Liturgia Diária- 26/07/2018

SANTA ANA, Mãe da Santíssima Virgem

Festa de 2ª Classe- Missa Própria

A devoção dos fiéis de Santa Ana é o prolongamento da que nutrem por Nossa Senhora, de quem a santa doi mãe. As associações de mães cristãs escolheram-na para sua padroeira. O culto de Santa Ana que nos veio do Oriente, espalhou-se entre nós no tempo das cruzadas. Na França voltou a acentuar-se no século XVII, principalmente na Bretanha, onde a descoberta duma antiga imagem deu novo impulso à peregrinação de Santa Ana de Auray. Ainda hoje se veem afluir aí no dia da festa cerca de 50.000 peregrinos. Santa Ana é a padroeira da Bretanha. O papa Leão XIII elevou a sua festa a 2ª classe.


PRÓPRIO DO DIA

Introito (Sl 44,2)

Exultemos todos no Senhor, celebrando a festa de Santa Ana, com cuja solenidade rejubilam no Céu os anjos e louvam o Filho de Deus. Sl. Saiu do meu coração uma palavra boa: consagrarei ao Rei todo o meu ser. Glória ao Pai.

Coleta

Ó Deus, que Vos dignastes conferir a Santa Ana a graça de dar à luz a Mãe de vosso filho unigênito, fazei por vossa misericórdia, que, celebrando a sua solenidade, sintamos os efeitos da sua proteção. Pelo mesmo Nosso Senhor Jesus Cristo.

Epístola (Pr  31,10-31) 


A Igreja recolheu, para o aplicar às santas mulheres, o magnífico elogio da mulher perfeita, nas últimas páginas do livro dos Provérbios. Todas as suas qualidades assentam numa virtude fundamental: o temor de Deus.


Leitura do livro dos Provérbios.

Uma mulher virtuosa, quem pode encontrá-la? Superior ao das pérolas é o seu valor. Confia nela o coração de seu marido, e jamais lhe faltará coisa alguma. Ela lhe proporciona o bem, nunca o mal, em todos os dias de sua vida. Ela procura lã e linho e trabalha com mão alegre. Semelhante ao navio do mercador, manda vir seus víveres de longe. Levanta-se, ainda de noite, distribui a comida à sua casa e a tarefa às suas servas. Ela encontra uma terra, adquire-a. Planta uma vinha com o ganho de suas mãos. Cinge os rins de fortaleza, revigora seus braços. Alegra-se com o seu lucro, e sua lâmpada não se apaga durante a noite. Põe a mão na roca, seus dedos manejam o fuso. Estende os braços ao infeliz e abre a mão ao indigente. Ela não teme a neve em sua casa, porque toda a sua família tem vestes duplas. Faz para si cobertas: suas vestes são de linho fino e de púrpura. Seu marido é considerado nas portas da cidade, quando se senta com os anciãos da terra. Tece linha e o vende, fornece cintos ao mercador. Fortaleza e graça lhe servem de ornamentos; ri-se do dia de amanhã. Abre a boca com sabedoria, amáveis instruções surgem de sua língua. Vigia o andamento de sua casa e não come o pão da ociosidade. Seus filhos se levantam para proclamá-la bem-aventurada e seu marido para elogiá-la. Muitas mulheres demonstram vigor, mas tu excedes a todas. A graça é falaz e a beleza é vã; a mulher inteligente é a que se deve louvar. Dai-lhe o fruto de suas mãos e que suas obras a louvem nas portas da cidade.

Gradual (Sl 44,8)

Amaste a justiça e odiaste a iniquidade. Por isso te ungiu o teu verdadeiro Deus com o óleo da alegria.

Aleluia (Sl 44,3)

Aleluia, aleluia. A graça derramou-se em teus lábios; por isso te abençoou Deus para sempre. Aleluia.

Evangelho (Mt 13,44-52 )


O Reino dos Céus é como um tesouro ou uma pérola de grande valor; para a adquirir, a gente vende tudo o que tem. Os mártires adquiriram-na com o preço do seu próprio sangue; não basta ser do número daqueles que a rede da Igreja arranca, bons ou maus, aos perigos do mar.


Sequência do Santo Evangelho segundo Mateus. 

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos a seguinte parábola: O Reino dos céus é também semelhante a um tesouro escondido num campo. Um homem o encontra, mas o esconde de novo. E, cheio de alegria, vai, vende tudo o que tem para comprar aquele campo. O Reino dos céus é ainda semelhante a um negociante que procura pérolas preciosas. Encontrando uma de grande valor, vai, vende tudo o que possui e a compra. O Reino dos céus é semelhante ainda a uma rede que, jogada ao mar, recolhe peixes de toda espécie. Quando está repleta, os pescadores puxam-na para a praia, sentam-se e separam nos cestos o que é bom e jogam fora o que não presta. Assim será no fim do mundo: os anjos virão separar os maus do meio dos justos e os arrojarão na fornalha, onde haverá choro e ranger de dentes. Compreendestes tudo isto? Sim, Senhor, responderam eles. Por isso, todo escriba instruído nas coisas do Reino dos céus é comparado a um pai de família que tira de seu tesouro coisas novas e velhas.

Ofertório (Sl 44,10*)

As filhas dos reis fazem-vos corte; está a rainha à vossa direita, trajando vestes douradas, cercada de ornatos.

Secreta

Dignai-Vos, Senhor, baixar os olhares de vossa misericórdia sobre este sacrifício, a fim de que por intercessão de Santa Ana, que deu à luz à Mãe do vosso Filho, aproveite à nossa piedade e salvação. Pelo mesmo Nosso Senhor Jesus Cristo.

Comunhão (Sl 44,3)

A graça derramou-se em teus lábios, por isso te abençoou Deus para sempre, por todos os séculos dos séculos.

Pós-comunhão

Reanimados, Senhor, com estes sacramentos, humildemente Vos suplicamos a graça de alcançar a vida eterna por intercessão de Santa Ana, que Vós quisestes para mãe daquela que gerou o vosso Filho. Pelo mesmo Nosso Senhor Jesus Cristo.

Comente o post

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: