Liturgia Diária- 13/08/2020

MISSA DA FÉRIA

4ª Classe- Missa do domingo, com comemoração dos Ss. Hipólito e Cassiano, Mártires

Deus resiste aos soberbos e dá a sua graça aos humildes, eis o tema desta Missa. Todos os textos deste formulário falam-nos da virtude fundamental da vida cristã: a humildade. O Evangelho, com a parábola do fariseu e do publicano, é uma bela ilustração desta virtude. Assim instruídos, façamos nossos os sentimentos de humilde confiança na bondade de Deus, expressos nos Cânticos e nas Orações, e voltaremos justificados para as nossas casas.

Sobre os santos mártires: Batizado por S. Lourenço, Hipólito foi martirizado em 255. Cassiano era professor em Imola e foi condenado à morte em 304. Seus discípulos o mataram, furando-o cruelmente com os seus estiletes.


Páginas 635 a 638, 1226 a 1227 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Missa Rezada às 07:30 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


PRÓPRIO DO DIA

Introito (Sl 54, 17-18, 20 e 23 | ib., 2) (Áudio)

Dum clamárem ad Dóminum, exaudívit vocem meam, ab his, qui appropínquant mihi: et humiliávit eos, qui est ante sǽcula et manet in ætérnum: iacta cogitátum tuum in Dómino, et ipse te enútriet. Ps. Exáudi, Deus, oratiónem meam, et ne despéxeris deprecatiónem meam: inténde mihi et exáudi me. ℣. Glória Patri… Clamei ao Senhor, e Ele ouviu a minha voz e me livrou daqueles que me perseguem. E humilhou-os O que existe antes dos séculos, e subsistirá para sempre. Descansa no Senhor os teus cuidados, e Ele mesmo te nutrirá. Sl. Ouvi, ó Deus, a minha oração, e não desprezeis a minha súplica; atendei-me e escutai-me. ℣. Glória ao Pai…

Coleta

Deus, qui omnipoténtiam tuam parcéndo máxime et miserándo maniféstas: multíplica super nos misericórdiam tuam; ut, ad tua promíssa curréntes, cœléstium bonórum fácias esse consórtes. Per D.N. Ó Deus, que manifestais a vossa onipotência, antes de tudo, compadecendo-Vos e perdoando, aumentai para conosco a vossa misericórdia, e buscando as vossas promessas, fazei-nos participar dos bens celestes. Por N. S.

2ª Coleta (dos ss. mártires)

Da, quǽsumus, omnípotens Deus: ut beatórum Mártyrum tuórum Hippolýti et Cassiáni veneránda sollémnitas, et devotiónem nobis áugeat et salútem. Per D.N. Ó Deus onipotente, concedei, Vos suplicamos, que a solenidade de vossos santos Mártires Hipólito e Cassiano, aumente a nossa devoção e a nossa salvação. Por N. S.

Epístola (I Cor 12, 2-11)

Léctio Epístolæ beáti Pauli Apóstoli ad Corínthios.

 

Fratres: Scitis, quóniam, cum gentes essétis, ad simulácra muta prout ducebámini eúntes. Ideo notum vobisfacio, quod nemo in Spíritu Dei loquens, dicit anáthema Iesu. Et nemo potest dícere, Dóminus Iesus, nisi in Spíritu Sancto. Divisiónes vero gratiárum sunt, idem autem Spíritus. Et divisiónes ministratiónum sunt, idem autem Dóminus. Et divisiónes operatiónum sunt, idem vero Deus, qui operátur ómnia in ómnibus. Unicuíque autem datur manifestátio Spíritus ad utilitátem. Alii quidem per Spíritum datur sermo sapiéntiæ álii autem sermo sciéntiæ secúndum eúndem Spíritum: álteri fides in eódem Spíritu: álii grátia sanitátum in uno Spíritu: álii operátio virtútum, álii prophétia, álii discrétio spirítuum, álii génera linguárum, álii interpretátio sermónum. Hæc autem ómnia operátur unus atque idem Spíritus, dívidens síngulis, prout vult.

Leitura da Epístola de São Paulo Apóstolo aos Coríntios.

 

Irmãos: Sabeis, que, quando pagãos, vos deixastes conduzir, como o quiseram, aos ídolos mudos. Por isso vos faço saber que ninguém, falando pelo Espírito de Deus, profere maldições contra Jesus. E ninguém pode dizer-. Senhor Jesus, senão pelo Espírito Santo. Há realmente diversidade de graças, mas há um só Espírito. Há diversidade de ministérios, mas um mesmo é o Senhor. E há diversidade de operações mas um mesmo é o Deus, que tudo em todos opera. A cada um, porém, é dada a manifestação do Espírito para utilidade [comum]. Assim a um é concedida pelo Espírito a palavra da sabedoria, a outro, a palavra da ciência, pelo mesmo Espírito; a um terceiro, a fé pelo mesmo Espírito; a um, a graça de curar doenças no mesmo Espírito, a outro, o dom dos milagres; a este, o dom da profecia, àquele o discernimento dos espíritos; ainda a um, o dom das línguas, e a outro, a interpretação das palavras. Todas estas coisas, porém, opera o mesmo Espírito, que distribuí a cada um como quer.

Gradual (Sl 16, 8 e 2 | Sl 64, 2) (Vídeo) (Vídeo-aleluia)

Custódi me, Dómine, ut pupíllam óculi: sub umbra alárum tuárum prótege me. ℣. De vultu tuo iudícium meum pródeat: óculi tui vídeant æquitátem.

Allelúia, allelúia. ℣. Te decet hymnus, Deus, in Sion: et tibi reddétur votum in Jerúsalem. Allelúia.

Guardai-me, Senhor, como à pupila dos olhos; protegei-me à sombra de vossas asas. ℣. Venha de vossa face o meu julgamento; vejam os vossos olhos o que é justo.

Aleluia, aleluia. ℣. A Vós, ó Deus, convém louvar em Sião; e a Vós se pagará o voto em Jerusalém. Aleluia.

Evangelho (Lc 18, 9-14)

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Lucam.

In illo témpore: Dixit Iesus ad quosdam, qui in se confidébant tamquam iusti et aspernabántur céteros, parábolam istam: Duo hómines ascendérunt in templum, ut orárent: unus pharisǽus, et alter publicánus. Pharisǽus stans, hæc apud se orábat: Deus, grátias ago tibi, quia non sum sicut céteri hóminum: raptóres, iniústi, adúlteri: velut étiam hic publicánus. Ieiúno bis in sábbato: décimas do ómnium, quæ possídeo. Et publicánus a longe stans nolébat nec óculos ad cœlum leváre: sed percutiébat pectus suum, dicens: Deus, propítius esto mihi peccatóri.Dico vobis: descéndit hic iustificátus in domum suam ab illo: quia omnis qui se exáltat, humiliábitur: et qui se humíliat, exaltábitur. 

Sequência do Santo Evangelho segundo Lucas.

Naquele tempo, disse Jesus esta parábola a alguns que se tinham a si mesmos em conta de justos, e desprezavam os outros: Dois homens subiram ao templo para orar; um era fariseu, e o outro, publicano O fariseu, de pé, orava assim em seu íntimo: Graças Vos dou, ó Deus, porque não sou como os demais homens: como os ladrões, injustos, adúlteros, nem como este publicano. Jejuo duas vezes na semana; dou o dízimo de tudo quanto possuo. O publicano, porém, ficando de longe, nem ousava levantar os olhos ao céu, mas batia no peito, dizendo: Ó Deus, sede propício a mim pecador. Digo-vos que este voltou justificado para sua casa, e aquele, não; porque o que se eleva, será humilhado, e o que se humilha, será exaltado. 

Ofertório (Sl 24, 1-3) (Áudio)

Ad te, Dómine, levávi ánimam meam: Deus meus, in te confído, non erubéscam: neque irrídeant me inimíci mei: étenim univérsi, qui te exspéctant, non confundéntur. A Vós, Senhor, elevo a minha alma; meu Deus em Vós confio, não serei envergonhado. Não se riam de mim os meus adversários porque todos os que em Vós esperam, não serão confundidos.

Secreta

Tibi, Dómine, sacrifícia dicáta reddántur: quæ sic ad honórem nóminis tui deferénda tribuísti, ut eadem remédia fíeri nostra præstáres. Per D. N. A Vós, Senhor, sejam consagrados estes sacrifícios que nos concedestes oferecer em honra de vosso Nome, para que os mesmos se tornem remédio para as nossas almas. Por N. S.

2ª Secreta (dos ss. mártires)

Réspice, Dómine, múnera pópuli tui, Sanctórum festivitáte votíva: et tuæ testificátio veritátis nobis profíciat ad salútem. Per D. N. Olhai, Senhor, as oferendas de vosso povo, na festividade votiva dos Santos, e fazei que o testemunho por eles dado à vossa verdade nos aproveite para a nossa salvação. Por N. S.

Prefácio (Comum)

℣. Dóminus vobíscum.
℞. Et cum spíritu tuo.
℣. Sursum corda.
℞. Habémus ad Dóminum.
℣. Grátias agámus Dómino Deo nostro.
℞. Dignum et iustum est.
.
Vere dignum et justum est, aequum et salutare, nos Tibi simper, et ubique gratias agere: Domine sancte, Pater omnipotens, aeterne Deus: per Christum Dominum nostrum. Per quem majestatem Tuam laudant Angeli, adorant Dominationes, tremunt Potestates, Coeli, Coelorumque Virtutes, ac beata Seraphim socia exultatione concelebrant. Cum quibus et nostras voces, ut admitti, jubeas, supplici confessione dicentes: Sanctus, Sanctus, Sanctus…
℣. O Senhor seja convosco.
℞. E com o vosso espírito,
℣. Para o alto os corações.
℞. Já os temos para o Senhor,
℣. Demos graças ao Senhor, nosso Deus.
℞. É digno e justo.
.
Verdadeiramente é digno e justo, razoável e salutar, que, sempre e em todo o lugar, Vos demos graças, ó Senhor santo, Paí onipotente, eterno Deus, por Jesus Cristo, Nosso Senhor. É por Ele que os Anjos louvam a vossa Majestade, as Dominações a adoram, tremem as Potestades. Os Céus, as virtudes dos Céus, e os bem-aventurados Serafins a celebram com recíproca alegria. Às suas vozes, nós Vos rogamos, mandeis que se unam as nossas, quando em humilde confissão Vos dizemos: Santo, Santo, Santo…

Comunhão (Sl 50, 21) (Áudio)

Acceptábis sacrificium iustítiæ, oblatiónes et holocáusta, super altáre tuum, Dómine. Aceitai, Senhor, sobre o vosso altar o Sacrifício da justiça, as ofertas e os holocaustos.

Pós-comunhão

Quǽsumus, Dómine, Deus noster: ut, quos divínis reparáre non désinis sacraméntis, tuis non destítuas benígnus auxíliis. Per D.N. Nós Vos suplicamos, ó Senhor, nosso Deus, que por vossa bondade não priveis de vosso auxílio, aqueles aos quais não cessais de renovar com os divinos Sacramentos. Por N. S.

2ª Pós-comunhão (dos ss. mártires)

Sacramentórum tuórum, Dómine, commúnio sumpta nos salvet: et in tuæ veritátis luce confírmet. Per D.N. Salve-nos, Senhor, a Comunhão de vossos Sacramentos que recebemos e nos confirme na luz de vossa verdade. Por N. S.

Traduções e comentários extraídos do Missal Quotidiano de D. Beda (1962). Vida dos santos mártires extraída da versão de 1947.

Liturgia Diária- 11/08/2020

MISSA DA FÉRIA

4ª Classe- Missa do domingo, com comemoração dos Ss. Tibúrcio e Susana, Mártires

Deus resiste aos soberbos e dá a sua graça aos humildes, eis o tema desta Missa. Todos os textos deste formulário falam-nos da virtude fundamental da vida cristã: a humildade. O Evangelho, com a parábola do fariseu e do publicano, é uma bela ilustração desta virtude. Assim instruídos, façamos nossos os sentimentos de humilde confiança na bondade de Deus, expressos nos Cânticos e nas Orações, e voltaremos justificados para as nossas casas.


Páginas 635 a 638, 1225 a 1226 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Missa Rezada às 07:30 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


PRÓPRIO DO DIA

Introito (Sl 54, 17-18, 20 e 23 | ib., 2) (Áudio)

Dum clamárem ad Dóminum, exaudívit vocem meam, ab his, qui appropínquant mihi: et humiliávit eos, qui est ante sǽcula et manet in ætérnum: iacta cogitátum tuum in Dómino, et ipse te enútriet. Ps. Exáudi, Deus, oratiónem meam, et ne despéxeris deprecatiónem meam: inténde mihi et exáudi me. ℣. Glória Patri… Clamei ao Senhor, e Ele ouviu a minha voz e me livrou daqueles que me perseguem. E humilhou-os O que existe antes dos séculos, e subsistirá para sempre. Descansa no Senhor os teus cuidados, e Ele mesmo te nutrirá. Sl. Ouvi, ó Deus, a minha oração, e não desprezeis a minha súplica; atendei-me e escutai-me. ℣. Glória ao Pai…

Coleta

Deus, qui omnipoténtiam tuam parcéndo máxime et miserándo maniféstas: multíplica super nos misericórdiam tuam; ut, ad tua promíssa curréntes, cœléstium bonórum fácias esse consórtes. Per D.N. Ó Deus, que manifestais a vossa onipotência, antes de tudo, compadecendo-Vos e perdoando, aumentai para conosco a vossa misericórdia, e buscando as vossas promessas, fazei-nos participar dos bens celestes. Por N. S.

2ª Coleta (dos ss. mártires)

Sanctórum Martyrum tuórum Tiburtii et Susánnæ nos, Dómine, fóveant continuáta præsídia: quia non désinis propítius intuéri; quos tálibus auxíliis concésseris adiuvári. Per D.N. Senhor, a proteção de vossos santos Mártires, Tibúrcio e Susana, favoreça-nos sempre, pois Vós não deixais de atender, benigno, aos que concedeis o socorro de tal proteção. Por N. S.

Epístola (I Cor 12, 2-11)

Léctio Epístolæ beáti Pauli Apóstoli ad Corínthios.

 

Fratres: Scitis, quóniam, cum gentes essétis, ad simulácra muta prout ducebámini eúntes. Ideo notum vobisfacio, quod nemo in Spíritu Dei loquens, dicit anáthema Iesu. Et nemo potest dícere, Dóminus Iesus, nisi in Spíritu Sancto. Divisiónes vero gratiárum sunt, idem autem Spíritus. Et divisiónes ministratiónum sunt, idem autem Dóminus. Et divisiónes operatiónum sunt, idem vero Deus, qui operátur ómnia in ómnibus. Unicuíque autem datur manifestátio Spíritus ad utilitátem. Alii quidem per Spíritum datur sermo sapiéntiæ álii autem sermo sciéntiæ secúndum eúndem Spíritum: álteri fides in eódem Spíritu: álii grátia sanitátum in uno Spíritu: álii operátio virtútum, álii prophétia, álii discrétio spirítuum, álii génera linguárum, álii interpretátio sermónum. Hæc autem ómnia operátur unus atque idem Spíritus, dívidens síngulis, prout vult.

Leitura da Epístola de São Paulo Apóstolo aos Coríntios.

 

Irmãos: Sabeis, que, quando pagãos, vos deixastes conduzir, como o quiseram, aos ídolos mudos. Por isso vos faço saber que ninguém, falando pelo Espírito de Deus, profere maldições contra Jesus. E ninguém pode dizer-. Senhor Jesus, senão pelo Espírito Santo. Há realmente diversidade de graças, mas há um só Espírito. Há diversidade de ministérios, mas um mesmo é o Senhor. E há diversidade de operações mas um mesmo é o Deus, que tudo em todos opera. A cada um, porém, é dada a manifestação do Espírito para utilidade [comum]. Assim a um é concedida pelo Espírito a palavra da sabedoria, a outro, a palavra da ciência, pelo mesmo Espírito; a um terceiro, a fé pelo mesmo Espírito; a um, a graça de curar doenças no mesmo Espírito, a outro, o dom dos milagres; a este, o dom da profecia, àquele o discernimento dos espíritos; ainda a um, o dom das línguas, e a outro, a interpretação das palavras. Todas estas coisas, porém, opera o mesmo Espírito, que distribuí a cada um como quer.

Gradual (Sl 16, 8 e 2 | Sl 64, 2) (Vídeo) (Vídeo-aleluia)

Custódi me, Dómine, ut pupíllam óculi: sub umbra alárum tuárum prótege me. ℣. De vultu tuo iudícium meum pródeat: óculi tui vídeant æquitátem.

Allelúia, allelúia. ℣. Te decet hymnus, Deus, in Sion: et tibi reddétur votum in Jerúsalem. Allelúia.

Guardai-me, Senhor, como à pupila dos olhos; protegei-me à sombra de vossas asas. ℣. Venha de vossa face o meu julgamento; vejam os vossos olhos o que é justo.

Aleluia, aleluia. ℣. A Vós, ó Deus, convém louvar em Sião; e a Vós se pagará o voto em Jerusalém. Aleluia.

Evangelho (Lc 18, 9-14)

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Lucam.

In illo témpore: Dixit Iesus ad quosdam, qui in se confidébant tamquam iusti et aspernabántur céteros, parábolam istam: Duo hómines ascendérunt in templum, ut orárent: unus pharisǽus, et alter publicánus. Pharisǽus stans, hæc apud se orábat: Deus, grátias ago tibi, quia non sum sicut céteri hóminum: raptóres, iniústi, adúlteri: velut étiam hic publicánus. Ieiúno bis in sábbato: décimas do ómnium, quæ possídeo. Et publicánus a longe stans nolébat nec óculos ad cœlum leváre: sed percutiébat pectus suum, dicens: Deus, propítius esto mihi peccatóri.Dico vobis: descéndit hic iustificátus in domum suam ab illo: quia omnis qui se exáltat, humiliábitur: et qui se humíliat, exaltábitur. 

Sequência do Santo Evangelho segundo Lucas.

Naquele tempo, disse Jesus esta parábola a alguns que se tinham a si mesmos em conta de justos, e desprezavam os outros: Dois homens subiram ao templo para orar; um era fariseu, e o outro, publicano O fariseu, de pé, orava assim em seu íntimo: Graças Vos dou, ó Deus, porque não sou como os demais homens: como os ladrões, injustos, adúlteros, nem como este publicano. Jejuo duas vezes na semana; dou o dízimo de tudo quanto possuo. O publicano, porém, ficando de longe, nem ousava levantar os olhos ao céu, mas batia no peito, dizendo: Ó Deus, sede propício a mim pecador. Digo-vos que este voltou justificado para sua casa, e aquele, não; porque o que se eleva, será humilhado, e o que se humilha, será exaltado. 

Ofertório (Sl 24, 1-3) (Áudio)

Ad te, Dómine, levávi ánimam meam: Deus meus, in te confído, non erubéscam: neque irrídeant me inimíci mei: étenim univérsi, qui te exspéctant, non confundéntur. A Vós, Senhor, elevo a minha alma; meu Deus em Vós confio, não serei envergonhado. Não se riam de mim os meus adversários porque todos os que em Vós esperam, não serão confundidos.

Secreta

Tibi, Dómine, sacrifícia dicáta reddántur: quæ sic ad honórem nóminis tui deferénda tribuísti, ut eadem remédia fíeri nostra præstáres. Per D. N. A Vós, Senhor, sejam consagrados estes sacrifícios que nos concedestes oferecer em honra de vosso Nome, para que os mesmos se tornem remédio para as nossas almas. Por N. S.

2ª Secreta (dos ss. mártires)

Adésto, Dómine, précibus pópuli tui, adésto munéribus: ut, quæ sacris sunt obláta mystériis, tuórum tibi pláceant intercessióne Sanctórum. Per D. N. Atendei, Senhor, às súplicas de vosso povo e aceitai os seus dons, a fim de que as ofertas feitas nos santos Mistérios, Vos agradem pela intercessão de vossos Santos. Por N. S.

Prefácio (Comum)

℣. Dóminus vobíscum.
℞. Et cum spíritu tuo.
℣. Sursum corda.
℞. Habémus ad Dóminum.
℣. Grátias agámus Dómino Deo nostro.
℞. Dignum et iustum est.
.
Vere dignum et justum est, aequum et salutare, nos Tibi simper, et ubique gratias agere: Domine sancte, Pater omnipotens, aeterne Deus: per Christum Dominum nostrum. Per quem majestatem Tuam laudant Angeli, adorant Dominationes, tremunt Potestates, Coeli, Coelorumque Virtutes, ac beata Seraphim socia exultatione concelebrant. Cum quibus et nostras voces, ut admitti, jubeas, supplici confessione dicentes: Sanctus, Sanctus, Sanctus…
℣. O Senhor seja convosco.
℞. E com o vosso espírito,
℣. Para o alto os corações.
℞. Já os temos para o Senhor,
℣. Demos graças ao Senhor, nosso Deus.
℞. É digno e justo.
.
Verdadeiramente é digno e justo, razoável e salutar, que, sempre e em todo o lugar, Vos demos graças, ó Senhor santo, Paí onipotente, eterno Deus, por Jesus Cristo, Nosso Senhor. É por Ele que os Anjos louvam a vossa Majestade, as Dominações a adoram, tremem as Potestades. Os Céus, as virtudes dos Céus, e os bem-aventurados Serafins a celebram com recíproca alegria. Às suas vozes, nós Vos rogamos, mandeis que se unam as nossas, quando em humilde confissão Vos dizemos: Santo, Santo, Santo…

Comunhão (Sl 50, 21) (Áudio)

Acceptábis sacrificium iustítiæ, oblatiónes et holocáusta, super altáre tuum, Dómine. Aceitai, Senhor, sobre o vosso altar o Sacrifício da justiça, as ofertas e os holocaustos.

Pós-comunhão

Quǽsumus, Dómine, Deus noster: ut, quos divínis reparáre non désinis sacraméntis, tuis non destítuas benígnus auxíliis. Per D.N. Nós Vos suplicamos, ó Senhor, nosso Deus, que por vossa bondade não priveis de vosso auxílio, aqueles aos quais não cessais de renovar com os divinos Sacramentos. Por N. S.

2ª Pós-comunhão (dos ss. mártires)

Súmpsimus, Dómine, pignus redemptiónis ætérnæ: quod sit nobis, quǽsumus, interveniéntibus sanctis Martýribus tuis, vitæ præséntis auxílium páriter et futúræ. Per D.N. Recebemos, Senhor, o penhor da eterna Redenção e Vos suplicamos, que, pela intercessão de vossos santos Mártires, nos sirva de auxílio para a vida presente e futura. Por N. S.

Traduções e comentários extraídos do Missal Quotidiano de D. Beda (1962).

Liturgia Diária- X Domingo depois de Pentecostes

Domingo de 2ª Classe- Missa Própria

Deus resiste aos soberbos e dá a sua graça aos humildes, eis o tema desta Missa. Todos os textos deste formulário falam-nos da virtude fundamental da vida cristã: a humildade. O Evangelho, com a parábola do fariseu e do publicano, é uma bela ilustração desta virtude. Assim instruídos, façamos nossos os sentimentos de humilde confiança na bondade de Deus, expressos nos Cânticos e nas Orações, e voltaremos justificados para as nossas casas.


Páginas 635 a 638 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Missa Rezada às 07:30 horas e Missa Cantada às 09:30 horas, na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


PRÓPRIO DO DIA

Introito (Sl 54, 17-18, 20 e 23 | ib., 2) (Áudio)

Dum clamárem ad Dóminum, exaudívit vocem meam, ab his, qui appropínquant mihi: et humiliávit eos, qui est ante sǽcula et manet in ætérnum: iacta cogitátum tuum in Dómino, et ipse te enútriet. Ps. Exáudi, Deus, oratiónem meam, et ne despéxeris deprecatiónem meam: inténde mihi et exáudi me. ℣. Glória Patri… Clamei ao Senhor, e Ele ouviu a minha voz e me livrou daqueles que me perseguem. E humilhou-os O que existe antes dos séculos, e subsistirá para sempre. Descansa no Senhor os teus cuidados, e Ele mesmo te nutrirá. Sl. Ouvi, ó Deus, a minha oração, e não desprezeis a minha súplica; atendei-me e escutai-me. ℣. Glória ao Pai…

Coleta

Deus, qui omnipoténtiam tuam parcéndo máxime et miserándo maniféstas: multíplica super nos misericórdiam tuam; ut, ad tua promíssa curréntes, cœléstium bonórum fácias esse consórtes. Per D.N. Ó Deus, que manifestais a vossa onipotência, antes de tudo, compadecendo-Vos e perdoando, aumentai para conosco a vossa misericórdia, e buscando as vossas promessas, fazei-nos participar dos bens celestes. Por N. S.

Epístola (I Cor 12, 2-11)

Léctio Epístolæ beáti Pauli Apóstoli ad Corínthios.

 

Fratres: Scitis, quóniam, cum gentes essétis, ad simulácra muta prout ducebámini eúntes. Ideo notum vobisfacio, quod nemo in Spíritu Dei loquens, dicit anáthema Iesu. Et nemo potest dícere, Dóminus Iesus, nisi in Spíritu Sancto. Divisiónes vero gratiárum sunt, idem autem Spíritus. Et divisiónes ministratiónum sunt, idem autem Dóminus. Et divisiónes operatiónum sunt, idem vero Deus, qui operátur ómnia in ómnibus. Unicuíque autem datur manifestátio Spíritus ad utilitátem. Alii quidem per Spíritum datur sermo sapiéntiæ álii autem sermo sciéntiæ secúndum eúndem Spíritum: álteri fides in eódem Spíritu: álii grátia sanitátum in uno Spíritu: álii operátio virtútum, álii prophétia, álii discrétio spirítuum, álii génera linguárum, álii interpretátio sermónum. Hæc autem ómnia operátur unus atque idem Spíritus, dívidens síngulis, prout vult.

Leitura da Epístola de São Paulo Apóstolo aos Coríntios.

 

Irmãos: Sabeis, que, quando pagãos, vos deixastes conduzir, como o quiseram, aos ídolos mudos. Por isso vos faço saber que ninguém, falando pelo Espírito de Deus, profere maldições contra Jesus. E ninguém pode dizer-. Senhor Jesus, senão pelo Espírito Santo. Há realmente diversidade de graças, mas há um só Espírito. Há diversidade de ministérios, mas um mesmo é o Senhor. E há diversidade de operações mas um mesmo é o Deus, que tudo em todos opera. A cada um, porém, é dada a manifestação do Espírito para utilidade [comum]. Assim a um é concedida pelo Espírito a palavra da sabedoria, a outro, a palavra da ciência, pelo mesmo Espírito; a um terceiro, a fé pelo mesmo Espírito; a um, a graça de curar doenças no mesmo Espírito, a outro, o dom dos milagres; a este, o dom da profecia, àquele o discernimento dos espíritos; ainda a um, o dom das línguas, e a outro, a interpretação das palavras. Todas estas coisas, porém, opera o mesmo Espírito, que distribuí a cada um como quer.

Gradual (Sl 16, 8 e 2 | Sl 64, 2) (Vídeo) (Vídeo-aleluia)

Custódi me, Dómine, ut pupíllam óculi: sub umbra alárum tuárum prótege me. ℣. De vultu tuo iudícium meum pródeat: óculi tui vídeant æquitátem. 

 

Allelúia, allelúia. ℣. Te decet hymnus, Deus, in Sion: et tibi reddétur votum in Jerúsalem. Allelúia.

Guardai-me, Senhor, como à pupila dos olhos; protegei-me à sombra de vossas asas. ℣. Venha de vossa face o meu julgamento; vejam os vossos olhos o que é justo.

 

Aleluia, aleluia. ℣. A Vós, ó Deus, convém louvar em Sião; e a Vós se pagará o voto em Jerusalém. Aleluia.

Evangelho (Lc 18, 9-14)

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Lucam.

In illo témpore: Dixit Iesus ad quosdam, qui in se confidébant tamquam iusti et aspernabántur céteros, parábolam istam: Duo hómines ascendérunt in templum, ut orárent: unus pharisǽus, et alter publicánus. Pharisǽus stans, hæc apud se orábat: Deus, grátias ago tibi, quia non sum sicut céteri hóminum: raptóres, iniústi, adúlteri: velut étiam hic publicánus. Ieiúno bis in sábbato: décimas do ómnium, quæ possídeo. Et publicánus a longe stans nolébat nec óculos ad cœlum leváre: sed percutiébat pectus suum, dicens: Deus, propítius esto mihi peccatóri.Dico vobis: descéndit hic iustificátus in domum suam ab illo: quia omnis qui se exáltat, humiliábitur: et qui se humíliat, exaltábitur. — CREDO…

Sequência do Santo Evangelho segundo Lucas.

Naquele tempo, disse Jesus esta parábola a alguns que se tinham a si mesmos em conta de justos, e desprezavam os outros: Dois homens subiram ao templo para orar; um era fariseu, e o outro, publicano O fariseu, de pé, orava assim em seu íntimo: Graças Vos dou, ó Deus, porque não sou como os demais homens: como os ladrões, injustos, adúlteros, nem como este publicano. Jejuo duas vezes na semana; dou o dízimo de tudo quanto possuo. O publicano, porém, ficando de longe, nem ousava levantar os olhos ao céu, mas batia no peito, dizendo: Ó Deus, sede propício a mim pecador. Digo-vos que este voltou justificado para sua casa, e aquele, não; porque o que se eleva, será humilhado, e o que se humilha, será exaltado. — CREIO…

Ofertório (Sl 24, 1-3) (Áudio)

Ad te, Dómine, levávi ánimam meam: Deus meus, in te confído, non erubéscam: neque irrídeant me inimíci mei: étenim univérsi, qui te exspéctant, non confundéntur. A Vós, Senhor, elevo a minha alma; meu Deus em Vós confio, não serei envergonhado. Não se riam de mim os meus adversários porque todos os que em Vós esperam, não serão confundidos.

Secreta

Tibi, Dómine, sacrifícia dicáta reddántur: quæ sic ad honórem nóminis tui deferénda tribuísti, ut eadem remédia fíeri nostra præstáres. Per D. N. A Vós, Senhor, sejam consagrados estes sacrifícios que nos concedestes oferecer em honra de vosso Nome, para que os mesmos se tornem remédio para as nossas almas. Por N. S.

Prefácio (da Santíssima Trindade)

℣. Dóminus vobíscum.
℞. Et cum spíritu tuo.
℣. Sursum corda.
℞. Habémus ad Dóminum.
℣. Grátias agámus Dómino Deo nostro.
℞. Dignum et iustum est.
.
Vere dignum et justum est, aequum et salutare, nos tibi semper, et ubique gratias agere: Domine sancte, Pater omnipotens, aeterne Deus. Qui cum unigenito Filio: tuo et Spiritu Sancto, unus es Deus, unus es Dominus: non in unnius singularitate personae, sed in unius Trinitae substantiae. Quod enim de tua Gloria, revelante te, credimus, hoc de Filio tuo, hoc de Spiritu Sancto, sine differentia discretionis sentimus. Ut in confessione verae, sempiternaeque Deitatis, et in personis proprietas, et in essentia unitas, et in majestate adoretur aequalitas. Quam laudant Angeli atque Archangeli, Cherubim, quoque ac Seraphim: qui non cessant clamare quotidie, una voce dicentes: Sanctus, Sanctus, Sanctus…
℣. O Senhor seja convosco.
℞. E com o vosso espírito,
℣. Para o alto os corações.
℞. Já os temos para o Senhor,
℣. Demos graças ao Senhor, nosso Deus.
℞. É digno e justo.
.
É verdadeiramente digno, justo, racional e salutar, que sempre e em toda a parte Vos rendamos graças, Senhor Santo, Pai onipotente e Deus eterno; Que sois, com o Vosso Filho Unigênito e com o Espírito Santo, um só Deus e um só Senhor, não na singularidade duma só pessoa, mas na Trindade duma só substância. Porque tudo aquilo que nos revelastes e cremos da Vossa glória, isso mesmo sentimos, sem diferença nem distinção, do Vosso Filho e do Espírito Santo, de maneira que, confessando a verdadeira e eterna Divindade, adoramos a propriedade nas Pessoas, a unidade na Essência e a igualdade na Majestade, a qual louvam os Anjos e os Arcanjos, os Querubins e os Serafins, que não cessam de cantar dizendo a uma só voz: Santo, Santo, Santo…

Comunhão (Sl 50, 21) (Áudio)

Acceptábis sacrificium iustítiæ, oblatiónes et holocáusta, super altáre tuum, Dómine. Aceitai, Senhor, sobre o vosso altar o Sacrifício da justiça, as ofertas e os holocaustos.

Pós-comunhão

Quǽsumus, Dómine, Deus noster: ut, quos divínis reparáre non désinis sacraméntis, tuis non destítuas benígnus auxíliis. Per D.N. Nós Vos suplicamos, ó Senhor, nosso Deus, que por vossa bondade não priveis de vosso auxílio, aqueles aos quais não cessais de renovar com os divinos Sacramentos. Por N. S.

Traduções e comentários extraídos do Missal Quotidiano de D. Beda (1962).

Liturgia Diária- 23/03/2020

SEGUNDA-FEIRA DA 4ª SEMANA DA QUARESMA

Féria de 3ª Classe – Missa própria – Estação em SS. Quatro-Coroados

A Epístola falou-nos ontem de duas mulheres, representando uma a sinagoga e outra a Igreja. Da mesma forma se refere hoje a duas mulheres que se apresentam a Salomão. Uma, a mãe degenerada que permitiria matar a criança, é figura da sinagoga. A outra, mãe verdadeira, a Igreja, lhe quer conservar a vida. Jesus Cristo como Salomão, entrega “o filho” (a alma humana) à verdadeira mãe.


Páginas 264 a 268 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Liturgia Diária- X Domingo depois de Pentecostes

Domingo de 2ª Classe- Missa Própria

Deus resiste aos soberbos e dá a sua graça aos humildes, eis o tema desta Missa. Todos os textos deste formulário falam-nos da virtude fundamental da vida cristã: a humildade. O Evangelho, com a parábola do fariseu e do publicano, é uma bela ilustração desta virtude. Assim instruídos, façamos nossos os sentimentos de humilde confiança na bondade de Deus, expressos nos Cânticos e nas Orações, e voltaremos justificados para as nossas casas.


Páginas 635 a 638 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Missa Rezada às 09:30 horas na Matriz da Paróquia Bom Jesus e Missa Cantada às 15:30 horas na Catedral Diocesana.


Liturgia Diária- 03/04/2019

QUARTA-FEIRA DA 4ª SEMANA DA QUARESMA

Féria de 3ª Classe – Missa própria – Estação em S. Paulo

O dia de hoje era de grande importância para os catecúmenos. Reuniam-se junto à sepultura do grande Catequista e Doutor das gentes, S. Paulo, que, em sua conversão, foi milagrosamente curado da cegueira. Os Catecúmenos eram submetidos a novo’escrutínio e realizava-se a cerimônia da abertura dos ouvidos. (O Sacerdote tocava os ouvidos dos catecúmenos, dizendo: “Ephpheta”, isto é, abre-te, como ainda hoje diz, ao administrar o Batismo.) Em seguida, recebiam o Padre nosso, o Credo e o início dos quatro Evangelhos.

No Introito, Deus promete aos catecúmenos o Batismo e todos os outros textos a eles se referem. No fim do Evangelho nós nos ajoelhamos, seguindo o exemplo do curado, pois ele fala em nome de todos os que já receberam as águas do Batismo.


Páginas 273 a 279 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Missa às 19 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- 01/04/2019

SEGUNDA-FEIRA DA 4ª SEMANA DA QUARESMA

Féria de 3ª Classe – Missa própria – Estação em SS. Quatro-Coroados

A Epístola falou-nos ontem de duas mulheres, representando uma a sinagoga e outra a Igreja. Da mesma forma se refere hoje a duas mulheres que se apresentam a Salomão. Uma, a mãe degenerada que permitiria matar a criança, é figura da sinagoga. A outra, mãe verdadeira, a Igreja, lhe quer conservar a vida. Jesus Cristo como Salomão, entrega “o filho” (a alma humana) à verdadeira mãe.


Páginas 264 a 268 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Missa às 18 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Próximas Missas: clique aqui e confira.


Liturgia Diária- 03/08/2018

MISSA DA FÉRIA

Féria de 4ª Classe- Missa própria do Domingo

Os dons que recebemos de Deus não procedem de nós, mas do Espírito Santo e devem pôr-se ao serviço da Igreja e de nossos irmãos, com espírito de humildade. 

A parábola do fariseu e do publicano sublinha, de maneira simples, que não temos nada por que nos vangloriar. Há duas classes de homens, dizia Pascal: os santos, que se julgam culpáveis de todas as faltas, e os pecadores, que nunca se sentem culpados. Os primeiros são humildes; Deus os elevará, glorificando-os. Os segundos, orgulhosos; Deus os rebaixará, castigando-os. Com mais profundeza ainda, Santo Irineu define o homem como “receptáculo dos dons divinos”. Deus não se contenta com chamar à pratica dos mandamentos. Infunde o seu Espírito, que transforma as almas e lhes inspira sentimentos cristãos. 


Páginas 635 a 638 do Missal Quotidiano.


Missa às 18:30 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes (com Comemoração de Santo Afonso de Ligório e São Domingos).


Liturgia Diária- X Domingo depois de Pentecostes

Domingo de 2ª Classe- Missa Própria

Os dons que recebemos de Deus não procedem de nós, mas do Espírito Santo e devem pôr-se ao serviço da Igreja e de nossos irmãos, com espírito de humildade. 

A parábola do fariseu e do publicano sublinha, de maneira simples, que não temos nada por que nos vangloriar. Há duas classes de homens, dizia Pascal: os santos, que se julgam culpáveis de todas as faltas, e os pecadores, que nunca se sentem culpados. Os primeiros são humildes; Deus os elevará, glorificando-os. Os segundos, orgulhosos; Deus os rebaixará, castigando-os. Com mais profundeza ainda, Santo Irineu define o homem como “receptáculo dos dons divinos”. Deus não se contenta com chamar à pratica dos mandamentos. Infunde o seu Espírito, que transforma as almas e lhes inspira sentimentos cristãos. 


Páginas 635 a 638 do Missal Quotidiano.


Missa Rezada às 9:30 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes e Missa Cantada às 15:30 horas na Catedral Diocesana.


Liturgia Diária- IX Domingo depois de Pentecostes

Domingo de 2ª Classe- Missa Própria

A epístola evoca as terríveis provações que, outrora, no deserto a infidelidade de muitos israelitas atraíra sobre todo o povo. É a recordação duma premente verdade: a vocação divina é um privilégio, mas não basta para nos salvar. Torna, apenas, mais sagrados os nossos deveres de fidelidade. São paulo convida-nos a meditar neste ensinamento, que se depreende da história dos nossos antepassados. 

É a mesma lição do evangelho. Por rejeitar a mensagem de paz, que Jesus lhe dirigia, Jerusalém será completamente destruída, menos de quarenta anos após a morte do Salvador. A história do povo eleito continua-se conosco. Propaga-se a mensagem de Cristo. Ao lado daqueles que a acolhem, muitos, para perdição sua, recusam ouvi-la; e, mesmo entre aqueles que inicialmente a acolheram, a necessária prova de fidelidade fará ainda muitas destruições. Mas Deus, esse é fiel: quer a nossa salvação final e socorre-nos, no próprio momento, em que nos prova. 


Páginas 631 a 634 do Missal Quotidiano.


Missa Rezada às 9:30 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes e Missa Cantada às 18:30 horas na Catedral Diocesana.


Liturgia Diária- 02/02/2018

PURIFICAÇÃO DE MARIA SANTÍSSIMA

Festa de 2ª Classe- Missa Própria

A festa de hoje pretende simultaneamente celebrar a Apresentação no Templo e a Purificação da Senhora, 40 dias após o nascimento do Salvador. Enquadra-se, pois, por esta razão, no ciclo do Natal. A procissão das Candeias, que é hoje a procissão das velas, representa simbolicamente a aparição de Cristo, que é a luz do mundo, e o acolhimento que no Templo lhe fez o velho Simeão, declarando-o enviado de Deus, luz para esclarecer os povos e glória de Israel. O Templo que era centro da piedade judaica, ao receber Jesus dentro de seus muros, parece se deverá ter alargado as dimensões do universo. A subida de Jesus ao Templo é pois o tema principal da festa de hoje; mas o pensamento de Maria não se pode encontrar ausente de nenhuma das suas partes. É esta também uma das festas marianas mais antigas, senão até, a primeira de todas. Celebrou-se em Jerusalém, já no século IV, passou depois a Constantinopla e atingiu Roma, onde, no século VII, se encontra associada, no dia 2 de fevereiro, a uma procissão que parece anterior à festividade da Virgem.


Páginas 963 a 972 do Missal Quotidiano.


Missa às 18:30 na Capela São Judas Tadeu, com Benção das Velas e Procissão.


LEITURAS

Epístola (Ml 3, 1-4)


A vinda do Senhor ao seu Templo inaugura a obra da purificação e santificação que os profetas anunciaram.


Leitura do profeta Malaquias.

Eis o que diz o Senhor Deus: Vou mandar o meu mensageiro para preparar o meu caminho. E imediatamente virá ao seu templo o Senhor que buscais, o anjo da aliança que desejais. Ei-lo que vem – diz o Senhor dos exércitos. Quem estará seguro no dia de sua vinda? Quem poderá resistir quando ele aparecer? Porque ele é como o fogo do fundidor, como a lixívia dos lavadeiros. Sentar-se-á para fundir e purificar a prata; purificará os filhos de Levi e os refinará, como se refinam o ouro e a prata; então eles serão para o Senhor aqueles que apresentarão as ofertas como convêm. E a oblação de Judá e de Jerusalém será agradável ao Senhor, como nos dias antigos, como nos anos de outrora.

Evangelho (Lc 2, 22-32)


No menino que é levado ao Templo, o velho Simeão, incarnando a ansiedade de Israel, saúda o Messias Salvador do mundo, ao mesmo tempo luz das nações e glória do seu povo.


Sequência do Santo Evangelho segundo São Lucas.

Naquele tempo: Concluídos os dias da sua purificação segundo a Lei de Moisés, levaram-no a Jerusalém para o apresentar ao Senhor, conforme o que está escrito na lei do Senhor: Todo primogênito do sexo masculino será consagrado ao Senhor (Ex 13,2);
e para oferecerem o sacrifício prescrito pela lei do Senhor, um par de rolas ou dois pombinhos. Ora, havia em Jerusalém um homem chamado Simeão. Este homem, justo e piedoso, esperava a consolação de Israel, e o Espírito Santo estava nele. Fora-lhe revelado pelo Espírito Santo que não morreria sem primeiro ver o Cristo do Senhor. Impelido pelo Espírito Santo, foi ao templo. E tendo os pais apresentado o menino Jesus, para cumprirem a respeito dele os preceitos da lei, tomou-o em seus braços e louvou a Deus nestes termos: Agora, Senhor, deixai o vosso servo ir em paz, segundo a vossa palavra. Porque os meus olhos viram a vossa salvação que preparastes diante de todos os povos, como luz para iluminar as nações, e para a glória de vosso povo de Israel.