor dos sete candelabros de outo, diante dos anjos das sete Igrejas, no meio dos vinte e quatro anciãos cingidos com as suas coroas.

A Missa e a testa de hoje animam-nos a seguir os exemplos de todos os Santos, e ao mesmo tempo, imploram a sua intercessão para que também cheguemos a realizar este ideal. Alegremo-nos nesta solenidade, porque os Santos são irmãos nossos que já atingiram o seu fim. Alegremo-nos, porque, sendo membros da mesma família, podemos esperar cantar com eles e os santos Anjos o louvor do Filho de Deus (Introito). Este mesmo Filho de Deus nos traça no Evangelho as normas da vida e no Gradual nos convida a que O sigamos. Alegremo-nos, sim, porque a nossa recompensa será grande no céu (Evangelho).


Páginas 1361 a 1365 do Missal Quotidiano. 


Missa às 18:30 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes. 


Liturgia Diária- 03/10/2018

SANTA TERESA DO MENINO JESUS, Virgem

Festa de 1ª Classe (em Uberlândia) – Missa Própria

Padroeira da Diocese de Uberlândia

A grande Santa de nossos dias nasceu aos dois de janeiro de 1873. Com 15 anos, por licença especial do Papa Leão XIII, entrou no Carmelo de Lísieux. Singulares foram as graças que recebeu (Leitura e Comunhão) e belas as suas virtudes (Versículo do Aleluia e Evangelho). Na Oração pedimos a graça de poder seguir o seu exemplo de humildade e simplicidade. Extraordinárias têm sido as graças que, qual chuva de rosas, deixa cair sobre as almas aqui na terra, depois de sua morte. Foi canonizada pelo Papa Pio XI, em 17 de maio de 1925, e declarada padroeira de todas as missões e dos missionários a 14 de dezembro de 1927.


Páginas 1314 a 1317 do Missal Quotidiano.


Missa às 18:30 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes, com Comemoração dos Santos Anjos da Guarda.


Liturgia Diária- 30/08/2018

SANTA ROSA DE LIMA, Virgem

Festa de 1ª Classe (em todo o Brasil)- Padroeira principal da América Latina- Missa Própria 

Cem anos após a descoberta do Novo Mundo nasceu em Lima, capital do Peru, a primeira flor de santidade que a América meridional produziu. Chamava-se Isabel, mas a frescura das suas cores valeu-lhe o nome por que é conhecida. Desde a infância viveu num grande amor ao Senhor, suportando com uma paciência inalterável uma longa doença e as perseguições da família. Era terceira dominicana. Morreu em 24 de agosto de 1617, com a idade de 31 anos. 


SANTOS FÉLIX E ADAUTO, Mártires

Comemoração- Missa do dia com 2ªs orações próprias

Félix e Adauto são dois mártires da perseguição de Diocleciano; estão sepultados no cemitério de Comodília, na via ostiense, às portas de Roma.


Páginas 34 a 36 do comum do Brasil, do Missal Quotidiano (parte final).


Missa às 18:30 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- 21/08/2018

SANTA JOANA DE CHANTAL, Viúva

Festa de 3ª Classe- Missa “Cognovi”, com orações próprias

Joana Francisca Fremiót nasceu em Dijon em 1572. Unida em matrimônio com o barão de Chantal, foi esposa e mãe admirável. Viúva aos 28 anos permaneceu só para assegurar a educação dos filhos. A isso se consagrou com toda a alma, mas o encontro com São Francisco de Sales devia levá-la progressivamente a realizar os grandes desígnios que Deus tinha sobre ela; sob a doce e forte direção do santo, desprendeu-se de tudo o que no mundo podia prender-lhe a afeição, armou-se de coragem para se separar dos filhos e em 1610 fundou em Annecy a primeira casa da Visitação. As fundações multiplicaram-se rapidamente; quando a santa morreu, em 1641, a ordem estava em franco desenvolvimento. O corpo de Santa Joana de Chantal repousa na Visitação de Annecy, junto ao de São Francisco de Sales.  

Liturgia Diária- 26/07/2018

SANTA ANA, Mãe da Santíssima Virgem

Festa de 2ª Classe- Missa Própria

A devoção dos fiéis de Santa Ana é o prolongamento da que nutrem por Nossa Senhora, de quem a santa doi mãe. As associações de mães cristãs escolheram-na para sua padroeira. O culto de Santa Ana que nos veio do Oriente, espalhou-se entre nós no tempo das cruzadas. Na França voltou a acentuar-se no século XVII, principalmente na Bretanha, onde a descoberta duma antiga imagem deu novo impulso à peregrinação de Santa Ana de Auray. Ainda hoje se veem afluir aí no dia da festa cerca de 50.000 peregrinos. Santa Ana é a padroeira da Bretanha. O papa Leão XIII elevou a sua festa a 2ª classe.


Liturgia Diária- 24/07/2018

SANTA CRISTINA, Virgem e Mártir

Comemoração- Missa “Me exspectaverunt”

Santa Cristina é uma mártir de Bolsena na Itália. Foi provavelmente martirizada sob Diocleciano. A partir do século VI goza de grande veneração. 

As virgens puseram toda a esperança em Deus, o único que podia satisfazer a sua expectativa, e Deus livrou-as dos pecadores que procuravam perdê-las.

Liturgia Diária- 10/07/2018

OS SETE IRMÃOS MÁRTIRES, SANTAS RUFINA E SECUNDA, Mártires e Virgens

Festa de 3ª Classe- Missa Própria

      

Os sete mártires romanos, que hoje festejamos, não são irmãos como muito tempo se julgou, mas mártires de diversos cemitérios de Roma reunidos mais tarde numa mesma sepultura. Na escolha dos textos da missa, aliás belíssimos, a liturgia deixou-se levar pela lenda tardia que faz dos sete mártires os sete filhos de Santa Felicidade (festejada em 23/11).

Rufina e Secunda são duas mártires romanas que tinham as suas sepulturas a alguns quilômetros da cidade, na Vila Cornélia. Já no século V Roma lhes celebrava a festa nesta data. 


Páginas 1162 a 1164 do Missal Quotidiano.


Missa às 18:30 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


LEITURAS

Leitura (Pr 31, 10-31)

Leitura do livro da Sabedoria. 

Uma mulher virtuosa, quem pode encontrá-la? Superior ao das pérolas é o seu valor. Confia nela o coração de seu marido, e jamais lhe faltará coisa alguma. Ela lhe proporciona o bem, nunca o mal, em todos os dias de sua vida. Ela procura lã e linho e trabalha com mão alegre. Semelhante ao navio do mercador, manda vir seus víveres de longe. Levanta-se, ainda de noite, distribui a comida à sua casa e a tarefa às suas servas. Ela encontra uma terra, adquire-a. Planta uma vinha com o ganho de suas mãos. Cinge os rins de fortaleza, revigora seus braços. Alegra-se com o seu lucro, e sua lâmpada não se apaga durante a noite. Põe a mão na roca, seus dedos manejam o fuso. Estende os braços ao infeliz e abre a mão ao indigente. Ela não teme a neve em sua casa, porque toda a sua família tem vestes duplas. Faz para si cobertas: suas vestes são de linho fino e de púrpura. Seu marido é considerado nas portas da cidade, quando se senta com os anciãos da terra. Tece linha e o vende, fornece cintos ao mercador. Fortaleza e graça lhe servem de ornamentos; ri-se do dia de amanhã. Abre a boca com sabedoria, amáveis instruções surgem de sua língua. Vigia o andamento de sua casa e não come o pão da ociosidade. Seus filhos se levantam para proclamá-la bem-aventurada e seu marido para elogiá-la. Muitas mulheres demonstram vigor, mas tu excedes a todas. A graça é falaz e a beleza é vã; a mulher inteligente é a que se deve louvar. Dai-lhe o fruto de suas mãos e que suas obras a louvem nas portas da cidade.

Evangelho (Mt 12, 46-50)

Sequência do Santo Evangelho segundo Mateus.

Naquele tempo, falava Jesus à multidão, quando veio sua mãe e seus irmãos e esperavam do lado de fora a ocasião de lhe falar. Disse-lhe alguém: Tua mãe e teus irmãos estão aí fora, e querem falar-te. Jesus respondeu-lhe: Quem é minha mãe e quem são meus irmãos? E, apontando com a mão para os seus discípulos, acrescentou: Eis aqui minha mãe e meus irmãos. Todo aquele que faz a vontade de meu Pai que está nos céus, esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe.

Liturgia Diária- 19/06/2018

SANTA JULIANA DE FALCONIERI, Virgem

Festa de 3ª Classe– Missa “Dilexisti” com Coleta própria

Santa Juliana nasceu em Florença, em 1270. Tinha 15 anos, quando nos fins de 1284 São Filipe Benício, geral da Ordem dos Servitas, a recebeu entre as “manteladas”, ramo feminino da Ordem. Tinha uma grande devoção à Santíssima Eucaristia, e dedicou fervoroso culto às sete dores de Nossa Senhora, especialmente honrada pelos servitas. Morreu em Florença, em 1341. 

LEITURAS

Epístola (II Cor 10, 17-18; 11, 1-2)

Leitura da Epístola de São Paulo Apóstolo aos Coríntios.

Irmãos: quem se gloria, glorie-se no Senhor. Pois merece a aprovação não aquele que se recomenda a si mesmo, mas aquele que o Senhor recomenda.  Oxalá suportásseis um pouco de loucura de minha parte! Oh, sim! Tolerai-me. Eu vos consagro um carinho e amor santo, porque vos desposei com um esposo único e vos apresentei a Cristo como virgem pura.

Evangelho (Mt 25, 1-13)

Sequência do Santo Evangelho segundo Mateus. 

Naquele tempo, disse Jesus a Seus discípulos: o Reino dos céus é semelhante a dez virgens, que saíram com suas lâmpadas ao encontro do esposo. Cinco dentre elas eram tolas e cinco, prudentes. Tomando suas lâmpadas, as tolas não levaram óleo consigo. As prudentes, todavia, levaram de reserva vasos de óleo junto com as lâmpadas. Tardando o esposo, cochilaram todas e adormeceram. No meio da noite, porém, ouviu-se um clamor: Eis o esposo, ide-lhe ao encontro. E as virgens levantaram-se todas e prepararam suas lâmpadas. As tolas disseram às prudentes: Dai-nos de vosso óleo, porque nossas lâmpadas se estão apagando. As prudentes responderam: Não temos o suficiente para nós e para vós; é preferível irdes aos vendedores, a fim de o comprardes para vós. Ora, enquanto foram comprar, veio o esposo. As que estavam preparadas entraram com ele para a sala das bodas e foi fechada a porta. Mais tarde, chegaram também as outras e diziam: Senhor, senhor, abre-nos! Mas ele respondeu: Em verdade vos digo: não vos conheço! Vigiai, pois, porque não sabeis nem o dia nem a hora.

Liturgia Diária- 01/06/2018

SANTA ÂNGELA MÉRICI, Virgem

Festa de 3ª Classe- Missa “Dilexisti” com orações próprias

Santa Ângela Mérici, nascida em Desenzano, junto ao lago de Garda, na Itália do Norte, recebeu uma firme educação cristã, a que soube dar o devido valor. “As desordens da sociedade, dizia ela, têm origem nas da família: há muito poucas mães verdadeiramente cristãs.”. Para remediar este mal fundou a congregação das Ursulinas, para a educação cristã das moças. Santa Ângela morreu em Bréscia, a 24 de janeiro de 1540. 


Páginas 1087, 1088 e 880 a 883 do Missal Quotidiano.


Missa às 18:30 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


LEITURAS

Epístola (II Cor 10, 17-18; 11, 1-2)


Pertencer a Cristo dá uma glória incomparável, mas uma glória que nos deixa humildes, porque vem só Dele. Falando dos laços do matrimônio, São Paulo desejava que todos os cristãos pertencessem inteiramente a Cristo, na pureza e na fidelidade daquele amor que as virgens realizam admiravelmente. 


Leitura da Epístola de São Paulo Apóstolo aos Coríntios.

Irmãos: quem se gloria, glorie-se no Senhor. Pois merece a aprovação não aquele que se recomenda a si mesmo, mas aquele que o Senhor recomenda.  Oxalá suportásseis um pouco de loucura de minha parte! Oh, sim! Tolerai-me. Eu vos consagro um carinho e amor santo, porque vos desposei com um esposo único e vos apresentei a Cristo como virgem pura.

Evangelho (Mt 25, 1-13)


A parábola das virgens convida todos os cristãos a uma expectativa vigilante. Porém, mais do que os outros, a virgem consagrada a Cristo vela na oração, e faz desta expectativa o essencial da sua vida. Não se trata de uma vigília passiva:  azeite de que as virgens se devem munir à vinda do Esposo simboliza o fervor suma vida toda cheia de caridade.


Sequência do Santo Evangelho segundo Mateus. 

Naquele tempo, disse Jesus a Seus discípulos: o Reino dos céus é semelhante a dez virgens, que saíram com suas lâmpadas ao encontro do esposo. Cinco dentre elas eram tolas e cinco, prudentes. Tomando suas lâmpadas, as tolas não levaram óleo consigo. As prudentes, todavia, levaram de reserva vasos de óleo junto com as lâmpadas. Tardando o esposo, cochilaram todas e adormeceram. No meio da noite, porém, ouviu-se um clamor: Eis o esposo, ide-lhe ao encontro. E as virgens levantaram-se todas e prepararam suas lâmpadas. As tolas disseram às prudentes: Dai-nos de vosso óleo, porque nossas lâmpadas se estão apagando. As prudentes responderam: Não temos o suficiente para nós e para vós; é preferível irdes aos vendedores, a fim de o comprardes para vós. Ora, enquanto foram comprar, veio o esposo. As que estavam preparadas entraram com ele para a sala das bodas e foi fechada a porta. Mais tarde, chegaram também as outras e diziam: Senhor, senhor, abre-nos! Mas ele respondeu: Em verdade vos digo: não vos conheço! Vigiai, pois, porque não sabeis nem o dia nem a hora.

Liturgia Diária- 12/05/2018

SS. NEREU, AQUILEU E PANCRÁCIO, Mártires, SANTA DOMITILA, Virgem e Mártir

Festa de 3ª Classe- Missa Própria

Os santos mártires que hoje se comemora nada têm de comum a não ser o lugar de culto, as catacumbas de Nereu e Aquileu, dois soldados romanos convertidos e decapitados pela fé, aí tiveram uma basílica muito antiga, que talvez remonte ao século IV. Santa Domitila, que se venera também no mesmo lugar, sua propriedade familiar, foi expulsa de Roma e morreu no exílio, como sua avó, cristã do mesmo nome; pertenciam à família patrícia dos Flavianos (principio do século II). São Pancrácio é um mártir romano enterrado no cemitério da via Aureliana; o papa Símaco construiu uma basílica a ele dedicada. A popularidade de São pancrácio foi muito grande na Idade Média.

No seu conjunto, a missa canta a glória dos mártires, abençoados por Deus, por Ele protegidos nos sofrimentos e agora associados à glória de seu Filho. A escolha do evangelho do centurião é uma homenagem à fé dos dois soldados. 

LEITURAS

Epístola (Sab. 5, 1-5)

Leitura do livro da Sabedoria.

Com grande confiança, o justo se levantará em face dos que o perseguiram e zombaram dos seus males aqui embaixo. Diante de sua vista serão presos de grande temor e tomados de assombro ao vê-lo salvo contra sua expectativa; tocados de arrependimento, dirão entre si, e, gemendo na angústia de sua alma, dirão: Ei-lo, aquele de quem outrora escarnecemos, e a quem loucamente cobrimos de insultos! Considerávamos sua vida como uma loucura, e sua morte como uma vergonha. Como, pois, é ele do número dos filhos de Deus, e como está seu lugar entre os santos?

Evangelho (Jo 4,46-53)

Sequência do Santo Evangelho segundo João.

Naquele tempo: Havia em Cafarnaum um oficial do rei, cujo filho estava doente. Ao ouvir que Jesus vinha da Judéia para a Galiléia, foi a ele e rogou-lhe que descesse e curasse seu filho, que estava prestes a morrer. Disse-lhe Jesus: Se não virdes milagres e prodígios, não credes… Pediu-lhe o oficial: Senhor, desce antes que meu filho morra! Vai, disse-lhe Jesus, o teu filho está passando bem! O homem acreditou na palavra de Jesus e partiu. Enquanto ia descendo, os criados vieram-lhe ao encontro e lhe disseram: Teu filho está passando bem. Indagou então deles a hora em que se sentira melhor. Responderam-lhe: Ontem à sétima hora a febre o deixou. Reconheceu o pai ser a mesma hora em que Jesus dissera: Teu filho está passando bem. E creu tanto ele como toda a sua casa.

Liturgia Diária- 04/05/2018

SANTA MÔNICA, Viúva

Festa de 3º Classe- Missa “Cognovi”, exceto Coleta, Epístola e Evangelho

download

Atribuindo às lagrimas e orações de Santa Mônica a conversão de seu filho (coleta) e aplicando-lhe o evangelho da viúva de Naim, a Igreja lembra-nos tudo o que Santo Agostinho deve a sua mãe. Santa Mônica parece ter nascido em Tagaste, na África, em 332; morreu em Óstia em 387. O dia 4 de maio é o aniversário da transferência de uma parte de suas relíquias para o mosteiro de Arrouaise, na França.


Páginas 1057 a 1058 891 a 895 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963).


Missa às 18:30 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


LEITURAS

Epístola (I Tim 5, 3-10)

Leitura da Epístola de São Paulo Apóstolo a Timóteo.

Caríssimo: Honra as viúvas que são realmente viúvas. Se uma viúva tem filhos ou netos, como primeira obrigação aprendam estes a exercer com a própria família o dever da piedade filial e a retribuir aos pais o que deles receberam, porque isto é agradável a Deus. Mas a que verdadeiramente é viúva e desamparada, põe a sua esperança em Deus e persevera noite e dia em orações e súplicas. Aquela, pelo contrário, que vive nos prazeres, embora viva, está morta. Recorda-lhes isto, para que sejam irrepreensíveis. Quem se descuida dos seus, e principalmente dos de sua própria família, é um renegado, pior que um infiel. Poderá ser inscrita como viúva apenas quem tenha pelo menos sessenta anos de idade, casada uma só vez, conhecida pelo seu bom comportamento, tenha educado bem os filhos, exercido a hospitalidade, lavado os pés dos santos, socorrido os infelizes e praticado toda espécie de boas obras.

Evangelho (Lc 7, 11-16)

Sequência do Santo Evangelho segundo Lucas.

Naquele tempo, dirigiu-se Jesus a uma cidade chamada Naim. Iam com ele diversos discípulos e muito povo. Ao chegar perto da porta da cidade, eis que levavam um defunto a ser sepultado, filho único de uma viúva; acompanhava-a muita gente da cidade. Vendo-a o Senhor, movido de compaixão para com ela, disse-lhe: Não chores! E aproximando-se, tocou no esquife, e os que o levavam pararam. Disse Jesus: Moço, eu te ordeno, levanta-te. Sentou-se o que estivera morto e começou a falar, e Jesus entregou-o à sua mãe. Apoderou-se de todos o temor, e glorificavam a Deus, dizendo: Um grande profeta surgiu entre nós: Deus voltou os olhos para o seu povo.

Liturgia Diária- 30/04/2018

SANTA CATARINA DE SENA, Virgem

Missa “Dilexisti” com orações próprias

Catarina Benicasa nasceu em Sena em data desconhecida. Foi favorecida com visões desde os sete anos. Vindo a ser terciária da ordem de São Domingos, exerceu grande influência com sua vida de oração, mortificações extraordinárias e irradiação dos seus escritos espirituais. Pode-se considerar uma das maiores figuras do século XIV por causa dos seus apelos incessantes À paz civil e para a reforma da Igreja. Esgotada pelos trabalhos e mortificações, morreu em 29 de abril de 1380. Por carta apostólica de 18 de junho de 1939, o Papa Pio XII declarou São Francisco de Assis e Santa Catarina de Sena primeiros padroeiros de toda a Itália.

LEITURAS

Epístola (II Cor 10, 17-18; 11, 1-2)


Pertencer a Cristo dá uma glória incomparável, mas uma glória que nos deixa humildes, porque vem só d’Ele. Falando dos laços do matrimônio, São Paulo desejava que todos os cristãos pertencessem inteiramente a Cristo, na pureza e na fidelidade daquele amor que as virgens realizam admiravelmente. 


Leitura da Epístola de São Paulo Apóstolo aos Coríntios.

Irmãos: quem se gloria, glorie-se no Senhor. Pois merece a aprovação não aquele que se recomenda a si mesmo, mas aquele que o Senhor recomenda.  Oxalá suportásseis um pouco de loucura de minha parte! Oh, sim! Tolerai-me. Eu vos consagro um carinho e amor santo, porque vos desposei com um esposo único e vos apresentei a Cristo como virgem pura.

Evangelho (Mt 25, 1-13)


A parábola das virgens convida todos os cristãos a uma expectativa vigilante. Porém, mais do que os outros, a virgem consagrada a Cristo vela na oração, e faz desta expectativa o essencial da sua vida. Não se trata de uma vigília passiva; o azeite de que as virgens se devem munir à vinda do Esposo, simboliza o fervor duma vida toda cheia de caridade.


Sequência do Santo Evangelho segundo Mateus. 

Naquele tempo, disse Jesus a Seus discípulos: o Reino dos céus é semelhante a dez virgens, que saíram com suas lâmpadas ao encontro do esposo. Cinco dentre elas eram tolas e cinco, prudentes. Tomando suas lâmpadas, as tolas não levaram óleo consigo. As prudentes, todavia, levaram de reserva vasos de óleo junto com as lâmpadas. Tardando o esposo, cochilaram todas e adormeceram. No meio da noite, porém, ouviu-se um clamor: Eis o esposo, ide-lhe ao encontro. E as virgens levantaram-se todas e prepararam suas lâmpadas. As tolas disseram às prudentes: Dai-nos de vosso óleo, porque nossas lâmpadas se estão apagando. As prudentes responderam: Não temos o suficiente para nós e para vós; é preferível irdes aos vendedores, a fim de o comprardes para vós. Ora, enquanto foram comprar, veio o esposo. As que estavam preparadas entraram com ele para a sala das bodas e foi fechada a porta. Mais tarde, chegaram também as outras e diziam: Senhor, senhor, abre-nos! Mas ele respondeu: Em verdade vos digo: não vos conheço! Vigiai, pois, porque não sabeis nem o dia nem a hora.

 

Liturgia Diária- 10/02/2018

SANTA ESCOLÁSTICA, Virgem

Festa de 3ª Classe- Missa “Dilexisti” com Coleta própria

Era irmã de São Bento. Consagrou-se ao Senhor e viveu não muito distante do mosteiro de Monte Cassino, que o irmão havia fundado. Na sua biografia, que se deve a São Gregório Magno, há dois milagres que se tornaram célebres e revelam até que ponto era grande a pureza de alma e profunda a sua intimidade com Deus. E é que tendo-se um dia São Bento recusado a prolongar o colóquio espiritual que todos os anos lhe concedia numa dependência do mosteiro, a santa, elevando o coração e os olhos ao céu, obteve de Deus tempestade tão violenta e tão grande torrente de chuva que o irmão se viu obrigado a não a deixar e a prosseguir, com ela, a noite toda, na conversação das coisas do Céu. Três dias depois, via São Bento a alma de sua irmã, resplandecente de pureza, subir ao céu na forma de pomba. São Bento morreu em 547, morrendo a santa um pouco antes dele. 

LEITURAS

Epístola (II Coríntios 10,17-18; 11,1-2)

Leitura da Epístola de São Paulo Apostolo aos Coríntios. 

Irmãos, aquele que se gloria, glorie-se no Senhor. Pois merece a aprovação não aquele que se recomenda a si mesmo, mas aquele que o Senhor recomenda. Oxalá suportásseis um pouco de loucura de minha parte! Oh, sim! Tolerai-me. Eu vos consagro um carinho e amor santo, porque vos desposei com um esposo único e vos apresentei a Cristo como virgem pura.

Evangelho (Mt 25, 1-13)

Sequência do Santo Evangelho segundo Mateus.

Naquele tempo, contou Jesus a seus discípulos a seguinte parábola: “o Reino dos céus será semelhante a dez virgens, que saíram com suas lâmpadas ao encontro do esposo. Cinco dentre elas eram tolas e cinco, prudentes. Tomando suas lâmpadas, as tolas não levaram óleo consigo. As prudentes, todavia, levaram de reserva vasos de óleo junto com as lâmpadas. Tardando o esposo, cochilaram todas e adormeceram. No meio da noite, porém, ouviu-se um clamor: Eis o esposo, ide-lhe ao encontro. E as virgens levantaram-se todas e prepararam suas lâmpadas. As tolas disseram às prudentes: Dai-nos de vosso óleo, porque nossas lâmpadas se estão apagando. As prudentes responderam: Não temos o suficiente para nós e para vós; é preferível irdes aos vendedores, a fim de o comprardes para vós. Ora, enquanto foram comprar, veio o esposo. As que estavam preparadas entraram com ele para a sala das bodas e foi fechada a porta. Mais tarde, chegaram também as outras e diziam: Senhor, senhor, abre-nos! Mas ele respondeu: Em verdade vos digo: não vos conheço! Vigiai, pois, porque não sabeis nem o dia nem a hora.”

Liturgia Diária- 19/01/2018

SANTOS MÁRIO, MARTA, AUDÍFACE E ÁBACO, Mártires

Comemoração- Missa da Féria com 2ªs orações próprias

38300E

A Santa Igreja festeja hoje um grupo de mártires romanos do século III ou IV. Os textos da missa estabelecem o contraste dos sofrimentos do martírio com a alegria da eternidade e o triunfo de Deus nos seus santos.


Páginas 934 a 937 do Missal Quotidiano. (Na Capela, também páginas 938 a 941).


Missa às 18:30 horas na Capela São Judas Tadeu.


LEITURAS

Epístola (Rm 12, 6-16)

Leitura da Epístola de São Paulo Apóstolo aos Romanos. 

Irmãos: Temos dons diferentes, conforme a graça que nos foi conferida. Aquele que tem o dom da profecia, exerça-o conforme a fé. Aquele que é chamado ao ministério, dedique-se ao ministério. Se tem o dom de ensinar, que ensine; o dom de exortar, que exorte; aquele que distribui as esmolas, faça-o com simplicidade; aquele que preside, presida com zelo; aquele que exerce a misericórdia, que o faça com afabilidade. Que vossa caridade não seja fingida. Aborrecei o mal, apegai-vos solidamente ao bem. Amai-vos mutuamente com afeição terna e fraternal. Adiantai-vos em honrar uns aos outros. Não relaxeis o vosso zelo. Sede fervorosos de espírito. Servi ao Senhor. Sede alegres na esperança, pacientes na tribulação e perseverantes na oração. Socorrei às necessidades dos fiéis. Esmerai-vos na prática da hospitalidade. Abençoai os que vos perseguem; abençoai-os, e não os praguejeis. Alegrai-vos com os que se alegram; chorai com os que choram. Vivei em boa harmonia uns com os outros. Não vos deixeis levar pelo gosto das grandezas; afeiçoai-vos com as coisa modestas. Não sejais sábios aos vossos próprios olhos.

Evangelho (Jo 2,1-11)

Sequência do Santo Evangelho segundo São João.

Naquele tempo: Celebravam-se bodas em Caná da Galiléia, e achava-se ali a mãe de Jesus. Também foram convidados Jesus e os seus discípulos. Como viesse a faltar vinho, a mãe de Jesus disse-lhe: Eles já não têm vinho. Respondeu-lhe Jesus: Mulher, isso compete a nós? Minha hora ainda não chegou. Disse, então, sua mãe aos serventes: Fazei o que ele vos disser. Ora, achavam-se ali seis talhas de pedra para as purificações dos judeus, que continham cada qual duas ou três medidas. Jesus ordena-lhes: Enchei as talhas de água. Eles encheram-nas até em cima. Tirai agora , disse-lhes Jesus, e levai ao chefe dos serventes. E levaram. Logo que o chefe dos serventes provou da água tornada vinho, não sabendo de onde era (se bem que o soubessem os serventes, pois tinham tirado a água), chamou o noivo e disse-lhe: É costume servir primeiro o vinho bom e, depois, quando os convidados já estão quase embriagados, servir o menos bom. Mas tu guardaste o vinho melhor até agora. Este foi o primeiro milagre de Jesus; realizou-o em Caná da Galiléia. Manifestou a sua glória, e os seus discípulos creram nele.

 

Liturgia Diária- 02/12/2017

 SANTA BIBIANA, Virgem e Mártir

Festa de 3ª Classe- Missa “Me exspectaverunt” com Coleta própria

Santa Bibiana é, com Santa Inês, uma das virgens mártires que na Igreja de Roma gozaram sempre de particular veneração. O Papa São Simplício (468-483) consagrou-lhe, no Aventino, uma basílica que ainda hoje se conserva.

LEITURAS

Epístola (Eclo 51, 13-17)

Leitura do Livro da Sabedoria.

Senhor, meu Deus, exaltastes a minha habitação sobre a terra, e eu vos roguei quando a morte se aproximou de mim; invoquei o Senhor, pai do meu Senhor, para que me não abandonasse no dia de minha aflição, sem socorro, durante o reinado dos soberbos. Louvarei sem cessar o vosso nome; glorificá-lo-ei em meus louvores, porque foi ouvida a minha prece, porque me livrastes da perdição, e salvastes-me do perigo num tempo de iniquidade. Eis por que eu vos glorificarei e cantarei vossos louvores e bendirei o nome do Senhor.

Evangelho (Mt 13, 44-52)

Sequência do Santo Evangelho segundo Mateus.

Naquele tempo, contou Jesus a seus discípulos a seguinte parábola: “O Reino dos céus é também semelhante a um tesouro escondido num campo. Um homem o encontra, mas o esconde de novo. E, cheio de alegria, vai, vende tudo o que tem para comprar aquele campo. O Reino dos céus é ainda semelhante a um negociante que procura pérolas preciosas. Encontrando uma de grande valor, vai, vende tudo o que possui e a compra. O Reino dos céus é semelhante ainda a uma rede que, jogada ao mar, recolhe peixes de toda espécie. Quando está repleta, os pescadores puxam-na para a praia, sentam-se e separam nos cestos o que é bom e jogam fora o que não presta. Assim será no fim do mundo: os anjos virão separar os maus do meio dos justos e os arrojarão na fornalha, onde haverá choro e ranger de dentes. Compreendestes tudo isto? Sim, Senhor, responderam eles. Por isso, todo escriba instruído nas coisas do Reino dos céus é comparado a um pai de família que tira de seu tesouro coisas novas e velhas.”

Liturgia Diária- 25/11/2017

SANTA CATARINA, Virgem e Mártir

Festa de 3ª Classe- Missa “Loquebar”, com Coleta própria

Desde tempos imemoriais Santa Catarina era venerada no mosteiro do monte Sinai, quando, no século XV, os monges descobriram seu corpo. A lenda dizia que ela era uma jovem cristã de Alexandria que recusou as propostas do imperador Maximino Daia e confundiu um grupo de sábios reunidos para a levar a renegar a fé. Seu corpo teria sido transportado para o monte Sinai pelos anjos. Os filósofos veneram Santa Catarina como padroeira.

 

Oração (Coleta da Missa): Ó Deus, que no alto do monte Sinai destes a lei a Moisés, e no mesmo lugar milagrosamente fizestes por vossos santos Anjos colocar o corpo de Santa Catarina, vossa Virgem e Mártir, concedei, Vos pedimos, que por seu méritos e intercessão, possamos alcançar o Monte, que é Cristo, o qual sendo Deus, convosco vive e reina em união com o Espírito Santo por todos os séculos dos séculos. Amém.

LEITURAS

Epístola (Eclo 51, 1-8. 12)

Leitura do Livro do Eclesiástico.

Glorificar-vos-ei, ó Senhor e Rei, louvar-vos-ei, ó Deus, meu salvador. Glorificarei o vosso nome, porque fostes meu auxílio e meu protetor. Livrastes meu corpo da perdição, das ciladas da língua injusta, e dos lábios dos forjadores de mentira. Fostes meu apoio contra aqueles que me acusavam. Libertastes-me conforme a extensão da misericórdia de vosso nome, dos rugidos dos animais ferozes, prestes a me devorar; da mão daqueles que atacavam a minha vida, do assalto das tribulações que me aturdiam, e da violência das chamas que me rodeavam. Em meio ao fogo não me queimei. Libertastes-me das profundas entranhas da morada dos mortos, da língua maculada, das palavras mentirosas, do rei iníquo e da língua injusta. Minha alma louvará ao Senhor até a morte, pois libertais, Senhor, aqueles que esperam em vós, e os salvais das mãos das nações.

Evangelho(Mt 25, 1-13)

Sequência do Santo Evangelho segundo Mateus. 

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos esta parábola: o Reino dos céus será semelhante a dez virgens, que saíram com suas lâmpadas ao encontro do esposo. Cinco dentre elas eram tolas e cinco, prudentes. Tomando suas lâmpadas, as tolas não levaram óleo consigo. As prudentes, todavia, levaram de reserva vasos de óleo junto com as lâmpadas. Tardando o esposo, cochilaram todas e adormeceram. No meio da noite, porém, ouviu-se um clamor: Eis o esposo, ide-lhe ao encontro. E as virgens levantaram-se todas e prepararam suas lâmpadas. As tolas disseram às prudentes: Dai-nos de vosso óleo, porque nossas lâmpadas se estão apagando. As prudentes responderam: Não temos o suficiente para nós e para vós; é preferível irdes aos vendedores, a fim de o comprardes para vós. Ora, enquanto foram comprar, veio o esposo. As que estavam preparadas entraram com ele para a sala das bodas e foi fechada a porta. Mais tarde, chegaram também as outras e diziam: Senhor, senhor, abre-nos! Mas ele respondeu: Em verdade vos digo: não vos conheço! Vigiai, pois, porque não sabeis nem o dia nem a hora.

 

Liturgia Diária- 22/11/2017

SANTA CECÍLIA, Virgem e Mártir

Festa de 3ª Classe- Missa Própria

Santa Cecília é uma das mais celebradas e veneradas mártires da Igreja romana. Seu corpo, descoberto em 822, foi transferido para a basílica titular de Santa Cecília no Transtevere. É difícil dizer em que tempo viveu. A lenda que conta o martírio da Santa, do seu marido Valeriano e do cunhado Tibúrcio, refere os acontecimentos ao pontificado de Urbano I (222-230). Nessa narrativa, porém, nada é seguro: nem as personagens que cita além de Cecília, nem a época do martírio.


Páginas 1384 a 1386 do Missal Quotidiano.


Missa às 18:30 horas na Capela São Judas Tadeu.


LEITURAS

Epístola (Eclo 51, 13-17)


O livro do Eclesiástico termina, com toda a serenidade, por um cântico de ação de graças a Deus, protetor de seus filhos, tira-os do mal e defende-os dos assaltos por vezes terríveis, que têm de sofrer nesta terra de provações.


Leitura do livro da Sabedoria.

Senhor, meu Deus, exaltastes a minha habitação sobre a terra, e eu vos roguei quando a morte se aproximou de mim; invoquei o Senhor, pai do meu Senhor, para que me não abandonasse no dia de minha aflição, sem socorro, durante o reinado dos soberbos. Louvarei sem cessar o vosso nome; glorificá-lo-ei em meus louvores, porque foi ouvida a minha prece, porque me livrastes da perdição, e salvastes-me do perigo num tempo de iniquidade. Eis por que eu vos glorificarei e cantarei vossos louvores e bendirei o nome do Senhor.

Evangelho (Mt 25, 1-13)


A parábola das virgens convida todo o cristão, sem exceção, a uma expectativa vigilante. Porém, mais que os outros, a virgem consagrada a Cristo vela na oração e faz desta expectativa o essencial da sua vida. Não se trata duma vigília passiva: o azeite de que as virgens se devem munir à vinda do Esposo simboliza o fervor duma vida toda cheia de caridade.


Sequência do Santo Evangelho segundo Mateus.

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos esta parábola: o Reino dos céus será semelhante a dez virgens, que saíram com suas lâmpadas ao encontro do esposo. Cinco dentre elas eram tolas e cinco, prudentes. Tomando suas lâmpadas, as tolas não levaram óleo consigo. As prudentes, todavia, levaram de reserva vasos de óleo junto com as lâmpadas. Tardando o esposo, cochilaram todas e adormeceram. No meio da noite, porém, ouviu-se um clamor: Eis o esposo, ide-lhe ao encontro. E as virgens levantaram-se todas e prepararam suas lâmpadas. As tolas disseram às prudentes: Dai-nos de vosso óleo, porque nossas lâmpadas se estão apagando. As prudentes responderam: Não temos o suficiente para nós e para vós; é preferível irdes aos vendedores, a fim de o comprardes para vós. Ora, enquanto foram comprar, veio o esposo. As que estavam preparadas entraram com ele para a sala das bodas e foi fechada a porta. Mais tarde, chegaram também as outras e diziam: Senhor, senhor, abre-nos! Mas ele respondeu: Em verdade vos digo: não vos conheço! Vigiai, pois, porque não sabeis nem o dia nem a hora.

Liturgia Diária- 16/11/2017

SANTA GERTRUDES, Víuva

Festa de 3ª Classe- Missa “Dilexisti” com Coleta própria

Santa Gertrudes 27.09.2012

Santa Gertrudes, monja beneditina do mosteiro de Helfta, na Saxônia, é uma das grandes místicas da Idade Média. Foi agraciada com visões de Nosso Senhor, de que deixou uma admirável narrativa no livro que intitulou “Revelações” ou “O Arauto do Amor Divino”. O nome de Santa Gertrudes anda ligado às origens da devoção do Sagrado Coração de Jesus, que Santa Margarida Maria havia de propagar seis séculos mais tarde, depois de novas revelações de Nosso Senhor. Morreu no princípio do século XIV.

Nosso Senhor disse a Santa Gertrudes que a seguinte oração libertaria mil (1000) almas do Purgatório (por dia*) cada vez que fosse rezada. Esta oração foi estendida também aos pecadores ainda em vida:

Eterno Pai, eu Vos ofereço o preciosíssimo Sangue do Vosso Divino Filho Jesus, em união com todas as Santas Missas que hoje são celebradas em todo o mundo, por todas as santas almas do Purgatório, pelos pecadores em todos os lugares, pelos pecadores da Santa Igreja universal, pelos de minha casa e meus vizinhos. Amem!            

Oração (Coleta da Missa): Ó Deus, que preparastes para Vós uma agradável morada no coração da Santa Virgem Gertrudes, por seus méritos e intercessão, apagai, benignamente, as manchas do nosso coração, e fazei-nos gozar de sua companhia. Por Nosso Senhor Jesus Cristo. Amém.

LEITURAS

Epístola (II Coríntios 10,17-18; 11,1-2)

Leitura da Epístola de São Paulo Apostolo aos Coríntios. 

Irmãos, aquele que se gloria, glorie-se no Senhor. Pois merece a aprovação não aquele que se recomenda a si mesmo, mas aquele que o Senhor recomenda. Oxalá suportásseis um pouco de loucura de minha parte! Oh, sim! Tolerai-me. Eu vos consagro um carinho e amor santo, porque vos desposei com um esposo único e vos apresentei a Cristo como virgem pura.

Evangelho (Mt 25, 1-13)

Sequência do Santo Evangelho segundo Mateus.

Naquele tempo, contou Jesus a seus discípulos a seguinte parábola: “o Reino dos céus será semelhante a dez virgens, que saíram com suas lâmpadas ao encontro do esposo. Cinco dentre elas eram tolas e cinco, prudentes. Tomando suas lâmpadas, as tolas não levaram óleo consigo. As prudentes, todavia, levaram de reserva vasos de óleo junto com as lâmpadas. Tardando o esposo, cochilaram todas e adormeceram. No meio da noite, porém, ouviu-se um clamor: Eis o esposo, ide-lhe ao encontro. E as virgens levantaram-se todas e prepararam suas lâmpadas. As tolas disseram às prudentes: Dai-nos de vosso óleo, porque nossas lâmpadas se estão apagando. As prudentes responderam: Não temos o suficiente para nós e para vós; é preferível irdes aos vendedores, a fim de o comprardes para vós. Ora, enquanto foram comprar, veio o esposo. As que estavam preparadas entraram com ele para a sala das bodas e foi fechada a porta. Mais tarde, chegaram também as outras e diziam: Senhor, senhor, abre-nos! Mas ele respondeu: Em verdade vos digo: não vos conheço! Vigiai, pois, porque não sabeis nem o dia nem a hora.”

 

Liturgia Diária- 17/10/2017

SANTA MARGARIDA MARIA ALACOQUE, Virgem

Festa de 3ª Classe- Missa Própria

Nasceu em 1647 na diocese de Autun. Entrou nas Visitandinas de Paray-le-Monial com vinte e três anos. No tempo em que o jansenismo gelava as almas, foi escolhida por Nosso Senhor para recordar ao mundo o seu ardente amor. As três grandes revelações que teve na capela do seu convento estão na origem do admirável desenvolvimento que a devoção ao Sagrado Coração de Jesus tomou em nossos dias. Santa Margarida Maria morreu em 17 de outubro de 1690. Seu corpo repousa sob o altar que lhe é dedicado na capela das visitandinas. Foi canonizada por Bento XV em 1920. Pio XI estendeu sua festa a toda a Igreja.

LEITURAS

Epístola (Ef 3, 8-9; 14-19)

Leitura da Epístola de São Paulo Apóstolo aos Efésios.

Irmãos: A mim, o mais insignificante dentre todos os santos, coube-me a graça de anunciar entre os pagãos a inexplorável riqueza de Cristo, e a todos manifestar o desígnio salvador de Deus, mistério oculto desde a eternidade em Deus, que tudo criou. Por esta causa dobro os joelhos em presença do Pai, ao qual deve a sua existência toda família no céu e na terra, para que vos conceda, segundo seu glorioso tesouro, que sejais poderosamente robustecidos pelo seu Espírito em vista do crescimento do vosso homem interior. Que Cristo habite pela fé em vossos corações, arraigados e consolidados na caridade, a fim de que possais, com todos os cristãos, compreender qual seja a largura, o comprimento, a altura e a profundidade, isto é, conhecer a caridade de Cristo, que desafia todo o conhecimento, e sejais cheios de toda a plenitude de Deus.

Evangelho (Mt 11, 25-30)

Sequência do Santo Evangelho segundo Mateus.

Naquele tempo, Jesus pronunciou estas palavras: Eu te bendigo, Pai, Senhor do céu e da terra, porque escondeste estas coisas aos sábios e entendidos e as revelaste aos pequenos. Sim, Pai, eu te bendigo, porque assim foi do teu agrado. Todas as coisas me foram dadas por meu Pai; ninguém conhece o Filho, senão o Pai, e ninguém conhece o Pai, senão o Filho e aquele a quem o Filho quiser revelá-lo. Vinde a mim, vós todos que estais aflitos sob o fardo, e eu vos aliviarei. Tomai meu jugo sobre vós e recebei minha doutrina, porque eu sou manso e humilde de coração e achareis o repouso para as vossas almas. Porque meu jugo é suave e meu peso é leve.

Liturgia Diária- 16/10/2017

SANTA HEDWIGES, Viúva

Festa de 3ª Classe- Missa “Cognovi” com Coleta própria

Santa Hedwiges pertencia a uma família real; era tia materna de S. Isabel da Hungria. Do seu casamento com Henrique, duque da Silésia, teve três filhos e três filhas, dos quais apenas lhe sobreviveu uma filha que foi abadessa cisterciense. Por morte do marido, renunciou por completo ao mundo e entrou no mosteiro cisterciense de Trebnitz por ela fundado. Morreu em 15 de outubro de 1243. O seu culto permaneceu intenso na Silésia e na Polônia. 

LEITURAS

Leitura (Pr 31, 10-31)

Leitura do Livro dos Provérbios

Uma mulher virtuosa, quem pode encontrá-la? Superior ao das pérolas é o seu valor. Confia nela o coração de seu marido, e jamais lhe faltará coisa alguma. Ela lhe proporciona o bem, nunca o mal, em todos os dias de sua vida. Ela procura lã e linho e trabalha com mão alegre. Semelhante ao navio do mercador, manda vir seus víveres de longe. Levanta-se, ainda de noite, distribui a comida à sua casa e a tarefa às suas servas. Ela encontra uma terra, adquire-a. Planta uma vinha com o ganho de suas mãos. Cinge os rins de fortaleza, revigora seus braços. Alegra-se com o seu lucro, e sua lâmpada não se apaga durante a noite. Põe a mão na roca, seus dedos manejam o fuso. Estende os braços ao infeliz e abre a mão ao indigente. Ela não teme a neve em sua casa, porque toda a sua família tem vestes duplas. Faz para si cobertas: suas vestes são de linho fino e de púrpura. Seu marido é considerado nas portas da cidade, quando se senta com os anciãos da terra. Tece linha e o vende, fornece cintos ao mercador. 25 Fortaleza e graça lhe servem de ornamentos; ri-se do dia de amanhã. Abre a boca com sabedoria, amáveis instruções surgem de sua língua. Vigia o andamento de sua casa e não come o pão da ociosidade. Seus filhos se levantam para proclamá-la bem-aventurada e seu marido para elogiá-la. Muitas mulheres demonstram vigor, mas tu excedes a todas. A graça é falaz e a beleza é vã; a mulher inteligente é a que se deve louvar.  Dai-lhe o fruto de suas mãos e que suas obras a louvem nas portas da cidade.

Evangelho (Mt 13, 44-52)

Sequência do Santo Evangelho segundo Mateus.

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos esta parábola: O Reino dos céus é também semelhante a um tesouro escondido num campo. Um homem o encontra, mas o esconde de novo. E, cheio de alegria, vai, vende tudo o que tem para comprar aquele campo. O Reino dos céus é ainda semelhante a um negociante que procura pérolas preciosas. Encontrando uma de grande valor, vai, vende tudo o que possui e a compra. O Reino dos céus é semelhante ainda a uma rede que, jogada ao mar, recolhe peixes de toda espécie. Quando está repleta, os pescadores puxam-na para a praia, sentam-se e separam nos cestos o que é bom e jogam fora o que não presta. Assim será no fim do mundo: os anjos virão separar os maus do meio dos justos e os arrojarão na fornalha, onde haverá choro e ranger de dentes. Compreendestes tudo isto? Sim, Senhor, responderam eles. Por isso, todo escriba instruído nas coisas do Reino dos céus é comparado a um pai de família que tira de seu tesouro coisas novas e velhas.

 

Liturgia Diária- 03/10/2017

SANTA TERESA DO MENINO JESUS, Virgem

Festa de 1ª Classe (em Uberlândia) – Missa Própria

Padroeira da Diocese de Uberlândia

É conhecida como Santa Teresa do Menino Jesus e da Santa Face ou, popularmente, Santa Teresinha. Seu nome de Nascida Marie Françoise Thérèse Martin (Maria Francisca Teresa Martin), era filha de Louis Martin e Zélie Guérin. Quando nasceu, era muito franzina e doente e, desde o nascimento, exigia muitos cuidados.

Aos dois anos de idade, Teresa já tem na sua idéia seguir a vida religiosa para grande alegria da sua mãe e de seu pai. Em agosto de 1876, sua mãe toma conhecimento de que padece de câncer. Quando esta falece, seu pai muda-se com as quatro filhas para Lisieux em 1877. Ingressou em 9 de abril de 1888 no Carmelo e tomou o nome de Thérèse de l’Enfant Jesus. Fez sua profissão religiosa, em 8 de setembro de 1890, e tomou o nome de Thérèse de l’Enfant Jesus et de la Sainte Face, mas ficou conhecida após sua morte como Thérèse de Lisieux.

Após seis anos na ordem, em 1894, almejando o caminho da santidade, Teresa percebe que não conseguiria pelas tradicionais mortificação, disciplina e sacrifício observadas pelos santos a quem se dedica a estudar. Inspirada nas palavras de um padre, Teresa adota a “Pequena Via”, um caminho pequeno e reto para a santidade, que consiste simplesmente em se entregar ao amor de Jesus Cristo, para que Ele conduza pelo caminho.

Morreu em 30 de setembro de 1897, com apenas 24 anos. Disse, na manhã de sua morte: “eu não me arrependo de me ter abandonado ao amor”, e na iminência de sua morte disse às religiosas que estavam à sua volta: “Farei cair uma chuva de rosas sobre o mundo!”(Por isto muitos que fazem sua novena ganham rosas em sinal de suas graças alcançadas). No dia 4 de outubro de 1897, foi sepultada no cemitério de Lisieux.

A sua irmã, Paulina, também carmelita, publicou em 1898 os escritos de Santa Teresinha, intitulados “História de uma alma”. O papa São Pio X considera a maior santa dos séculos moderno. No dia 17 de maio de 1925, Teresinha foi canonizada pelo Papa Pio XI. O mesmo Papa a declara Patrona Universal das Missões Católicas em 1927.


Páginas 1314 a 1317 do Missal Quotidiano.


Missa às 18:30 horas na Capela São Judas Tadeu.


LEITURAS

Leitura (Is 66,12-14)

Leitura do Profeta Isaías.

Eis o que diz o Senhor: vou fazer a paz correr para ela como um rio, e como uma torrente transbordante a opulência das nações. Seus filhinhos serão carregados ao colo, e acariciados no regaço. Como uma criança que a mãe consola, sereis consolados em Jerusalém. Com essa visão vossos corações pulsarão de alegria, e vossos membros se fortalecerão como plantas. O Senhor manifestará a seus servos seu poder, e aos seus inimigos sua cólera.
Sequência do Santo Evangelho

Evangelho (Mt 18, 1-4)

Sequência do Santo Evangelho segundo Mateus. 

Naquele tempo, os discípulos aproximaram-se de Jesus e perguntaram-lhe: Quem é o maior no Reino dos céus? Jesus chamou uma criancinha, colocou-a no meio deles e disse: Em verdade vos declaro: se não vos transformardes e vos tornardes como criancinhas, não entrareis no Reino dos céus. Aquele que se fizer humilde como esta criança será maior no Reino dos céus.

 

Liturgia Diária- 30/08/2017

SANTA ROSA DE LIMA, Virgem

Festa de 1ª Classe (em todo o Brasil)- Missa Própria (ver próprio do Brasil)

Padroeira principal da América Latina

Para todos nós, hoje é dia de grande alegria, pois podemos celebrar a memória da primeira santa da América do Sul, Padroeira do Peru, das Ilhas Filipinas e de toda a América Latina. Santa Rosa nasceu em Lima (Peru) em 1586; filha de pais espanhóis, chamava-se Isabel Flores, até ser apelidada de Rosa por uma empregada índia que a admirava, dizendo-lhe: “Você é bonita como uma rosa!”.

Rosa bem sabia dos elogios que a envaideciam, por isso buscava ser cada vez mais penitente e obedecer em tudo aos pais, desta forma, crescia na humildade e na intimidade com o amado Jesus. Quando o pai perdeu toda a fortuna, Rosa não se perturbou ao ter que trabalhar de doméstica, pois tinha esta certeza: “Se os homens soubessem o que é viver em graça, não se assustariam com nenhum sofrimento e padeceriam de bom grado qualquer pena, porque a graça é fruto da paciência”.

A mudança oficial do nome de Isabel para Rosa ocorreu quando ela tomou o hábito da Ordem Terceira Dominicana, da mesma família de sua santa e modelo de devoção: Santa Catarina de Sena e, a partir desta consagração, passou a chamar-se Rosa de Santa Maria. Devido à ausência de convento no local em que vivia, Santa Rosa de Lima renunciou às inúmeras propostas de casamento e de vida fácil: “O prazer e a felicidade de que o mundo pode me oferecer são simplesmente uma sombra em comparação ao que sinto”.

Começou a viver a vida religiosa no fundo do quintal dos pais e, assim, na oração, penitência, caridade para com todos, principalmente índios e negros, Santa Rosa de Lima cresceu na união com Cristo, tanto quanto no sofrimento, por isso, tempos antes de morrer, aos 31 anos (1617), exclamou: “Senhor, fazei-me sofrer, contanto que aumenteis meu amor para convosco”.

Foi canonizada a 12 de abril de 1671 pelo Papa Clemente X.


Páginas 34 a 36 do comum do Brasil, do Missal Quotidiano (parte final).


LEITURAS

Epístola (II Cor 10, 17-18; 11, 1-2)

Leitura da Epístola de São Paulo Apóstolo aos Coríntios.

Irmãos: quem se gloria, glorie-se no Senhor. Pois merece a aprovação não aquele que se recomenda a si mesmo, mas aquele que o Senhor recomenda.  Oxalá suportásseis um pouco de loucura de minha parte! Oh, sim! Tolerai-me. Eu vos consagro um carinho e amor santo, porque vos desposei com um esposo único e vos apresentei a Cristo como virgem pura.

Evangelho (Mt 13, 31-35)

Sequência do Santo Evangelho segundo Mateus. 

Naquele tempo, disse Jesus propôs  a seus discípulos a seguinte parábola: O Reino dos céus é comparado a um grão de mostarda que um homem toma e semeia em seu campo. É esta a menor de todas as sementes, mas, quando cresce, torna-se um arbusto maior que todas as hortaliças, de sorte que os pássaros vêm aninhar-se em seus ramos. Disse-lhes, por fim, esta outra parábola. O Reino dos céus é comparado ao fermento que uma mulher toma e mistura em três medidas de farinha e que faz fermentar toda a massa. Tudo isto disse Jesus à multidão em forma de parábola. De outro modo não lhe falava, para que se cumprisse a profecia: Abrirei a boca para ensinar em parábolas; revelarei coisas ocultas desde a criação (Sl 77,2).

 

Liturgia Diária- 21/08/2017

SANTA JOANA DE CHANTAL, Viúva

Festa de 3ª Classe- Missa “Cognovi”, com orações próprias

Joana Francisca Fremiót nasceu em Dijon em 1572. Unida em matrimônio com o barão de Chantal, foi esposa e mãe admirável. Viúva aos 28 anos permaneceu só para assegurar a educação dos filhos. A isso se consagrou com toda a alma, mas o encontro com São Francisco de Sales devia levá-la progressivamente a realizar os grandes desígnios que Deus tinha sobre ela; sob a doce e forte direção do santo, desprendeu-se de tudo o que no mundo podia prender-lhe a afeição, armou-se de coragem para se separar dos filhos e em 1610 fundou em Annecy a primeira casa da Visitação. As fundações multiplicaram-se rapidamente; quando a santa morreu, em 1641, a ordem estava em franco desenvolvimento. O corpo de Santa Joana de Chantal repousa na Visitação de Annecy, junto ao de São Francisco de Sales.  

LEITURAS

Leitura (Pr 31, 10-31)

Leitura do Livro dos Provérbios 

Uma mulher virtuosa, quem pode encontrá-la? Superior ao das pérolas é o seu valor. Confia nela o coração de seu marido, e jamais lhe faltará coisa alguma. Ela lhe proporciona o bem, nunca o mal, em todos os dias de sua vida. Ela procura lã e linho e trabalha com mão alegre. Semelhante ao navio do mercador, manda vir seus víveres de longe. Levanta-se, ainda de noite, distribui a comida à sua casa e a tarefa às suas servas. Ela encontra uma terra, adquire-a. Planta uma vinha com o ganho de suas mãos. Cinge os rins de fortaleza, revigora seus braços. Alegra-se com o seu lucro, e sua lâmpada não se apaga durante a noite. Põe a mão na roca, seus dedos manejam o fuso. Estende os braços ao infeliz e abre a mão ao indigente. Ela não teme a neve em sua casa, porque toda a sua família tem vestes duplas. Faz para si cobertas: suas vestes são de linho fino e de púrpura. Seu marido é considerado nas portas da cidade, quando se senta com os anciãos da terra. Tece linha e o vende, fornece cintos ao mercador. 25 Fortaleza e graça lhe servem de ornamentos; ri-se do dia de amanhã. Abre a boca com sabedoria, amáveis instruções surgem de sua língua. Vigia o andamento de sua casa e não come o pão da ociosidade. Seus filhos se levantam para proclamá-la bem-aventurada e seu marido para elogiá-la. Muitas mulheres demonstram vigor, mas tu excedes a todas. A graça é falaz e a beleza é vã; a mulher inteligente é a que se deve louvar.  Dai-lhe o fruto de suas mãos e que suas obras a louvem nas portas da cidade.

Evangelho (Mt 13, 44-52)

Sequência do Santo Evangelho segundo Mateus.

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos esta parábola: O Reino dos céus é também semelhante a um tesouro escondido num campo. Um homem o encontra, mas o esconde de novo. E, cheio de alegria, vai, vende tudo o que tem para comprar aquele campo. O Reino dos céus é ainda semelhante a um negociante que procura pérolas preciosas. Encontrando uma de grande valor, vai, vende tudo o que possui e a compra. O Reino dos céus é semelhante ainda a uma rede que, jogada ao mar, recolhe peixes de toda espécie. Quando está repleta, os pescadores puxam-na para a praia, sentam-se e separam nos cestos o que é bom e jogam fora o que não presta. Assim será no fim do mundo: os anjos virão separar os maus do meio dos justos e os arrojarão na fornalha, onde haverá choro e ranger de dentes. Compreendestes tudo isto? Sim, Senhor, responderam eles. Por isso, todo escriba instruído nas coisas do Reino dos céus é comparado a um pai de família que tira de seu tesouro coisas novas e velhas.

 

Liturgia Diária- 12/08/2017

SANTA CLARA DE ASSIS, Virgem

Festa de 3ª Classe- Missa “Dilexisti”, com orações próprias

8

De família rica, resolveu fugir de casa aos 19 anos de idade para se consagrar a Deus, já que seus pais eram contra tal vocação. Na noite de 18 de março de 1212, apresentou-se na pequena igreja de Santa Maria dos Anjos, onde são Francisco e seus frades a aguardavam. Cortaram-lhe seus lindos cabelos e daneram-lhe um grosseiro hábito de lã crua para vestir.

Nessa noite, Clara fez votos de pobreza, castidade e obediência. São Francisco a levou a um mosteiro beneditino e, mais tarde, para o paupérrimo mosteiro de São Damião, onde se abrigavam monjas. Mais tarde, sua mãe e suas irmãs, Ortolana e Beatriz seguiram o mesmo caminho. Deu-se início então às Clarissas, que têm como princípio viver o ideal franciscano de pobreza e hoje somam cerca de 19 mil religiosas, espalhadas por todo o mundo.

Certa vez, São Francisco pediu que Clara rezasse a Deus para que ele soubesse o que mais lhe agradava: dedicar-se à oração ou à pregação. Depois de muita oração, segundo contam os Fioretti, Cristo disse a Clara que Francisco deveria orar mas peregrinar, pois não foi só a ele que escolheu, mas também a outros que deveriam conhecer a Palavra Divina.

Francisco morreu em 1226. Clara conseguiu que seu corpo fosse introduzido na clausura para que as Clarissas pudessem contemplá-lo. Certo dia, Clara teve o privilégio de ver, projetadas nas paredes da cela sem enfeites, as imagens do santo e os ritos das solenes funções que se desenvolviam em Santa Maria dos Anjos.

Devido a essas visões que Clara teve, recebeu o título de protetora da televisão. Viveu mais 27 anos após a morte de Francisco. Dois anos depois de sua morte em 1253, Clara foi canonizada.

LEITURAS

Epístola (II Cor 10, 17-18; 11, 1-2)

Leitura da Epístola de São Paulo Apóstolo aos Coríntios.

Irmãos: quem se gloria, glorie-se no Senhor. Pois merece a aprovação não aquele que se recomenda a si mesmo, mas aquele que o Senhor recomenda.  Oxalá suportásseis um pouco de loucura de minha parte! Oh, sim! Tolerai-me. Eu vos consagro um carinho e amor santo, porque vos desposei com um esposo único e vos apresentei a Cristo como virgem pura.

Evangelho (Mt 25, 1-13)

Sequência do Santo Evangelho segundo Mateus. 

Naquele tempo, disse Jesus a Seus discípulos: o Reino dos céus é semelhante a dez virgens, que saíram com suas lâmpadas ao encontro do esposo. Cinco dentre elas eram tolas e cinco, prudentes. Tomando suas lâmpadas, as tolas não levaram óleo consigo. As prudentes, todavia, levaram de reserva vasos de óleo junto com as lâmpadas. Tardando o esposo, cochilaram todas e adormeceram. No meio da noite, porém, ouviu-se um clamor: Eis o esposo, ide-lhe ao encontro. E as virgens levantaram-se todas e prepararam suas lâmpadas. As tolas disseram às prudentes: Dai-nos de vosso óleo, porque nossas lâmpadas se estão apagando. As prudentes responderam: Não temos o suficiente para nós e para vós; é preferível irdes aos vendedores, a fim de o comprardes para vós. Ora, enquanto foram comprar, veio o esposo. As que estavam preparadas entraram com ele para a sala das bodas e foi fechada a porta. Mais tarde, chegaram também as outras e diziam: Senhor, senhor, abre-nos! Mas ele respondeu: Em verdade vos digo: não vos conheço! Vigiai, pois, porque não sabeis nem o dia nem a hora.

 

Liturgia Diária- 29/07/2017

SANTA MARTA, Virgem

Festa de 3ª Classe- Missa “Dilexisti” com Evangelho próprio.

image003

As escrituras contam que, em seus poucos momentos de descanso ou lazer, Jesus procurava a casa de amigos em Betânia, local muito agradável há apenas três quilômetros de Jerusalém. Ali moravam Marta, Lázaro e Maria. Há poucas, mas importantíssimas citações de Marta nas sagradas escrituras.

É narrado, por exemplo, o primeiro momento em que Jesus pisou em sua casa. Ali chegando Jesus conversava com eles e Maria estava aos pés do Senhor, ouvindo sua pregação. Marta, trabalhadora e responsável, reclamou da posição da irmã, que nada fazia ouvindo o Mestre. Jesus aproveita então para ensinar que os valores espirituais são mais importantes que os materiais, apoiando Maria em sua ocupação de ouvir e aprender.

Fala-se dela também quando da ressurreição de Lázaro. É ela quem mais fala com Jesus, nesse acontecimento. Marta disse a Jesus: “Senhor, se tivesses estado aqui, o meu irmão não teria morrido. Mas mesmo agora, eu sei que tudo o que pedires a Deus, Deus dará”. (Jo 11,20-22). O milagre de reviver Lázaro solicitado com tamanha simplicidade, por Marta, exemplifica a plena fé na onipotência do Senhor.


SANTOS FÉLIX, SIMPLÍCIO, FAUSTINO E BEATRIZMártires

Comemoração- Missa conforme à de Sta. Marta, com orações próprias

No mesmo dia de Santa Marta prima de Jesus, a Igreja comemora os mártires irmãos romanos Simplício, Faustino e Beatriz, que morreram pela fé de Cristo na perseguição dos imperadores Diocleciano e Maximiano.

Simplicio e Faustino de Roma foram presos. Como eram muito constantes na fé, um vigário do imperador mandou torturá-los e depois degolá-los, sendo seus corpos despejados no rio Tibre. Sua santa irmã Beatriz os recolheu para dar sepultura digna, e depois se escondeu na casa de uma santa viúva chamada Lucina, a qual passava dia e noite em oração, penitência e obras de piedade.

Sete meses durou esta santa companhia; mas o Senhor permitiu que um homem poderoso, chamado Lucrécio, ficasse cego de ambição e desejasse tirar de Santa Beatriz os seus bens de herança, juntando-os ao patrimônio que ele já possuía. Para poder fazê-lo mais facilmente e sem nada gastar de seu bolso, sabendo de sua condição de cristã, fez a ela um convite para sacrificar aos ídolos.

Como Beatriz confessou espontaneamente ser cristã e que de forma alguma adoraria a falsos deuses, Lucrécio a jogou na prisão, e à noite sufocou-a pelo pescoço até morrer. Sua santa amiga Lucina enterrou o corpo dela junto aos de seus irmãos Simplicio e Faustino. Mais tarde o Papa Leão II edificou um magnífico templo emRoma, e para lá trasladou os corpos santos destes mártires.

Para mostrar o tamanho mal que acontece aos que se deixam levar pela cobiça, e que o Senhor descobre e pune as ciladas e artifícios dos homens maus, convém saber como foi o castigo sofrido por Lucrécio.

O ímpio senhor, tão logo se apossou da herança de Beatriz, ofereceu a alguns de seus amigos uma festa para comemorar o delito. Enquanto ele se esbaldasse de alegria e chacota, zombando dos santos mártires e se sentindo dono da fazenda que não lhe pertencia, do nada compareceu ao banquete uma mulher com um bebê lactante aos braços. O bebê, em alto e bom som, disse diante de todos: “Olá, Lucrécio! Mataste, e te apossaste de bem alheio, e caíste em mãos de teu inimigo.”

Imediatamente Lucrécio caiu atordoado, ficou pálido e passou a sangrar; em seguida, ficou possesso do demônio, que lhe atormentou cruelmente durante três horas, para então morrer com grande dano à sua alma e grande proveito de muitos, que com tal fato entenderam que Deus não só reserva o prêmio aos bons e o castigo aos maus, como também tira a máscara dos que mentem e tramam, e mostra que as benesses obtidas por meios ilícitos se transformam em punhal e veneno dos que pecam para conquistá-los.

A Igreja celebra a festa dos Santos Simplício, Faustino e Beatriz no dia de seu martírio, ocorrido em 29 de julho de 302. Fazem menção deste fato todos os Martirológios: o Romano, o de São Beda, o de Usuardo e o de Adon; nas Atas de Santo Antímio Mártir, também se escreve a suma do martírio destes santos irmãos.


LEITURAS

Epístola (II Cor 10, 17-18; 11, 1-2)

Leitura da Epístola de São Paulo Apóstolo aos Coríntios.

Irmãos: quem se gloria, glorie-se no Senhor. Pois merece a aprovação não aquele que se recomenda a si mesmo, mas aquele que o Senhor recomenda.  Oxalá suportásseis um pouco de loucura de minha parte! Oh, sim! Tolerai-me. Eu vos consagro um carinho e amor santo, porque vos desposei com um esposo único e vos apresentei a Cristo como virgem pura.

Evangelho ( Lc 10,38-42)

Sequência do Santo Evangelho segundo Lucas. 

Naquele tempo, estando Jesus em viagem, entrou numa aldeia, onde uma mulher, chamada Marta, o recebeu em sua casa. Tinha ela uma irmã por nome Maria, que se assentou aos pés do Senhor para ouvi-lo falar. Marta, toda preocupada na lida da casa, veio a Jesus e disse: Senhor, não te importas que minha irmã me deixe só a servir? Dize-lhe que me ajude. Respondeu-lhe o Senhor: Marta, Marta, andas muito inquieta e te preocupas com muitas coisas; no entanto, uma só coisa é necessária; Maria escolheu a boa parte, que lhe não será tirada.

 

Liturgia Diária- 26/07/2017

SANTA ANA, Mãe da Santíssima Virgem

Festa de 2ª Classe- Missa Própria

O proto-evangelho de São Tiago narra-nos que os vizinhos de Joaquim (nome que significa a quem Jeová confirma), desprezavam-nos porque não tinham filhos. Então, o santo retirou-se quarenta dias ao deserto para orar e jejuar. Ana (cujo nome significa Graça) “fazia lamentações”. Um anjo lhe apareceu e disse-lhe: “Ana, o Senhor ouviu tua oração: conceberás e darás a luz. Sobre o fruto de teu ventre falará o mundo inteiro”.

Nasceu-lhe Maria, Aquela que seria a Mãe de Deus. Esta narração se parece muito com a concepção e o nascimento de Samuel, cuja mãe se chamava também Ana (1 Reis, 1). Os primeiros Padres da Igreja oriental viam nesse caso um paralelo entre a narração da concepção de Samuel e a de João Batista.

A melhor prova da antiguidade ao culto a Santa Ana em Constantinopla é que, em meados do século VI, o imperador Justiniano dedicou-lhe um santuário. Há também dois afrescos que representam Santa Ana e datam do século VIII. No Oriente dedicam-lhe veneração desde o século VI Em 1382, o Papa Urbano VI publicou o primeiro decreto pontifício referente a Santa Ana; por ele concedia-se a celebração da festa da santa exclusivamente aos bispos da Inglaterra. A festa foi extensa depois a toda a Igreja do ocidente a partir de 1584.


Páginas 1193 a 1194 do Missal Quotidiano.


LEITURAS

Leitura (Pr  31,10-31) 

Leitura do livro dos Provérbios.

Uma mulher virtuosa, quem pode encontrá-la? Superior ao das pérolas é o seu valor. Confia nela o coração de seu marido, e jamais lhe faltará coisa alguma. Ela lhe proporciona o bem, nunca o mal, em todos os dias de sua vida. Ela procura lã e linho e trabalha com mão alegre. Semelhante ao navio do mercador, manda vir seus víveres de longe. Levanta-se, ainda de noite, distribui a comida à sua casa e a tarefa às suas servas. Ela encontra uma terra, adquire-a. Planta uma vinha com o ganho de suas mãos. Cinge os rins de fortaleza, revigora seus braços. Alegra-se com o seu lucro, e sua lâmpada não se apaga durante a noite. Põe a mão na roca, seus dedos manejam o fuso. Estende os braços ao infeliz e abre a mão ao indigente. Ela não teme a neve em sua casa, porque toda a sua família tem vestes duplas. Faz para si cobertas: suas vestes são de linho fino e de púrpura. Seu marido é considerado nas portas da cidade, quando se senta com os anciãos da terra. Tece linha e o vende, fornece cintos ao mercador. Fortaleza e graça lhe servem de ornamentos; ri-se do dia de amanhã. Abre a boca com sabedoria, amáveis instruções surgem de sua língua. Vigia o andamento de sua casa e não come o pão da ociosidade. Seus filhos se levantam para proclamá-la bem-aventurada e seu marido para elogiá-la. Muitas mulheres demonstram vigor, mas tu excedes a todas. A graça é falaz e a beleza é vã; a mulher inteligente é a que se deve louvar. Dai-lhe o fruto de suas mãos e que suas obras a louvem nas portas da cidade.

Evangelho (Mt 13,44-52 )

Sequência do Santo Evangelho segundo Mateus. 

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos a seguinte parábola: O Reino dos céus é também semelhante a um tesouro escondido num campo. Um homem o encontra, mas o esconde de novo. E, cheio de alegria, vai, vende tudo o que tem para comprar aquele campo. O Reino dos céus é ainda semelhante a um negociante que procura pérolas preciosas. Encontrando uma de grande valor, vai, vende tudo o que possui e a compra. O Reino dos céus é semelhante ainda a uma rede que, jogada ao mar, recolhe peixes de toda espécie. Quando está repleta, os pescadores puxam-na para a praia, sentam-se e separam nos cestos o que é bom e jogam fora o que não presta. Assim será no fim do mundo: os anjos virão separar os maus do meio dos justos e os arrojarão na fornalha, onde haverá choro e ranger de dentes. Compreendestes tudo isto? Sim, Senhor, responderam eles. Por isso, todo escriba instruído nas coisas do Reino dos céus é comparado a um pai de família que tira de seu tesouro coisas novas e velhas.

 

Liturgia Diária- 24/07/2017

SANTA CRISTINA, Virgem e Mártir

Comemoração- Missa comum do Domingo, com 2ªs orações da Missa “Me esdpectaverunt”

Cristina nasceu na Toscana (Itália), perto do lago de Bolsena, no ano 288 d.C., e com apenas 12 anos morreu mártir, no ano 300 d.C. Era filha de Urbano, oficial do exército em Tir, na Etrúria, parte da Toscana. Urbano era rude de sentimentos e inimigo dos cristãos. Em sua própria casa, muitas vezes os cristãos eram submetidos a interrogatórios humilhantes. Diante de tais cenas, Cristina se perguntava qual o motivo da serenidade e alegria dos cristãos, que ela já começava a admirar e venerar.

A resposta lhe veio por uma escrava cristã, que a preparou para o Batismo. Urbano desconfiava que a filha se interessasse pela comunidade cristã. Deu-lhe ordem de prestar culto a ídolos, queimando incenso. A menina negou-se a isso. Interrogada pelo pai, Cristina respondeu: “Tolo é vosso medo, tola a vossa advertência; diante de um deus cego aos sofrimentos do povo, surdo ao clamor dos fracos, eu não peço favores e não acendo uma vela. Ao Deus vivo, ao Senhor do céu e da terra que nos enviou seu Filho Jesus, a este, sim, apresento sacrifícios de verdade e amor”.

A severidade do pai aumentou, mas Cristina respondia a isso participando da celebração da Eucaristia e de outras reuniões dos cristãos, visitando os encarcerados, dando esmola aos pobres. Sua coragem e caridade fizeram-na vender as imagens dos ídolos para adquirir bens em favor dos pobres. O pai ficou furioso. Por isso, Cristina foi chicoteada. Aos que lhe pediam que cedesse à vontade do pai, respondia: “Deixar a vida não me custa; abandonar minha fé, isto nunca”.

Urbano prosseguiu na tortura: a filha, amarrada, foi lançada ao fogo. Conta a história que um anjo defendeu-a e as chamas não lhe queimaram. Ainda irado contra a filha, ordenou prendê-la. Então, mandou amarrar uma pedra de moinho em seu pescoço e lançá-la ao lago. Conta-se que após lançada às águas, a pedra de moinho veio à tona, não permitindo, assim, que Cristina se afogasse. A exaltação de Urbano foi tão grande que morreu de colapso.

Dio, sucessor de Urbano, também nada conseguiu de Cristina e, por isso, ordenou que fosse queimada viva. Segundo a história, o fogo não queimou a menina. Posta entre cobras, nenhuma a feriu. E tendo sua língua cortada, mesmo assim cantou os louvores do Senhor Jesus Cristo. Então, o juiz, enraivecido com os triunfos da jovem, ordenou sua morte a flechadas. Com isso foi-lhe tirada a vida terrena e ela entrou na glória eterna.

LEITURAS

Epístola (Rm 6,19-23)

Leitura da Epístola de São Paulo Apóstolo aos Romanos .

Irmãos: Vou-me servir de linguagem corrente entre os homens, por causa da fraqueza da vossa carne. Pois, como pusestes os vossos membros a serviço da impureza e do mal para cometer a iniquidade, assim ponde agora os vossos membros a serviço da justiça para chegar à santidade. Quando éreis escravos do pecado, éreis livres a respeito da justiça. Que frutos produzíeis então? Frutos dos quais agora vos envergonhais. O fim deles é a morte.  Mas agora, libertados do pecado e feitos servos de Deus, tendes por fruto a santidade; e o termo é a vida eterna. Porque o salário do pecado é a morte, enquanto o dom de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor.

Evangelho (Mt 7, 15-21)

Sequência do Santo Evangelho segundo Mateus.

Naquele tempo disse Jesus a seus discípulos: Guardai-vos dos falsos profetas. Eles vêm a vós disfarçados de ovelhas, mas por dentro são lobos arrebatadores. Pelos seus frutos os conhecereis. Colhem-se, porventura, uvas dos espinhos e figos dos abrolhos? Toda árvore boa dá bons frutos; toda árvore má dá maus frutos. Uma árvore boa não pode dar maus frutos; nem uma árvore má, bons frutos. Toda árvore que não der bons frutos será cortada e lançada ao fogo. Pelos seus frutos os conhecereis. Nem todo aquele que me diz: Senhor, Senhor, entrará no Reino dos céus, mas sim aquele que faz a vontade de meu Pai que está nos céus.

Liturgia Diária- 22/07/2017

SANTA MARIA MADALENA, Penitente

Festa de 3ª Classe- Missa Própria

santa-maria-madalena1

Natural de Mágdala, na Galileia, Maria Madalena foi contemporânea de Jesus Cristo, tendo vivido no Século I. O testemunho de Maria Madalena é encontrado nos quatro Evangelhos: “Os doze estavam com ele, e também mulheres que tinham sido curadas de espíritos maus e de doenças. Maria, dita de Mágdala, da qual haviam saído sete demônios…” (Lc 8,1-2).

Após ter sido curada por Jesus, Maria Madalena coloca-se a serviço do Reino de Deus, fazendo um caminho de discipulado, de seguimento a Nosso Senhor no amor e no serviço. E este amor maduro de Maria Madalena levou-a até ao momento mais difícil da vida e da missão de Nosso Senhor, permanecendo ao lado d’Ele: “Junto à cruz de Jesus estavam de pé sua mãe e a irmã de sua mãe, Maria de Cléofas, e Maria Madalena” (Jo 19,25).

Maria Madalena foi a primeira testemunha da Ressurreição de Jesus: “Então, Jesus falou: ‘Maria!’ Ela voltou-se e exclamou, em hebraico: ‘Rabûni!’ (que quer dizer: Mestre)” (Jo 20,16).

A partir deste encontro com o Ressuscitado, Maria Madalena, discípula fiel, viveu uma vida de testemunho e de luta pela santidade. Existe também uma tradição de que Maria Madalena, juntamente com a Virgem Maria e o Apóstolo João, foi evangelizar em Éfeso, onde depois veio a falecer nesta cidade. O culto à Santa Maria Madalena no Ocidente propagou-se a partir do Século XII.

LEITURAS

Leitura (Ct 3,2-5; 8,6-7)

Leitura do livro da Sabedoria. 

Vou levantar-me e percorrer a cidade, as ruas e as praças, em busca daquele que meu coração ama; procurei-o, sem o encontrar. Os guardas encontraram-me quando faziam sua ronda na cidade. Vistes acaso aquele que meu coração ama? Mal passara por eles, encontrei aquele que meu coração ama. Segurei-o, e não o largarei antes que o tenha introduzido na casa de minha mãe, no quarto daquela que me concebeu. – Conjuro-vos, ó filhas de Jerusalém, pelas gazelas e corças dos campos, não desperteis nem perturbeis o amor, antes que ele o queira.- Põe-me como um selo sobre o teu coração, como um selo sobre os teus braços; porque o amor é forte como a morte, a paixão é violenta como o cheol. Suas centelhas são centelhas de fogo, uma chama divina. As torrentes não poderiam extinguir o amor, nem os rios o poderiam submergir. Se alguém desse toda a riqueza de sua casa em troca do amor, só obteria desprezo.

Evangelho (Lc 7,36-50)

Sequência do Santo Evangelho segundo Lucas. 

Naquele tempo, um fariseu convidou Jesus a ir comer com ele. Jesus entrou na casa dele e pôs-se à mesa. Uma mulher pecadora da cidade, quando soube que estava à mesa em casa do fariseu, trouxe um vaso de alabastro cheio de perfume; e, estando a seus pés, por detrás dele, começou a chorar. Pouco depois suas lágrimas banhavam os pés do Senhor e ela os enxugava com os cabelos, beijava-os e os ungia com o perfume. Ao presenciar isto, o fariseu, que o tinha convidado, dizia consigo mesmo: Se este homem fosse profeta, bem saberia quem e qual é a mulher que o toca, pois é pecadora. Então Jesus lhe disse: Simão, tenho uma coisa a dizer-te. Fala, Mestre, disse ele. Um credor tinha dois devedores: um lhe devia quinhentos denários e o outro, cinqüenta. Não tendo eles com que pagar, perdoou a ambos a sua dívida. Qual deles o amará mais? Simão respondeu: A meu ver, aquele a quem ele mais perdoou. Jesus replicou-lhe: Julgaste bem. E voltando-se para a mulher, disse a Simão: Vês esta mulher? Entrei em tua casa e não me deste água para lavar os pés; mas esta, com as suas lágrimas, regou-me os pés e enxugou-os com os seus cabelos. Não me deste o ósculo; mas esta, desde que entrou, não cessou de beijar-me os pés. Não me ungiste a cabeça com óleo; mas esta, com perfume, ungiu-me os pés. Por isso te digo: seus numerosos pecados lhe foram perdoados, porque ela tem demonstrado muito amor. Mas ao que pouco se perdoa, pouco ama. E disse a ela: Perdoados te são os pecados. Os que estavam com ele à mesa começaram a dizer, então: Quem é este homem que até perdoa pecados? Mas Jesus, dirigindo-se à mulher, disse-lhe: Tua fé te salvou; vai em paz.


LEMBRETE

Como já avisado aqui, a Missa de hoje foi cancelada. As demais permanecem como disposto no Calendário.

Liturgia Diária- 10/07/2017

OS SETE IRMÃOS MÁRTIRES, SANTAS RUFINA E SECUNDA, Mártires e Virgens

Festa de 3ª Classe- Missa Própria

      

Os sete mártires romanos, que hoje festejamos, não são irmãos como muito tempo se julgou, mas mártires de diversos cemitérios de Roma reunidos mais tarde numa mesma sepultura. Na escolha dos textos da missa, aliás belíssimos, a liturgia deixou-se levar pela lenda tardia que faz dos sete mártires os sete filhos de Santa Felicidade (festejada em 23/11).

Rufina e Secunda são duas mártires romanas que tinham as suas sepulturas a alguns quilômetros da cidade, na Vila Cornélia. Já no século V Roma lhes celebrava a festa nesta data. 


Páginas 1162 a 1164 do Missal Quotidiano.


LEITURAS

Leitura (Pr 31, 10-31)

Leitura do livro da Sabedoria. 

Uma mulher virtuosa, quem pode encontrá-la? Superior ao das pérolas é o seu valor. Confia nela o coração de seu marido, e jamais lhe faltará coisa alguma. Ela lhe proporciona o bem, nunca o mal, em todos os dias de sua vida. Ela procura lã e linho e trabalha com mão alegre. Semelhante ao navio do mercador, manda vir seus víveres de longe. Levanta-se, ainda de noite, distribui a comida à sua casa e a tarefa às suas servas. Ela encontra uma terra, adquire-a. Planta uma vinha com o ganho de suas mãos. Cinge os rins de fortaleza, revigora seus braços. Alegra-se com o seu lucro, e sua lâmpada não se apaga durante a noite. Põe a mão na roca, seus dedos manejam o fuso. Estende os braços ao infeliz e abre a mão ao indigente. Ela não teme a neve em sua casa, porque toda a sua família tem vestes duplas. Faz para si cobertas: suas vestes são de linho fino e de púrpura. Seu marido é considerado nas portas da cidade, quando se senta com os anciãos da terra. Tece linha e o vende, fornece cintos ao mercador. Fortaleza e graça lhe servem de ornamentos; ri-se do dia de amanhã. Abre a boca com sabedoria, amáveis instruções surgem de sua língua. Vigia o andamento de sua casa e não come o pão da ociosidade. Seus filhos se levantam para proclamá-la bem-aventurada e seu marido para elogiá-la. Muitas mulheres demonstram vigor, mas tu excedes a todas. A graça é falaz e a beleza é vã; a mulher inteligente é a que se deve louvar. Dai-lhe o fruto de suas mãos e que suas obras a louvem nas portas da cidade.

Evangelho (Mt 12, 46-50)

Sequência do Santo Evangelho segundo Mateus.

Naquele tempo, falava Jesus à multidão, quando veio sua mãe e seus irmãos e esperavam do lado de fora a ocasião de lhe falar. Disse-lhe alguém: Tua mãe e teus irmãos estão aí fora, e querem falar-te. Jesus respondeu-lhe: Quem é minha mãe e quem são meus irmãos? E, apontando com a mão para os seus discípulos, acrescentou: Eis aqui minha mãe e meus irmãos. Todo aquele que faz a vontade de meu Pai que está nos céus, esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe.

Liturgia Diária- 30/08/2016

SANTA ROSA DE LIMA, Virgem

 

 

Festa de 1ª Classe (em todo o Brasil)- Missa Própria (ver próprio do Brasil)

91408559051

Para todos nós, hoje é dia de grande alegria, pois podemos celebrar a memória da primeira santa da América do Sul, Padroeira do Peru, das Ilhas Filipinas e de toda a América Latina. Santa Rosa nasceu em Lima (Peru) em 1586; filha de pais espanhóis, chamava-se Isabel Flores, até ser apelidada de Rosa por uma empregada índia que a admirava, dizendo-lhe: “Você é bonita como uma rosa!”.

Rosa bem sabia dos elogios que a envaideciam, por isso buscava ser cada vez mais penitente e obedecer em tudo aos pais, desta forma, crescia na humildade e na intimidade com o amado Jesus. Quando o pai perdeu toda a fortuna, Rosa não se perturbou ao ter que trabalhar de doméstica, pois tinha esta certeza: “Se os homens soubessem o que é viver em graça, não se assustariam com nenhum sofrimento e padeceriam de bom grado qualquer pena, porque a graça é fruto da paciência”.

A mudança oficial do nome de Isabel para Rosa ocorreu quando ela tomou o hábito da Ordem Terceira Dominicana, da mesma família de sua santa e modelo de devoção: Santa Catarina de Sena e, a partir desta consagração, passou a chamar-se Rosa de Santa Maria. Devido à ausência de convento no local em que vivia, Santa Rosa de Lima renunciou às inúmeras propostas de casamento e de vida fácil: “O prazer e a felicidade de que o mundo pode me oferecer são simplesmente uma sombra em comparação ao que sinto”.

Começou a viver a vida religiosa no fundo do quintal dos pais e, assim, na oração, penitência, caridade para com todos, principalmente índios e negros, Santa Rosa de Lima cresceu na união com Cristo, tanto quanto no sofrimento, por isso, tempos antes de morrer, aos 31 anos (1617), exclamou: “Senhor, fazei-me sofrer, contanto que aumenteis meu amor para convosco”.

Foi canonizada a 12 de abril de 1671 pelo Papa Clemente X.

LEITURAS/LESSONS

Epístola (II Cor 10, 17-18; 11, 1-2)

Leitura da Epístola de São Paulo Apóstolo aos Coríntios.

Irmãos: quem se gloria, glorie-se no Senhor. Pois merece a aprovação não aquele que se recomenda a si mesmo, mas aquele que o Senhor recomenda.  Oxalá suportásseis um pouco de loucura de minha parte! Oh, sim! Tolerai-me. Eu vos consagro um carinho e amor santo, porque vos desposei com um esposo único e vos apresentei a Cristo como virgem pura.

Evangelho (Mt 13, 31-35)

Sequência do Santo Evangelho segundo Mateus. 

Naquele tempo, disse Jesus propôs  a seus discípulos a seguinte parábola: O Reino dos céus é comparado a um grão de mostarda que um homem toma e semeia em seu campo. É esta a menor de todas as sementes, mas, quando cresce, torna-se um arbusto maior que todas as hortaliças, de sorte que os pássaros vêm aninhar-se em seus ramos. Disse-lhes, por fim, esta outra parábola. O Reino dos céus é comparado ao fermento que uma mulher toma e mistura em três medidas de farinha e que faz fermentar toda a massa. Tudo isto disse Jesus à multidão em forma de parábola. De outro modo não lhe falava, para que se cumprisse a profecia: Abrirei a boca para ensinar em parábolas; revelarei coisas ocultas desde a criação (Sl 77,2).

In English

Epistle (II Cor 10: 17-18; 11: 1-2)

Lesson from the Epistle of blessed Paul the Apostle to the Corinthians.

Brethren, he that glorieth, let him glory in the Lord. For not he who commandeth himself is approved : but he whom God commandeth. Would to God you could bear with some little of my folly, but do bear with me : for I am jealous of you with the jealousy of God. For I have espoused you to one husband, that I may present you as a chaste virgin to Christ.

Gospel (Matt. 25: 1-13)

The continuation of the holy Gospel according to Matthew. 

At that time, Jesus spoke to His disciples this parable: “The kingdom of heaven is like a grain of mustard seed, which a man took and sowed in his field. It is, indeed, the least of all seeds, but when it has grown, it is greater than all the plants, and it becomes a tree, so much so that the birds of the air come and dwell in its branches.” He spoke another parable to them: “The kingdom of heaven is like leaven, which a woman took and hid in three measures of fine wheat flour, until it was entirely leavened.” All these things Jesus spoke in parables to the crowds. And he did not speak to them apart from parables, in order to fulfill what was spoken through the prophet, saying: “I will open my mouth in parables. I will proclaim what has been hidden since the foundation of the world.”

Liturgia Diária- 12/08/2016

SANTA CLARA DE ASSIS, Virgem

Festa de 3ª Classe- Missa “Dilexisti”

8

De família rica, resolveu fugir de casa aos 19 anos de idade para se consagrar a Deus, já que seus pais eram contra tal vocação. Na noite de 18 de março de 1212, apresentou-se na pequena igreja de Santa Maria dos Anjos, onde são Francisco e seus frades a aguardavam. Cortaram-lhe seus lindos cabelos e daneram-lhe um grosseiro hábito de lã crua para vestir.

Nessa noite, Clara fez votos de pobreza, castidade e obediência. São Francisco a levou a um mosteiro beneditino e, mais tarde, para o paupérrimo mosteiro de São Damião, onde se abrigavam monjas. Mais tarde, sua mãe e suas irmãs, Ortolana e Beatriz seguiram o mesmo caminho. Deu-se início então às Clarissas, que têm como princípio viver o ideal franciscano de pobreza e hoje somam cerca de 19 mil religiosas, espalhadas por todo o mundo.

Certa vez, São Francisco pediu que Clara rezasse a Deus para que ele soubesse o que mais lhe agradava: dedicar-se à oração ou à pregação. Depois de muita oração, segundo contam os Fioretti, Cristo disse a Clara que Francisco deveria orar mas peregrinar, pois não foi só a ele que escolheu, mas também a outros que deveriam conhecer a Palavra Divina.

Francisco morreu em 1226. Clara conseguiu que seu corpo fosse introduzido na clausura para que as Clarissas pudessem contemplá-lo. Certo dia, Clara teve o privilégio de ver, projetadas nas paredes da cela sem enfeites, as imagens do santo e os ritos das solenes funções que se desenvolviam em Santa Maria dos Anjos.

Devido a essas visões que Clara teve, recebeu o título de protetora da televisão. Viveu mais 27 anos após a morte de Francisco. Dois anos depois de sua morte em 1253, Clara foi canonizada.

LEITURAS/LESSONS

Epístola (II Cor 10, 17-18; 11, 1-2)

Leitura da Epístola de São Paulo Apóstolo aos Coríntios.

Irmãos: quem se gloria, glorie-se no Senhor. Pois merece a aprovação não aquele que se recomenda a si mesmo, mas aquele que o Senhor recomenda.  Oxalá suportásseis um pouco de loucura de minha parte! Oh, sim! Tolerai-me. Eu vos consagro um carinho e amor santo, porque vos desposei com um esposo único e vos apresentei a Cristo como virgem pura.

Evangelho (Mt 25, 1-13)

Sequência do Santo Evangelho segundo Mateus. 

Naquele tempo, disse Jesus a Seus discípulos: o Reino dos céus é semelhante a dez virgens, que saíram com suas lâmpadas ao encontro do esposo. Cinco dentre elas eram tolas e cinco, prudentes. Tomando suas lâmpadas, as tolas não levaram óleo consigo. As prudentes, todavia, levaram de reserva vasos de óleo junto com as lâmpadas. Tardando o esposo, cochilaram todas e adormeceram. No meio da noite, porém, ouviu-se um clamor: Eis o esposo, ide-lhe ao encontro. E as virgens levantaram-se todas e prepararam suas lâmpadas. As tolas disseram às prudentes: Dai-nos de vosso óleo, porque nossas lâmpadas se estão apagando. As prudentes responderam: Não temos o suficiente para nós e para vós; é preferível irdes aos vendedores, a fim de o comprardes para vós. Ora, enquanto foram comprar, veio o esposo. As que estavam preparadas entraram com ele para a sala das bodas e foi fechada a porta. Mais tarde, chegaram também as outras e diziam: Senhor, senhor, abre-nos! Mas ele respondeu: Em verdade vos digo: não vos conheço! Vigiai, pois, porque não sabeis nem o dia nem a hora.

In English

Epistle (II Cor 10: 17-18; 11: 1-2)

Lesson from the Epistle of blessed Paul the Apostle to the Corinthians.

Brethren, he that glorieth, let him glory in the Lord. For not he who commandeth himself is approved : but he whom God commandeth. Would to God you could bear with some little of my folly, but do bear with me : for I am jealous of you with the jealousy of God. For I have espoused you to one husband, that I may present you as a chaste virgin to Christ.

Gospel (Matt. 25: 1-13)

The continuation of the holy Gospel according to Matthew. 

At that time, Jesus spoke to His disciples this parable: ‘ The kingdom of Heaven shall be like to ten virgins, who taking their lamps went out to meet the bridegroom and the bride. And five of them were foolish, and five wise: but the five foolish having taken their lamps, did not take oil with them: but the wise took oil in their vessels with the lamps. And the bridegroom tarrying, they all slumbered and slept. And at midnight there was a cry made: Behold the bridegroom cometh, go ye forth to meet him. Then all those virgins arose and trimmed their lamps. And the foolish said to the wise: Give us of your oil, for our lamps are gone out. The wise answered, saying : Lest perhaps there be not enough for us and for you, go ye rather to them that sell, and buy for yourselves. Now whilst they went to buy, the bridegroom came : and they that were ready went in with him to the marriage, and the door was shut. But at last came also the other virgins, saying : Lord, Lord, open to us. But he answering, said : Amen I say to you, I know you not. Watch ye therefore, because you know not the day nor the hour.’