Instrução – As aparições de Lurdes

O Evangelho nos conta a aparição do Arcanjo Gabriel à Virgem Santíssima para comunicar-lhe que havia sido escolhida para ser a Mãe de Deus. Por sua vez, a Virgem Santa vem de vez em quando, transmitir-nos as mensagens do céu, aparecendo neste mundo para aproximá-lo de seu Jesus.

Entre estas numerosas aparições merecem lugar de destaque as de Lurdes, tanto pelos ensinamentos que nos trazem, como pelos numerosos milagres, que continuam a operar-se neste lugar. Contemplemos hoje esta maravilha da ternura da Mãe de Jesus, considerando:
      I. A sua aparição tão bela
      II. Os seus ensinamentos.

Liturgia da Festa: clique aqui e confira

Instrução – Os dois mistérios

ERRATA

Lembramos que a Procissão de Velas e Missa de hoje serão realizados às 15:15 horas, na Catedral, informação que não estava corretamente disposta no post da Liturgia Diária de hoje, agora corrigido.


Meditando bem o Evangelho desta festa, encontramos nele a expressão nítida de três grandes mistérios, que se unem num único, que a Igreja chama a “apresentação de Jesus no templo” , mas que no fundo inclui tudo o que há de mais tocante e sublime na religião.

De fato, temos diante de nós: um Homem-Deus oferecido a Deus; o Soberano Sacerdote da nova aliança num estado de vítima; o Redentor do mundo resgatado; uma virgem purificada; e enfim: uma mãe imolando o seu filho. Quantos prodígios na ordem da graça!

Entre estes grandes mistérios, escolhamos os dois primeiros para meditá-los: Estes dois mistérios são:
     1 – A apresentação de Jesus no templo
     2 – A purificação da Mãe de Jesus

[Novidade] Instruções sobre as Festas Litúrgicas – Pe. Julio de Lombaerde

A partir de hoje, 29, nosso site passa a contar com mais um conteúdo: a publicação das Instruções/Sermões do grande Padre Júlio Maria de Lombaerde, extraído de seu livro O Evangelho das Festas Litúrgicas e dos Santos mais populares. Conheça um pouco mais de sua história:

Instrução – São Francisco [de Sales] e a Mansidão

Jesus Cristo compara a santidade ao sal, que preserva da corrupção e à luz, que dissipa as trevas.

São Francisco de Salles foi sal, pela sua vida apostólica, que preservou tantas almas da corrupção do erro e do vício. Foi um luzeiro resplandescente pela sua mansidão e bondade atraente. Nos últimos anos de sua vida, foi introduzida a causa de Beatificação de S. Francisco Xavier. Falando deste acontecimento, um sacerdote observou: Já temos São Francisco de Assis, São Francisco de Bórgia, São Francisco de Paula e São Francisco Xavier; falta apenas São Francisco de Salles.

O Prelado sorriu e respondeu com íntima convicção: “Custe o que custar, quero ser santo também; teremos um São Francisco de Salles”. A profecia realizou-se e 45 anos mais tarde Francisco de Salles recebia as honras dos altares. Percorramos hoje esta vida admirável, vendo:
     I – Como o Santo adquiriu a mansidão
     II – Como nós podemos adquiri-la