Liturgia Diária- 14/11/2020

S. JOSAFÁ, Bispo e Mártir

Festa de 3ª Classe- Missa própria

Monge basiliano e mais tarde Arcebispo, trabalhou muito para a união da Igreja oriental com a de Roma. Foi assassinado pelos Polacos. Deu a vida por suas ovelhas (Evangelho).


Páginas 1377 a 1379 do Missal Quotidiano. 


Missa às 08 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes. 


Liturgia Diária- 14/11/2019

S. JOSAFÁ, Bispo e Mártir

Festa de 3ª Classe- Missa própria

Monge basiliano e mais tarde Arcebispo, trabalhou muito para a união da Igreja oriental com a de Roma. Foi assassinado pelos Polacos. Deu a vida por suas ovelhas (Evangelho).


Páginas 1377 a 1379 do Missal Quotidiano. 


Missa às 19 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes. 


Liturgia Diária- 23/02/2019

SÃO PEDRO DAMIÃO, Bispo, Confessor e Doutor

Festa de 3ª Classe- Missa “In medio”, com Coleta própria

Monge camaldulense foi feito Bispo de Ostia e mais tarde Cardeal. Grande reformador da disciplina eclesiástica, combateu os males do tempo. Renunciou mais tarde a todas as suas dignidades e morreu como simples monge.


Páginas 993; 856 a 860 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre)


Missa às 19 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- 21/03/2018

QUARTA-FEIRA DA SEMANA DA PAIXÃO

Féria de 3ª Classe- Missa Própria com Comemoração de São Bento

Para descrever os sentimentos de Cristo, ao aproximar-se da sua Paixão, a Igreja serve-se do Saltério. Postos nos lábios de Jesus, os cantos das missas desta semana são profundamente comovedores. Estão ali visíveis a angústia e o doloroso queixume, mas ainda mais, a esperança e a ação de graças. Cristo, que nos representa a todos, associa-nos estreitamente à sua prece. São as afirmações de Jesus, relativas à sua divindade que o hão de levar à condenação. As do evangelho deste dia são das mais claras, e os seus adversários bem o compreendem.


SÃO BENTO, Abade

Comemoração- Missa do dia, com 2ªs orações da Missa “Os justi” (Comum dos Abades)

Deus suscita em todas as curvas da história grandes figuras de santos para assegurar à sua Igreja o império sobrenatural que, em virtude de missão divina, deve exercer sobre as almas. São Bento nasceu em Núrsia, na Úmbria, cerca de 480. Fez estudos em Roma, mas breve deixou o mundo para se retirar na solidão de Subiaco. Depois de dois anos de vida eremítica numa gruta da montanha, adquiriu tanta fama, que os discípulos se reuniram à sua volta e as grandes famílias de Roma lhe confiaram os filhos para educar. Como abade, organizou a vida monástica em doze pequenos mosteiros, onde os monges, consagrados à procura de Deus, trabalhavam e rezavam. Anos depois, São Bento deixou a região de Subiaco para fundar nos montes de Campânia a grande abadia de Montecassino. Aqui escreveu uma regra em que se conjugam de modo admirável o gênio romano e a sabedoria monástica do oriente cristão. São Bento morreu em 547. É o patriarca dos monges do ocidente; não por ter inaugurado a vida monástica na Europa, mas porque a penetrou do seu espírito, que foi como um fermento novo e renovador na formação da cristandade medieval. Ainda nos nossos dias a influência de São Bento é considerável e não se confina aos meios monásticos.  


Páginas 307 a 311, 1013 867 a 870 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963).


Missa às 18:30 horas na Capela São Judas Tadeu.


LEITURAS

Leitura (Lev 19: 1, 2; 11-19, 25)


A perfeição moral exigida pela lei de Moisés, tinha uma única razão de ser: “Eu sou o Senhor vosso Deus”. Jesus será mais concreto: “Sede perfeitos, como o vosso Pai celeste”. Mas Ele mesmo dá os meios de atingir esta perfeição, da qual é o supremo exemplar.


Leitura do Livro dos Levíticos. 

Naqueles dias: O Senhor disse a Moisés: “Dirás a toda a assembléia de Israel o seguinte: sede santos, porque eu, o Senhor, vosso Deus, sou santo. Não furtareis, não usareis de embustes nem de mentiras uns para com os outros. Não jurareis falso em meu nome, porque profanaríeis o nome de vosso Deus. Eu sou o Senhor. Não oprimirás o teu próximo, e não o despojarás. O salário do teu operário não ficará contigo até o dia seguinte. Não amaldiçoarás um surdo; não porás algo como tropeço diante do cego; mas temerás o teu Deus. Eu sou o Senhor. Não sereis injustos em vossos juízos: não favorecerás o pobre nem terás complacência com o grande; mas segundo a justiça julgarás o teu próximo. Não semearás a difamação no meio de teu povo, nem te apresentarás como testemunha contra a vida do teu próximo. Eu sou o Senhor. Não odiarás o teu irmão no teu coração. Repreenderás o teu próximo para que não incorras em pecado por sua causa. Não te vingarás; não guardarás rancor contra os filhos de teu povo. Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Eu sou o Senhor. Guardareis os meus mandamentos. Não juntarás animais de espécies diferentes. Não semearás no teu campo grãos de espécies diferentes. Não usarás roupas tecidas de duas espécies de fios. No quinto ano comereis de seus frutos para que a árvore continue a produzi-los. Eu sou o Senhor, vosso Deus.

Evangelho (Jo 10, 22-38)


“Se faço as obras do Pai, ficai sabendo, duma vez para sempre, que o Pai está em Mim e Eu no Pai”. As obras de Jesus falava, já, mas eis que agora nos desvenda todo o segredo. (S. João Crisóstomo)


Sequência do Santo Evangelho segundo João.

Naquele tempo, celebrava-se em Jerusalém a festa da Dedicação. Era inverno. Jesus passeava no templo, no pórtico de Salomão. Os judeus rodearam-no e perguntaram-lhe: Até quando nos deixarás na incerteza? Se tu és o Cristo, dize-nos claramente. Jesus respondeu-lhes : Eu vo-lo digo, mas não credes. As obras que faço em nome de meu Pai, estas dão testemunho de mim. Entretanto, não credes, porque não sois das minhas ovelhas. As minhas ovelhas ouvem a minha voz, eu as conheço e elas me seguem. Eu llhes dou a vida eterna; elas jamais hão de perecer, e ninguém as roubará de minha mão. Meu Pai, que mas deu, é maior do que todos; e ninguém as pode arrebatar da mão de meu Pai. Eu e o Pai somos um. Os judeus pegaram pela segunda vez em pedras para o apedrejar. Disse-lhes Jesus: Tenho-vos mostrado muitas obras boas da parte de meu Pai. Por qual dessas obras me apedrejais? Os judeus responderam-lhe: Não é por causa de alguma boa obra que te queremos apedrejar, mas por uma blasfêmia, porque, sendo homem, te fazes Deus. Replicou-lhes Jesus: Não está escrito na vossa lei: Eu disse: Vós sois deuses (Sl 81,6)? Se a lei chama deuses àqueles a quem a palavra de Deus foi dirigida (ora, a Escritura não pode ser desprezada), como acusais de blasfemo aquele a quem o Pai santificou e enviou ao mundo, porque eu disse: Sou o Filho de Deus?  Se eu não faço as obras de meu Pai, não me creiais. Mas se as faço, e se não quiserdes crer em mim, crede nas minhas obras, para que saibais e reconheçais que o Pai está em mim e eu no Pai.