Meditações – Mês de Maria – 17º Dia

17º DIA – Maria é meu modelo

Maria e seus superiores

Mês de São José – 13º dia

Oremos para que o nosso bom Deus nos inspire desejo de propagar cada vez mais a devoção a Santíssima Virgem.

Mês de São José – 12º dia

Oremos para que as pessoas que temos distinguido com a nossa amizade sejam ou se tornem bem piedosas.

Mês de São José – 11º dia

Oremos a fim de que o bom Deus nos perdoe todo o mal que havemos causado com as nossas murmurações.

Mês de São José – 6º dia

Oremos em união com as pessoas do claustro e do século que se levantam em meio a noite para elevarem suas preces a Deus.

Liturgia Diária-Festa da Sagrada Família

Festa de 2ª Classe- Missa Própria

Com a Igreja fazemos hoje uma visita à casa de Nazaré. A Sagrada Família é um exemplo para a família cristã. Sigam os filhos o exemplo de Jesus, que era submisso a seus pais. O pai imite a S. José e a mãe veja em Maria Santíssima um modelo de esposa e mãe cujas virtudes encontramos na Epístola e no Evangelho. Para a execução de nossos propósitos, imploramos nas Orações as graças do Alto, e assim, também em nossas casas reinará a paz de Jesus Cristo.


Páginas 88 a 92 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963).


Missa Cantada às 08 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária-Festa da Sagrada Família

Festa de 2ª Classe- Missa Própria

Com a Igreja fazemos hoje uma visita à casa de Nazaré. A Sagrada Família é um exemplo para a família cristã. Sigam os filhos o exemplo de Jesus, que era submisso a seus pais. O pai imite a S. José e a mãe veja em Maria Santíssima um modelo de esposa e mãe cujas virtudes encontramos na Epístola e no Evangelho. Para a execução de nossos propósitos, imploramos nas Orações as graças do Alto, e assim, também em nossas casas reinará a paz de Jesus Cristo.


Páginas 88 a 92 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963).


Missa Cantada às 08 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- Domingo dentro da Oitava do Natal

Domingo de 2ª Classe- Missa Própria

“Quando tudo repousava em profundo silêncio”, na santa noite de Natal, apareceu o Cristo-Rei, sob a forma de uma Criancinha (Introito). Pedimos que Ele nos submeta a seu poder, fazendo-nos praticar as boas obras (Oração) depois de nos ter libertado da escravidão e de nos ter elevado à dignidade de filhos de Deus (Epístola). Sejam nossos exemplos de vida cristã: S. José, Nossa Senhora, Simeão e Ana (Evangelho). Ainda tão próximos do presépio, quedamos, no entanto, surpresos. O mesmo Evangelho nos deixa entrever a Redenção pela Paixão. A Criancinha será o Homem das dores, a Virgem-Mãe, a Mater dolorosa. O altar, neste dia, é para nós presépio e cruz ao mesmo tempo. Conforta-nos, entretanto, o pensamento de que na Comunhão podemos “tomar o Menino” com a sua Mãe e com eles caminhar para a vida eterna.


Páginas 57 a 60 do Missal Quotidiano.


Liturgia Diária- Natal do Senhor – Missa do Dia

Festa de 1ª Classe- Missa Própria – Estação em Santa Maria Maior

Esta terceira Missa, a principal da festa, foi celebrada, outrora, em S. Pedro. Mais tarde, porém, por causa da grande distância de Sta. Maria Maior, onde o Papa celebrava, à meia noite, foi também esta Missa celebrada na mesma basílica, porém não na cripta, e sim no altar principal. Nossa Senhora é venerada junto do presépio de seu Divino Filho. 

A gruta de Belém transformou-se em Igreja universal. A adoração da Santa Família e dos Pastores, na intimidade, ampliou-se em uma oração da Igreja mundial ao Pequenino, sobre cujo ombro foi posto o principado e que será chamado o Anjo do grande conselho. Na Oração pede-se o exercício deste principado na libertação do cativeiro. Na Epístola e no Evangelho, S. Paulo e S. João revelam o segredo do Anjo do grande conselho, a Majestade infinita e misteriosa do Verbo que se fez carne. Reconhecendo a Deus, no Ofertório, como Senhor do céu e da terra, nós nos oferecemos ao nosso Rei. Na Comunhão gozamos dos frutos da Redenção, que se estendem até os limites da terra e dos séculos.


Páginas 52 a 56 do Missal Quotidiano.


Missa às 09:30 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- Natal do Senhor – Missa da Aurora

Festa de 1ª Classe- Missa Própria – Estação em Santa Anastásia

Nos primeiros tempos da era cristã, celebrava-se também, neste dia, em Roma, a festa de Sta. Anastácia, martirizada no princípio do IV século, e muito venerada, tanto no Oriente como em Roma. Quando, mais tarde, a festa de Natal foi celebrada com maior solenidade, conservou-se o costume de reunir os fiéis na igreja da Santa, fazendo-se a sua comemoração na II Missa.

Anastácia, a « Ressuscitada », a « Iluminada » na luz do Salvador, ressurgiu para uma vida melhor.

Na companhia dos pastores recebemos, na aurora, as primícias da nova Luz, do divino Sol nascente, que envia aos corações raios de benignidade e caridade; esta misericórdia, porém, só brilhará nas almas puras, que correspondem ao esplendor da fé (Oração) e que se convencem, como os humildes pastores, de que o Salvador não veio pelas obras de justiça que pudéssemos ter feito (Epístola). E então, o Príncipe da paz estabelecerá com firmeza o seu Reino em nosso coração (Ofertório).


Páginas 49 a 52 do Missal Quotidiano.


Liturgia Diária- Natal do Senhor- Missa da meia-noite

Festa de 1ª Classe- Missa Própria – Estação em Santa Maria Maior, no altar do Presépio

Três vezes oferece hoje a Igreja o Santo Sacrifício. A primeira, à meia noite, na cripta de Sta. Maria Maior, onde se guardam os restos do presépio. O lugar e a hora lembram o acontecimento magno da história da humanidade: a vinda do Filho de Deus a este mundo. 

Com Maria e José, diante do presépio, ouçamos o primeiro canto do Menino Jesus, no qual Ele revela a sua filiação divina e eterna. Entrando no mundo, Ele nos lembra que existe antes do mundo num hoje eterno com o Pai celeste. E logo manifesta pelo Apóstolo o seu programa: remir o mundo da iniquidade e formar um povo escolhido, cheio de zelo pelas boas obras. Diante deste Menino-Rei tão poderoso, os céus e a terra exultam (Ofertório) e convidam nossa alma à adoração, para tomarmos parte pela Comunhão nos esplendores da filiação divina.


Páginas 45 a 48 do Missal Quotidiano.


Missa às 00 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- Vigília do Natal do Senhor

1ª Classe- Missa Própria – Estação em Santa Maria Maior

“Hoje sabereis que o Senhor virá, e amanhã vereis a sua glória.”

Nos tempos antigos preparavam-se os fiéis para as grandes solenidades, passando a noite anterior, ou parte dela, em oração e cânticos, jejuando e fazendo penitência. Chamaram-se vigília a essas práticas noturnas e esse nome foi conservado, quando, mais tarde, essas práticas de penitência foram feitas durante o dia que precede à festa. Na medida de nossas condições pessoais e por conseguinte, da participação a essas penitências, colheremos também frutos mais ou menos abundantes destas solenidades.

Maria Santíssima, guiou os nossos passos durante o Tempo do Advento. É justo que reunidos em sua igreja (Statio), junto do presépio, esperemos com ela o Salvador. 

Entre todas as vigílias, as do Natal e Páscoa têm sido sempre as mais caras ao espírito cristão, por serem as mais significativas para a vida religiosa e espiritual. Eis os motivos porque, os fiéis, nestes dias, não devem perder o ensejo de assistir ao santo Sacrifício da Missa.

Com as palavras com que Moisés anunciou ao povo, no deserto, a chuva do maná (pão, que era uma figura da Eucaristia), anuncia-nos a Igreja, no Introito, a vinda do Senhor.

Este Senhor é o verdadeiro Maná, verdadeiro Deus e verdadeiro homem (Epístola), nascido da Virgem Maria por virtude do Espírito Santo (Evangelho). No Ofertório da santa Missa vamos ao encontro do Rei da Glória e Ele se revelará a todos os corações na santa Comunhão. E se assim, de ano em ano, O esperamos com alegria como Redentor, também poderemos esperá-Lo com muita confiança como Juiz que há de vir. É o que pedimos na Oração.

OBS.: Esta Missa se reza durante o dia. A partir das 18 horas já se pode rezar a Missa da Noite de Natal (Missa do Galo).


Páginas 39 a 42 do Missal Quotidiano.


Missa do Galo às 00 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Mês de São José – 13º dia

Oremos para que o nosso bom Deus nos inspire desejo de propagar cada vez mais a devoção a Santíssima Virgem.

Mês de São José – 12º dia

Oremos para que as pessoas que temos distinguido com a nossa amizade sejam ou se tornem bem piedosas.

Mês de São José – 11º dia

Oremos a fim de que o bom Deus nos perdoe todo o mal que havemos causado com as nossas murmurações.

Mês de São José – 6º dia

Oremos em união com as pessoas do claustro e do século que se levantam em meio a noite para elevarem suas preces a Deus.

Março – Mês de São José

O mês de março é dedicado ao fiel Esposo de Maria e pai adotivo de Nosso Senhor, São José. Se essa devoção já é de grande valia aos bons católicos, tanto mais nestes tempos e, especialmente, neste ano, nossos olhares devem se voltar ao Santo Patriarca de Nazaré. 

Liturgia Diária-Festa da Sagrada Família

Festa de 2ª Classe- Missa Própria

Com a Igreja fazemos hoje uma visita à casa de Nazaré. A Sagrada Família é um exemplo para a família cristã. Sigam os filhos o exemplo de Jesus, que era submisso a seus pais. O pai imite a S. José e a mãe veja em Maria Santíssima um modelo de esposa e mãe cujas virtudes encontramos na Epístola e no Evangelho. Para a execução de nossos propósitos, imploramos nas Orações as graças do Alto, e assim, também em nossas casas reinará a paz de Jesus Cristo.


Páginas 88 a 92 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963).


Missa Rezada às 07:30 horas  e Missa Cantada às 09:30 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- Domingo dentro da Oitava do Natal

Domingo de 2ª Classe- Missa Própria

“Quando tudo repousava em profundo silêncio”, na santa noite de Natal, apareceu o Cristo-Rei, sob a forma de uma Criancinha (Introito). Pedimos que Ele nos submeta a seu poder, fazendo-nos praticar as boas obras (Oração) depois de nos ter libertado da escravidão e de nos ter elevado à dignidade de filhos de Deus (Epístola). Sejam nossos exemplos de vida cristã: S. José, Nossa Senhora, Simeão e Ana (Evangelho). Ainda tão próximos do presépio, quedamos, no entanto, surpresos. O mesmo Evangelho nos deixa entrever a Redenção pela Paixão. A Criancinha será o Homem das dores, a Virgem-Mãe, a Mater dolorosa. O altar, neste dia, é para nós presépio e cruz ao mesmo tempo. Conforta-nos, entretanto, o pensamento de que na Comunhão podemos “tomar o Menino” com a sua Mãe e com eles caminhar para a vida eterna.


Páginas 57 a 60 do Missal Quotidiano.


Missa Rezada as 07:30 horas e Missa Cantada às 09:30 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- Natal do Senhor – Missa do Dia

Festa de 1ª Classe- Missa Própria – Estação em Santa Maria Maior

Esta terceira Missa, a principal da festa, foi celebrada, outrora, em S. Pedro. Mais tarde, porém, por causa da grande distância de Sta. Maria Maior, onde o Papa celebrava, à meia noite, foi também esta Missa celebrada na mesma basílica, porém não na cripta, e sim no altar principal. Nossa Senhora é venerada junto do presépio de seu Divino Filho. 

A gruta de Belém transformou-se em Igreja universal. A adoração da Santa Família e dos Pastores, na intimidade, ampliou-se em uma oração da Igreja mundial ao Pequenino, sobre cujo ombro foi posto o principado e que será chamado o Anjo do grande conselho. Na Oração pede-se o exercício deste principado na libertação do cativeiro. Na Epístola e no Evangelho, S. Paulo e S. João revelam o segredo do Anjo do grande conselho, a Majestade infinita e misteriosa do Verbo que se fez carne. Reconhecendo a Deus, no Ofertório, como Senhor do céu e da terra, nós nos oferecemos ao nosso Rei. Na Comunhão gozamos dos frutos da Redenção, que se estendem até os limites da terra e dos séculos.


Páginas 52 a 56 do Missal Quotidiano.


Missa às 09:30 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- Natal do Senhor – Missa da Aurora

Festa de 1ª Classe- Missa Própria – Estação em Santa Anastásia

Nos primeiros tempos da era cristã, celebrava-se também, neste dia, em Roma, a festa de Sta. Anastácia, martirizada no princípio do IV século, e muito venerada, tanto no Oriente como em Roma. Quando, mais tarde, a festa de Natal foi celebrada com maior solenidade, conservou-se o costume de reunir os fiéis na igreja da Santa, fazendo-se a sua comemoração na II Missa.

Anastácia, a « Ressuscitada », a « Iluminada » na luz do Salvador, ressurgiu para uma vida melhor.

Na companhia dos pastores recebemos, na aurora, as primícias da nova Luz, do divino Sol nascente, que envia aos corações raios de benignidade e caridade; esta misericórdia, porém, só brilhará nas almas puras, que correspondem ao esplendor da fé (Oração) e que se convencem, como os humildes pastores, de que o Salvador não veio pelas obras de justiça que pudéssemos ter feito (Epístola). E então, o Príncipe da paz estabelecerá com firmeza o seu Reino em nosso coração (Ofertório).


Páginas 49 a 52 do Missal Quotidiano.


Missa da Aurora às 06:00 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- Natal do Senhor- Missa da meia-noite

Festa de 1ª Classe- Missa Própria – Estação em Santa Maria Maior, no altar do Presépio

Três vezes oferece hoje a Igreja o Santo Sacrifício. A primeira, à meia noite, na cripta de Sta. Maria Maior, onde se guardam os restos do presépio. O lugar e a hora lembram o acontecimento magno da história da humanidade: a vinda do Filho de Deus a este mundo. 

Com Maria e José, diante do presépio, ouçamos o primeiro canto do Menino Jesus, no qual Ele revela a sua filiação divina e eterna. Entrando no mundo, Ele nos lembra que existe antes do mundo num hoje eterno com o Pai celeste. E logo manifesta pelo Apóstolo o seu programa: remir o mundo da iniquidade e formar um povo escolhido, cheio de zelo pelas boas obras. Diante deste Menino-Rei tão poderoso, os céus e a terra exultam (Ofertório) e convidam nossa alma à adoração, para tomarmos parte pela Comunhão nos esplendores da filiação divina.


Páginas 45 a 48 do Missal Quotidiano.


Missa às 00 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- Vigília do Natal do Senhor

1ª Classe- Missa Própria – Estação em Santa Maria Maior

“Hoje sabereis que o Senhor virá, e amanhã vereis a sua glória.”

Nos tempos antigos preparavam-se os fiéis para as grandes solenidades, passando a noite anterior, ou parte dela, em oração e cânticos, jejuando e fazendo penitência. Chamaram-se vigília a essas práticas noturnas e esse nome foi conservado, quando, mais tarde, essas práticas de penitência foram feitas durante o dia que precede à festa. Na medida de nossas condições pessoais e por conseguinte, da participação a essas penitências, colheremos também frutos mais ou menos abundantes destas solenidades.

Maria Santíssima, guiou os nossos passos durante o Tempo do Advento. É justo que reunidos em sua igreja (Statio), junto do presépio, esperemos com ela o Salvador. 

Entre todas as vigílias, as do Natal e Páscoa têm sido sempre as mais caras ao espírito cristão, por serem as mais significativas para a vida religiosa e espiritual. Eis os motivos porque, os fiéis, nestes dias, não devem perder o ensejo de assistir ao santo Sacrifício da Missa.

Com as palavras com que Moisés anunciou ao povo, no deserto, a chuva do maná (pão, que era uma figura da Eucaristia), anuncia-nos a Igreja, no Introito, a vinda do Senhor.

Este Senhor é o verdadeiro Maná, verdadeiro Deus e verdadeiro homem (Epístola), nascido da Virgem Maria por virtude do Espírito Santo (Evangelho). No Ofertório da santa Missa vamos ao encontro do Rei da Glória e Ele se revelará a todos os corações na santa Comunhão. E se assim, de ano em ano, O esperamos com alegria como Redentor, também poderemos esperá-Lo com muita confiança como Juiz que há de vir. É o que pedimos na Oração.

OBS.: Esta Missa se reza durante o dia. A partir das 18 horas já se pode rezar a Missa da Noite de Natal (Missa do Galo).


Páginas 39 a 42 do Missal Quotidiano.


Missa da Vigília às 07:30 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.

Missa do Galo às 00 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Novena de Natal– 9º dia clique aqui e confira


Meditações – Mês de Maria – 17º Dia

17º DIA – Maria é meu modelo

Maria e seus superiores

Mês de São José

Compartilhamos o livro Florilégio de São José, disponibilizado virtualmente pelo site Livros Católicos para Download (Alexandria Católica). 

Tendo como base a ladainha de São José, o autor traça um itinerário diário de meditação sobre o tão grande esposo de Maria Santíssima e pai adotivo de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Clique aqui, acesse e leia

Liturgia Diária-Festa da Sagrada Família

Festa de 2ª Classe- Missa Própria

Com a Igreja fazemos hoje uma visita à casa de Nazaré. A Sagrada Família é um exemplo para a família cristã. Sigam os filhos o exemplo de Jesus, que era submisso a seus pais. O pai imite a S. José e a mãe veja em Maria Santíssima um modelo de esposa e mãe cujas virtudes encontramos na Epístola e no Evangelho. Para a execução de nossos propósitos, imploramos nas Orações as graças do Alto, e assim, também em nossas casas reinará a paz de Jesus Cristo.


Páginas 88 a 92 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963).


APENAS Missa Cantada às 09:30 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes. 


Liturgia Diária- Domingo dentro da Oitava do Natal

Domingo de 2ª Classe- Missa Própria

“Quando tudo repousava em profundo silêncio”, na santa noite de Natal, apareceu o Cristo-Rei, sob a forma de uma Criancinha (Introito). Pedimos que Ele nos submeta a seu poder, fazendo-nos praticar as boas obras (Oração) depois de nos ter libertado da escravidão e de nos ter elevado à dignidade de filhos de Deus (Epístola). Sejam nossos exemplos de vida cristã: S. José, Nossa Senhora, Simeão e Ana (Evangelho). Ainda tão próximos do presépio, quedamos, no entanto, surpresos. O mesmo Evangelho nos deixa entrever a Redenção pela Paixão. A Criancinha será o Homem das dores, a Virgem-Mãe, a Mater dolorosa. O altar, neste dia, é para nós presépio e cruz ao mesmo tempo. Conforta-nos, entretanto, o pensamento de que na Comunhão podemos “tomar o Menino” com a sua Mãe e com eles caminhar para a vida eterna.


Páginas 57 a 60 do Missal Quotidiano.


Missa Rezada as 09:30 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes e Missa Cantada as 15:30 horas na Catedral Diocesana.


Liturgia Diária- 25/12/2019- Missa do Dia

NATAL DO SENHOR – MISSA DO DIA

Festa de 1ª Classe- Missa Própria – Estação em Santa Maria Maior

Esta terceira Missa, a principal da festa, foi celebrada, outrora, em S. Pedro. Mais tarde, porém, por causa da grande distância de Sta. Maria Maior, onde o Papa celebrava, à meia noite, foi também esta Missa celebrada na mesma basílica, porém não na cripta, e sim no altar principal. Nossa Senhora é venerada junto do presépio de seu Divino Filho. 

A gruta de Belém transformou-se em Igreja universal. A adoração da Santa Família e dos Pastores, na intimidade, ampliou-se em uma oração da Igreja mundial ao Pequenino, sobre cujo ombro foi posto o principado e que será chamado o Anjo do grande conselho. Na Oração pede-se o exercício deste principado na libertação do cativeiro. Na Epístola e no Evangelho, S. Paulo e S. João revelam o segredo do Anjo do grande conselho, a Majestade infinita e misteriosa do Verbo que se fez carne. Reconhecendo a Deus, no Ofertório, como Senhor do céu e da terra, nós nos oferecemos ao nosso Rei. Na Comunhão gozamos dos frutos da Redenção, que se estendem até os limites da terra e dos séculos.


Páginas 52 a 56 do Missal Quotidiano.


Missa às 19 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- 25/12/2019- Missa da Aurora

NATAL DO SENHOR – MISSA DA AURORA

Festa de 1ª Classe- Missa Própria – Estação em Santa Anastásia

Nos primeiros tempos da era cristã, celebrava-se também, neste dia, em Roma, a festa de Sta. Anastácia, martirizada no princípio do IV século, e muito venerada, tanto no Oriente como em Roma. Quando, mais tarde, a festa de Natal foi celebrada com maior solenidade, conservou-se o costume de reunir os fiéis na igreja da Santa, fazendo-se a sua comemoração na II Missa.

Anastácia, a « Ressuscitada », a « Iluminada » na luz do Salvador, ressurgiu para uma vida melhor.

Na companhia dos pastores recebemos, na aurora, as primícias da nova Luz, do divino Sol nascente, que envia aos corações raios de benignidade e caridade; esta misericórdia, porém, só brilhará nas almas puras, que correspondem ao esplendor da fé (Oração) e que se convencem, como os humildes pastores, de que o Salvador não veio pelas obras de justiça que pudéssemos ter feito (Epístola). E então, o Príncipe da paz estabelecerá com firmeza o seu Reino em nosso coração (Ofertório).


Páginas 49 a 52 do Missal Quotidiano.


Missa do dia às 19:00 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- 24/12/2019- Missa do Galo

NATAL DO SENHOR – MISSA DA MEIA-NOITE

Festa de 1ª Classe- Missa Própria – Estação em Santa Maria Maior, no altar do Presépio

Três vezes oferece hoje a Igreja o Santo Sacrifício. A primeira, à meia noite, na cripta de Sta. Maria Maior, onde se guardam os restos do presépio. O lugar e a hora lembram o acontecimento magno da história da humanidade: a vinda do Filho de Deus a este mundo. 

Com Maria e José, diante do presépio, ouçamos o primeiro canto do Menino Jesus, no qual Ele revela a sua filiação divina e eterna. Entrando no mundo, Ele nos lembra que existe antes do mundo num hoje eterno com o Pai celeste. E logo manifesta pelo Apóstolo o seu programa: remir o mundo da iniquidade e formar um povo escolhido, cheio de zelo pelas boas obras. Diante deste Menino-Rei tão poderoso, os céus e a terra exultam (Ofertório) e convidam nossa alma à adoração, para tomarmos parte pela Comunhão nos esplendores da filiação divina.


Páginas 45 a 48 do Missal Quotidiano.


Missa às 20:00 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- 24/12/2019- Vigília

VIGÍLIA DO NATAL DO SENHOR

Vigília de 1ª Classe- Missa Própria – Estação em Santa Maria Maior

“Hoje sabereis que o Senhor virá, e amanhã vereis a sua glória.”

Nos tempos antigos preparavam-se os fiéis para as grandes solenidades, passando a noite anterior, ou parte dela, em oração e cânticos, jejuando e fazendo penitência. Chamaram-se vigília a essas práticas noturnas e esse nome foi conservado, quando, mais tarde, essas práticas de penitência foram feitas durante o dia que precede à festa. Na medida de nossas condições pessoais e por conseguinte, da participação a essas penitências, colheremos também frutos mais ou menos abundantes destas solenidades.

Maria Santíssima, guiou os nossos passos durante o Tempo do Advento. É justo que reunidos em sua igreja (Statio), junto do presépio, esperemos com ela o Salvador. 

Entre todas as vigílias, as do Natal e Páscoa têm sido sempre as mais caras ao espírito cristão, por serem as mais significativas para a vida religiosa e espiritual. Eis os motivos porque, os fiéis, nestes dias, não devem perder o ensejo de assistir ao santo Sacrifício da Missa.

Com as palavras com que Moisés anunciou ao povo, no deserto, a chuva do maná (pão, que era uma figura da Eucaristia), anuncia-nos a Igreja, no Introito, a vinda do Senhor.

Este Senhor é o verdadeiro Maná, verdadeiro Deus e verdadeiro homem (Epístola), nascido da Virgem Maria por virtude do Espírito Santo (Evangelho). No Ofertório da santa Missa vamos ao encontro do Rei da Glória e Ele se revelará a todos os corações na santa Comunhão. E se assim, de ano em ano, O esperamos com alegria como Redentor, também poderemos esperá-Lo com muita confiança como Juiz que há de vir. É o que pedimos na Oração.

OBS.: Esta Missa se reza durante o dia. A partir das 18 horas já se pode rezar a Missa da Noite de Natal (Missa do Galo).


Páginas 39 a 42 do Missal Quotidiano.


Missa do Galo às 20:00 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Novena de Natal– 9º dia clique aqui e confira


Liturgia Diária-Festa da Sagrada Família

Festa de 2ª Classe- Missa Própria

Com a Igreja fazemos hoje uma visita à casa de Nazaré. A Sagrada Família é um exemplo para a família cristã. Sigam os filhos o exemplo de Jesus, que era submisso a seus pais. O pai imite a S. José e a mãe veja em Maria Santíssima um modelo de esposa e mãe cujas virtudes encontramos na Epístola e no Evangelho. Para a execução de nossos propósitos, imploramos nas Orações as graças do Alto, e assim, também em nossas casas reinará a paz de Jesus Cristo.


Páginas 88 a 92 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963).


Missa Rezada às 09:30 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes e Missa Cantada às 15:30 horas na Catedral Diocesana. 


Liturgia Diária- Domingo dentro da Oitava do Natal

Domingo de 2ª Classe- Missa Própria

“Quando tudo repousava em profundo silêncio”, na santa noite de Natal, apareceu o Cristo-Rei, sob a forma de uma Criancinha (Introito). Pedimos que Ele nos submeta a seu poder, fazendo-nos praticar as boas obras (Oração) depois de nos ter libertado da escravidão e de nos ter elevado à dignidade de filhos de Deus (Epístola). Sejam nossos exemplos de vida cristã: S. José, Nossa Senhora, Simeão e Ana (Evangelho). Ainda tão próximos do presépio, quedamos, no entanto, surpresos. O mesmo Evangelho nos deixa entrever a Redenção pela Paixão. A Criancinha será o Homem das dores, a Virgem-Mãe, a Mater dolorosa. O altar, neste dia, é para nós presépio e cruz ao mesmo tempo. Conforta-nos, entretanto, o pensamento de que na Comunhão podemos “tomar o Menino” com a sua Mãe e com eles caminhar para a vida eterna.


Páginas 57 a 60 do Missal Quotidiano.


Missa Rezada as 09:30 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes e Missa Cantada as 15:30 horas na Catedral Diocesana.


Liturgia Diária- 25/12/2018- Missa do Dia

NATAL DO SENHOR – MISSA DO DIA

Festa de 1ª Classe- Missa Própria – Estação em Santa Maria Maior

Esta terceira Missa, a principal da festa, foi celebrada, outrora, em S. Pedro. Mais tarde, porém, por causa da grande distância de Sta. Maria Maior, onde o Papa celebrava, à meia noite, foi também esta Missa celebrada na mesma basílica, porém não na cripta, e sim no altar principal. Nossa Senhora é venerada junto do presépio de seu Divino Filho. 

A gruta de Belém transformou-se em Igreja universal. A adoração da Santa Família e dos Pastores, na intimidade, ampliou-se em uma oração da Igreja mundial ao Pequenino, sobre cujo ombro foi posto o principado e que será chamado o Anjo do grande conselho. Na Oração pede-se o exercício deste principado na libertação do cativeiro. Na Epístola e no Evangelho, S. Paulo e S. João revelam o segredo do Anjo do grande conselho, a Majestade infinita e misteriosa do Verbo que se fez carne. Reconhecendo a Deus, no Ofertório, como Senhor do céu e da terra, nós nos oferecemos ao nosso Rei. Na Comunhão gozamos dos frutos da Redenção, que se estendem até os limites da terra e dos séculos.


Páginas 52 a 56 do Missal Quotidiano.


Missa às 18:30 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- 25/12/2018- Missa da Aurora

NATAL DO SENHOR – MISSA DA AURORA

Festa de 1ª Classe- Missa Própria – Estação em Santa Anastásia

Nos primeiros tempos da era cristã, celebrava-se também, neste dia, em Roma, a festa de Sta. Anastácia, martirizada no princípio do IV século, e muito venerada, tanto no Oriente como em Roma. Quando, mais tarde, a festa de Natal foi celebrada com maior solenidade, conservou-se o costume de reunir os fiéis na igreja da Santa, fazendo-se a sua comemoração na II Missa.

Anastácia, a « Ressuscitada », a « Iluminada » na luz do Salvador, ressurgiu para uma vida melhor.

Na companhia dos pastores recebemos, na aurora, as primícias da nova Luz, do divino Sol nascente, que envia aos corações raios de benignidade e caridade; esta misericórdia, porém, só brilhará nas almas puras, que correspondem ao esplendor da fé (Oração) e que se convencem, como os humildes pastores, de que o Salvador não veio pelas obras de justiça que pudéssemos ter feito (Epístola). E então, o Príncipe da paz estabelecerá com firmeza o seu Reino em nosso coração (Ofertório).


Páginas 49 a 52 do Missal Quotidiano.


Missa do dia às 20:00 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- 24/12/2018- Missa do Galo

NATAL DO SENHOR – MISSA DA MEIA-NOITE

Festa de 1ª Classe- Missa Própria – Estação em Santa Maria Maior, no altar do Presépio

Na adoração do Menino-Deus que acaba de nascer, unem-se o Céu e a Terra: cantos extasiados dos anjos, silêncio dos pastores, êxtase terno e humilde de Maria e de José.

Três vezes oferece hoje a Igreja o Santo Sacrifício. A primeira, à meia noite, na cripta de Sta. Maria Maior, onde se guardam os restos do presépio. O lugar e a hora lembram o acontecimento magno da história da humanidade: a vinda do Filho de Deus a este mundo. 

Com Maria e José, diante do presépio, ouçamos o primeiro canto do Menino Jesus, no qual Ele revela a sua filiação divina e eterna. Entrando no mundo, Ele nos lembra que existe antes do mundo num hoje eterno com o Pai celeste. E logo manifesta pelo Apóstolo o seu programa: remir o mundo da iniquidade e formar um povo escolhido, cheio de zelo pelas boas obras. Diante deste Menino-Rei tão poderoso, os céus e a terra exultam (Ofertório) e convidam nossa alma à adoração, para tomarmos parte pela Comunhão nos esplendores da filiação divina.


Páginas 45 a 48 do Missal Quotidiano.


Missa às 20:00 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.