Liturgia Diária- 24/12/2019- Vigília

VIGÍLIA DO NATAL DO SENHOR

Vigília de 1ª Classe- Missa Própria – Estação em Santa Maria Maior

“Hoje sabereis que o Senhor virá, e amanhã vereis a sua glória.”

Nos tempos antigos preparavam-se os fiéis para as grandes solenidades, passando a noite anterior, ou parte dela, em oração e cânticos, jejuando e fazendo penitência. Chamaram-se vigília a essas práticas noturnas e esse nome foi conservado, quando, mais tarde, essas práticas de penitência foram feitas durante o dia que precede à festa. Na medida de nossas condições pessoais e por conseguinte, da participação a essas penitências, colheremos também frutos mais ou menos abundantes destas solenidades.

Maria Santíssima, guiou os nossos passos durante o Tempo do Advento. É justo que reunidos em sua igreja (Statio), junto do presépio, esperemos com ela o Salvador. 

Entre todas as vigílias, as do Natal e Páscoa têm sido sempre as mais caras ao espírito cristão, por serem as mais significativas para a vida religiosa e espiritual. Eis os motivos porque, os fiéis, nestes dias, não devem perder o ensejo de assistir ao santo Sacrifício da Missa.

Com as palavras com que Moisés anunciou ao povo, no deserto, a chuva do maná (pão, que era uma figura da Eucaristia), anuncia-nos a Igreja, no Introito, a vinda do Senhor.

Este Senhor é o verdadeiro Maná, verdadeiro Deus e verdadeiro homem (Epístola), nascido da Virgem Maria por virtude do Espírito Santo (Evangelho). No Ofertório da santa Missa vamos ao encontro do Rei da Glória e Ele se revelará a todos os corações na santa Comunhão. E se assim, de ano em ano, O esperamos com alegria como Redentor, também poderemos esperá-Lo com muita confiança como Juiz que há de vir. É o que pedimos na Oração.

OBS.: Esta Missa se reza durante o dia. A partir das 18 horas já se pode rezar a Missa da Noite de Natal (Missa do Galo).


Páginas 39 a 42 do Missal Quotidiano.


Missa do Galo às 20:00 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Novena de Natal– 9º dia clique aqui e confira


Liturgia Diária- 24/12/2018- Vigília

VIGÍLIA DO NATAL DO SENHOR

Vigília de 1ª Classe- Missa Própria – Estação em Santa Maria Maior

« Hoje sabereis que o Senhor virá, e amanhã vereis a sua glória. »

Nos tempos antigos preparavam-se os fiéis para as grandes solenidades, passando a noite anterior, ou parte dela, em oração e cânticos, jejuando e fazendo penitência. Chamaram-se vigília a essas práticas noturnas e esse nome foi conservado, quando, mais tarde, essas práticas de penitência foram feitas durante o dia que precede à festa. Na medida de nossas condições pessoais e por conseguinte, da participação a essas penitências, colheremos também frutos mais ou menos abundantes destas solenidades.

Maria Santíssima, guiou os nossos passos durante o Tempo do Advento. É justo que reunidos em sua igreja (Statio), junto do presépio, esperemos com ela o Salvador. 

Entre todas as vigílias, as do Natal e Páscoa têm sido sempre as mais caras ao espírito cristão, por serem as mais significativas para a vida religiosa e espiritual. Eis os motivos porque, os fiéis, nestes dias, não devem perder o ensejo de assistir ao santo Sacrifício da Missa.

Com as palavras com que Moisés anunciou ao povo, no deserto, a chuva do maná (pão, que era uma figura da Eucaristia), anuncia-nos a Igreja, no Introito, a vinda do Senhor.

Este Senhor é o verdadeiro Maná, verdadeiro Deus e verdadeiro homem (Epístola), nascido da Virgem Maria por virtude do Espírito Santo (Evangelho). No Ofertório da santa Missa vamos ao encontro do Rei da Glória e Ele se revelará a todos os corações na santa Comunhão. E se assim, de ano em ano, O esperamos com alegria como Redentor, também poderemos esperá-Lo com muita confiança como Juiz que há de vir. É o que pedimos na Oração.


Páginas 39 a 42 do Missal Quotidiano.


Missa do Galo às 20:00 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Novena de Natal- 9º dia clique aqui e confira


Liturgia Diária- 24/12/2017- Vigília

VIGÍLIA DO NATAL DE NOSSO SENHOR

Festa de 1ª Classe- Missa Própria


A presente Missa é celebrado no dia 24 até as primeiras Vésperas, quando já se inicia o Tempo do Natal. Não se confunda com a Missa do Galo.


A vigília do Natal está impregnada de santa alegria. O “Hodie scietis”, repetido com insistência, traduz a alegria da Igreja. O magno acontecimento, que ela se prepara para celebrar, situa-se, é certo, no passado, mas a vinda do Salvador é sempre atual pela Redenção que oferece aos homens de todos os tempos. 

“Filho de Davi… Filho de Deus… restabelecido pela Ressurreição no seu poder de Filho de Deus”: eis como São Paulo evoca sucintamente o que Cristo é para nós. O seu nascimento em Belém, levá-lo-á à Paixão, À Ressurreição e a comunicar aos homens a sua graça e a sua glória. A vinda do Redentor anuncia a sua volta como juiz e vencedor: faz-se um de nós para nos levar conSigo para o Reino. 

É somente nesta ampla perspectiva que se pode compreender a liturgia do Natal, a qual, tomada no seu conjunto, é um hino à obra da Redenção, iniciada por Cristo no dia de seu aparecimento no mundo. A missa da vigília é impressionante, sobretudo vista esta luz. Quase todos os textos repisam a mesma ideia. Repare-se na coleta: o acolhimento que fizermos a Cristo, que vem nos resgatar, condicionará o que Ele nos reserva, quando vier julgar-nos. 


Missa da Noite de Natal (Missa do Galo) às 20 horas na Capela São Judas Tadeu. Não haverá Missa nos horários de costume.


LEITURAS

Epístola (Rm 1, 1-6)

Leitura da Epístola de São Paulo Apóstolo aos Romanos.

Irmãos: Paulo, servo de Jesus Cristo, escolhido para ser apóstolo, reservado para anunciar o Evangelho de Deus; este Evangelho Deus prometera outrora pelos seus profetas na Sagrada Escritura, acerca de seu Filho Jesus Cristo, nosso Senhor, descendente de Davi quanto à carne, que, segundo o Espírito de santidade, foi estabelecido Filho de Deus no poder por sua ressurreição dos mortos; e do qual temos recebido a graça e o apostolado, a fim de levar, em seu nome, todas as nações pagãs à obediência da fé, entre as quais também vós sois os eleitos de Jesus Cristo.

Evangelho (Mt 1, 18-21)

Sequência do Santo Evangelho segundo Mateus

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: Eis como nasceu Jesus Cristo: Maria, sua mãe, estava desposada com José. Antes de coabitarem, aconteceu que ela concebeu por virtude do Espírito Santo. José, seu esposo, que era homem de bem, não querendo difamá-la, resolveu rejeitá-la secretamente. Enquanto assim pensava, eis que um anjo do Senhor lhe apareceu em sonhos e lhe disse: José, filho de Davi, não temas receber Maria por esposa, pois o que nela foi concebido vem do Espírito Santo. Ela dará à luz um filho, a quem porás o nome de Jesus, porque ele salvará o seu povo de seus pecados.