Liturgia Diária- Festa de Nossa Senhora do Carmo

PADROEIRA DE UBERLÂNDIA E DA IRMANDADE

A festa de hoje tem por fim agradecer a Nossa Senhora as extraordinárias graças que ela concedeu à Ordem do Carmelo e a todos os que, usando o escapulário, se confessam dedicados servos de Nossa Senhora. A festa foi prescrita para toda a Igreja em 1726 por Bento XIII.

OBS.: Festa de 1ª Classe para os uberlandenses e demais localidades em que é padroeira. Em razão da classe, não se faz abstinência. Nas demais localidades, a missa é de 3ª Classe, com abstinência obrigatória.


Páginas 1168 a 1170 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Liturgia Diária- Visitação de Nossa Senhora

Festa de 2ª Classe- Missa própria, com comemoração dos SS. Processo e Martiniano, Mártires

A Igreja recorda hoje a visita que Nossa Senhora fez à sua prima Santa Isabel e os acontecimentos que se deram nessa ocasião (Evangelho). No Introito saudamos Maria como Mãe do Rei dos céus e da terra. A Leitura, tirada do livro da Sabedoria, nos descreve em imagem poética o terno amor que uniu a Mãe ao Filho. Gradual e Ofertório cantam a maternidade virginal da excelsa Mãe de Deus. A Comunhão nos faz participar da grandeza de Nossa Senhora, unindo-se a nós o Verbo Divino.


Páginas 1149 a 1153 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Liturgia Diária- Natividade de S. João Batista

Festa de 1ª Classe- Missa própria

É o próprio Salvador quem chama S. João, o maior dentre os que nasceram de mulher. Grande ele é pelos milagres e fatos extraordinários que acompanham o seu nascimento. Grande por sua vocação de Precursor do Salvador do mundo. Grande ainda por sua vida e seu martírio glorioso.

Pela boca do Profeta Isaías, S. João anuncia a sua vocação sublime (Introito e Epístola). Seu nascimento foi motivo de grande regozijo no seio da família e por isso também toda a família cristã pede esta alegria espiritual (Oração). O Evangelho nos conta os acontecimentos bíblicos. Alegremo-nos na festa de hoje, pois aquele que neste dia nasceu — seis meses antes do Salvador — nos prepara para o nosso próprio renascimento, em Jesus Cristo para uma vida nova (Postcommunio).


Páginas 1126 a 1129 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Liturgia Diária- Vigília de S. João Batista

2ª Classe- Missa própria

Ouvimos na Missa de hoje a narração dos acontecimentos que se deram antes do nascimento de S. João. Por causa das graças especiais que recebeu, celebra a Igreja o nascimento deste Santo, assim como o faz com o de Nossa Senhora.


Páginas 1122 a 1125 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Liturgia Diária- 31/05/2021

NOSSA SENHORA RAINHA

2ª Classe- Missa própria com comemoração de Santa Petronila, Virgem (somente nas missas rezadas)

Ao se encerrar o ano mariano de 1954, o Santo Padre Pio XII instituiu esta festa para consagrar o mundo à proteção de nossa celestre e poderosa Rainha.


Páginas 1083 a 1086 do Missal Quotidiano. 


Liturgia Diária- 11/02/2021

APARIÇÃO DA B.V. MARIA IMACULADA EM LOURDES

Festa de 3ª Classe- Missa Própria

Celebra-se esta solenidade para comemorar a primeira aparição de Nossa Senhora a Bernadette Soubirous, em Lourdes. Nessa ocasião nasceu uma fonte milagrosa que atraiu inúmeros doentes, espalhando-se a sua fama no mundo inteiro. Como na aparição, N. Senhora se denominasse “a Imaculada” são estes dois pensamentos expressos repetidamente, na santa Missa.


Páginas 981 a 984 do Missal Quotidiano.


Instrução sobre a Festa de hoje: clique aqui e confira


Liturgia Diária- 19/01/2021

MISSA DA FÉRIA

4ª Classe- Missa do domingo, com comemoração dos Ss. Mário, Marta, Audíface e Abacum, Mártires e de S. Canuto

Jesus Cristo é o Rei da criação, e por isso, toda a terra O deve adorar e louvar como a seu Redentor (Introito, Gradual). Por seu nascimento tornou-se nosso Irmão e por sua morte recebeu-nos em herança. Pela Eucaristia continua a comunicar-nos os frutos de seu nascimento, de sua vida e de sua morte. Vemo-Lo hoje, nas bodas de Caná (Evangelho), realizando seu primeiro milagre: a conversão da água em vinho. Aqui converte o vinho em seu Preciosíssimo Sangue, a fim de, por meio deste milagre, repetido através dos séculos, comunicar aos homens a sua divindade. É justo, pois, que digamos no Ofertório: “Vede quanto bem Deus fez à minha alma”.

Sobre os santos mártires: Mário, nobre persa, sua esposa e seus filhos, visitando os Cristãos presos no cárcere de Roma, foram detidos e martirizados. S. Canuto foi Rei da Dinamarca.


Páginas 99 a 103 e 934 a 937 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963).


Missa às 19 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- 18/01/2021

MISSA DA FÉRIA

4ª Classe- Missa do domingo, com comemoração de S. Prisca (ou Priscila), Virgem e Mártir

Jesus Cristo é o Rei da criação, e por isso, toda a terra O deve adorar e louvar como a seu Redentor (Introito, Gradual). Por seu nascimento tornou-se nosso Irmão e por sua morte recebeu-nos em herança. Pela Eucaristia continua a comunicar-nos os frutos de seu nascimento, de sua vida e de sua morte. Vemo-Lo hoje, nas bodas de Caná (Evangelho), realizando seu primeiro milagre: a conversão da água em vinho. Aqui converte o vinho em seu Preciosíssimo Sangue, a fim de, por meio deste milagre, repetido através dos séculos, comunicar aos homens a sua divindade. É justo, pois, que digamos no Ofertório: “Vede quanto bem Deus fez à minha alma”.


Páginas 99 a 103 e 933 a 934 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963).


Missa às 19 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- II Domingo depois da Epifania

Domingo de 2ª Classe- Missa Própria

Jesus Cristo é o Rei da criação, e por isso, toda a terra O deve adorar e louvar como a seu Redentor (Introito, Gradual). Por seu nascimento tornou-se nosso Irmão e por sua morte recebeu-nos em herança. Pela Eucaristia continua a comunicar-nos os frutos de seu nascimento, de sua vida e de sua morte. Vemo-Lo hoje, nas bodas de Caná (Evangelho), realizando seu primeiro milagre: a conversão da água em vinho. Aqui converte o vinho em seu Preciosíssimo Sangue, a fim de, por meio deste milagre, repetido através dos séculos, comunicar aos homens a sua divindade. É justo, pois, que digamos no Ofertório: “Vede quanto bem Deus fez à minha alma”.


Páginas 99 a 103 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963).


Missa Rezada às 07:30 horas  e Missa Cantada às 09:30 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária-Festa da Sagrada Família

Festa de 2ª Classe- Missa Própria

Com a Igreja fazemos hoje uma visita à casa de Nazaré. A Sagrada Família é um exemplo para a família cristã. Sigam os filhos o exemplo de Jesus, que era submisso a seus pais. O pai imite a S. José e a mãe veja em Maria Santíssima um modelo de esposa e mãe cujas virtudes encontramos na Epístola e no Evangelho. Para a execução de nossos propósitos, imploramos nas Orações as graças do Alto, e assim, também em nossas casas reinará a paz de Jesus Cristo.


Páginas 88 a 92 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963).


Missa Rezada às 07:30 horas  e Missa Cantada às 09:30 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- 08/01/2021

MISSA DA FÉRIA

4ª Classe- Missa da Epifania (com Glória, sem Credo)

DIA DE ABSTINÊNCIA

Epifania, como dizem os gregos, ou aparição, é a segunda solenidade no ciclo de Natal. Jubilosos celebramos com a santa Igreja a entrada solene do Cristo-Rei no mundo, na humanidade, na alma de cada um de nós. Aquele que nascera no silêncio da santa noite de Natal, manifesta-se agora aos olhos do mundo. O Rei da eterna glória entra em sua cidade, a nova Jerusalém, a santa Igreja. 

Os Ofícios litúrgicos, especialmente o da madrugada, Laudes, falam de uma tríplice manifestação de Jesus. Diz a Antífona: “Hoje o Esposo celestial se uniu à Igreja, porque o Cristo lavou no Jordão os crimes de sua Esposa”. No batismo de Jesus, o Pai Eterno deu testemunho a seu Filho: “Este é o meu Filho, a Ele deveis ouvir”. — “Os Magos se apressam para as núpcias do Rei, com as suas dádivas” (Evangelho). Com os Magos, somos também nós convidados a apresentar no Ofertório a nossa dádiva: o dom de nós mesmos. E finalmente conclui a Antífona: “E a água se transforma em vinho e os convidados se alegram. Aleluia”. Nas bodas de Caná manifestou-se pela vez primeira o poder divino-real de Jesus Cristo. Assim como os convidados se alegram, nós nos alegramos pela transubstanciação do pão e do vinho no Corpo e no Sangue do Salvador que nos é proposto no banquete nupcial da Eucaristia.

A basílica de São Pedro foi escolhido para a celebração da Missa, neste dia, porque a Epifania desde o tempo mais remotos, é uma das maiores solenidades.

Oferecemo-nos com o Cristo (Secreta) e recebemos o Cristo (Pós-Comunhão). A vida interior do Cristão é uma reprodução da vida do Cristo. O fim da Igreja, celebrando o Ano eclesiástico, é este: assim como Jesus se manifestou aos Magos, pedimos que se manifeste a cada Cristão pela luz da fé.


Páginas 83 a 87 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963).


Missa às 19 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- 07/01/2021

MISSA DA FÉRIA

4ª Classe- Missa da Epifania (com Glória, sem Credo)

Epifania, como dizem os gregos, ou aparição, é a segunda solenidade no ciclo de Natal. Jubilosos celebramos com a santa Igreja a entrada solene do Cristo-Rei no mundo, na humanidade, na alma de cada um de nós. Aquele que nascera no silêncio da santa noite de Natal, manifesta-se agora aos olhos do mundo. O Rei da eterna glória entra em sua cidade, a nova Jerusalém, a santa Igreja. 

Os Ofícios litúrgicos, especialmente o da madrugada, Laudes, falam de uma tríplice manifestação de Jesus. Diz a Antífona: “Hoje o Esposo celestial se uniu à Igreja, porque o Cristo lavou no Jordão os crimes de sua Esposa”. No batismo de Jesus, o Pai Eterno deu testemunho a seu Filho: “Este é o meu Filho, a Ele deveis ouvir”. — “Os Magos se apressam para as núpcias do Rei, com as suas dádivas” (Evangelho). Com os Magos, somos também nós convidados a apresentar no Ofertório a nossa dádiva: o dom de nós mesmos. E finalmente conclui a Antífona: “E a água se transforma em vinho e os convidados se alegram. Aleluia”. Nas bodas de Caná manifestou-se pela vez primeira o poder divino-real de Jesus Cristo. Assim como os convidados se alegram, nós nos alegramos pela transubstanciação do pão e do vinho no Corpo e no Sangue do Salvador que nos é proposto no banquete nupcial da Eucaristia.

A basílica de São Pedro foi escolhido para a celebração da Missa, neste dia, porque a Epifania desde o tempo mais remotos, é uma das maiores solenidades.

Oferecemo-nos com o Cristo (Secreta) e recebemos o Cristo (Pós-Comunhão). A vida interior do Cristão é uma reprodução da vida do Cristo. O fim da Igreja, celebrando o Ano eclesiástico, é este: assim como Jesus se manifestou aos Magos, pedimos que se manifeste a cada Cristão pela luz da fé.


Páginas 83 a 87 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963).


Missa às 19 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- Epifania do Senhor

Festa de 1ª Classe- Missa Própria – Estação em São Pedro

DIA DE PRECEITO

Epifania, como dizem os gregos, ou aparição, é a segunda solenidade no ciclo de Natal. Jubilosos celebramos com a santa Igreja a entrada solene do Cristo-Rei no mundo, na humanidade, na alma de cada um de nós. Aquele que nascera no silêncio da santa noite de Natal, manifesta-se agora aos olhos do mundo. O Rei da eterna glória entra em sua cidade, a nova Jerusalém, a santa Igreja. 

Os Ofícios litúrgicos, especialmente o da madrugada, Laudes, falam de uma tríplice manifestação de Jesus. Diz a Antífona: “Hoje o Esposo celestial se uniu à Igreja, porque o Cristo lavou no Jordão os crimes de sua Esposa”. No batismo de Jesus, o Pai Eterno deu testemunho a seu Filho: “Este é o meu Filho, a Ele deveis ouvir”. — “Os Magos se apressam para as núpcias do Rei, com as suas dádivas” (Evangelho). Com os Magos, somos também nós convidados a apresentar no Ofertório a nossa dádiva: o dom de nós mesmos. E finalmente conclui a Antífona: “E a água se transforma em vinho e os convidados se alegram. Aleluia”. Nas bodas de Caná manifestou-se pela vez primeira o poder divino-real de Jesus Cristo. Assim como os convidados se alegram, nós nos alegramos pela transubstanciação do pão e do vinho no Corpo e no Sangue do Salvador que nos é proposto no banquete nupcial da Eucaristia.

A basílica de São Pedro foi escolhido para a celebração da Missa, neste dia, porque a Epifania desde o tempo mais remotos, é uma das maiores solenidades.

Oferecemo-nos com o Cristo (Secreta) e recebemos o Cristo (Pós-Comunhão). A vida interior do Cristão é uma reprodução da vida do Cristo. O fim da Igreja, celebrando o Ano eclesiástico, é este: assim como Jesus se manifestou aos Magos, pedimos que se manifeste a cada Cristão pela luz da fé.


Páginas 83 a 87 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963).


Missa Cantada às 19 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- 05/01/2021

MISSA DA FÉRIA

4ª Classe – Missa do dia 01/01, com Glória, sem Credo

O Menino-Deus derrama as primeiras gotas de Sangue, e recebe o nome de Jesus, que indica a sua missão de Salvador. Assim, neste dia, a Cruz saúda o berço do Recém-nascido. Intimamente unida a seu Filho, é Maria Santíssima objeto de particular devoção por parte do povo católico. Por isso dela nos lembramos hoje nas Orações e na “estação”.

A festa é a da Circuncisão celebrada desde o século VI Moisés impunha este rito de purificação a todos os varões israelitas no oitavo dia depois do nascimento. Era uma figura do batismo pelo qual o homem havia de ser espiritualmente circuncidado pela extirpação dos vícios, e julgado digno do olhar do Senhor (Santo Ambrósio).


Páginas 76 a 78 do Missal Quotidiano.


Missa às 19 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes. 


Liturgia Diária- 04/01/2021

MISSA DA FÉRIA

4ª Classe – Missa do dia 01/01, com Glória, sem Credo

O Menino-Deus derrama as primeiras gotas de Sangue, e recebe o nome de Jesus, que indica a sua missão de Salvador. Assim, neste dia, a Cruz saúda o berço do Recém-nascido. Intimamente unida a seu Filho, é Maria Santíssima objeto de particular devoção por parte do povo católico. Por isso dela nos lembramos hoje nas Orações e na “estação”.

A festa é a da Circuncisão celebrada desde o século VI Moisés impunha este rito de purificação a todos os varões israelitas no oitavo dia depois do nascimento. Era uma figura do batismo pelo qual o homem havia de ser espiritualmente circuncidado pela extirpação dos vícios, e julgado digno do olhar do Senhor (Santo Ambrósio).


Páginas 76 a 78 do Missal Quotidiano.


Missa às 19 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes. 


Liturgia Diária- 01/01/2021

CIRCUNCISÃO DE JESUS

Festa de 1ª Classe- Missa Própria – OITAVA DO NATALEstação em Santa Maria além-Tibre

DIA DE PRECEITO

O Menino-Deus derrama as primeiras gotas de Sangue, e recebe o nome de Jesus, que indica a sua missão de Salvador. Assim, neste dia, a Cruz saúda o berço do Recém-nascido. Intimamente unida a seu Filho, é Maria Santíssima objeto de particular devoção por parte do povo católico. Por isso dela nos lembramos hoje nas Orações e na “estação”.

A festa é a da Circuncisão celebrada desde o século VI Moisés impunha este rito de purificação a todos os varões israelitas no oitavo dia depois do nascimento. Era uma figura do batismo pelo qual o homem havia de ser espiritualmente circuncidado pela extirpação dos vícios, e julgado digno do olhar do Senhor (Santo Ambrósio).

A Igreja, tendo o seu começo de ano no I Domingo do Advento, não faz menção do ano civil.

OBS.: Neste dia, concede a Igreja INDULGÊNCIA PLENÁRIA a todos aqueles que recitarem/cantarem em oratórios, capelas ou igrejas, de forma pública, o cântico Veni Creator (p. 1574 a 1575, do Missal Quotidiano). Recebem indulgência parcial, aqueles que o recitam devotamente, sem as condições acima. (Enchiridion Indulgentiarum (3ª ed., maio de 1986), Item “61”)

OBS.2: Por ser festa de 1ª classe, não se faz abstinência.


Páginas 76 a 78 do Missal Quotidiano.


Missa às 07:30 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes. Após, canto do “Veni Creator”


Liturgia Diária- 31/12/2020

VII DIA DA OITAVA DE NATAL

2ª Classe- Missa da Oitava do Natal (“Puer Natus”), com comemoração de S. Silvestre, I, Papa e Confessor

Sob o pontificado deste Papa, de 314 a 355, acabou a era das perseguições e começou a Igreja a gozar de liberdade.

OBS: Neste dia, concede a Igreja INDULGÊNCIA PLENÁRIA a todos aqueles que recitarem/cantarem em oratórios, capelas ou igrejas, de forma pública, o cântico Te Deum (p. 1589 a 1591, do Missal Quotidiano). Recebem indulgência parcial, aqueles que o recitam em ação de graças. (Enchiridion Indulgentiarum (3ª ed., maio de 1986), Item “60”)


Páginas 72 a 74, 812 a 816 do Missal Quotidiano.


Missa às 07:30 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- 30/12/2020

VI DIA DA OITAVA DE NATAL

2ª Classe- Missa da Oitava do Natal (“Puer Natus”)


Páginas 72 a 74 do Missal Quotidiano.


Missa às 07:30 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- 29/12/2020

V DIA DA OITAVA DE NATAL

2ª Classe- Missa da Oitava do Natal (“Puer Natus”), com comemoração de S. Tomás Becket, Bispo e Mártir

Sobre o santo mártir: Arcebispo de Cantuária e chanceler de Henrique II Corajoso defensor da liberdade da Igreja, morreu assassinado em 1170.


Páginas 72 a 75 do Missal Quotidiano.


Missa às 07:30 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- Domingo dentro da Oitava do Natal

Domingo de 2ª Classe- Missa Própria

“Quando tudo repousava em profundo silêncio”, na santa noite de Natal, apareceu o Cristo-Rei, sob a forma de uma Criancinha (Introito). Pedimos que Ele nos submeta a seu poder, fazendo-nos praticar as boas obras (Oração) depois de nos ter libertado da escravidão e de nos ter elevado à dignidade de filhos de Deus (Epístola). Sejam nossos exemplos de vida cristã: S. José, Nossa Senhora, Simeão e Ana (Evangelho). Ainda tão próximos do presépio, quedamos, no entanto, surpresos. O mesmo Evangelho nos deixa entrever a Redenção pela Paixão. A Criancinha será o Homem das dores, a Virgem-Mãe, a Mater dolorosa. O altar, neste dia, é para nós presépio e cruz ao mesmo tempo. Conforta-nos, entretanto, o pensamento de que na Comunhão podemos “tomar o Menino” com a sua Mãe e com eles caminhar para a vida eterna.


Páginas 57 a 60 do Missal Quotidiano.


Missa Rezada as 07:30 horas e Missa Cantada às 09:30 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- Natal do Senhor – Missa do Dia

Festa de 1ª Classe- Missa Própria – Estação em Santa Maria Maior

Esta terceira Missa, a principal da festa, foi celebrada, outrora, em S. Pedro. Mais tarde, porém, por causa da grande distância de Sta. Maria Maior, onde o Papa celebrava, à meia noite, foi também esta Missa celebrada na mesma basílica, porém não na cripta, e sim no altar principal. Nossa Senhora é venerada junto do presépio de seu Divino Filho. 

A gruta de Belém transformou-se em Igreja universal. A adoração da Santa Família e dos Pastores, na intimidade, ampliou-se em uma oração da Igreja mundial ao Pequenino, sobre cujo ombro foi posto o principado e que será chamado o Anjo do grande conselho. Na Oração pede-se o exercício deste principado na libertação do cativeiro. Na Epístola e no Evangelho, S. Paulo e S. João revelam o segredo do Anjo do grande conselho, a Majestade infinita e misteriosa do Verbo que se fez carne. Reconhecendo a Deus, no Ofertório, como Senhor do céu e da terra, nós nos oferecemos ao nosso Rei. Na Comunhão gozamos dos frutos da Redenção, que se estendem até os limites da terra e dos séculos.


Páginas 52 a 56 do Missal Quotidiano.


Missa às 09:30 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- Natal do Senhor – Missa da Aurora

Festa de 1ª Classe- Missa Própria – Estação em Santa Anastásia

Nos primeiros tempos da era cristã, celebrava-se também, neste dia, em Roma, a festa de Sta. Anastácia, martirizada no princípio do IV século, e muito venerada, tanto no Oriente como em Roma. Quando, mais tarde, a festa de Natal foi celebrada com maior solenidade, conservou-se o costume de reunir os fiéis na igreja da Santa, fazendo-se a sua comemoração na II Missa.

Anastácia, a « Ressuscitada », a « Iluminada » na luz do Salvador, ressurgiu para uma vida melhor.

Na companhia dos pastores recebemos, na aurora, as primícias da nova Luz, do divino Sol nascente, que envia aos corações raios de benignidade e caridade; esta misericórdia, porém, só brilhará nas almas puras, que correspondem ao esplendor da fé (Oração) e que se convencem, como os humildes pastores, de que o Salvador não veio pelas obras de justiça que pudéssemos ter feito (Epístola). E então, o Príncipe da paz estabelecerá com firmeza o seu Reino em nosso coração (Ofertório).


Páginas 49 a 52 do Missal Quotidiano.


Missa da Aurora às 06:00 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- Natal do Senhor- Missa da meia-noite

Festa de 1ª Classe- Missa Própria – Estação em Santa Maria Maior, no altar do Presépio

Três vezes oferece hoje a Igreja o Santo Sacrifício. A primeira, à meia noite, na cripta de Sta. Maria Maior, onde se guardam os restos do presépio. O lugar e a hora lembram o acontecimento magno da história da humanidade: a vinda do Filho de Deus a este mundo. 

Com Maria e José, diante do presépio, ouçamos o primeiro canto do Menino Jesus, no qual Ele revela a sua filiação divina e eterna. Entrando no mundo, Ele nos lembra que existe antes do mundo num hoje eterno com o Pai celeste. E logo manifesta pelo Apóstolo o seu programa: remir o mundo da iniquidade e formar um povo escolhido, cheio de zelo pelas boas obras. Diante deste Menino-Rei tão poderoso, os céus e a terra exultam (Ofertório) e convidam nossa alma à adoração, para tomarmos parte pela Comunhão nos esplendores da filiação divina.


Páginas 45 a 48 do Missal Quotidiano.


Missa às 00 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- Vigília do Natal do Senhor

1ª Classe- Missa Própria – Estação em Santa Maria Maior

“Hoje sabereis que o Senhor virá, e amanhã vereis a sua glória.”

Nos tempos antigos preparavam-se os fiéis para as grandes solenidades, passando a noite anterior, ou parte dela, em oração e cânticos, jejuando e fazendo penitência. Chamaram-se vigília a essas práticas noturnas e esse nome foi conservado, quando, mais tarde, essas práticas de penitência foram feitas durante o dia que precede à festa. Na medida de nossas condições pessoais e por conseguinte, da participação a essas penitências, colheremos também frutos mais ou menos abundantes destas solenidades.

Maria Santíssima, guiou os nossos passos durante o Tempo do Advento. É justo que reunidos em sua igreja (Statio), junto do presépio, esperemos com ela o Salvador. 

Entre todas as vigílias, as do Natal e Páscoa têm sido sempre as mais caras ao espírito cristão, por serem as mais significativas para a vida religiosa e espiritual. Eis os motivos porque, os fiéis, nestes dias, não devem perder o ensejo de assistir ao santo Sacrifício da Missa.

Com as palavras com que Moisés anunciou ao povo, no deserto, a chuva do maná (pão, que era uma figura da Eucaristia), anuncia-nos a Igreja, no Introito, a vinda do Senhor.

Este Senhor é o verdadeiro Maná, verdadeiro Deus e verdadeiro homem (Epístola), nascido da Virgem Maria por virtude do Espírito Santo (Evangelho). No Ofertório da santa Missa vamos ao encontro do Rei da Glória e Ele se revelará a todos os corações na santa Comunhão. E se assim, de ano em ano, O esperamos com alegria como Redentor, também poderemos esperá-Lo com muita confiança como Juiz que há de vir. É o que pedimos na Oração.

OBS.: Esta Missa se reza durante o dia. A partir das 18 horas já se pode rezar a Missa da Noite de Natal (Missa do Galo).


Páginas 39 a 42 do Missal Quotidiano.


Missa da Vigília às 07:30 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.

Missa do Galo às 00 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Novena de Natal– 9º dia clique aqui e confira


Liturgia Diária- Festa de Nossa Senhora de Guadalupe

Festa de 1ª Classe- PADROEIRA PRINCIPAL DA AMÉRICA LATINA – Missa própria com comemoração da féria

Durante quase quatro séculos, Padroeira milagrosa do México, estendeu-se a devoção também à América do Sul. Imploramos na Oração a proteção da Virgem Mãe de Deus. Os demais textos da Missa se encontram também em outras Missas em honra de Nossa Senhora e nos falam de suas prerrogativas.


Páginas [3] a [6] (fim do Missal) do Missal Quotidiano (D.Gaspar Lefebvre, 1963). 


Missa às 08 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.  


Liturgia Diária- Imaculada Conceição da B. V. Maria

Festa de 1ª Classe – Missa própria e comemoração da féria

A santa Missa de hoje, em todas as suas partes, anuncia jubilosamente o grande privilégio da Imaculada. Maria Santíssima nunca teve pecado original, nem mesmo no primeiro instante de sua existência; é isto uma verdade divinamente revelada, acreditada pela Igreja desde os princípios do Cristianismo, e, em 1854, solenemente definida como dogma.

Cheia de júbilo, entoa Maria, no Introito, um hino em ação de graças diante do trono de Deus. Seu privilégio singular, fruto antecipado da Redenção, é decretado pela mesma Sabedoria divina que determinou a Incarnação do Verbo divino (Epístola). No Evangelho e no Ofertório alegramo-nos ao ouvir a saudação do Anjo: Cheia de graça. É o resumo da festa de hoje. No Gradual dirigimos a Maria, e com razão, as palavras com que outrora celebrou o povo de Israel a sua libertadora, a corajosa Judite.

Pedimos neste dia a Deus que, assim como a graça preservou a santa Mãe do Salvador ao ponto de, por sua Conceição Imaculada ficar imune do comum contágio do pecado, também nós sejamos curados e livres de nossas faltas (Oração).


Páginas 917 a 921 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Missa às 07:30 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- Festa de Nossa Senhora Aparecida

Festa de 1ª Classe – PADROEIRA PRINCIPAL DO BRASIL – Missa própria

No livro profético do Novo Testamento, o Apocalipse, fala S. joão de um grande signo que apareceu no céu: uma mulher vestida de sol, tendo a, lua debaixo dos pés e uma corôa de doze estrelas sobre a cabeça. É à Mãe do Salvador que se referem estas palavras (Leitura). E’ ela que continua a proteger os seus filhos em todas as partes do mundo, e a defendê-los contra os assaltos do demônio. Por este motivo a piedade dos povos lhe erige santuários onde é venerada de uma maneira particular.

É sob o título de : Virgem Imaculada, que a Nação Brasileira invoca a sua excelsa Padroeira (Oração). A Mãe de Deus benignamente acolhe-nos debaixo de seu manto protetor, e seguros alcançaremos uma eternidade feliz..


Páginas [40] a [41] – fim do Missal – e 917 a 921 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Missa Cantada às 09:30 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- 12/09/2020

O SANTÍSSIMO NOME DE MARIA

Festa de 3ª Classe- Missa própria

O Papa Inocêncio XI, em ação de graças pela libertação de Viena, instituiu a festa de hoje. É uma saudação dos filhos à sua Mãe Santíssima e uma invocação de sua proteção. Nos lugares em que se tornou conhecida a Religião cristã, foi invocado o Nome de Maria.


Páginas 1276 a 1278 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Missa às 08 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes. 


Liturgia Diária- 08/09/2020

NATIVIDADE DE N. SENHORA

Festa de 2ª Classe- Missa Própria, com comemoração de S. Adriano, Mártir

Maria é a Aurora que nos deu o Sol da Justiça. Destinada a ser Mãe do Salvador, foi ornada pelo Criador com as mais peregrinas virtudes. É o mais fiel espelho da própria santidade de Deus. Tabernáculo do Altíssimo, foi, desde a sua entrada no mundo, a mais santa de todas as criaturas. Se celebramos o nascimento de S. João Batista por sua santidade, com mais justeza ainda deve ser celebrado o natalício da Mãe Santíssima do Salvador do mundo.

No Introito saudamos a sua dignidade de Mãe de Deus. O louvor da Sabedoria incriada, que ouvimos na Epístola, é aplicado à Santíssima Virgem por causa de sua união íntima com o Filho de Deus, união esta, determinada no plano de Deus, desde toda a eternidade. No Evangelho passam diante de nós os antepassados de Maria, e pela Comunhão tomamos parte de sua grandeza, incarnando-se em nós o Verbo Divino.


Páginas 1271 a 1274 e 823 a 826 do Missal Quotidiano.


Missa às 07:30 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- 22/08/2020

IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA

Festa de 2ª Classe- Missa própria, com comemoração dos Santos Timóteo, Hipólito (Bispo) e Sinforiano, Mártires

Esta festa foi aprovada para a Igreja universal no dia 1º de maio de 1945. 


Páginas 1240 e 1244 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Missa às 07:30 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- Festa da Assunção de Nossa Senhora

Festa de 1ª Classe- Missa própria

Celebramos hoje a ·maior festa em honra de Nossa Senhora. É a comemoração da morte e da gloriosa Assunção de Maria Santíssima ao céu. Sendo crença comum da Igreja, desde a mais remota antiguidade cristã , foi no Ano Santo de 1950 solenemente proclamado dogma de fé que Nossa Senhora subiu corporalmente ao céu.

Alegramo-nos com a sua entrada triunfal no céu e coroação como Rainha dos Anjos e Santos. Estes diferentes aspectos da festa inspiraram os vários textos de que se compõe a Missa de hoje. Que sentido bem mais elevado tomaram as palavras da Epístola (aplicadas a Judite): “Tu és a glória de Jerusalém, tu a alegria de Israel, tu a honra do nosso povo”. Maria é a glória do céu e da terra, a alegria da Igreja universal, a honra incomparável do gênero humano. As palavras do Evangelho e da Communio: “… (Deus) me fez grandes coisas”. bem como as do salmo do Introito: ” … porque o Senhor operou maravilhas”, referem-se diretamente ao tema da festa. Poderá haver: privilégios maiores do que a Conceição Imaculada e a gloriosa Assunção em corpo e alma, como reza a Oração?

Comemorando devotamente tão sublime mistério, anima-nos a esperança segura de, como pedimos na Secreta e na Postcommunio, mais tarde participarmos também da glória celeste de Nossa Senhora, a saber depois da morte; quanto à alma, e apôs a ressurreição geral, também quanto ao corpo, confiados, ·sobretudo, na intercessão da Santíssima Virgem Maria.


Páginas 1230 e 1234 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Missa às 09:30 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


PRÓPRIO DO DIA

Introito (Ap 12, 1 |Sl 97,1) (Áudio)

Signum magnum appáruit in coelo: múlier amicta sole, et luna sub pédibus eius, et in cápite eius coróna stellárum duódecim. Ps. Cantáte Dómino cánticum novum: quóniam mirabília fecit. ℣. Glória Patri… Apareceu no céu um grande sinal: uma mulher vestida do sol, com a lua debaixo dos pés, e uma coroa de doze estrelas sobre a sua cabeça. Sl. Cantai ao Senhor um cântico novo, porque operou maravilhas. ℣. Glória ao Pai…

Coleta

Omnípotens sempitérne Deus, qui Immaculátam Vírginem Maríam, Fílii tui genitrícem, córpore et ánima ad coeléstem glóriam assumpsísti: concéde, quǽsumus; ut, ad superna semper inténti, ipsíus glóriæ mereámur esse consórtes. Per eúndem D. N. Deus onipotente e sempiterno, que em corpo e alma assumistes à glória celeste a Imaculada Virgem Maria, Mãe do vosso Filho, concedei, Vos rogamos, que, procurando sempre as coisas do alto, mereçamos ser participantes da sua glória. Pelo mesmo J.C.

Leitura (Judite 12, 22-25; 15, 10)

Léctio libri Judith.

Benedíxit te Dóminus in virtúte sua, quia per te ad níhilum redégit inimícos nostros. Benedícta es tu, fília, a Dómino Deo excelso, præ ómnibus muliéribus super terram. Benedíctus Dóminus, qui creávit coelum et terram, qui te direxit in vúlnera cápitis príncipis inimicórum nostrórum; quia hódie nomen tuum ita magnificávit, ut non recédat laus tua de ore hóminum, qui mémores fúerint virtútis Dómini in ætérnum, pro quibus non pepercísti ánimæ tuæ propter angústias et tribulatiónem géneris tui, sed subvenísti ruínæ ante conspéctum Dei nostri. Tu glória Ierúsalem, tu lætítia Israël, tu honorificéntia pópuli nostri.

Leitura do livro de Judite.

O Senhor te abençoou em sua fortaleza, porque, ele Por ti aniquilou os nossos inimigos. Ó filha, tu és bendita do Senhor Deus Altíssimo sobre todas as mulheres que há na terra. Bendito o Senhor que criou o céu e a terra, que te dirigiu para cortares a cabeça ao chefe dos nossos. inimigos. Porque, hoje engrandeceu o teu nome tanto, que nunca o teu louvor se apartará da boca dos que se lembrarem eternamente do poder do Senhor, por amor dos quais tu não poupaste a tua vida, ao ver as angústias e a tribulação do teu povo, mas, impediste a sua ruína na presença do nosso Deus. Tu és a glória de Jerusalém, tu a alegria de Israel, tu a honra do nosso povo.

Gradual (Sl 44, 11-12 e 14 | -) (Áudio)

Audi, fília, et vide, et inclína aurem tuam, et concupíscit rex decórem tuum. ℣. Omnis glória eius fíliæ Regis ab intus, in fímbriis áureis circumamícta varietátibus.

Allelúia, allelúia. ℣. Assumpta est María in coelum: gaudet exércitus Angelórum. Allelúia.

Ouve, filha, vê, escuta com atenção, e de tua beleza se encantará o rei. ℣. Toda formosa entra a filha do rei, recamadas de ouro são as suas vestes.

Aleluia, aleluia. ℣. Maria foi assunta ao céu alegra-se o exército dos Anjos. Aleluia.

Evangelho (Lc 1, 41-50)

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Lucam.

In illo témpore: Repléta est Spíritu Sancto Elisabeth et exclamávit voce magna, et dixit: Benedícta tu inter mulíeres, et benedíctus fructus ventris tui. Et unde hoc mihi ut véniat mater Dómini mei ad me? Ecce enim ut facta est vox salutatiónis tuæ in áuribus meis, exsultávit in gáudio infans in útero meo. Et beáta, quæ credidísti, quóniam perficiéntur ea, quæ dicta sunt tibi a Dómino. Et ait María: Magníficat ánima mea Dóminum; et exsultávit spíritus meus in Deo salutári meo; quia respéxit humilitátem ancíllæ suæ, ecce enim ex hoc beátam me dicent omnes generatiónes. Quia fecit mihi magna qui potens est, et sanctum nomen eius, et misericórdia eius a progénie in progénies timéntibus eum. — CREDO…

Sequência do Santo Evangelho segundo Lucas.

Naquele tempo, Isabel ficou repleta do Espírito Santo e exclamou em alta voz, dizendo: Bendita és tu entre as mulheres, e bendito é o fruto do teu ventre. Em que mereci eu que a mãe de meu Senhor viesse ter comigo? Pois, logo que a voz da tua saudação me soou ao ouvido, o menino exultou de prazer nas minhas entranhas. E bem-aventurada és tu, que acreditaste, porque se hão de cumprir as coisas que da parte do Senhor te foram ditas. Disse, então, Maria: Minha alma glorifica ao Senhor; e meu espírito rejubilou em Deus, meu Salvador; porque, pôs os olhos na humildade da sua serva; eis que desde agora me chamarão bem-aventurada todas as gerações! Porque me fez grandes coisas Aquele que é poderoso, e cujo nome é santo; a sua misericórdia vai de geração em geração, sobre os que O temem. — CREIO…

Ofertório (Gn 3, 15) (Áudio)

Inimicítias ponam inter te et mulíerem, et semen tuum et semen illíus. Porei inimizades entre ti e a mulher, e entre a tua posteridade e a posteridade dela.

Secreta

Ascéndat ad te, Dómine, nostræ devotiónis oblátio, et, beatíssima Vírgine María in coelum assumpta intercedénte, corda nostra, caritátis igne succénsa, ad te iúgiter ádspirent. Per D.N. Suba até Vós, Senhor, a oferta da nossa devoção, e pela intercessão da Santíssima Virgem Maria assunta ao céu, os nossos corações, acesos pelo fogo da caridade, a Vós aspirem. Por N.S.

Prefácio (da Ssma. Virgem)

℣. Dóminus vobíscum.
℞. Et cum spíritu tuo.
℣. Sursum corda.
℞. Habémus ad Dóminum.
℣. Grátias agámus Dómino Deo nostro.
℞. Dignum et iustum est.
.
Vere dignum et justum est, æqum et salutáre, nos tibi semper, et ubique grátias ágere: Dómine sancte, Pater omnípotens, ætérne Deus. Et te in Assumptione beátæ Mariæ semper Vírginis collaudáre, benedícere, et prædicáre. Quæ et Unigénitum tuum Sancti Spíritus obumbratióne concépit, et virginitátis glória permanénte, lumen ætérnum mundo effúdit, Jesum Christum Dóminum nostrum. Per quem majestátem tuam laudant Angeli, adórant Dominatiónes, tremunt Potestátes coeli coelorúmque Virtútes, ac beáta Séraphim, sócia exsultatióne concélebrant. Cum quibus et nostras voces ut admitti júbeas deprecámur, súpplici confessióne dicéntes: Sanctus, Sanctus, Sanctus…
℣. O Senhor seja convosco.
℞. E com o vosso espírito,
℣. Para o alto os corações.
℞. Já os temos para o Senhor,
℣. Demos graças ao Senhor, nosso Deus.
℞. É digno e justo.
.
Verdadeiramente é digno e justo, razoável e salutar que, sempre e em todo o lugar, Vos demos graças, ó Senhor santo, Pai onipotente, eterno Deus. E que, na Assunção da Bem-aventurada sempre Virgem Maria, Vos louvemos, bendigamos e exaltemos. Por obra do Espírito Santo ela concebeu o vosso Unigênito, e permanecendo com a glória da virgindade, deu ao mundo a eterna Luz, Jesus Cristo, Nosso Senhor. Por Ele os Anjos louvam a vossa Majestade, as Dominações a adoram, tremem as Potestades. Os Céus, as Virtudes dos Céus e os bem-aventurados Serafins a celebram com recíproca alegria. As suas vozes, nós Vos rogamos, mandeis que. se unam as nossas, quando, em humilde confissão, Vos dizemos: Santo, Santo, Santo…

Comunhão (Lc 1, 48-49) (Áudio)

Beátam me dicent omnes generatiónes, quia fecit mihi magna qui potens est. Chamar-me-ão bem-aventurada todas as gerações, porque, me fez grandes coisas Aquele que é poderoso.

Pós-comunhão

Sumptis, Dómine, salutáribus sacraméntis: da, quǽsumus; ut, méritis et intercessióne beátæ Vírginis Maríæ in coelum assúmptæ, ad resurrectiónis glóriam perducámur. Per D. N. Tendo recebido, Senhor, os Sacramentos salutares, fazei, Vos pedimos, que, pelos méritos e pela intercessão da Bem-aventurada Virgem Maria assunta ao céu, sejamos conduzidos à glória da ressurreição. Por N. S. 
“Maria, levada até ao Céu, recebe, no seio da Santíssima Trindade, a coroa real, das mãos do seu Filho, no meio das aclamações da corte angélica”. (Dom Gaspar Lefebvre, 1963)

Traduções e comentários extraídos do Missal Quotidiano de D. Beda (1962).

Liturgia Diária- Vigília da Assunção de Nossa Senhora

2ª Classe- Missa própria, com comemoração de S. Eusébio, Confessor

DIA DE ABSTINÊNCIA

A Vigília é a preparação da festa.


Páginas 1227 e 1229 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Missa às 07:30 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- Festa de Nossa Senhora do Carmo

PADROEIRA DE UBERLÂNDIA E DA IRMANDADE

A festa de hoje tem por fim agradecer a Nossa Senhora as extraordinárias graças que ela concedeu à Ordem do Carmelo e a todos os que, usando o escapulário, se confessam dedicados servos de Nossa Senhora. A festa foi prescrita para toda a Igreja em 1726 por Bento XIII.


Páginas 1168 a 1170 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Liturgia Diária- Visitação de Nossa Senhora

Festa de 2ª Classe- Missa própria, com comemoração dos SS. Processo e Martiniano, Mártires

A Igreja recorda hoje a visita que Nossa Senhora fez à sua prima Santa Isabel e os acontecimentos que se deram nessa ocasião (Evangelho). No Introito saudamos Maria como Mãe do Rei dos céus e da terra. A Leitura, tirada do livro da Sabedoria, nos descreve em imagem poética o terno amor que uniu a Mãe ao Filho. Gradual e Ofertório cantam a maternidade virginal da excelsa Mãe de Deus. A Comunhão nos faz participar da grandeza de Nossa Senhora, unindo-se a nós o Verbo Divino.


Páginas 1149 a 1153 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Liturgia Diária- 27/06/2020

NOSSA SENHORA DO PERPÉTUO SOCORRO

Missa própria – PRÓPRIO DO BRASIL

“A Igreja permite que nos diferentes países, havendo razões particulares, se preste culto especial a alguns Santos.”

A Festa de hoje é própria de alguns regiões ou Dioceses, e, embora conste no próprio do Brasil, não é obrigatória para as demais localidades. 

Nos demais locais, a Missa é Salve Sancta Parens, do Comum de Nossa Senhora. 


Esta festa não consta Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Liturgia Diária- Natividade de S. João Batista

Festa de 1ª Classe- Missa própria

É o próprio Salvador quem chama S. João, o maior dentre os que nasceram de mulher. Grande ele é pelos milagres e fatos extraordinários que acompanham o seu nascimento. Grande por sua vocação de Precursor do Salvador do mundo. Grande ainda por sua vida e seu martírio glorioso.

Pela boca do Profeta Isaías, S. João anuncia a sua vocação sublime (Introito e Epístola). Seu nascimento foi motivo de grande regozijo no seio da família e por isso também toda a família cristã pede esta alegria espiritual (Oração). O Evangelho nos conta os acontecimentos bíblicos. Alegremo-nos na festa de hoje, pois aquele que neste dia nasceu — seis meses antes do Salvador — nos prepara para o nosso próprio renascimento, em Jesus Cristo para uma vida nova (Postcommunio).


Páginas 1126 a 1129 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Liturgia Diária- Vigília de S. João Batista

2ª Classe- Missa própria

Ouvimos na Missa de hoje a narração dos acontecimentos que se deram antes do nascimento de S. João. Por causa das graças especiais que recebeu, celebra a Igreja o nascimento deste Santo, assim como o faz com o de Nossa Senhora.


Páginas 1122 a 1125 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Instrução – As tristezas e alegrias de Maria

Maria Santíssima havia bebido, até ao fundo, o cálice da amargura, sofrendo tudo o que uma criatura humana é capaz de sofrer. Este sofrimento, entretanto, tinha a sua consolação: a certeza da ressurreição, a certeza que a primeira visita de Jesus glorioso seria a sua Mãe. É certo, a aparição de Jesus a Maria Santíssima não está mencionada no Evangelho, mas pouco importa. Sabemos que os Evangelhos não relataram todas as ações do Salvador, e sabemos, também, que eles não contêm nada de inútil. Para que assinalar um fato evidente, de que não se pode duvidar?

Além disso, a humildade da Virgem Santa não permitiu aos Evangelistas que relatassem o que era unicamente para a sua exaltação, sem ser uma base para qualquer verdade dogmática. Meditemos, um instante, para terminar na alegria, a Semana dolorosa que acabamos de percorrer, vendo:
I – O fundamento desta verdade.
II – A aparição de Jesus ressuscitado.

Liturgia Diária- 11/02/2020

APARIÇÃO DA B.V. MARIA IMACULADA EM LOURDES

Festa de 3ª Classe- Missa Própria

Celebra-se esta solenidade para comemorar a primeira aparição de Nossa Senhora a Bernadette Soubirous, em Lourdes. Nessa ocasião nasceu uma fonte milagrosa que atraiu inúmeros doentes, espalhando-se a sua fama no mundo inteiro. Como na aparição, N. Senhora se denominasse “a Imaculada” são estes dois pensamentos expressos repetidamente, na santa Missa.


Páginas 981 a 984 do Missal Quotidiano.


Instrução sobre a Festa de hoje: clique aqui e confira


Liturgia Diária- II Domingo depois da Epifania

Domingo de 2ª Classe- Missa Própria

Jesus Cristo é o Rei da criação, e por isso, toda a terra O deve adorar e louvar como a seu Redentor (Introito, Gradual). Por seu nascimento tornou-se nosso Irmão e por sua morte recebeu-nos em herança. Pela Eucaristia continua a comunicar-nos os frutos de seu nascimento, de sua vida e de sua morte. Vemo-Lo hoje, nas bodas de Caná (Evangelho), realizando seu primeiro milagre: a conversão da água em vinho. Aqui converte o vinho em seu Preciosíssimo Sangue, a fim de, por meio deste milagre, repetido através dos séculos, comunicar aos homens a sua divindade. É justo, pois, que digamos no Ofertório: “Vede quanto bem Deus fez à minha alma”.


Páginas 99 a 103 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963).


SOMENTE Missa Cantada às 15:30 horas na Catedral Diocesana. 


Liturgia Diária-Festa da Sagrada Família

Festa de 2ª Classe- Missa Própria

Com a Igreja fazemos hoje uma visita à casa de Nazaré. A Sagrada Família é um exemplo para a família cristã. Sigam os filhos o exemplo de Jesus, que era submisso a seus pais. O pai imite a S. José e a mãe veja em Maria Santíssima um modelo de esposa e mãe cujas virtudes encontramos na Epístola e no Evangelho. Para a execução de nossos propósitos, imploramos nas Orações as graças do Alto, e assim, também em nossas casas reinará a paz de Jesus Cristo.


Páginas 88 a 92 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963).


APENAS Missa Cantada às 09:30 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes. 


Liturgia Diária- 10/01/2020

MISSA DA FÉRIA

4ª Classe- Missa da Epifania (com Glória, sem Credo)

DIA DE ABSTINÊNCIA

Epifania, como dizem os gregos, ou aparição, é a segunda solenidade no ciclo de Natal. Jubilosos celebramos com a santa Igreja a entrada solene do Cristo-Rei no mundo, na humanidade, na alma de cada um de nós. Aquele que nascera no silêncio da santa noite de Natal, manifesta-se agora aos olhos do mundo. O Rei da eterna glória entra em sua cidade, a nova Jerusalém, a santa Igreja. 

Os Ofícios litúrgicos, especialmente o da madrugada, Laudes, falam de uma tríplice manifestação de Jesus. Diz a Antífona: “Hoje o Esposo celestial se uniu à Igreja, porque o Cristo lavou no Jordão os crimes de sua Esposa”. No batismo de Jesus, o Pai Eterno deu testemunho a seu Filho: “Este é o meu Filho, a Ele deveis ouvir”. — “Os Magos se apressam para as núpcias do Rei, com as suas dádivas” (Evangelho). Com os Magos, somos também nós convidados a apresentar no Ofertório a nossa dádiva: o dom de nós mesmos. E finalmente conclui a Antífona: “E a água se transforma em vinho e os convidados se alegram. Aleluia”. Nas bodas de Caná manifestou-se pela vez primeira o poder divino-real de Jesus Cristo. Assim como os convidados se alegram, nós nos alegramos pela transubstanciação do pão e do vinho no Corpo e no Sangue do Salvador que nos é proposto no banquete nupcial da Eucaristia.

A basílica de São Pedro foi escolhido para a celebração da Missa, neste dia, porque a Epifania desde o tempo mais remotos, é uma das maiores solenidades.

Oferecemo-nos com o Cristo (Secreta) e recebemos o Cristo (Pós-Comunhão). A vida interior do Cristão é uma reprodução da vida do Cristo. O fim da Igreja, celebrando o Ano eclesiástico, é este: assim como Jesus se manifestou aos Magos, pedimos que se manifeste a cada Cristão pela luz da fé.


Páginas 83 a 87 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963).


Missa às 19 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- 09/01/2020

MISSA DA FÉRIA

4ª Classe- Missa da Epifania (com Glória, sem Credo)

Epifania, como dizem os gregos, ou aparição, é a segunda solenidade no ciclo de Natal. Jubilosos celebramos com a santa Igreja a entrada solene do Cristo-Rei no mundo, na humanidade, na alma de cada um de nós. Aquele que nascera no silêncio da santa noite de Natal, manifesta-se agora aos olhos do mundo. O Rei da eterna glória entra em sua cidade, a nova Jerusalém, a santa Igreja. 

Os Ofícios litúrgicos, especialmente o da madrugada, Laudes, falam de uma tríplice manifestação de Jesus. Diz a Antífona: “Hoje o Esposo celestial se uniu à Igreja, porque o Cristo lavou no Jordão os crimes de sua Esposa”. No batismo de Jesus, o Pai Eterno deu testemunho a seu Filho: “Este é o meu Filho, a Ele deveis ouvir”. — “Os Magos se apressam para as núpcias do Rei, com as suas dádivas” (Evangelho). Com os Magos, somos também nós convidados a apresentar no Ofertório a nossa dádiva: o dom de nós mesmos. E finalmente conclui a Antífona: “E a água se transforma em vinho e os convidados se alegram. Aleluia”. Nas bodas de Caná manifestou-se pela vez primeira o poder divino-real de Jesus Cristo. Assim como os convidados se alegram, nós nos alegramos pela transubstanciação do pão e do vinho no Corpo e no Sangue do Salvador que nos é proposto no banquete nupcial da Eucaristia.

A basílica de São Pedro foi escolhido para a celebração da Missa, neste dia, porque a Epifania desde o tempo mais remotos, é uma das maiores solenidades.

Oferecemo-nos com o Cristo (Secreta) e recebemos o Cristo (Pós-Comunhão). A vida interior do Cristão é uma reprodução da vida do Cristo. O fim da Igreja, celebrando o Ano eclesiástico, é este: assim como Jesus se manifestou aos Magos, pedimos que se manifeste a cada Cristão pela luz da fé.


Páginas 83 a 87 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963).


Missa às 19 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- 08/01/2020

MISSA DA FÉRIA

4ª Classe- Missa da Epifania (com Glória, sem Credo)

Epifania, como dizem os gregos, ou aparição, é a segunda solenidade no ciclo de Natal. Jubilosos celebramos com a santa Igreja a entrada solene do Cristo-Rei no mundo, na humanidade, na alma de cada um de nós. Aquele que nascera no silêncio da santa noite de Natal, manifesta-se agora aos olhos do mundo. O Rei da eterna glória entra em sua cidade, a nova Jerusalém, a santa Igreja. 

Os Ofícios litúrgicos, especialmente o da madrugada, Laudes, falam de uma tríplice manifestação de Jesus. Diz a Antífona: “Hoje o Esposo celestial se uniu à Igreja, porque o Cristo lavou no Jordão os crimes de sua Esposa”. No batismo de Jesus, o Pai Eterno deu testemunho a seu Filho: “Este é o meu Filho, a Ele deveis ouvir”. — “Os Magos se apressam para as núpcias do Rei, com as suas dádivas” (Evangelho). Com os Magos, somos também nós convidados a apresentar no Ofertório a nossa dádiva: o dom de nós mesmos. E finalmente conclui a Antífona: “E a água se transforma em vinho e os convidados se alegram. Aleluia”. Nas bodas de Caná manifestou-se pela vez primeira o poder divino-real de Jesus Cristo. Assim como os convidados se alegram, nós nos alegramos pela transubstanciação do pão e do vinho no Corpo e no Sangue do Salvador que nos é proposto no banquete nupcial da Eucaristia.

A basílica de São Pedro foi escolhido para a celebração da Missa, neste dia, porque a Epifania desde o tempo mais remotos, é uma das maiores solenidades.

Oferecemo-nos com o Cristo (Secreta) e recebemos o Cristo (Pós-Comunhão). A vida interior do Cristão é uma reprodução da vida do Cristo. O fim da Igreja, celebrando o Ano eclesiástico, é este: assim como Jesus se manifestou aos Magos, pedimos que se manifeste a cada Cristão pela luz da fé.


Páginas 83 a 87 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963).


Missa às 19 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Benção das Casas na Festa da Epifania

Compartilhamos texto do site Salvem a Liturgia, extraído da Carta Circular do Secretariado para a Liturgia da Ordem Cisterciense para os Mosteiros da Ordem, de 2006/2007, sobre a Festa ontem celebrada e o costume da benção das casas.

Liturgia Diária- 07/01/2020

MISSA DA FÉRIA

4ª Classe- Missa da Epifania (com Glória, sem Credo)

Epifania, como dizem os gregos, ou aparição, é a segunda solenidade no ciclo de Natal. Jubilosos celebramos com a santa Igreja a entrada solene do Cristo-Rei no mundo, na humanidade, na alma de cada um de nós. Aquele que nascera no silêncio da santa noite de Natal, manifesta-se agora aos olhos do mundo. O Rei da eterna glória entra em sua cidade, a nova Jerusalém, a santa Igreja. 

Os Ofícios litúrgicos, especialmente o da madrugada, Laudes, falam de uma tríplice manifestação de Jesus. Diz a Antífona: “Hoje o Esposo celestial se uniu à Igreja, porque o Cristo lavou no Jordão os crimes de sua Esposa”. No batismo de Jesus, o Pai Eterno deu testemunho a seu Filho: “Este é o meu Filho, a Ele deveis ouvir”. — “Os Magos se apressam para as núpcias do Rei, com as suas dádivas” (Evangelho). Com os Magos, somos também nós convidados a apresentar no Ofertório a nossa dádiva: o dom de nós mesmos. E finalmente conclui a Antífona: “E a água se transforma em vinho e os convidados se alegram. Aleluia”. Nas bodas de Caná manifestou-se pela vez primeira o poder divino-real de Jesus Cristo. Assim como os convidados se alegram, nós nos alegramos pela transubstanciação do pão e do vinho no Corpo e no Sangue do Salvador que nos é proposto no banquete nupcial da Eucaristia.

A basílica de São Pedro foi escolhido para a celebração da Missa, neste dia, porque a Epifania desde o tempo mais remotos, é uma das maiores solenidades.

Oferecemo-nos com o Cristo (Secreta) e recebemos o Cristo (Pós-Comunhão). A vida interior do Cristão é uma reprodução da vida do Cristo. O fim da Igreja, celebrando o Ano eclesiástico, é este: assim como Jesus se manifestou aos Magos, pedimos que se manifeste a cada Cristão pela luz da fé.


Páginas 83 a 87 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963).


Missa às 19 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- Epifania do Senhor

Festa de 1ª Classe- Missa Própria – Estação em São Pedro

DIA DE PRECEITO

Epifania, como dizem os gregos, ou aparição, é a segunda solenidade no ciclo de Natal. Jubilosos celebramos com a santa Igreja a entrada solene do Cristo-Rei no mundo, na humanidade, na alma de cada um de nós. Aquele que nascera no silêncio da santa noite de Natal, manifesta-se agora aos olhos do mundo. O Rei da eterna glória entra em sua cidade, a nova Jerusalém, a santa Igreja. 

Os Ofícios litúrgicos, especialmente o da madrugada, Laudes, falam de uma tríplice manifestação de Jesus. Diz a Antífona: “Hoje o Esposo celestial se uniu à Igreja, porque o Cristo lavou no Jordão os crimes de sua Esposa”. No batismo de Jesus, o Pai Eterno deu testemunho a seu Filho: “Este é o meu Filho, a Ele deveis ouvir”. — “Os Magos se apressam para as núpcias do Rei, com as suas dádivas” (Evangelho). Com os Magos, somos também nós convidados a apresentar no Ofertório a nossa dádiva: o dom de nós mesmos. E finalmente conclui a Antífona: “E a água se transforma em vinho e os convidados se alegram. Aleluia”. Nas bodas de Caná manifestou-se pela vez primeira o poder divino-real de Jesus Cristo. Assim como os convidados se alegram, nós nos alegramos pela transubstanciação do pão e do vinho no Corpo e no Sangue do Salvador que nos é proposto no banquete nupcial da Eucaristia.

A basílica de São Pedro foi escolhido para a celebração da Missa, neste dia, porque a Epifania desde o tempo mais remotos, é uma das maiores solenidades.

Oferecemo-nos com o Cristo (Secreta) e recebemos o Cristo (Pós-Comunhão). A vida interior do Cristão é uma reprodução da vida do Cristo. O fim da Igreja, celebrando o Ano eclesiástico, é este: assim como Jesus se manifestou aos Magos, pedimos que se manifeste a cada Cristão pela luz da fé.


Páginas 83 a 87 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963).


Missa Cantada às 19 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- 03/01/2020

MISSA DA FÉRIA

4ª Classe – Missa do dia 01/01

DIA DE ABSTINÊNCIA 

O Menino-Deus derrama as primeiras gotas de Sangue, e recebe o nome de Jesus, que indica a sua missão de Salvador. Assim, neste dia, a Cruz saúda o berço do Recém-nascido. Intimamente unida a seu Filho, é Maria Santíssima objeto de particular devoção por parte do povo católico. Por isso dela nos lembramos hoje nas Orações e na “estação”.

A festa é a da Circuncisão celebrada desde o século VI Moisés impunha este rito de purificação a todos os varões israelitas no oitavo dia depois do nascimento. Era uma figura do batismo pelo qual o homem havia de ser espiritualmente circuncidado pela extirpação dos vícios, e julgado digno do olhar do Senhor (Santo Ambrósio).


Páginas 76 a 78 do Missal Quotidiano.


Missa às 19 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes. 


Liturgia Diária- 02/01/2020

MISSA DA FÉRIA

4ª Classe- Missa do dia 01/01

O Menino-Deus derrama as primeiras gotas de Sangue, e recebe o nome de Jesus, que indica a sua missão de Salvador. Assim, neste dia, a Cruz saúda o berço do Recém-nascido. Intimamente unida a seu Filho, é Maria Santíssima objeto de particular devoção por parte do povo católico. Por isso dela nos lembramos hoje nas Orações e na “estação”.

A festa é a da Circuncisão celebrada desde o século VI Moisés impunha este rito de purificação a todos os varões israelitas no oitavo dia depois do nascimento. Era uma figura do batismo pelo qual o homem havia de ser espiritualmente circuncidado pela extirpação dos vícios, e julgado digno do olhar do Senhor (Santo Ambrósio).


Páginas 76 a 78 do Missal Quotidiano.


Missa às 19 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes. 


Liturgia Diária- 01/01/2020

CIRCUNCISÃO DE JESUS

Festa de 1ª Classe- Missa Própria – OITAVA DO NATALEstação em Santa Maria além-Tibre

DIA DE PRECEITO

O Menino-Deus derrama as primeiras gotas de Sangue, e recebe o nome de Jesus, que indica a sua missão de Salvador. Assim, neste dia, a Cruz saúda o berço do Recém-nascido. Intimamente unida a seu Filho, é Maria Santíssima objeto de particular devoção por parte do povo católico. Por isso dela nos lembramos hoje nas Orações e na “estação”.

A festa é a da Circuncisão celebrada desde o século VI Moisés impunha este rito de purificação a todos os varões israelitas no oitavo dia depois do nascimento. Era uma figura do batismo pelo qual o homem havia de ser espiritualmente circuncidado pela extirpação dos vícios, e julgado digno do olhar do Senhor (Santo Ambrósio).

A Igreja, tendo o seu começo de ano no I Domingo do Advento, não faz menção do ano civil.

OBS.: Neste dia, concede a Igreja INDULGÊNCIA PLENÁRIA a todos aqueles que recitarem/cantarem em oratórios, capelas ou igrejas, de forma pública, o cântico Veni Creator (p. 1574 a 1575, do Missal Quotidiano). Recebem indulgência parcial, aqueles que o recitam devotamente, sem as condições acima. (Enchiridion Indulgentiarum (3ª ed., maio de 1986), Item “61”)


Páginas 76 a 78 do Missal Quotidiano.


Missa Rezada às 19 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes. Após, canto do “Veni Creator”


Liturgia Diária- 31/12/2019

VII DIA DA OITAVA DE NATAL

2ª Classe- Missa da Oitava do Natal (“Puer Natus”), com comemoração de S. Silvestre, I, Papa e Confessor

Sob o pontificado deste Papa, de 314 a 355, acabou a era das perseguições e começou a Igreja a gozar de liberdade.

OBS: Neste dia, concede a Igreja INDULGÊNCIA PLENÁRIA a todos aqueles que recitarem/cantarem em oratórios, capelas ou igrejas, de forma pública, o cântico Te Deum (p. 1589 a 1591, do Missal Quotidiano). Recebem indulgência parcial, aqueles que o recitam em ação de graças. (Enchiridion Indulgentiarum (3ª ed., maio de 1986), Item “60”)


Páginas 72 a 74, 812 a 816 do Missal Quotidiano.


Missa às 19 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- 30/12/2019

VI DIA DA OITAVA DE NATAL

2ª Classe- Missa da Oitava do Natal (“Puer Natus”)


Páginas 72 a 74 do Missal Quotidiano.


Missa às 18 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- Domingo dentro da Oitava do Natal

Domingo de 2ª Classe- Missa Própria

“Quando tudo repousava em profundo silêncio”, na santa noite de Natal, apareceu o Cristo-Rei, sob a forma de uma Criancinha (Introito). Pedimos que Ele nos submeta a seu poder, fazendo-nos praticar as boas obras (Oração) depois de nos ter libertado da escravidão e de nos ter elevado à dignidade de filhos de Deus (Epístola). Sejam nossos exemplos de vida cristã: S. José, Nossa Senhora, Simeão e Ana (Evangelho). Ainda tão próximos do presépio, quedamos, no entanto, surpresos. O mesmo Evangelho nos deixa entrever a Redenção pela Paixão. A Criancinha será o Homem das dores, a Virgem-Mãe, a Mater dolorosa. O altar, neste dia, é para nós presépio e cruz ao mesmo tempo. Conforta-nos, entretanto, o pensamento de que na Comunhão podemos “tomar o Menino” com a sua Mãe e com eles caminhar para a vida eterna.


Páginas 57 a 60 do Missal Quotidiano.


Missa Rezada as 09:30 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes e Missa Cantada as 15:30 horas na Catedral Diocesana.


Liturgia Diária- 25/12/2019- Missa do Dia

NATAL DO SENHOR – MISSA DO DIA

Festa de 1ª Classe- Missa Própria – Estação em Santa Maria Maior

Esta terceira Missa, a principal da festa, foi celebrada, outrora, em S. Pedro. Mais tarde, porém, por causa da grande distância de Sta. Maria Maior, onde o Papa celebrava, à meia noite, foi também esta Missa celebrada na mesma basílica, porém não na cripta, e sim no altar principal. Nossa Senhora é venerada junto do presépio de seu Divino Filho. 

A gruta de Belém transformou-se em Igreja universal. A adoração da Santa Família e dos Pastores, na intimidade, ampliou-se em uma oração da Igreja mundial ao Pequenino, sobre cujo ombro foi posto o principado e que será chamado o Anjo do grande conselho. Na Oração pede-se o exercício deste principado na libertação do cativeiro. Na Epístola e no Evangelho, S. Paulo e S. João revelam o segredo do Anjo do grande conselho, a Majestade infinita e misteriosa do Verbo que se fez carne. Reconhecendo a Deus, no Ofertório, como Senhor do céu e da terra, nós nos oferecemos ao nosso Rei. Na Comunhão gozamos dos frutos da Redenção, que se estendem até os limites da terra e dos séculos.


Páginas 52 a 56 do Missal Quotidiano.


Missa às 19 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- 25/12/2019- Missa da Aurora

NATAL DO SENHOR – MISSA DA AURORA

Festa de 1ª Classe- Missa Própria – Estação em Santa Anastásia

Nos primeiros tempos da era cristã, celebrava-se também, neste dia, em Roma, a festa de Sta. Anastácia, martirizada no princípio do IV século, e muito venerada, tanto no Oriente como em Roma. Quando, mais tarde, a festa de Natal foi celebrada com maior solenidade, conservou-se o costume de reunir os fiéis na igreja da Santa, fazendo-se a sua comemoração na II Missa.

Anastácia, a « Ressuscitada », a « Iluminada » na luz do Salvador, ressurgiu para uma vida melhor.

Na companhia dos pastores recebemos, na aurora, as primícias da nova Luz, do divino Sol nascente, que envia aos corações raios de benignidade e caridade; esta misericórdia, porém, só brilhará nas almas puras, que correspondem ao esplendor da fé (Oração) e que se convencem, como os humildes pastores, de que o Salvador não veio pelas obras de justiça que pudéssemos ter feito (Epístola). E então, o Príncipe da paz estabelecerá com firmeza o seu Reino em nosso coração (Ofertório).


Páginas 49 a 52 do Missal Quotidiano.


Missa do dia às 19:00 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- 24/12/2019- Missa do Galo

NATAL DO SENHOR – MISSA DA MEIA-NOITE

Festa de 1ª Classe- Missa Própria – Estação em Santa Maria Maior, no altar do Presépio

Três vezes oferece hoje a Igreja o Santo Sacrifício. A primeira, à meia noite, na cripta de Sta. Maria Maior, onde se guardam os restos do presépio. O lugar e a hora lembram o acontecimento magno da história da humanidade: a vinda do Filho de Deus a este mundo. 

Com Maria e José, diante do presépio, ouçamos o primeiro canto do Menino Jesus, no qual Ele revela a sua filiação divina e eterna. Entrando no mundo, Ele nos lembra que existe antes do mundo num hoje eterno com o Pai celeste. E logo manifesta pelo Apóstolo o seu programa: remir o mundo da iniquidade e formar um povo escolhido, cheio de zelo pelas boas obras. Diante deste Menino-Rei tão poderoso, os céus e a terra exultam (Ofertório) e convidam nossa alma à adoração, para tomarmos parte pela Comunhão nos esplendores da filiação divina.


Páginas 45 a 48 do Missal Quotidiano.


Missa às 20:00 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- 24/12/2019- Vigília

VIGÍLIA DO NATAL DO SENHOR

Vigília de 1ª Classe- Missa Própria – Estação em Santa Maria Maior

“Hoje sabereis que o Senhor virá, e amanhã vereis a sua glória.”

Nos tempos antigos preparavam-se os fiéis para as grandes solenidades, passando a noite anterior, ou parte dela, em oração e cânticos, jejuando e fazendo penitência. Chamaram-se vigília a essas práticas noturnas e esse nome foi conservado, quando, mais tarde, essas práticas de penitência foram feitas durante o dia que precede à festa. Na medida de nossas condições pessoais e por conseguinte, da participação a essas penitências, colheremos também frutos mais ou menos abundantes destas solenidades.

Maria Santíssima, guiou os nossos passos durante o Tempo do Advento. É justo que reunidos em sua igreja (Statio), junto do presépio, esperemos com ela o Salvador. 

Entre todas as vigílias, as do Natal e Páscoa têm sido sempre as mais caras ao espírito cristão, por serem as mais significativas para a vida religiosa e espiritual. Eis os motivos porque, os fiéis, nestes dias, não devem perder o ensejo de assistir ao santo Sacrifício da Missa.

Com as palavras com que Moisés anunciou ao povo, no deserto, a chuva do maná (pão, que era uma figura da Eucaristia), anuncia-nos a Igreja, no Introito, a vinda do Senhor.

Este Senhor é o verdadeiro Maná, verdadeiro Deus e verdadeiro homem (Epístola), nascido da Virgem Maria por virtude do Espírito Santo (Evangelho). No Ofertório da santa Missa vamos ao encontro do Rei da Glória e Ele se revelará a todos os corações na santa Comunhão. E se assim, de ano em ano, O esperamos com alegria como Redentor, também poderemos esperá-Lo com muita confiança como Juiz que há de vir. É o que pedimos na Oração.

OBS.: Esta Missa se reza durante o dia. A partir das 18 horas já se pode rezar a Missa da Noite de Natal (Missa do Galo).


Páginas 39 a 42 do Missal Quotidiano.


Missa do Galo às 20:00 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Novena de Natal– 9º dia clique aqui e confira


Liturgia Diária- 12/12/2019

NOSSA SENHORA DE GUADALUPE

Festa de 1ª Classe- PADROEIRA PRINCIPAL DA AMÉRICA LATINA – Missa própria com comemoração da féria

Durante quase quatro séculos, Padroeira milagrosa do México, estendeu-se a devoção também à América do Sul. Imploramos na Oração a proteção da Virgem Mãe de Deus. Os demais textos da Missa se encontram também em outras Missas em honra de Nossa Senhora e nos falam de suas prerrogativas.


Páginas [3] a [6] (fim do Missal) do Missal Quotidiano (D.Gaspar Lefebvre, 1963). 


Missa às 19 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes. 

 


Liturgia Diária- Imaculada Conceição da B. V. Maria

Festa de 1ª Classe – Missa própria e comemoração do II Domingo do Advento

A santa Missa de hoje, em todas as suas partes, anuncia jubilosamente o grande privilégio da Imaculada. Maria Santíssima nunca teve pecado original, nem mesmo no primeiro instante de sua existência; é isto uma verdade divinamente revelada, acreditada pela Igreja desde os princípios do Cristianismo, e, em 1854, solenemente definida como dogma.

Cheia de júbilo, entoa Maria, no Introito, um hino em ação de graças diante do trono de Deus. Seu privilégio singular, fruto antecipado da Redenção, é decretado pela mesma Sabedoria divina que determinou a Incarnação do Verbo divino (Epístola). No Evangelho e no Ofertório alegramo-nos ao ouvir a saudação do Anjo: Cheia de graça. É o resumo da festa de hoje. No Gradual dirigimos a Maria, e com razão, as palavras com que outrora celebrou o povo de Israel a sua libertadora, a corajosa Judite.

Pedimos neste dia a Deus que, assim como a graça preservou a santa Mãe do Salvador ao ponto de, por sua Conceição Imaculada ficar imune do comum contágio do pecado, também nós sejamos curados e livres de nossas faltas (Oração).


Páginas 917 a 921 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


APENAS Missa Cantada às 09:30 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- 12/10/2019

NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO APARECIDA

Festa de 1ª Classe – PADROEIRA PRINCIPAL DO BRASIL – Missa própria

No livro profético do Novo Testamento, o Apocalipse, fala S. joão de um grande signo que apareceu no céu: uma mulher vestida de sol, tendo a, lua debaixo dos pés e uma corôa de doze estrelas sobre a cabeça. É à Mãe do Salvador que se referem estas palavras (Leitura). E’ ela que continua a proteger os seus filhos em todas as partes do mundo, e a defendê-los contra os assaltos do demônio. Por este motivo a piedade dos povos lhe erige santuários onde é venerada de uma maneira particular.

É sob o título de : Virgem Imaculada, que a Nação Brasileira invoca a sua excelsa Padroeira (Oração). A Mãe de Deus benignamente acolhe-nos debaixo de seu manto protetor, e seguros alcançaremos uma eternidade feliz..


Páginas [40] a [41] – fim do Missal – e 917 a 921 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Missa Cantada às 09:30 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- 11/10/2019

MATERNIDADE DE NOSSA SENHORA

Festa de 2ª Classe- Missa própria

Era 1931 celebrou-se o XV. centenário da declaração da Maternidade divina de Nossa Senhora, no Concílio de Éfeso. Para solenizar esta data e lembrar aos fiéis este Mistério, o Santo Padre Pio XI instituiu a festa de hoje. O Introito, a Epístola e o Gradual mostram como, já no antigo Testamento, esperou-se este Mistério. Os outros textos se referem à sua realização.


Páginas 1333 a 1335 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Missa às 19 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- 12/09/2019

O SANTÍSSIMO NOME DE MARIA

Festa de 3ª Classe- Missa própria

O Papa Inocêncio XI, em ação de graças pela libertação de Viena, instituiu a festa de hoje. É uma saudação dos filhos à sua Mãe Santíssima e uma invocação de sua proteção. Nos lugares em que se tornou conhecida a Religião cristã, foi invocado o Nome de Maria.


Páginas 1276 a 1278 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Liturgia Diária- 22/08/2019

IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA

Festa de 2ª Classe- Missa própria, com comemoração dos Santos Timóteo, Hipólito (Bispo) e Sinforiano, Mártires

Esta festa foi aprovada para a Igreja universal no dia 1º de maio de 1945. 


Páginas 1240 e 1244 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Missa às 19 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- 16/08/2019

S. JOAQUIM, Confessor, Pai de Nossa Senhora

Festa de 3ª Classe- Missa própria

No Oriente, a festa do Pai de Nossa Senhora é celebrada desde tempos remotos. No Ocidente tornou-se conhecida somente depois do século XV. A Missa nos apresenta o Santo como amigo dos pobres (Introito, Gradual). A Epístola fala da pureza de sua vida e o Evangelho, de seus antepassados, de sua filha Maria, e do Salvador do mundo, seu Descendente.


Páginas 1234 a 1236 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Missa às 19 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- Festa da Assunção de Nossa Senhora

Festa de 1ª Classe- Missa própria

Celebramos hoje a ·maior festa em honra de Nossa Senhora. É a comemoração da morte e da gloriosa Assunção de Maria Santíssima ao céu. Sendo crença comum da Igreja, desde a mais remota antiguidade cristã , foi no Ano Santo de 1950 solenemente proclamado dogma de fé que Nossa Senhora subiu corporalmente ao céu.

Alegramo-nos com a sua entrada triunfal no céu e coroação como Rainha dos Anjos e Santos. Estes diferentes aspectos da festa inspiraram os vários textos de que se compõe a Missa de hoje. Que sentido bem mais elevado tomaram as palavras da Epístola (aplicadas a Judite): “Tu és a glória de Jerusalém, tu a alegria de Israel, tu a honra do nosso povo”. Maria é a glória do céu e da terra, a alegria da Igreja universal, a honra incomparável do gênero humano. As palavras do Evangelho e da Communio: “… (Deus) me fez grandes coisas”. bem como as do salmo do Introito: ” … porque o Senhor operou maravilhas”, referem-se diretamente ao tema da festa. Poderá haver: privilégios maiores do que a Conceição Imaculada e a gloriosa Assunção em corpo e alma, como reza a Oração?

Comemorando devotamente tão sublime mistério, anima-nos a esperança segura de, como pedimos na Secreta e na Postcommunio, mais tarde participarmos também da glória celeste de Nossa Senhora, a saber depois da morte; quanto à alma, e apôs a ressurreição geral, também quanto ao corpo, confiados, ·sobretudo, na intercessão da Santíssima Virgem Maria.


Páginas 1230 e 1234 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Missa às 09:30 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- Festa de Nossa Senhora do Carmo

PADROEIRA DE UBERLÂNDIA E DA IRMANDADE

A festa de hoje tem por fim agradecer a Nossa Senhora as extraordinárias graças que ela concedeu à Ordem do Carmelo e a todos os que, usando o escapulário, se confessam dedicados servos de Nossa Senhora. A festa foi prescrita para toda a Igreja em 1726 por Bento XIII.


Páginas 1168 a 1170 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Procissão com a imagem de Nossa Senhora do Carmo às 19 horas, partindo da Capela Nossa Senhora de Lourdes; e, após, Missa Cantada.


Liturgia Diária- Visitação de Nossa Senhora

Festa de 2ª Classe- Missa própria, com comemoração dos SS. Processo e Martiniano, Mártires

A Igreja recorda hoje a visita que Nossa Senhora fez à sua prima Santa Isabel e os acontecimentos que se deram nessa ocasião (Evangelho). No Introito saudamos Maria como Mãe do Rei dos céus e da terra. A Leitura, tirada do livro da Sabedoria, nos descreve em imagem poética o terno amor que uniu a Mãe ao Filho. Gradual e Ofertório cantam a maternidade virginal da excelsa Mãe de Deus. A Comunhão nos faz participar da grandeza de Nossa Senhora, unindo-se a nós o Verbo Divino.


Páginas 1149 a 1153 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Missa às 19 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- Natividade de S. João Batista

Festa de 1ª Classe- Missa própria

É o próprio Salvador quem chama S. João, o maior dentre os que nasceram de mulher. Grande ele é pelos milagres e fatos extraordinários que acompanham o seu nascimento. Grande por sua vocação de Precursor do Salvador do mundo. Grande ainda por sua vida e seu martírio glorioso.

Pela boca do Profeta Isaías, S. João anuncia a sua vocação sublime (Introito e Epístola). Seu nascimento foi motivo de grande regozijo no seio da família e por isso também toda a família cristã pede esta alegria espiritual (Oração). O Evangelho nos conta os acontecimentos bíblicos. Alegremo-nos na festa de hoje, pois aquele que neste dia nasceu — seis meses antes do Salvador — nos prepara para o nosso próprio renascimento, em Jesus Cristo para uma vida nova (Postcommunio).


Páginas 1126 a 1129 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Missa às 18 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- 31/05/2019

NOSSA SENHORA RAINHA

2ª Classe- Missa própria com comemoração de Santa Petronila, Virgem (somente nas missas rezadas)

Ao se encerrar o ano mariano de 1954, o Santo Padre Pio XII instituiu esta festa para consagrar o mundo à proteção de nossa celestre e poderosa Rainha.


Páginas 1083 a 1086 do Missal Quotidiano. 


Missa às 19 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes. Após, 1º dia da Novena do Divino Espirito Santo.


Liturgia Diária- 27/02/2019

S. GABRIEL DE NOSSA SENHORA DAS DORES, Confessor

Festa de 3ª Classe- Missa própria

Com a idade de 18 anos entrou Francisco Possenti na Ordem dos Passionistas. Distinguiu-se por uma singular devoção a Nossa Senhora das Dores. Clérigo ainda, morreu com a idade de 24 anos. Foi canonizado em 1920.


Páginas 997 a 1000 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre)


Missa às 19 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- 11/02/2019

APARIÇÃO DA B.V. MARIA IMACULADA EM LOURDES

Festa de 3ª Classe- Missa Própria

Celebra-se esta solenidade para comemorar a primeira aparição de Nossa Senhora a Bernadette Soubirous, em Lourdes. Nessa ocasião nasceu uma fonte milagrosa que atraiu inúmeros doentes, espalhando-se a sua fama no mundo inteiro. Como na aparição, N. Senhora se denominasse “a Imaculada” são estes dois pensamentos expressos repetidamente, na santa Missa.


Participe de nossa Galinhada Beneficente! Saiba mais, clicando aqui.


Liturgia Diária- II Domingo depois da Epifania

Domingo de 2ª Classe- Missa Própria

Jesus Cristo é o Rei da criação, e por isso, toda a terra O deve adorar e louvar como a seu Redentor (Introito, Gradual). Por seu nascimento tornou-se nosso Irmão e por sua morte recebeu-nos em herança. Pela Eucaristia continua a comunicar-nos os frutos de seu nascimento, de sua vida e de sua morte. Vemo-Lo hoje, nas bodas de Caná (Evangelho), realizando seu primeiro milagre: a conversão da água em vinho. Aqui converte o vinho em seu Preciosíssimo Sangue, a fim de, por meio deste milagre, repetido através dos séculos, comunicar aos homens a sua divindade. É justo, pois, que digamos no Ofertório: “Vede quanto bem Deus fez à minha alma”.


Páginas 99 a 103 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963).


Missa Rezada às 09:30 horas na Matriz da Paróquia Bom Jesus e Missa Cantada às 15:30 horas na Catedral Diocesana. 


Horários de Missa desta semana, clique aqui.


Liturgia Diária-Festa da Sagrada Família

Festa de 2ª Classe- Missa Própria

Com a Igreja fazemos hoje uma visita à casa de Nazaré. A Sagrada Família é um exemplo para a família cristã. Sigam os filhos o exemplo de Jesus, que era submisso a seus pais. O pai imite a S. José e a mãe veja em Maria Santíssima um modelo de esposa e mãe cujas virtudes encontramos na Epístola e no Evangelho. Para a execução de nossos propósitos, imploramos nas Orações as graças do Alto, e assim, também em nossas casas reinará a paz de Jesus Cristo.


Páginas 88 a 92 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963).


Missa Rezada às 09:30 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes e Missa Cantada às 15:30 horas na Catedral Diocesana. 


Liturgia Diária- 10/01/2019

MISSA DA FÉRIA

Féria de 4ª Classe- Missa da Epifania, com Glória, sem Credo

Epifania, como dizem os gregos, ou aparição, é a segunda solenidade no ciclo de Natal. Jubilosos celebramos com a santa Igreja a entrada solene do Cristo-Rei no mundo, na humanidade, na alma de cada um de nós. Aquele que nascera no silêncio da santa noite de Natal, manifesta-se agora aos olhos do mundo. O Rei da eterna glória entra em sua cidade, a nova Jerusalém, a santa Igreja. 

Oferecemo-nos com o Cristo (Secreta) e recebemos o Cristo (Pós-Comunhão). A vida interior do Cristão é uma reprodução da vida do Cristo. O fim da Igreja, celebrando o Ano eclesiástico, é este: assim como Jesus se manifestou aos Magos, pedimos que se manifeste a cada Cristão pela luz da fé.


Páginas 83 a 87 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963).


Missa às 19:00 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Estão abertas as inscrições para o Curso de Introdução ao Credo. Acesse, saiba mais e se inscreva, clicando aqui. 


Liturgia Diária- 09/01/2019

MISSA DA FÉRIA

Féria de 4ª Classe- Missa da Epifania, com Glória, sem Credo

Epifania, como dizem os gregos, ou aparição, é a segunda solenidade no ciclo de Natal. Jubilosos celebramos com a santa Igreja a entrada solene do Cristo-Rei no mundo, na humanidade, na alma de cada um de nós. Aquele que nascera no silêncio da santa noite de Natal, manifesta-se agora aos olhos do mundo. O Rei da eterna glória entra em sua cidade, a nova Jerusalém, a santa Igreja. 

Oferecemo-nos com o Cristo (Secreta) e recebemos o Cristo (Pós-Comunhão). A vida interior do Cristão é uma reprodução da vida do Cristo. O fim da Igreja, celebrando o Ano eclesiástico, é este: assim como Jesus se manifestou aos Magos, pedimos que se manifeste a cada Cristão pela luz da fé.


Páginas 83 a 87 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963).


Missa às 19:00 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Estão abertas as inscrições para o Curso de Introdução ao Credo. Acesse, saiba mais e se inscreva, clicando aqui. 


Liturgia Diária- 08/01/2019

MISSA DA FÉRIA

Féria de 4ª Classe- Missa da Epifania, com Glória, sem Credo

Epifania, como dizem os gregos, ou aparição, é a segunda solenidade no ciclo de Natal. Jubilosos celebramos com a santa Igreja a entrada solene do Cristo-Rei no mundo, na humanidade, na alma de cada um de nós. Aquele que nascera no silêncio da santa noite de Natal, manifesta-se agora aos olhos do mundo. O Rei da eterna glória entra em sua cidade, a nova Jerusalém, a santa Igreja. 

Oferecemo-nos com o Cristo (Secreta) e recebemos o Cristo (Pós-Comunhão). A vida interior do Cristão é uma reprodução da vida do Cristo. O fim da Igreja, celebrando o Ano eclesiástico, é este: assim como Jesus se manifestou aos Magos, pedimos que se manifeste a cada Cristão pela luz da fé.


Páginas 83 a 87 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963).


Missa às 19:00 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Estão abertas as inscrições para o Curso de Introdução ao Credo. Acesse, saiba mais e se inscreva, clicando aqui. 


Liturgia Diária- 07/01/2019

MISSA DA FÉRIA

Féria de 4ª Classe- Missa da Epifania, com Glória, sem Credo

Epifania, como dizem os gregos, ou aparição, é a segunda solenidade no ciclo de Natal. Jubilosos celebramos com a santa Igreja a entrada solene do Cristo-Rei no mundo, na humanidade, na alma de cada um de nós. Aquele que nascera no silêncio da santa noite de Natal, manifesta-se agora aos olhos do mundo. O Rei da eterna glória entra em sua cidade, a nova Jerusalém, a santa Igreja. 

Oferecemo-nos com o Cristo (Secreta) e recebemos o Cristo (Pós-Comunhão). A vida interior do Cristão é uma reprodução da vida do Cristo. O fim da Igreja, celebrando o Ano eclesiástico, é este: assim como Jesus se manifestou aos Magos, pedimos que se manifeste a cada Cristão pela luz da fé.


Páginas 83 a 87 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963).


Missa às 19:00 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Estão abertas as inscrições para o Curso de Introdução ao Credo. Acesse, saiba mais e se inscreva, clicando aqui. 


Liturgia Diária- Epifania do Senhor

Festa de 1ª Classe- Missa Própria – Estação em São Pedro

DIA DE PRECEITO

Epifania, como dizem os gregos, ou aparição, é a segunda solenidade no ciclo de Natal. Jubilosos celebramos com a santa Igreja a entrada solene do Cristo-Rei no mundo, na humanidade, na alma de cada um de nós. Aquele que nascera no silêncio da santa noite de Natal, manifesta-se agora aos olhos do mundo. O Rei da eterna glória entra em sua cidade, a nova Jerusalém, a santa Igreja. 

Os Ofícios litúrgicos, especialmente o da madrugada, Laudes, falam de uma tríplice manifestação de Jesus. Diz a Antífona: “Hoje o Esposo celestial se uniu à Igreja, porque o Cristo lavou no Jordão os crimes de sua Esposa”. No batismo de Jesus, o Pai Eterno deu testemunho a seu Filho: “Este é o meu Filho, a Ele deveis ouvir”. — “Os Magos se apressam para as núpcias do Rei, com as suas dádivas” (Evangelho). Com os Magos, somos também nós convidados a apresentar no Ofertório a nossa dádiva: o dom de nós mesmos. E finalmente conclui a Antífona: “E a água se transforma em vinho e os convidados se alegram. Aleluia”. Nas bodas de Caná manifestou-se pela vez primeira o poder divino-real de Jesus Cristo. Assim como os convidados se alegram, nós nos alegramos pela transubstanciação do pão e do vinho no Corpo e no Sangue do Salvador que nos é proposto no banquete nupcial da Eucaristia.

A basílica de São Pedro foi escolhido para a celebração da Missa, neste dia, porque a Epifania desde o tempo mais remotos, é uma das maiores solenidades.

Oferecemo-nos com o Cristo (Secreta) e recebemos o Cristo (Pós-Comunhão). A vida interior do Cristão é uma reprodução da vida do Cristo. O fim da Igreja, celebrando o Ano eclesiástico, é este: assim como Jesus se manifestou aos Magos, pedimos que se manifeste a cada Cristão pela luz da fé.


Páginas 83 a 87 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963).


Missa às 19:00 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- 04/01/2019

MISSA DA FÉRIA

Féria de 4ª Classe- Missa de 01/01 (Circuncisão de Jesus), com Glória e sem Credo

DIA DE ABSTINÊNCIA

O Menino-Deus derrama as primeiras gotas de Sangue, e recebe o nome de Jesus, que indica a sua missão de Salvador. Assim, neste dia, a Cruz saúda o berço do Recém-nascido. Intimamente unida a seu Filho, é Maria Santíssima objeto de particular devoção por parte do povo católico. Por isso dela nos lembramos hoje nas Orações e na “estação”.

A festa é a da Circuncisão celebrada desde o século VI Moisés impunha este rito de purificação a todos os varões israelitas no oitavo dia depois do nascimento. Era uma figura do batismo pelo qual o homem havia de ser espiritualmente circuncidado pela extirpação dos vícios, e julgado digno do olhar do Senhor (Santo Ambrósio).


Páginas 76 a 78 do Missal Quotidiano.


Missa às 19:00 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- 03/01/2019

MISSA DA FÉRIA

Féria de 4ª Classe- Missa de 01/01 (Circuncisão de Jesus), com Glória e sem Credo

O Menino-Deus derrama as primeiras gotas de Sangue, e recebe o nome de Jesus, que indica a sua missão de Salvador. Assim, neste dia, a Cruz saúda o berço do Recém-nascido. Intimamente unida a seu Filho, é Maria Santíssima objeto de particular devoção por parte do povo católico. Por isso dela nos lembramos hoje nas Orações e na “estação”.

A festa é a da Circuncisão celebrada desde o século VI Moisés impunha este rito de purificação a todos os varões israelitas no oitavo dia depois do nascimento. Era uma figura do batismo pelo qual o homem havia de ser espiritualmente circuncidado pela extirpação dos vícios, e julgado digno do olhar do Senhor (Santo Ambrósio).


Páginas 76 a 78 do Missal Quotidiano.


Missa às 19:00 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- 01/01/2019

OITAVA DO NATAL – CIRCUNCISÃO DE JESUS

Festa de 1ª Classe- Missa Própria – Estação em Santa Maria além-Tibre

DIA DE PRECEITO

O Menino-Deus derrama as primeiras gotas de Sangue, e recebe o nome de Jesus, que indica a sua missão de Salvador. Assim, neste dia, a Cruz saúda o berço do Recém-nascido. Intimamente unida a seu Filho, é Maria Santíssima objeto de particular devoção por parte do povo católico. Por isso dela nos lembramos hoje nas Orações e na “estação”.

A festa é a da Circuncisão celebrada desde o século VI Moisés impunha este rito de purificação a todos os varões israelitas no oitavo dia depois do nascimento. Era uma figura do batismo pelo qual o homem havia de ser espiritualmente circuncidado pela extirpação dos vícios, e julgado digno do olhar do Senhor (Santo Ambrósio).

A Igreja, tendo o seu começo de ano no I Domingo do Advento, não faz menção do ano civil.


Páginas 76 a 78 do Missal Quotidiano.


Missa às 19:00 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- 31/12/2018

SÃO SILVÉRIO I, Papa e Confessor

Comemoração- Missa da Oitava do Natal (“Puer Natus”), com 2ªs orações da Missa “Si diligis me”

Sob o pontificado deste Papa, de 314 a 355, acabou a era das perseguições e começou a Igreja a gozar de liberdade.


Páginas 72 a 74, 812 a 816 do Missal Quotidiano.


Missa às 18:30 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- Domingo dentro da Oitava do Natal

Domingo de 2ª Classe- Missa Própria

“Quando tudo repousava em profundo silêncio”, na santa noite de Natal, apareceu o Cristo-Rei, sob a forma de uma Criancinha (Introito). Pedimos que Ele nos submeta a seu poder, fazendo-nos praticar as boas obras (Oração) depois de nos ter libertado da escravidão e de nos ter elevado à dignidade de filhos de Deus (Epístola). Sejam nossos exemplos de vida cristã: S. José, Nossa Senhora, Simeão e Ana (Evangelho). Ainda tão próximos do presépio, quedamos, no entanto, surpresos. O mesmo Evangelho nos deixa entrever a Redenção pela Paixão. A Criancinha será o Homem das dores, a Virgem-Mãe, a Mater dolorosa. O altar, neste dia, é para nós presépio e cruz ao mesmo tempo. Conforta-nos, entretanto, o pensamento de que na Comunhão podemos “tomar o Menino” com a sua Mãe e com eles caminhar para a vida eterna.


Páginas 57 a 60 do Missal Quotidiano.


Missa Rezada as 09:30 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes e Missa Cantada as 15:30 horas na Catedral Diocesana.


Liturgia Diária- 29/12/2018

SÃO TOMÁS DE CANTUÁRIA (BECKET), Bispo e Mártir

Comemoração- Missa da Oitava do Natal (“Puer Natus”), com 2ªs orações próprias

Arcebispo de Cantuária e chanceler de Henrique II Corajoso defensor da liberdade da Igreja, morreu assassinado em 1170.


Páginas 72 a 75 do Missal Quotidiano.


Missa às 18:30 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- 25/12/2018- Missa do Dia

NATAL DO SENHOR – MISSA DO DIA

Festa de 1ª Classe- Missa Própria – Estação em Santa Maria Maior

Esta terceira Missa, a principal da festa, foi celebrada, outrora, em S. Pedro. Mais tarde, porém, por causa da grande distância de Sta. Maria Maior, onde o Papa celebrava, à meia noite, foi também esta Missa celebrada na mesma basílica, porém não na cripta, e sim no altar principal. Nossa Senhora é venerada junto do presépio de seu Divino Filho. 

A gruta de Belém transformou-se em Igreja universal. A adoração da Santa Família e dos Pastores, na intimidade, ampliou-se em uma oração da Igreja mundial ao Pequenino, sobre cujo ombro foi posto o principado e que será chamado o Anjo do grande conselho. Na Oração pede-se o exercício deste principado na libertação do cativeiro. Na Epístola e no Evangelho, S. Paulo e S. João revelam o segredo do Anjo do grande conselho, a Majestade infinita e misteriosa do Verbo que se fez carne. Reconhecendo a Deus, no Ofertório, como Senhor do céu e da terra, nós nos oferecemos ao nosso Rei. Na Comunhão gozamos dos frutos da Redenção, que se estendem até os limites da terra e dos séculos.


Páginas 52 a 56 do Missal Quotidiano.


Missa às 18:30 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- 25/12/2018- Missa da Aurora

NATAL DO SENHOR – MISSA DA AURORA

Festa de 1ª Classe- Missa Própria – Estação em Santa Anastásia

Nos primeiros tempos da era cristã, celebrava-se também, neste dia, em Roma, a festa de Sta. Anastácia, martirizada no princípio do IV século, e muito venerada, tanto no Oriente como em Roma. Quando, mais tarde, a festa de Natal foi celebrada com maior solenidade, conservou-se o costume de reunir os fiéis na igreja da Santa, fazendo-se a sua comemoração na II Missa.

Anastácia, a « Ressuscitada », a « Iluminada » na luz do Salvador, ressurgiu para uma vida melhor.

Na companhia dos pastores recebemos, na aurora, as primícias da nova Luz, do divino Sol nascente, que envia aos corações raios de benignidade e caridade; esta misericórdia, porém, só brilhará nas almas puras, que correspondem ao esplendor da fé (Oração) e que se convencem, como os humildes pastores, de que o Salvador não veio pelas obras de justiça que pudéssemos ter feito (Epístola). E então, o Príncipe da paz estabelecerá com firmeza o seu Reino em nosso coração (Ofertório).


Páginas 49 a 52 do Missal Quotidiano.


Missa do dia às 20:00 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- 24/12/2018- Missa do Galo

NATAL DO SENHOR – MISSA DA MEIA-NOITE

Festa de 1ª Classe- Missa Própria – Estação em Santa Maria Maior, no altar do Presépio

Na adoração do Menino-Deus que acaba de nascer, unem-se o Céu e a Terra: cantos extasiados dos anjos, silêncio dos pastores, êxtase terno e humilde de Maria e de José.

Três vezes oferece hoje a Igreja o Santo Sacrifício. A primeira, à meia noite, na cripta de Sta. Maria Maior, onde se guardam os restos do presépio. O lugar e a hora lembram o acontecimento magno da história da humanidade: a vinda do Filho de Deus a este mundo. 

Com Maria e José, diante do presépio, ouçamos o primeiro canto do Menino Jesus, no qual Ele revela a sua filiação divina e eterna. Entrando no mundo, Ele nos lembra que existe antes do mundo num hoje eterno com o Pai celeste. E logo manifesta pelo Apóstolo o seu programa: remir o mundo da iniquidade e formar um povo escolhido, cheio de zelo pelas boas obras. Diante deste Menino-Rei tão poderoso, os céus e a terra exultam (Ofertório) e convidam nossa alma à adoração, para tomarmos parte pela Comunhão nos esplendores da filiação divina.


Páginas 45 a 48 do Missal Quotidiano.


Missa às 20:00 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- 24/12/2018- Vigília

VIGÍLIA DO NATAL DO SENHOR

Vigília de 1ª Classe- Missa Própria – Estação em Santa Maria Maior

« Hoje sabereis que o Senhor virá, e amanhã vereis a sua glória. »

Nos tempos antigos preparavam-se os fiéis para as grandes solenidades, passando a noite anterior, ou parte dela, em oração e cânticos, jejuando e fazendo penitência. Chamaram-se vigília a essas práticas noturnas e esse nome foi conservado, quando, mais tarde, essas práticas de penitência foram feitas durante o dia que precede à festa. Na medida de nossas condições pessoais e por conseguinte, da participação a essas penitências, colheremos também frutos mais ou menos abundantes destas solenidades.

Maria Santíssima, guiou os nossos passos durante o Tempo do Advento. É justo que reunidos em sua igreja (Statio), junto do presépio, esperemos com ela o Salvador. 

Entre todas as vigílias, as do Natal e Páscoa têm sido sempre as mais caras ao espírito cristão, por serem as mais significativas para a vida religiosa e espiritual. Eis os motivos porque, os fiéis, nestes dias, não devem perder o ensejo de assistir ao santo Sacrifício da Missa.

Com as palavras com que Moisés anunciou ao povo, no deserto, a chuva do maná (pão, que era uma figura da Eucaristia), anuncia-nos a Igreja, no Introito, a vinda do Senhor.

Este Senhor é o verdadeiro Maná, verdadeiro Deus e verdadeiro homem (Epístola), nascido da Virgem Maria por virtude do Espírito Santo (Evangelho). No Ofertório da santa Missa vamos ao encontro do Rei da Glória e Ele se revelará a todos os corações na santa Comunhão. E se assim, de ano em ano, O esperamos com alegria como Redentor, também poderemos esperá-Lo com muita confiança como Juiz que há de vir. É o que pedimos na Oração.


Páginas 39 a 42 do Missal Quotidiano.


Missa do Galo às 20:00 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Novena de Natal- 9º dia clique aqui e confira


Liturgia Diária- 12/12/2018

NOSSA SENHORA DE GUADALUPE, Padroeira Principal da América Latina

Festa de 1ª Classe – Missa Própria – Próprio do Brasil

Durante quase quatro séculos, Padroeira milagrosa do México, estendeu-se a devoção também à América do Sul. Imploramos na Oração a proteção da Virgem Mãe de Deus. Os demais textos da Missa se encontram também em outras Missas em honra de Nossa Senhora e nos falam de suas prerrogativas.


Páginas [4] a [6] do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963). 


Excepcionalmente, hoje NÃO HAVERÁ Capela Nossa Senhora de Lourdes. 


Liturgia Diária- 08/12/2018

IMACULADA CONCEIÇÃO DA B. V. MARIA

FESTA DE PRECEITO

Festa de 1ª Classe – Missa Própria

A santa Missa de hoje, em todas as suas partes, anuncia jubilosamente o grande privilégio da Imaculada. Maria Santíssima nunca teve pecado original, nem mesmo no primeiro instante de sua existência; é isto uma verdade divinamente revelada, acreditada pela Igreja desde os princípios do Cristianismo, e, em 1854, solenemente definida como dogma.

Cheia de júbilo, entoa Maria, no Introito, um hino em ação de graças diante do trono de Deus. Seu privilégio singular, fruto antecipado da Redenção, é decretado pela mesma Sabedoria divina que determinou a Incarnação do Verbo divino (Epístola). No Evangelho e no Ofertório alegramo-nos ao ouvir a saudação do Anjo: Cheia de graça. É o resumo da festa de hoje. No Gradual dirigimos a Maria, e com razão, as palavras com que outrora celebrou o povo de Israel a sua libertadora, a corajosa Judite.

Pedimos neste dia a Deus que, assim como a graça preservou a santa Mãe do Salvador ao ponto de, por sua Conceição Imaculada ficar imune do comum contágio do pecado, também nós sejamos curados e livres de nossas faltas (Oração).


Páginas 917 a 921 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963). 


Missa às 18:30 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.