Meditações – Mês do Sagrado Coração – 30º Dia

III PARTE 

OS ESPINHOS DO CORAÇÃO DE JESUS

Os consoladores do Sagrado Coração de Jesus somos nós que viemos, durante este mês, meditar nos seus terníssimos afetos, e estudar os seus desejos


Meditações – Mês do Sagrado Coração – 29º Dia

III PARTE

OS ESPINHOS DO CORAÇÃO DE JESUS

Os consoladores do Coração de Jesus que estão em 4º lugar são as crianças devotas e inocentes


Meditações – Mês do Sagrado Coração – 28º Dia

III PARTE 

OS ESPINHOS DO CORAÇÃO DE JESUS

Os consoladores do Coração de Jesus que estão em 3° lugar, são as almas humildes e desconhecidas, que se julgam felizes com este esquecimento


Meditações – Mês do Sagrado Coração – 27º Dia

III PARTE

OS ESPINHOS DO CORAÇÃO DE JESUS

Os segundos consoladores do Coração de Jesus são as almas que sofrem pacientemente


Meditações – Mês do Sagrado Coração – 26º Dia

III PARTE 

OS ESPINHOS DO CORAÇÃO DE JESUS

Entre os consoladores do Coração de Jesus acham-se primeiramente os zelosos Ministros de Deus e os santos Religiosos e Religiosas


Meditações – Mês do Sagrado Coração – 25º Dia

III PARTE

OS ESPINHOS DO CORAÇÃO DE JESUS

O sexto espinho do Coração de Jesus são as almas que se afastam voluntariamente da sagrada Comunhão


Meditações – Mês do Sagrado Coração – 24º Dia

III PARTE 

OS ESPINHOS DO CORAÇÃO DE JESUS

O quinto espinho do Coração de Jesus são os que corrompem a infância


Meditações – Mês do Sagrado Coração – 23º Dia

III PARTE 

OS ESPINHOS DO CORAÇÃO DE JESUS

O quarto espinho do Coração de Jesus são as almas que profanam os sacramentos


Meditações – Mês do Sagrado Coração – 22º Dia

III PARTE

OS ESPINHOS DO CORAÇÃO DE JESUS

O terceiro espinho do Coração de Jesus são as almas frouxas e tíbias


Meditações – Mês do Sagrado Coração – 21º Dia

III PARTE

OS ESPINHOS DO CORAÇÃO DE JESUS

O segundo espinho do Coração de Jesus são as almas indiferentes


Meditações – Mês do Sagrado Coração – 20º Dia

III PARTE 

OS ESPINHOS DO CORAÇÃO DE JESUS

O primeiro espinho do Coração de Jesus são as almas que voluntariamente permanecem em estado de pecado mortal


Meditações – Mês do Sagrado Coração – 19º Dia

II PARTE 

OS DESEJOS DO SAGRADO CORAÇÃO

O quinto desejo do Coração de Jesus é o triunfo completo da Igreja


Meditações – Mês do Sagrado Coração – 18º Dia

II PARTE 

OS DESEJOS DO SAGRADO CORAÇÃO

O quarto desejo do Coração de Jesus é o livramento das almas do Purgatório


Meditações – Mês do Sagrado Coração – 17º Dia

II PARTE 

OS DESEJOS DO SAGRADO CORAÇÃO

O terceiro desejo do Coração de Jesus é a salvação das almas


Meditações – Mês do Sagrado Coração – 16º Dia

II PARTE 

OS DESEJOS DO SAGRADO CORAÇÃO

O segundo desejo do Coração de Jesus é a honra e glória da SS. Virgem


Meditações – Mês do Sagrado Coração – 15º Dia

II PARTE 

OS DESEJOS DO SAGRADO CORAÇÃO

O primeiro desejo do Coração de Jesus é a gloria de seu Pai


Meditações – Mês do Sagrado Coração – 14º Dia

I PARTE 

OS TERNÍSSIMOS AFETOS DO CORAÇÃO DE JESUS

Jesus e o bom ladrão


Meditações – Mês do Sagrado Coração – 13º Dia

I PARTE 

OS TERNÍSSIMOS AFETOS DO CORAÇÃO DE JESUS

Jesus negado por S. Pedro


Meditações – Mês do Sagrado Coração – 12º Dia

I PARTE 

OS TERNÍSSIMOS AFETOS DO CORAÇÃO DE JESUS

São João repousando sobre o peito do Salvador


Meditações – Mês do Sagrado Coração – 11º Dia

I PARTE 

OS TERNÍSSIMOS AFETOS DO CORAÇÃO DE JESUS

Jesus e os apóstolos pedindo a punição dos Samaritanos


Meditações – Mês do Sagrado Coração – 10º Dia

I PARTE 

OS TERNÍSSIMOS AFETOS DO CORAÇÃO DE JESUS

Jesus e o povo falto de pão no deserto


Meditações – Mês do Sagrado Coração – 9º Dia

I PARTE 

OS TERNÍSSIMOS AFETOS DO CORAÇÃO DE JESUS

Jesus defende Madalena


Meditações – Mês do Sagrado Coração – 8º Dia

I PARTE 

OS TERNÍSSIMOS AFETOS DO CORAÇÃO DE JESUS

Jesus e os aflitos


Meditações – Mês do Sagrado Coração – 7º Dia

I PARTE

OS TERNÍSSIMOS AFETOS DO CORAÇÃO DE JESUS

Jesus e o leproso


Meditações – Mês do Sagrado Coração – 6º Dia

I PARTE

OS TERNÍSSIMOS AFETOS DO CORAÇÃO DE JESUS

Jesus e o paralítico da piscina


Meditações – Mês do Sagrado Coração – 5º Dia

I PARTE 

OS TERNÍSSIMOS AFETOS DO CORAÇÃO DE JESUS

Jesus e o pai aflito que lhe pede a cura de seu filho


Meditações – Mês do Sagrado Coração – 4º Dia

I PARTE 

OS TERNÍSSIMOS AFETOS DO CORAÇÃO DE JESUS

Jesus e a samaritana


Meditações – Mês do Sagrado Coração – 3º Dia

I PARTE 

OS TERNÍSSIMOS AFETOS DO CORAÇÃO DE JESUS

Jesus e a pobre viúva de Naim que chora seu filho


Meditações – Mês do Sagrado Coração – 1º Dia

I PARTE

OS TERNÍSSIMOS AFETOS DO CORAÇÃO DE JESUS

PRIMEIRO DIA

Jesus e as criancinhas


Junho – Mês do Sagrado Coração de Jesus

Dando continuidade às devoções mensais e a publicação de pias meditações, publicaremos, durante todos os dias de junho, partes da obra Mês do Sagrado Coração, do Pe. José Basílio Pereira, mesmo autor do livro que publicamos em maio, conforme a edição de 1913. O livro completo e digitalizado pode ser encontrado aqui.

Eis o prólogo do livro:

A primeira edição deste opúsculo veio a lume em 1888, e trazia então uma notícia resumida, mas bastante explicativa sobre o Apostolado da Oração.

Hoje ele é reeditado sem esta segunda parte, mas em seu lugar vêm duas coleções de exemplos para os dias do mês; alguns transcritos quase textualmente do periódico Mensageiro do Coração de Jesus (Edição Francesa), e outros compostos sobre dados que se encontram no dito periódico religioso e noutros, ou em vidas de Santos e biografias de cristãos de todas as classes, que foram fervorosos devotos do Sagrado Coração.

A primeira série de exemplos, que vem junta às meditações, consta de fatos que se deram em tempos e lugares diferentes, e demonstram a utilidade e o poder incalculável da pia devoção: chamar-se-á bem esta série a das — Graças do Coração de Jesus. A outra oferece, a largos traços, o esboço de vidas que se orientaram todas por este culto especial: pode intitular-se a dos – discípulos do Sagrado Coração.

A segunda coleção de exemplos vai colocada no fim do opúsculo, proporcionando, mesmo fora dos exercícios devotos, uma interessante e proveitosa leitura espiritual para cada dia do mês consagrado ao Santíssimo Coração de Jesus.

Bahia, 29 – 3 – 1913.
Padre José Basílio Pereira

MEDITAÇÕES

Mês de São José

Compartilhamos o livro Florilégio de São José, disponibilizado virtualmente pelo site Livros Católicos para Download (Alexandria Católica). 

Tendo como base a ladainha de São José, o autor traça um itinerário diário de meditação sobre o tão grande esposo de Maria Santíssima e pai adotivo de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Clique aqui, acesse e leia

Novena de Natal- 1º dia – Santo Afonso de Ligório

Imagem

Dedi te in lucem gentium, ut sis salus mea usque ad extremum terrae.

Eu te estabeleci para luz das gentes, a fim de seres a salvação que eu envio até a última extremidade da terra (Is 49,6).

Considera o Pai celeste dizendo estas palavras a Jesus Menino no momento de sua concepção: Meu Filho, eu te estabeleci para luz das gentes e a vida das nações, a fim de que lhes procureis a salvação, que desejo tanto como se fosse a minha própria. É pois necessário que vos dediqueis inteiramente ao bem do gênero humano: “Dado sem reserva ao homem deveis dedicar-vos inteiramente em benefício dele”. É necessário que sofrais uma pobreza extrema desde o vosso nascimento a fim de que o homem se torne rico: Ut tua inopia dites. É necessário que sejais vendido como um escravo para pagardes a liberdade do homem, e que, como escravo, sejais flagelado e crucificado a fim de satisfazer à minha justiça pelas penas devidas aos homens. É necessário que deis vosso sangue e vossa vida para livrar o homem da morte eterna. Numa palavra, sabei que não sois mais vosso mas do homem, segundo a palavra de Isaías: Nasceu-nos um Menino, foi-nos dado um filho. Assim, meu caro Filho, o homem se sentirá constrangido a amar-me e a dar-se a mim, ao ver que vos dou todo a ele, vós meu único Filho, e que me não resta mais nada a dar-lhe. Eis até onde chegou o amor de Deus aos homens! Ó amor infinito, digno somente dum Deus infinito! Jesus mesmo, disse: Deus amou de tal modo o mundo que deu por ele seu unigênito Filho.

A essa proposta Jesus Menino não se entristece, antes se alegra, aceita-a com amor e exulta: Dá saltos como gigante para percorrer o seu caminho. Desde o primeiro instante de sua encarnação, Ele se dá todo ao homem e abraça com alegria todas as dores e humilhações que deve sofrer no mundo por amor dos homens. Essas foram, diz S. Bernardo, as montanhas e as colinas escarpadas que Jesus Cristo teve de escalar para salvar os homens: Ei-lo, aí vem saltando sobre os montes, atravessando os outeiros.

Notemos bem: enviando-nos seu Filho como Redentor e Mediador de paz entre Ele e os homens, Deus Padre obrigou-se de certo modo a perdoar-nos e a amar-nos; entre o Pai e o Filho interveio um pacto em virtude do qual o Pai devia receber-nos em sua graça, contanto que o Filho satisfaça por nós à divina justiça. De seu lado, o Verbo também se obrigou a amar-nos, não por causa do nosso mérito, mas para cumprir a misericordiosa vontade de seu Pai.

Afetos e Súplicas

Meu caro Jesus, se é verdade, como a lei o declara, que se adquire o domínio pela doação, vós me pertenceis porque o vosso Pai vos deu a mim: é por mim que nascestes, a mim fostes dado: Nasceu-nos um Menino, foi-nos dado um Filho. Posso pois dizer: Meu Jesus e meu tudo. Já que sois meu, todos os bens me pertencem. O vosso apóstolo me assegura: Como não nos dará também com ele todas as coisas? Por isso, meu é o vosso sangue, meus os vossos méritos, minha a vossa graça, meu o vosso paraíso. E se sois meu quem poderá jamais arrancar-vos de mim? Ninguém poderá tirar-me o meu Deus. Assim dizia com júbilo S. Antão Abade; assim também quero dizer no futuro. É verdade que vos posso perder ainda e afastar-me de vós pelo pecado; mas, ó meu Jesus, se no pas­sado vos abandonei e perdi, arrependo-me agora de toda a minha alma, e estou resolvido a perder tudo, a própria vida, antes que tornar a perder-vos, ó Bem infinito e único amor de minha alma. — Agradeço-vos, Pai eterno, por me terdes dado vosso Filho; e já que mo destes todo, eu miserável dou-me to­do a vós. Pelo amor desse Filho adorável, aceitai-me e prendei-me com cadeias de amor a meu Redentor, mas prendei-me tão estreitamente que possa dizer com o apóstolo: Quem me pode­rá ainda separar de meu Jesus? — E vós, meu Salvador, se sois todo meu, sabei que sou todo vosso. Disponde de mim, e de tudo o que me pertence como vos aprouver. E como poderia eu recusar alguma coisa a um Deus que me não recusou o seu sangue e a sua vida?

Maria,  minha Mãe,  guardai-me sob vossa proteção. Já não quero ser meu, quero ser todo do meu Senhor. A vós compete tornar-me fiel, confio em vós.

Reza-se o Terço


Apostila com a Novena completa, compilado pelo site Missa Tridentina em Brasília. Acesse e/ou baixe aqui.