Liturgia Diária- 18/02/2020

MISSA DA FÉRIA

4ª Classe- Missa do domingo, com comemoração de S. Simeão, Bispo e Mártir

Reunidos na basílica de S. Paulo, representada por nossa Igreja, vemos o magnífico exemplo do grande Apóstolo (Epístola).

Com o Cristo devemos morrer, para com Ele ressuscitarmos. Este é o sentido da Quaresma e para isso nos preparamos nos três domingos precedentes. Ele é o semeador (Evangelho). Preparemos nossos corações, afastando os obstáculos, que são: a indiferença — o caminho; a inconstância — as pedras; as paixões — os espinhos. Custe embora à natureza humana, a Igreja o confessa no Introito. Mas não desanimaremos; contra as adversidades podemos contar com a proteção do Doutor das gentes (Oração).


Páginas 119 a 123; 989 e 817 a 823  do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963).


Missa às 19 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- 17/02/2020

MISSA DA FÉRIA

4ª Classe- Missa do domingo

Reunidos na basílica de S. Paulo, representada por nossa Igreja, vemos o magnífico exemplo do grande Apóstolo (Epístola).

Com o Cristo devemos morrer, para com Ele ressuscitarmos. Este é o sentido da Quaresma e para isso nos preparamos nos três domingos precedentes. Ele é o semeador (Evangelho). Preparemos nossos corações, afastando os obstáculos, que são: a indiferença — o caminho; a inconstância — as pedras; as paixões — os espinhos. Custe embora à natureza humana, a Igreja o confessa no Introito. Mas não desanimaremos; contra as adversidades podemos contar com a proteção do Doutor das gentes (Oração).


Páginas 119 a 123 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963).


Missa às 18 horas na Capela Santa Terezinha.


Liturgia Diária- Domingo da Sexagésima

Domingo de 2ª Classe- Missa Própria – Estação em São Paulo

Reunidos na basílica de S. Paulo, representada por nossa Igreja, vemos o magnífico exemplo do grande Apóstolo (Epístola).

Com o Cristo devemos morrer, para com Ele ressuscitarmos. Este é o sentido da Quaresma e para isso nos preparamos nos três domingos precedentes. Ele é o semeador (Evangelho). Preparemos nossos corações, afastando os obstáculos, que são: a indiferença — o caminho; a inconstância — as pedras; as paixões — os espinhos. Custe embora à natureza humana, a Igreja o confessa no Introito. Mas não desanimaremos; contra as adversidades podemos contar com a proteção do Doutor das gentes (Oração).


Páginas 124 a 129 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963).


Missa Cantada às 15:30 horas na Catedral Santa Terezinha.


Próximas Missas

De 25/01 (sábado) a 16/02 (domingo) NÃO HAVERÁ Missa na Capela Nossa Senhora de Lourdes, em razão das atividades da Paróquia na celebração da padroeira da Capela. Por esse motivo, haverá Missa tão somente na Catedral, como de costume.

16/02Domingo da Sexagésima – Missa Cantada às 15:30 horas na Catedral Santa Terezinha.


Atendimento de Confissões- Antes das Missas na Capela.

Liturgia Diária- 02/03/2019

MISSA DA FÉRIA

Féria de 4ª Classe- Missa do Domingo

Com o Cristo devemos morrer, para com Ele ressuscitarmos. Este é o sentido da Quaresma e para isso nos preparamos nos três domingos precedentes. Ele é o semeador (Evangelho). Preparemos nossos corações, afastando os obstáculos, que são: a indiferença — o caminho; a inconstância — as pedras; as paixões — os espinhos. Custe embora à natureza humana, a Igreja o confessa no Introito. Mas não desanimaremos; contra as adversidades podemos contar com a proteção do Doutor das gentes (Oração).


Páginas 119 a 123 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963).


Liturgia Diária- 01/03/2019

MISSA DA FÉRIA

Féria de 4ª Classe- Missa do Domingo

Com o Cristo devemos morrer, para com Ele ressuscitarmos. Este é o sentido da Quaresma e para isso nos preparamos nos três domingos precedentes. Ele é o semeador (Evangelho). Preparemos nossos corações, afastando os obstáculos, que são: a indiferença — o caminho; a inconstância — as pedras; as paixões — os espinhos. Custe embora à natureza humana, a Igreja o confessa no Introito. Mas não desanimaremos; contra as adversidades podemos contar com a proteção do Doutor das gentes (Oração).


Páginas 119 a 123 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963).


Liturgia Diária- 28/02/2019

MISSA DA FÉRIA

Féria de 4ª Classe- Missa do Domingo

Com o Cristo devemos morrer, para com Ele ressuscitarmos. Este é o sentido da Quaresma e para isso nos preparamos nos três domingos precedentes. Ele é o semeador (Evangelho). Preparemos nossos corações, afastando os obstáculos, que são: a indiferença — o caminho; a inconstância — as pedras; as paixões — os espinhos. Custe embora à natureza humana, a Igreja o confessa no Introito. Mas não desanimaremos; contra as adversidades podemos contar com a proteção do Doutor das gentes (Oração).


Páginas 119 a 123 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963).


Liturgia Diária- 26/02/2019

MISSA DA FÉRIA

Féria de 4ª Classe- Missa do Domingo

Com o Cristo devemos morrer, para com Ele ressuscitarmos. Este é o sentido da Quaresma e para isso nos preparamos nos três domingos precedentes. Ele é o semeador (Evangelho). Preparemos nossos corações, afastando os obstáculos, que são: a indiferença — o caminho; a inconstância — as pedras; as paixões — os espinhos. Custe embora à natureza humana, a Igreja o confessa no Introito. Mas não desanimaremos; contra as adversidades podemos contar com a proteção do Doutor das gentes (Oração).


Páginas 119 a 123 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963).


Liturgia Diária- 25/02/2019

MISSA DA FÉRIA

Féria de 4ª Classe- Missa do Domingo

Com o Cristo devemos morrer, para com Ele ressuscitarmos. Este é o sentido da Quaresma e para isso nos preparamos nos três domingos precedentes. Ele é o semeador (Evangelho). Preparemos nossos corações, afastando os obstáculos, que são: a indiferença — o caminho; a inconstância — as pedras; as paixões — os espinhos. Custe embora à natureza humana, a Igreja o confessa no Introito. Mas não desanimaremos; contra as adversidades podemos contar com a proteção do Doutor das gentes (Oração).


Páginas 119 a 123 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963).


Liturgia Diária- Domingo da Sexagésima

Domingo de 2ª Classe- Missa Própria – Estação em São Paulo

Reunidos na basílica de S. Paulo, representada por nossa Igreja, vemos o magnífico exemplo do grande Apóstolo (Epístola).

Com o Cristo devemos morrer, para com Ele ressuscitarmos. Este é o sentido da Quaresma e para isso nos preparamos nos três domingos precedentes. Ele é o semeador (Evangelho). Preparemos nossos corações, afastando os obstáculos, que são: a indiferença — o caminho; a inconstância — as pedras; as paixões — os espinhos. Custe embora à natureza humana, a Igreja o confessa no Introito. Mas não desanimaremos; contra as adversidades podemos contar com a proteção do Doutor das gentes (Oração).


Páginas 119 a 123 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963).


APENAS Missa Cantada às 09:30 horas na Matriz da Paróquia Bom Jesus.


Liturgia Diária- Domingo da Sexagésima

Domingo de 2ª Classe- Missa Própria

“A semente é a palavra de Deus”: a palavra de que São paulo foi o infatigável semeador, no trabalho e na dor, até à morte pela espada; a palavra incarnada em Cristo, Verbo divino, centro da Escritura Sagrada.

As longas páginas da Bíblia, que sucessivamente se irão lendo em Matinas, anunciam o mistério pascal. Depois de Adão, Noé – o segundo pai do gênero humana, símbolo da renovação da humanidade: “Experimente e veja o mundo a restauração daquilo que jazia por terra, a renovação do que tinha envelhecido e o regresso de todas as coisas à integridade primeira, por obra daquele mesmo que lhes tinha dado existência” (Sábado Santo, antigo ofício). É no seio da Igreja, figurada pela arca, que a salvação se realiza doravante; e já não somente oito pessoas nela se abrigam, mas a multidão daqueles que renasceram nas águas batismais (epístola da Sexta-feira da Páscoa). 

Como no passado domingo, os cânticos da missa acentuam o apelo a Deus pungente e confiante, brotando do mais fundo da nossa miséria. 


Páginas 124 a 129 do Missal Quotidiano.


Missa Rezada às 9:30 horas na Capela São Judas Tadeu e Missa Cantada às 15:30 horas na Catedral.


LEITURAS

Introito (Salmo 43, 23-26.2)

Levantai-Vos, Senhor! Por que dormis?! Levantai-Vos, e não nos rejeiteis para sempre. Porque afastais o vosso rosto, e Vos esqueceis da nossa angústia?! Está cosido com a terra o nosso ventre! Levantai-Vos, Senhor, e salvai-nos. Sl. Nós ouvimos, ó Deus, com os nossos ouvidos: nossos pais no-lo anunciaram. Glória ao Pai.

Coleta 

Ó Deus, que vedes que em nenhum dos nossos atos confiamos, defendei-nos de todos os revezes com a proteção do Doutor das Gentes. Por Nosso Senhor Jesus Cristo. 

Epístola (II Cor 11, 19-33 e 12,1-9)


Esta página vibrante, em que São Paulo, para confundir os adversários, se viu forçado a apelar para a sua vida heroica ao serviço da Igreja, termina por uma confissão de impotência e fragilidade: o poder divino da fragilidade humana.


Leitura da Epístola de São Paulo Apóstolo aos Coríntios.

Irmãos: Vós, sendo homens sensatos, suportais de boa mente os loucos… Sim, tolerais a quem vos escraviza, a quem vos devora, a quem vos faz violência, a quem vos trata com orgulho, a quem vos dá no rosto. Sinto vergonha de o dizer; temos mostrado demasiada fraqueza… Entretanto, de tudo aquilo de que outrem se ufana (falo como um insensato), disto também eu me ufano. São hebreus? Também eu. São israelitas? Também eu. São ministros de Cristo? Falo como menos sábio: eu, ainda mais. Muito mais pelos trabalhos, muito mais pelos cárceres, pelos açoites sem medida. Muitas vezes vi a morte de perto. Cinco vezes recebi dos judeus os quarenta açoites menos um. Três vezes fui flagelado com varas. Uma vez apedrejado. Três vezes naufraguei, uma noite e um dia passei no abismo. Viagens sem conta, exposto a perigos nos rios, perigos de salteadores, perigos da parte de meus concidadãos, perigos da parte dos pagãos, perigos na cidade, perigos no deserto, perigos no mar, perigos entre falsos irmãos! Trabalhos e fadigas, repetidas vigílias, com fome e sede, freqüentes jejuns, frio e nudez!  Além de outras coisas, a minha preocupação cotidiana, a solicitude por todas as igrejas! Quem é fraco, que eu não seja fraco? Quem sofre escândalo, que eu não me consuma de dor? Se for preciso que a gente se glorie, eu me gloriarei na minha fraqueza. Deus, Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que é bendito pelos séculos, sabe que não minto. Em Damasco, o governador do rei Aretas mandou guardar a cidade dos damascenos para me prender. Mas, dentro de um cesto, desceram-me por uma janela ao longo da muralha, e assim escapei das suas mãos. Importa que me glorie? Na verdade, não convém! Passarei, entretanto, às visões e revelações do Senhor. Conheço um homem em Cristo que há catorze anos foi arrebatado até o terceiro céu. Se foi no corpo, não sei. Se fora do corpo, também não sei; Deus o sabe. E sei que esse homem – se no corpo ou se fora do corpo, não sei; Deus o sabe – foi arrebatado ao paraíso e lá ouviu palavras inefáveis, que não é permitido a um homem repetir. Desse homem eu me gloriarei, mas de mim mesmo não me gloriarei, a não ser das minhas fraquezas. Pois, ainda que me quisesse gloriar, não seria insensato, porque diria a verdade. Mas abstenho-me, para que ninguém me tenha em conta de mais do que vê em mim ou ouve dizer de mim. Demais, para que a grandeza das revelações não me levasse ao orgulho, foi-me dado um espinho na carne, um anjo de Satanás para me esbofetear e me livrar do perigo da vaidade. Três vezes roguei ao Senhor que o apartasse de mim. Mas ele me disse: Basta-te minha graça, porque é na fraqueza que se revela totalmente a minha força.

Gradual (Salmo 82, 19.14)

Saibam os povos que o vosso nome é Deus, e que só Vós sois o Altíssimo sobre toda a Terra. Meu Deus, fazei-os voltear como em roda, ou como a palha que o vento leva.

Trato (Salmo 59, 4.6)

Senhor, Vós sacudistes a terra e a abalastes. Reparai-lhe as brechas, porque está vacilante. Para que os vossos eleitos fujam diante do arco, e se livrem. 

Evangelho (Lc 8,4-15)


Somos terra semeada por Deus, e a palavra de Deus, semente divina, é de fecundidade infinita, contanto que a acolhamos e deixemos germinar. Encerra-se neste pensamento toda a vida cristã.


Sequência do Santo Evangelho segundo Lucas.

Naquele tempo: Havia se reunido uma grande multidão, com pessoas vindas de várias cidades para junto dele. Jesus lhes disse esta parábola: Saiu o semeador a semear a sua semente. E ao semear, parte da semente caiu à beira do caminho; foi pisada, e as aves do céu a comeram. Outra caiu no pedregulho; e, tendo nascido, secou, por falta de umidade. Outra caiu entre os espinhos; cresceram com ela os espinhos, e sufocaram-na. Outra, porém, caiu em terra boa; tendo crescido, produziu fruto cem por um. Dito isto, Jesus acrescentou alteando a voz: Quem tem ouvidos para ouvir, ouça! Os seus discípulos perguntaram-lhe a significação desta parábola. Ele respondeu: A vós é concedido conhecer os mistérios do Reino de Deus, mas aos outros se lhes fala por parábolas; de forma que vendo não vejam, e ouvindo não entendam. Eis o que significa esta parábola: a semente é a palavra de Deus. Os que estão à beira do caminho são aqueles que ouvem; mas depois vem o demônio e lhes tira a palavra do coração, para que não creiam nem se salvem. Aqueles que a recebem em solo pedregoso são os ouvintes da palavra de Deus que a acolhem com alegria; mas não têm raiz, porque creem até certo tempo, e na hora da provação a abandonam. A que caiu entre os espinhos, estes são os que ouvem a palavra, mas prosseguindo o caminho, são sufocados pelos cuidados, riquezas e prazeres da vida, e assim os seus frutos não amadurecem. A que caiu na terra boa são os que ouvem a palavra com coração reto e bom, retêm-na e dão fruto pela perseverança.

Ofertório (Salmo 16, 5-7)

Firmai os meus pés nos vossos caminhos, para que não vacilem os meus passos. Baixai o ouvido, e escutai a minha oração. Glorificai a vossa misericórdia, Vós que salvais os que esperam em Vós, Senhor.

Secreta

Que este sacrifício que Vos oferecemos, Senhor, nos vivifique e proteja sempre. Por Nosso Senhor Jesus Cristo.

Comunhão (Salmo 42, 4)

Subirei ao altar de Deus, – daquele que alegra a minha juventude. 

Pós-comunhão

Nós Vos suplicamos, Senhor onipotente, que àqueles que fortaleceis com os vossos sacramentos, concedais a graça de Vos servirem com a dignidade dos seus costumes. Por Nosso Senhor Jesus Cristo.


PARTITURAS E AÚDIOS