Liturgia Diária- Vigília da Ascensão de Nosso Senhor

VIGÍLIA DA ASCENSÃO DE NOSSO SENHOR

Vigília de 2ª Classe- Missa Própria, com comemoração das Rogações

Depois da procissão das Rogações, reza-se a Missa das Rogações. As Missas privadas são da Vigília, a não ser que ocorra alguma festa. Os Cânticos desta Missa são os do V domingo depois da Páscoa.

As Leituras falam da Ascensão. Jesus Cristo tendo cumprido na terra a sua Missão, vai deixá-la, mas não a abandonará: enviará o seu Consolador que é o Espirito Santo.


Páginas 514 a 517 e 528 a 529 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Liturgia Diária- 19/05/2020

TERÇA-FEIRA DAS ROGAÇÕES

2ª Classe- Missa própria com comemoração de S. Pedro Celestino, Papa e Confessor, e S. Pudenciana, Virgem

Os três dias que precedem à festa da Ascensão, chamam-se dias das Rogações, denominação essa que vem do caráter suplicante das Ladainhas, Orações e Salmos que neles se dizem.

Remontam aos primeiros séculos do Cristianismo as procissões de penitência antes da santa Missa. Data do século V a instituição das Rogações, em França. Prescritas depois em Roma, daí se estenderam a toda a Igreja. Nestes dias especialmente consagrados, pedimos a Deus que afaste de nós o flagelo de sua justiça e se digne abençoar as coisas da terra. A Missa mostra-nos a eficácia da oração fervorosa e perseverante. Animados de uma firme confiança vamos para a casa de Deus (Introito). O Apóstolo S. Tiago, ele mesmo admirável amante da oração, mostra-nos o exemplo de Elias (Epístola). A oração do justo muito pode sobre o coração de Deus. As palavras proferidas por Jesus Cristo tornam-se realidade na santa Missa. O pão e o peixe simbolizam a Eucaristia, e o ovo é o símbolo da Ressurreição e da vida nova, fruto de uma boa participação nos santos Mistérios. — Nessa Missa não se diz o Glória nem o Credo.

Sobre S. Pedro Celestino: Eremita que era, fundou a Ordem dos Beneditinos Eremitas, no monte Marone. Com 79 anos de idade foi eleito Papa, contra sua vontade. Em breve, porém, resignou o Pontificado e voltou à sua querida solidão (Oração).


Páginas 521 a 527 e 1074 a 1075 do Missal Quotidiano. 


Liturgia Diária- 18/05/2020

SEGUNDA-FEIRA DAS ROGAÇÕES

2ª Classe- Missa própria com comemoração de S. Venâncio, Mártir

Os três dias que precedem à festa da Ascensão, chamam-se dias das Rogações, denominação essa que vem do caráter suplicante das Ladainhas, Orações e Salmos que neles se dizem.

Remontam aos primeiros séculos do Cristianismo as procissões de penitência antes da santa Missa. Data do século V a instituição das Rogações, em França. Prescritas depois em Roma, daí se estenderam a toda a Igreja. Nestes dias especialmente consagrados, pedimos a Deus que afaste de nós o flagelo de sua justiça e se digne abençoar as coisas da terra. A Missa mostra-nos a eficácia da oração fervorosa e perseverante. Animados de uma firme confiança vamos para a casa de Deus (Introito). O Apóstolo S. Tiago, ele mesmo admirável amante da oração, mostra-nos o exemplo de Elias (Epístola). A oração do justo muito pode sobre o coração de Deus. As palavras proferidas por Jesus Cristo tornam-se realidade na santa Missa. O pão e o peixe simbolizam a Eucaristia, e o ovo é o símbolo da Ressurreição e da vida nova, fruto de uma boa participação nos santos Mistérios. — Nessa Missa não se diz o Glória nem o Credo.

Sobre o santo: Após longo martírio, foi decapitado em Camerino na Itália central, com a idade de 15 anos.


Páginas 521 a 527 e 1073 a 1074 do Missal Quotidiano. 


Liturgia Mensal – Maio/2020

01º/05

SÃO JOSÉ ARTESÃO

Festa de 1ª Classe- Missa Própria 

No ano litúrgico, há dois dias consagrados a São José. O primeiro comemora a 19 de março a entrada triunfante no céu do Justo, que fora escolhido por Deus para guarda de seus maiores tesouros: a Santíssima Virgem Maria e seu Filho Jesus Cristo. Lembram-se, então, sua pureza sem mancha, sua fidelidade indefectível e sua obediência prontíssima.

O segundo dia festeja o operário, que tirou da profissão de carpinteiro o sustento da Sagrada Família, e assim elevou o trabalho manual a uma dignidade inexprimível. O Santo Padre Pio XII, fixou sua data a 1º de maio para que o dia geralmente dedicado ao trabalho e aos trabalhadores seja iluminado pela lição e exemplo de São José.


Páginas 1049 a 1052 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


PRÓPRIO DO DIA

Introito (Sl 10, 17 | Sl 126, 1)

Sapiéntia réddidit iustis mercédem labórum suórum, et dedúxit illos in via mirábili, et fuit illis in velaménto diéi et in luce stellárum per noctem, allelúia, allelúia. Ps. Nisi Dóminus aedificáverit domum, in vanum labórant qui aedíficant eam. ℣. Gloria Patri. A Sabedoria recompensou os Santos por seus trabalhos, e os conduziu por um caminho maravilhoso, onde os protegia como uma sombra durante o dia, e os alumiava como a luz das estrelas durante a noite, aleluia, aleluia. Sl. Se o Senhor não edificar a casa, trabalham debalde os que a edificam. ℣. Glória ao Pai.

Coleta

Rerum cónditor Deus, qui legem labóris humáno géneri statuísti: concéde propítius; ut, sancti Ioseph exémplo et patrocínio, ópera perficiámus quae praecipis, et praemia consequámur quae promíttis. Per D.N. Ó Deus, que criastes todas as coisas e impusestes ao gênero humano a lei do trabalho, concedei propício que, com o exemplo e a proteção de São José, executemos as obras que determinais, e ganhemos as recompensas que prometeis. Por N.S.

Epístola (Col 3, 14-15; 17, 23-24)

Léctio Epístolae beáti Pauli Apóstoli ad Colossénses.

Fratres: Caritátem habéte, quod est vínculum perfectiónis, et pax Christi exsúltet in córdibus vestris, in qua et vocáti estis in uno córpore, et grati estóte. Omne quodcúmque fácitis in verbo aut in ópere, ómnia in nómine Dómini Iesu Christi, grátias agéntes Deo et Patri per ipsum. Quodcúmque fácitis, ex ánimo operámini sicut Dómino, et non homínibus, sciéntes quod a Dómino accipiétis retributiónem hereditátis. Dómino Christo servíte.

Leitura da Epístola de São Paulo Apóstolo aos Colossenses.

Irmãos, tende caridade, que é o vínculo da perfeição, e reine em vossos corações a  paz de Cristo no qual estais todos chamados a constituir  um corpo só. Rendei ações de  graças. E tudo que fizerdes, por palavras e obras, fazei-o  em Nome do Senhor Jesus Cristo, dando por Ele graças a Deus Pai. O que quer que façais, fazei-o de coração, como para Deus e não para os homens, sabendo que recebereis de Deus em recompensa a herança prometida. Servi, pois, a Cristo Nosso Senhor.

Aleluia 

Allelúia, allelúia. ℣. De quacúmque tribulatióne clamáverint ad me, exáudiam eos, et ero protéctor eórum semper. Allelúia. ℣. Fac nos innócuam, Ioseph, decúrrere vitam: sitque tuo semper tuta patrocínio. Allelúia.

Aleluia, aleluia; ℣. Se clamarem a mim no meio qualquer tribulação, eu atenderei, e serei sempre protetor. Aleluia ℣. Fazei São José, que nossa vida decorra sã e salva, e esteja sempre segura debaixo da vossa proteção. Aleluia.

Evangelho (Mt 13, 54-58)

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Matthaeum.

In illo témpore: Véniens Iesus in pátriam suam, docébat eos in synagógis eórum, ita ut miraréntur et dícerent: Unde huic sapiéntia haec et virtútes? Nonne hic est fabri fílius? Nonne mater eius dícitur María, et fratres eius Iacóbus et Ioseph et Simon et Iudas? Et soróres eius nonne omnes apud nos sunt? Unde ergo huic ómnia ista? Et scandalizabántur in eo. Iesus autem dixit eis: Non est prophéta sine honóre nisi in pátria sua et in domo sua. Et non fecit ibi virtútes multas propter incredulitátem illórum. — CREDO…

Sequência do Santo Evangelho segundo Mateus.

Naquele tempo: Chegado Jesus à sua terra, ensinava ao povo nas sinagogas de tal sorte que muitos se admiravam e diziam: “Donde lhe vem esta sabedoria e esse poder? Não é este o filho do  carpinteiro? Sua mãe não se  chama Maria, e seus irmãos  Tiago, José, Simão e Judas?  Suas irmãs não vivem aqui  entre nós? Donde lhe vem, pois, tudo isso?” E se escandalizavam com Ele. Mas, Jesus  lhes disse: “Só em sua terra e sua casa é desprezado o profeta”. E não fez ali muitos milagres, devido à incredulidade do povo.  — CREIO…

Ofertório (Sl 89, 17)

Bónitas Dómini Dei nostri sit super nos, et opus mánuum nostrárum secúnda nobis, et opus mánuum nostrárum secúnda, allelúia. A bondade de Deus Nosso Senhor se estenda sobre nós, dê rendimento ao trabalho de nossas mãos, e faça render o trabalho de nossas  mãos. Aleluia.

Secreta

Quas tibi, Dómine, de opéribus mánuum nostrárum offérimus hóstias, sancti Ioseph interpósito suffrágio, pignus fácias nobis unitátis et pacis. Per D.N. Estas dádivas, que vos oferecemos, Senhor, como fruto do trabalho de nossas mãos, fazei-as com a intercessão e prece de S. José o penhor de nossa paz e união. Por N. S.

Prefácio (de S. José)

℣. Dóminus vobíscum.
℞. Et cum spíritu tuo.
℣. Sursum corda.
℞. Habémus ad Dóminum.
℣. Grátias agámus Dómino Deo nostro.
℞. Dignum et iustum est.

Vere dignum et justum est, æquum et salutáre, nos tibi semper et ubíque grátias ágere: Dómine sancte, Pater omnípotens, ætérne Deus: Et te in Solemnitate beáti Joseph débitis magnificáre præcóniis, benedícere et prædicáre. Qui et vir justus, a te Deíparæ Vírgini Sponsus est datus: et fidélis servus ac prudens, super Famíliam tuam est constitútus: ut Unigénitum tuum, Sancti Spíritus obumbratióne concéptum, paterna vice custodíret, Jesum Christum, Dóminum nostrum. Per quem majestátem tuam laudant Angeli, adórant Dominatiónes, tremunt Potestátes. Cœli cœlorúmque Virtútes ac beáta Séraphim sócia exsultatióne concélebrant. Cum quibus et nostras voces ut admítti júbeas, deprecámur, súpplici confessióne dicéntes:

Sanctus, Sanctus, Sanctus…

℣. O Senhor seja convosco.
℞. E com o vosso espírito,
℣. Para o alto os corações.
℞. Já os temos para o Senhor,
℣. Demos graças ao Senhor, nosso Deus.
℞. É digno e justo.

Verdadeiramente é digno e justo, razoável e salutar, que, sempre e em todo o lugar Vos demos graças, ó Senhor santo, Pai onipotente, eterno Deus, e na Solenidade do bem-aventurado S. José, proclamemos devidamente as vossas grandezas, Vos bendigamos e Vos louvemos. Ele é o homem justo que destes por esposo à Virgem Mãe de Deus; é o servo fiel e prudente, que estabelecestes em vossa família, para guardar, como se fora pai, o vosso Unigênito, concebido por obra do Espirito Santo, Jesus Cristo, Nosso Senhor. Por Ele louvam os Anjos a vossa Majestade, as Dominações a adoram, tremem as Potestades. Os Céus, as Virtudes dos Céus e os bem-aventurados Serafins a celebram com recíproca alegria. As suas vozes, nós Vos rogamos mandeis que se unam as nossas, quando em humilde confissão Vos dizemos:

Santo, Santo, Santo…

Comunhão (Mt 13, 54, 55)

Unde huic sapiéntia haec et virtútes? Nonne hic est fabri fílius? Nonne mater eius dícitur María? Allelúia. Donde lhe vem esta sabedoria e esse poder? Não é este o filho do carpinteiro? Sua mãe não se chama Maria? Aleluia.

Pós-comunhão

Haec sancta quae súmpsimus, Dómine, per intercessiónem beáti Ioseph; et operatiónem nostram cómpleant, et praemia confírment. Per D.N. Este Sacramento que recebemos leve, Senhor, pela intercessão de São José, nossas ações a seu termo e lhes as￾segure o prêmio. Por N. S.

Traduções e comentários extraídos do Missal Quotidiano de D. Beda (1947/1962).


Clique em um dos demais dias para acessar a respectiva Liturgia:

Liturgia Diária- 25/04/2020

S. MARCOS, Evangelista

Festa de 2ª Classe- Missa própria, com comemoração das Rogações

Discípulo e companheiro de S. Pedro, escreveu o 2º Evangelho, a pedido dos Cristãos de Roma, seguindo as pregações do Príncipe dos Apóstolos. Pregou o Evangelho no Egito e fundou a Sé episcopal de Alexandria que ocupou em primeiro lugar. Morreu mártir. Na Leitura o profeta Ezequiel fala de quatro seres animados, que são, segundo se atribuí, os quatro Evangelistas. S. Marcos é representado sob o símbolo do leão porque inicia o Evangelho, com a voz “do que clama no deserto”.


Páginas 1040 a 1043; 524 a 527 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Liturgia Diária- 29/05/2019

VIGÍLIA DA ASCENSÃO DE NOSSO SENHOR

Vigília de 2ª Classe- Missa Própria

Depois da procissão das Rogações, reza-se a Missa das Rogações. As Missas privadas são da Vigília, a não ser que ocorra alguma festa. Os Cânticos desta Missa são os do V domingo depois da Páscoa.

As Leituras falam da Ascensão. Jesus Cristo tendo cumprido na terra a sua Missão, vai deixá-la, mas não a abandonará: enviará o seu Consolador que é o Espirito Santo.


Páginas 514 a 517 e 528 a 529 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Missa às 19 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- 28/05/2019

TERÇA-FEIRA DAS ROGAÇÕES

2ª Classe- Missa própria

Os três dias que precedem à festa da Ascensão, chamam-se dias das Rogações, denominação essa que vem do caráter suplicante das Ladainhas, Orações e Salmos que neles se dizem.

Remontam aos primeiros séculos do Cristianismo as procissões de penitência antes da santa Missa. Data do século V a instituição das Rogações, em França. Prescritas depois em Roma, daí se estenderam a toda a Igreja. Nestes dias especialmente consagrados, pedimos a Deus que afaste de nós o flagelo de sua justiça e se digne abençoar as coisas da terra. A Missa mostra-nos a eficácia da oração fervorosa e perseverante. Animados de uma firme confiança vamos para a casa de Deus (Introito). O Apóstolo S. Tiago, ele mesmo admirável amante da oração, mostra-nos o exemplo de Elias (Epístola). A oração do justo muito pode sobre o coração de Deus. As palavras proferidas por Jesus Cristo tornam-se realidade na santa Missa. O pão e o peixe simbolizam a Eucaristia, e o ovo é o símbolo da Ressurreição e da vida nova, fruto de uma boa participação nos santos Mistérios. — Nessa Missa não se diz o Glória nem o Credo.


S. AGOSTINHO DE CANTUÁRIA, Bispo e Confessor

Missa “Sacerdotes tui”, com alguns próprios

Foi abade de um mosteiro beneditino em Roma. O Papa S. Gregório Magno o enviou com 40 Monges para a Inglaterra a fim de pregar o Evangelho. Com o auxílio divino conseguiu a conversão do rei Etelberto, e grande parte de seu povo. Estabeleceu a sua Sé arquiepiscopal na Abadia de Cantuária. é chamado o Apóstolo da Inglaterra.


Páginas 521 a 527 e 1080 a 1082 do Missal Quotidiano. 


Missa às 19 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes. 


Liturgia Diária- 27/05/2019

SEGUNDA-FEIRA DAS ROGAÇÕES

2ª Classe- Missa própria com comemoração de S. Beda, Confessor e Doutor

Os três dias que precedem à festa da Ascensão, chamam-se dias das Rogações, denominação essa que vem do caráter suplicante das Ladainhas, Orações e Salmos que neles se dizem.

Remontam aos primeiros séculos do Cristianismo as procissões de penitência antes da santa Missa. Data do século V a instituição das Rogações, em França. Prescritas depois em Roma, daí se estenderam a toda a Igreja. Nestes dias especialmente consagrados, pedimos a Deus que afaste de nós o flagelo de sua justiça e se digne abençoar as coisas da terra. A Missa mostra-nos a eficácia da oração fervorosa e perseverante. Animados de uma firme confiança vamos para a casa de Deus (Introito). O Apóstolo S. Tiago, ele mesmo admirável amante da oração, mostra-nos o exemplo de Elias (Epístola). A oração do justo muito pode sobre o coração de Deus. As palavras proferidas por Jesus Cristo tornam-se realidade na santa Missa. O pão e o peixe simbolizam a Eucaristia, e o ovo é o símbolo da Ressurreição e da vida nova, fruto de uma boa participação nos santos Mistérios. — Nessa Missa não se diz o Glória nem o Credo.


SÃO BEDA, O VENERÁVEL, Confessor e Doutor

Missa “In Medio”, com Coleta própria

Com a idade de 7 anos entrou no Mosteiro Beneditino de Wearmoth. Sua vida foi inteiramente dedicada à oração e ao estudo. “Da oração passava ao estudo e do estudo para a oração”, diz a sua biografia. Numerosos escritos teológicos e históricos saíram de sua pena. Morreu em 735 na Inglaterra.


Páginas 521 a 527 e 1079 do Missal Quotidiano. 


Missa às 18 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.