Liturgia Mensal – Setembro/2020

26

SÁBADO DAS TÊMPORAS DE SETEMBRO

Féria de 2ª Classe- Missa própria, com comemoração de S. Cipriano e S. Justina (Virgem), Mártires – ESTAÇÃO EM S. PEDRO

DIA DE ABSTINÊNCIA RECOMENDADA

Para o Ofício divino (outrora à noite), nos reunimos hoje na igreja de S. Pedro (Statio). Moisés, o Pedro do Antigo Testamento, nos ensina a importância deste dia. Seja ele um dia de reconciliação (I. Leitura), um dia de agradecimento pelas colheitas e pela libertação do Egito, para nós, do pecado (II. Leitura) e um dia de perdão (III. e IV. Leitura). A V. Leitura nos prepara para a ressurreição e celebração do Sacrifício, que Jesus Cristo, Medianeiro de paz e Sumo Sacerdote, celebrará em nosso meio (Epístola). Com muita paciência Ele espera de nós o fruto e curará os de boa vontade, os que no Senhor têm fé. Se nos Graduais imploramos a misericórdia de Deus, temos motivos de louvar esta misericórdia no Trato. A fidelidade de Deus permanece para sempre.


Páginas 670 a 675 do Missal Quotidiano. 


Missa às 08 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes. 


PRÓPRIO DO DIA

Introito (Sl 94, 6-7 | ib., 1)

Veníte, adorémus Deum et procidámus ante Dóminum, plorémus ante eum, qui fecit nos: quia ipse est Dóminus, Deus noster. Ps. Veníte, exsultémus Dómino: iubilémus Deo, salutári nostro. ℣. Gloria Patri. Vinde, adoremos a Deus, prostremo-nos diante do Senhor; choremos diante d’ Ele, que nos criou porque Ele é o Senhor, nosso Deus. Sl. Vinde, regozijemo-nos no Senhor; cantemos louvores a Deus, nosso Salvador. ℣. Glória ao Pai.

Depois do Kyrie, eleison: 

Orémus. Flectámus génua. Leváte.

Coleta

Omnípotens sempitérne Deus, qui per continéntiam salutárem corpóribus medéris et méntibus: maiestátem tuam súpplices exorámus; ut, pia ieiunántium deprecatióne placátus, et præséntia nobis subsídia tríbuas et futúra. Per D. N. Ó Deus onipotente e eterno, que com o salutar remédio da abstinência curais os corpos e as almas, humildemente suplicamos à vossa Majestade, que, aplacado com as piedosas preces dos que jejuam, nos concedais auxílios agora e no futuro. Por N.S.

I Leitura (Levit 23, 26-32)

Léctio libri Levítici.

In diébus illis: Locútus est Dóminus ad Móysen, dicens: Décimo die mensis huius séptimi, dies expiatiónum erit celebérrimus, et vocábitur sanctus: affligetísque ánimas vestras in eo, et offerétis holocáustum Dómino. Omne opus servíle non faciétis in témpore diéi huius: quia dies propitiatiónis est, ut propitiétur vobis Dóminus, Deus vester. Omnis ánima, quæ afflicta non fúerit die hac, períbit de pópulis suis: et quæ óperis quídpiam fécerit, delébo eam de pópulo suo. Nihil ergo óperis faciétis in eo: legítimum sempitérnum erit vobis in cunctis generatiónibus et habitatiónibus vestris. Sábbatum requietiónis est, et affligétis ánimas vestras die nono mensis: a véspera usque ad vésperam celebrábitis sábbata vestra: dicit Dóminus omnípotens.

Leitura do livro do Levíticos.

Naqueles dias, falou o Senhor a Moisés, dizendo: O décimo dia do sétimo mês será o dia soleníssimo da expiação e chamar-se-á santo. Nele afligireis as vossas almas e oferecereis um holocausto ao Senhor. Não fareis obra servil alguma em todo este dia, porque é um dia de reconciliação, para que o Senhor, vosso Deus, vos seja favorável. Toda alma que se não afligir neste dia, será eliminada do meio de seu povo, e a que fizer qualquer trabalho, eu a exterminarei dentre o seu povo; não fareis, pois, nele, obra alguma. Esta será uma lei perpétua em todas as vossas gerações e habitações. É o sábado do repouso e afligireis as vossas almas no nono dia do mês. Celebrareis os vossos sábados de uma tarde até a outra, diz o Senhor onipotente.

Gradual (Sl 78, 9 e 10)

Propítius esto, Dómine, peccátis nostris: ne quando dicant gentes: Ubi est Deus eórum? ℣. Adiuva nos, Deus, salutáris noster: et propter honórem nóminis tui, Dómine, líbera nos.
Perdoai, Senhor, os nossos pecados, para que não digam os povos: Onde está o Deus deles? ℣. Ajudai-nos, ó Deus, Salvador nosso, e pela glória de vosso Nome, livrai-nos, Senhor 

Orémus. Flectámus génua. Leváte.

Coleta

Da nobis, quǽsumus, omnípotens Deus: ut, jejunándo, tua grátia satiémur; et, abstinéndo, cunctis efficiámur hóstibus fortióres.. Per D. N. Concedei-nos, ó Deus onipotente, que, jejuando, sejamos saciados com a vossa graça e praticando a abstinência nos tornemos mais fortes do que todos os inimigos. Por N.S.

Das lições que se seguem só a primeira é obrigatória, com a Oração e Versículo. As demais são facultativas. 

Nas Missas Conventuais ou de Ordenações, fazem-se todas as leituras com as respectivas Orações e Versículos.

II Leitura (Levit 23, 39,43)

Léctio libri Levítici.

In diébus illis: Locútus est Dóminus ad Móysen, dicens: A quintodécimo die mensis séptimi, quando congregavéritis omnes fructus terræ vestræ, celebrábitis ferias Dómini septem diébus: die primo et die octávo erit sábbatum, id est réquies. Sumetísque vobis die primo fructus arbóris pulchérrimæ, spatulásque palmárum, et ramos ligni densárum fróndium, et sálices de torrénte, et lætabímini coram Dómino, Deo vestro. Celebrabitísque sollemnitátem eius septem diébus per annum: legítimum sempitérnum erit in generatiónibus vestris. Mense séptimo festa celebrábitis, et habitábitis in umbráculis septem diébus. Omnis, qui de génere est Israël, manébit in tabernáculis: ut discant pósteri vestri, quod in tabernáculis habitáre fécerim fílios Israël, cum edúcerem eos de terra Ægýpti. Ego Dóminus, Deus vester.

Leitura do livro do Levíticos.

Naqueles dias, disse o Senhor a Moisés: Desde o dia quinze do sétimo mês, quando tiverdes colhido todos os frutos de vossa terra, celebrareis as festas do Senhor durante sete dias; o sábado, isto é, o dia de descanso, será o primeiro dia e o oitavo, E no primeiro dia tomareis para vós frutos das árvores mais formosas, ramos de palmeira, galhos de árvores frondosas e espessas e salgueiros da torrente, e alegrar-vos-eis diante do Senhor, vosso Deus. Durante sete dias no ano celebrareis esta solenidade. Esta será lei perpétua para vossas gerações. Celebrareis festas no sétimo mês, e habitareis em tendas feitas de ramos durante sete dias. Todo aquele que é da geração de Israel habitará em tendas para que os vossos descendentes saibam que eu fiz habitar em tendas os filhos de Israel, quando os tirei da terra do Egito. Eu, o Senhor, vosso Deus.

Gradual (Sl 83, 10 e 9)

Protéctor noster, áspice, Deus, et réspice super servos tuos. ℣. Dómine, Deus virtútum, exáudi preces servórum tuórum.
Olhai, ó Deus, nosso protetor, e atendei a vossos servos. ℣. Senhor, Deus dos Exércitos, ouvi as preces de vossos servos. 

Orémus. Flectámus génua. Leváte.

Coleta

Tuére, quǽsumus, Dómine, fámiliam tuam: ut salútis ætérnæ remédia, quæ te inspiránte requírimus, te largiénte consequámur. Per D. N. Nós Vos suplicamos, Senhor, protegei vossa família para que alcancemos por vossa liberalidade os remédios da salvação eterna que por vossa inspiração procuramos. Por N.S.

III Leitura (Miquéias 7: 14, 16 e 18-20)

Léctio Michaeae Prophétae.

Dómine, Deus noster, pasce pópulum tuum in virga tua, gregem hereditátis tuæ, habitántes solos in saltu, iuxta dies antiquos. Vidébunt gentes, et confundéntur super omni fortitúdine sua. Quis Deus símilis tui, qui aufers iniquitátem, et transis peccátum reliquiárum hereditátis tuæ ? Non immíttet ultra furórem suum, quóniam volens misericórdiam est. Revertétur, et miserébitur nostri: depónet iniquitátes nostras, et proiíciet in profúndum maris ómnia peccáta nostra. Dabis veritátem Iacob, misericórdiam Abraham: quæ iurásti pátribus nostris a diébus antiquis: Dómine, Deus noster.

Leitura da Profecia de Miqueias.

Senhor, Deus nosso, com vosso cajado apascentai o vosso povo, o rebanho de vossa herança que habita isolado no bosque, como nos dias passados. As nações verão isto e serão confundidas em toda a sua fortaleza. Ó Deus, quem é semelhante a Vós, que apagais a iniquidade e Vos esqueceis dos pecados do resto de vossa herança? Ele não mais derramará o seu furor contra os seus, porque quer a misericórdia. Voltará e terá compaixão de nós; sepultará no esquecimento as nossas iniquidades, e lançará todos os nossos pecados no fundo do mar. Vós, ó Senhor, mostrareis a fidelidade de vossa promessa a Jacó, e fareis misericórdia a Abraão como jurastes a nossos país desde os dias antigos, ó Senhor, Deus nosso.

Gradual (Sl 83, 10 e 9)

Convértere, Dómine, aliquántulum, et deprecáre super servos tuos. ℣. Dómine, refúgium factus es nobis, a generatióne et progénie.
Voltai-Vos ao menos um pouco para nós, Senhor, e tende piedade de vossos servos. ℣. Senhor, tendes sido o nosso refúgio, de geração em geração. 

Orémus. Flectámus génua. Leváte.

Coleta

Præsta, quǽsumus, Dómine, sic nos ab épulis abstinére carnálibus: ut a vítiis irruéntibus páriter ieiunémus. Per D. N. Concedei, Vos suplicamos, Senhor, que nos abstenhamos dos vícios que nos ameaçam assim como nos privamos do alimento carnal. Por N.S.

IV Leitura (Zac 8, 14-19)

Léctio Zacharíae Prophétae.

In diébus illis: Factum est verbum Dómini ad me, dicens: Hæc dicit Dóminus exercítuum: Sicut cogitávi, ut afflígerem vos, cum ad iracúndiam provocássent patres vestri me, dicit Dóminus, et non sum misértus: sic convérsus cogitávi in diébus istis, ut benefáciam domui Iuda et Ierúsalem: nolíte timére. Hæc sunt ergo verba, quæ faciétis: Loquímini veritátem, unusquísque cum próximo suo: veritátem et iudícium pacis iudicáte in portis vestris. Et unusquísque malum contra amícum suum ne cogitétis in córdibus vestris: et iuraméntum mendax ne diligátis: ómnia enim hæc sunt, quæ odi, dicit Dóminus. Et factum est verbum Dómini exercítuum ad me, dicens: Hæc dicit Dóminus exercítuum: Ieiúnium quarti et ieiúnium quinti et ieiúnium séptimi et ieiúnium décimi erit dómui Iuda in gáudium et lætítiam et in sollemnitátes præcláras: veritátem tantum et pacem dilígite: dicit Dóminus exercítuum.

Leitura da Profecia de Zacarias.

Naqueles dias, a voz do Senhor se dirigiu a mim nestes termos: Assim fala o Senhor dos exércitos: Como eu resolvi castigar-vos, porque vossos país provocaram a minha ira, diz o Senhor, e não me compadeci, assim resolvi, pelo contrário, fazer bem nestes dias à casa de Judá e a Jerusalém. Não temais. Eis, pois, o que deveis fazer: Falai a verdade, cada um com o seu próximo: julgai às vossas portas segundo a verdade e o critério da paz. Nenhum de vós formule em seus corações maus desígnios contra o seu próximo; e não gosteis de fazer juramentos falsos; porque odeio todas estas coisas, diz o Senhor. E foi-me dirigida outra vez a palavra do Senhor dos exércitos, a qual dizia: Eis o que diz o Senhor dos exércitos: O jejum no quarto e no quinto, no sétimo e no décimo mês, converter-se-á para a casa de Judá em dias de gozo, e alegria, e em festivas solenidades. Somente, amai a fidelidade e a paz, diz o Senhor dos exércitos.

Gradual (Sl 140, 2)

Dirigátur orátio mea sicut incénsum in conspéctu tuo, Dómine. ℣. Elevátio mánuum meárum sacrifícium vespertínum.
Eleve-se, ó Senhor, a minha oração como incenso à vossa presença. ℣. Seja-Vos agradável o elevar de minhas mãos como o sacrifício vespertino. 

Orémus. Flectámus génua. Leváte.

Coleta

Ut nobis, Dómine, tríbuis sollémne tibi deférre ieiúnium: sic nobis, quǽsumus, indulgéntiæ præsta subsídium. Per D. N. Senhor, nós Vos suplicamos, que nos concedais o auxílio do perdão assim como nos dais a graça de Vos oferecermos este jejum salutar. Por N.S.

V Leitura (Dn 3, 47-51)

Léctio Daniélis Prophétae.

In diébus illis: Angelus Dómini descéndit cum Azaría et sóciis eius in fornácem: et excússit flammam ignis de fornáce, et fecit médium fornácis quasi ventum roris flantem. Flamma autem effundebátur super fornácem cúbitis quadragínta novem: et erúpit, et incéndit, quos répperit iuxta fornácem de Chaldǽis, minístros regis, qui eam incendébant. Et non tétigit eos omníno ignis, neque contristávit, nec quidquam moléstiæ íntulit. Tunc hi tres quasi ex uno ore laudábant, et glorificábant, et benedicébant Deum in fornáce, dicéntes: 

Leitura do Profeta Daniel.

Naqueles dias, o Anjo do Senhor desceu com Azarias e os seus companheiros à fornalha, e desviando da mesma as chamas do fogo, fez que soprasse no meio da fornalha como que uma fresca viração acompanhada de orvalho. As chamas, porém, cresciam acima da fornalha quarenta e nove côvados, e saltando fora dela, queimaram, entre os Caldeus que estavam perto da fornalha, os servos do rei que atiçavam o fogo. Mas o fogo não tocou de modo algum os três jovens [Hebreus], não os molestou, nem lhes causou o menor vexame. Então estes três jovens, em voz uníssona, louvavam, glorificavam e bendiziam a Deus, na fornalha, dizendo:

Hino (Dn 3, 52-56)

Benedíctus es, Dómine, Deus patrum nostrórum. Et laudábilis et gloriósus in sǽcula.
Et benedíctum nomen glóriæ tuæ, quod est sanctum. Et laudábile et gloriósum in sǽcula.
Benedíctus es in templo sancto glóriæ tuæ. Et laudábilis et gloriósus in sǽcula.
Benedíctus es super thronum sanctum regni tui. Et laudábilis et gloriósus in sǽcula.
Benedíctus es super sceptrum divinitátis tuæ. Et laudábilis et gloriósus in sǽcula.
Benedíctus es, qui sedes super Chérubim, íntuens abýssos. Et laudábilis et gloriósus in sǽcula.
Benedíctus es, qui ámbulas super pennas ventórum et super undas maris. Et laudábilis
et gloriósus in sǽcula.
Benedícant te omnes Angeli et Sancti tui. Et laudent te et gloríficent in sǽcula.
Benedícant te coeli, terra, mare, et ómnia quæ in eis sunt. Et laudent te et gloríficent in sǽcula.
Glória Patri, et Fílio, et Spirítui Sancto. Et laudábili et glorióso in sǽcula.
Sicut erat in princípio, et nunc, et semper: et in sǽcula sæculórum. Amen. Et laudábilis et gloriósus in sǽcula.
Benedíctus es, Dómine, Deus patrum nostrórum. Et laudábilis et gloriósus in sǽcula.
Bendito sois, Senhor, Deus de nossos pais: e digno de louvor e de glória em todos os séculos.
Bendito, santo e glorioso é o vosso nome: e digno de louvor e de glória em todos os séculos.
Bendito sois no vosso Templo santo e glorioso: e digno de louvor e de glória em todos os séculos.
Bendito sois Vós, que estais acima do sagrado trono do vosso Reino: e digno de louvor e de glória em todos os séculos.
Bendito sois acima do cetro da vossa divindade: e digno de louvor e de glória em todos os séculos.
Bendito sois Vós, que Vos sentais acima dos Querubins e vedes a profundidade dos abismos: e digno de louvor e de glória em todos os séculos.
Bendito sois Vós, que voais sobre as asas dos ventos e caminhais sobre as ondas do mar: e digno de louvor e de glória em todos os séculos.
Que os Anjos e os Santos Vos bendigam, louvem e glorifiquem em todos os séculos dos séculos.
Que os céus, a terra e o mar e tudo quanto encerram Vos bendigam, louvem e glorifiquem por todos os séculos dos séculos.
Glória ao Pai, e ao Filho, e ao Espirito Santo: a Deus que é digno de louvor e de glória em todos os séculos.
Assim como era no princípio, e agora, e sempre, e por todos os séculos dos séculos. A Deus, que é digno de louvor e de glória em todos os séculos.
Bendito sois, Senhor, Deus de nossos pais: e digno de louvor e de glória em todos os séculos. 

O Sacerdote reza o Glória e diz: Dominus vobiscum.

Coleta

Deus, qui tribus púeris mitigásti flammas ígnium: concéde propítius; ut nos fámulos tuos non exúrat flamma vitiórum. Per D.N. Ó Deus, que aos três jovens Hebreus suavizastes o calor das chamas da fornalha, concedei propício que a nós, vossos servos, não abrase a chama dos vícios. Por N.S.

2ª Coleta (dos ss. mártires)

Beatórum Mártyrum Cypriáni et Iustínæ nos, Dómine, fóveant continuáta pæsídia: quia non désinis propítius intuéri, quos tálibus auxíliis concésseris adiuvári. Per D.N. Favoreça-nos, Senhor, a contínua proteção dos santos Mártires Cipriano e Justina, porque não deixais de acolher benignamente aqueles aos quais concedeis a assistência de tais auxílios. Por N.S.

Epístola (Hebr 9, 2-12)

Léctio Epístolæ beáti Pauli Apóstoli ad Hebræos.

Fratres: Tabernáculum factum est primum, in quo erant candelábra, et mensa, et proposítio panum, quæ dícitur Sancta. Post velaméntum autem secúndum, tabernáculum, quod dícitur Sancta sanctórum: áureum habens thuríbulum, et arcam testaménti circumtéctam ex omni parte auro, in qua urna áuea habens manna, et virga Aaron, quæ frondúerat, et tábulæ testaménti, supérque eam erant Chérubim glóriæ obumbrántia propitiatórium: de quibus non est modo dicéndum per síngula. His vero ita compósitis; in prióri quidem tabernáculo semper introíbant sacerdótes, sacrificiórum offícia consummántes: in secúndo autem semel in anno solus póntifex, non sine sánguine, quem offert pro sua et pópuli ignorántia: hoc significánte Spíritu Sancto, nondum propalátam esse sanctórum viam, adhuc prióre tabernaculo habénte statum. Quæ parábola est témporis instántis: iuxta quam múnera et hóstiæ offerúntur, quæ non possunt iuxta consciéntiam perféctum fácere serviéntem, solummodo in cibis, et in pótibus, et váriis baptismátibus, et iustítiis carnis usque ad tempus correctiónis impósitis. Christus autem assístens póntifex futurórum bonórum, per ámplius et perféctius tabernáculum non manufáctum, id est, non huius creatiónis; neque per sánguinem hircórum aut vitulórum, sed per próprium sánguinem introívit semel in Sancta, ætérna redemptióne invénta.

Leitura da Epístola de São Paulo Apóstolo aos Hebreus.

Irmãos: No Antigo Testamento, foi constituído um tabernáculo anterior em que estavam os candelabros, a mesa, os pães da proposição; e esta parte chama-se o Santo. E por detrás do segundo véu estava o tabernáculo, que é chamado o Santo dos Santos. Este contém o turíbulo de ouro, a arca do testamento, coberta de ouro por todas as partes, na qual havia a urna de ouro com o maná e a vara de Aarão, que florescera e as tábuas da aliança. Sobre ela pairavam os Querubins da glória que cobriam com a sua glória o propiciatório. Não é aqui, porém, o lugar de falarmos destas coisas, de per si. Ora, assim dispostas estas coisas, os sacerdotes entravam sempre no primeiro tabernáculo, onde ofereciam sacrifícios. No segundo, porém, entrava apenas o Pontífice uma vez no ano, não sem sangue, que oferecia por seus erros e pelos do povo. Com isto o Espírito Santo mostra que o caminho do Santo dos Santos ainda não está aberto enquanto subsiste o primeiro tabernáculo [Antigo Testamento]. Isto é uma figura para o tempo presente em que se oferecem dons e sacrifícios que não podem tornar perfeita a consciência daquele que presta culto, pois consistem apenas em prescrições sobre comidas e bebidas, e sobre diversas abluções impostas somente até o tempo da reforma [Novo Testamento]. O Cristo, porém, vindo como Pontífice dos bens futuros, passou por um tabernáculo mais e mais perfeito [o céu], não feito por mão humana, isto é, não desta criação, e não com o sangue de bodes ou de bezerros, mas com seu próprio Sangue, entrou uma vez para sempre, no Santo dos Santos, e operou uma redenção eterna.

Trato (Sl 116, 1-2)

Laudáte Dóminum, omnes gentes: et collaudáte eum, omnes pópuli. ℣. Quóniam confirmáta est super nos misericórdia eius: et véritas Dómini manet in ætérnum. Nações todas, louvai ao Senhor; povos todos, louvai-O. ℣. Porque sua misericórdia opera poderosamente e a fidelidade do Senhor permanece eternamente.

Evangelho (Lc 13, 6-17)

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Lucam. 

In illo témpore: Dicébat Iesus turbis hanc similitúdinem: Arbórem fici habébat quidam plantátam in vínea sua, et venit quærens fructum in illa, et non invénit. Dixit autem ad cultórem víneæ: Ecce, anni tres sunt, ex quo vénio quærens fructum in ficúlnea hac, et non invénio: succíde ergo illam: ut quid étiam terram óccupat? At ille respóndens, dicit illi: Dómine, dimítte illam et hoc anno, usque dum fódiam circa illam et mittam stércora: et si quidem fécerit fructum: sin autem, in futúrum succídes eam. Erat autem docens in synagóga eórum sábbatis. Et ecce múlier, quæ habébat spíritum infirmitátis annis decem et octo: et erat inclináta, nec omníno póterat sursum respícere. Quam cum vidéret Iesus, vocávit eam ad se, et ait illi: Múlier, dimíssa es ab infirmitáte tua. Et impósuit illi manus, et conféstim erécta est, et glorificábat Deum. Respóndens autem archisynagógus, indígnans quia sábbato curásset Iesus, dicébat turbæ: Sex dies sunt, in quibus opórtet operári: in his ergo veníte, et curámini, et non in die sábbati. Respóndens autem ad illum Dóminus, dixit: Hypócritæ, unusquísque vestrum sábbato non solvit bovem suum aut ásinum a præsépio, et ducit adaquáre? Hanc autem fíliam Abrahæ, quam alligávit sátanas, ecce decem et octo annis, non opórtuit solvi a vínculo isto die sábbati? Et cum hæc díceret, erubescébant omnes adversárii eius: et omnis pópulus gaudébat in univérsis, quæ glorióse fiébant ab eo.

Sequência do Santo Evangelho segundo Lucas.

Naquele tempo, disse Jesus ao povo esta parábola: Um homem tinha uma figueira plantada em sua vinha, e vindo a ela buscar fruto, não encontrou. Então disse ao cultivador da vinha: Há três anos venho buscar fruto nesta figueira, e não encontro; corta-a, pois, para que não esteja a ocupar terreno. Ele porém respondeu: Senhor, deixa-a ainda este ano, enquanto eu cavo em roda e lhe deito estrume; e se com isto der fruto, está bem: do contrário, mandá-la-eis cortar. Jesus ensinava em uma sinagoga dos judeus aos sábados. E eis que veio ali uma mulher, que sofria de um espírito mau havia dezoito anos, e andava curvada não podendo absolutamente olhar para cima. Jesus viu-a, chamou-a a Si, e disse-lhe: Mulher, estás livre de tua enfermidade. Impôs-lhe então as mãos, e imediatamente ela ficou ereta e glorificava a Deus. Tomando a palavra, o príncipe da sinagoga, indignado de que Jesus tivesse curado em dia de sábado, disse ao povo: Há seis dias em que se pode trabalhar; vinde pois, nestes dias, e curai-vos, e não em dia de sábado. Mas o Senhor respondeu-lhe: Hipócritas, cada um de vós não solta da manjedoura, aos sábados, o seu boi ou o seu jumento para os levar a beber? E esta filha de Abraão, que Satanás tinha presa havia dezoito anos, não deveria ser libertada dessa prisão por ser dia de sábado? Ao dizer estas coisas, envergonhavam-se todos os seus adversários; todo o povo entretanto alegrava-se com todas as ações gloriosas que Ele praticava.

Ofertório (Sl 87, 2-3)

Dómine, Deus salútis meæ, in die clamávi et nocte coram te: intret orátio mea in conspéctu tuo, Dómine. Senhor, Deus de minha salvação, dia e noite clamo por Vós; chegue a minha oração à vossa presença, ó Senhor.

Secreta

Concéde, quǽsumus, omnípotens Deus: ut oculis tuæ maiestátis munus oblátum et grátiam nobis devotiónis obtíneat, et efféctum beátæ perennitátis acquírat. Per D.N. Concedei, Vos rogamos, ó Deus onipotente, que este dom apresentado diante de vossa divina Majestade, nos obtenha a graça da devoção e nos alcance a posse da eterna bem-aventurança. Por N. S.

2ª Secreta (dos ss. mártires)

Múnera tibi, Dómine, nostræ devotiónis offérimus: quæ et pro tuórum tibi grata sint honóre Iustórum, et nobis salutária, te miseránte, reddántur. Per D.N. Senhor, oferecendo-Vos os dons de nossa devoção, fazei que, sendo eles apresentados em honra de vossos Justos, Vos agradem e por vossa misericórdia se tornem úteis para nossa salvação. Por N. S.

Prefácio (Comum)

℣. Dóminus vobíscum.
℞. Et cum spíritu tuo.
℣. Sursum corda.
℞. Habémus ad Dóminum.
℣. Grátias agámus Dómino Deo nostro.
℞. Dignum et iustum est.
.
Vere dignum et justum est, aequum et salutare, nos Tibi simper, et ubique gratias agere: Domine sancte, Pater omnipotens, aeterne Deus: per Christum Dominum nostrum. Per quem majestatem Tuam laudant Angeli, adorant Dominationes, tremunt Potestates, Coeli, Coelorumque Virtutes, ac beata Seraphim socia exultatione concelebrant. Cum quibus et nostras voces, ut admitti, jubeas, supplici confessione dicentes: Sanctus, Sanctus, Sanctus…
℣. O Senhor seja convosco.
℞. E com o vosso espírito,
℣. Para o alto os corações.
℞. Já os temos para o Senhor,
℣. Demos graças ao Senhor, nosso Deus.
℞. É digno e justo.
.
Verdadeiramente é digno e justo, razoável e salutar, que, sempre e em todo o lugar, Vos demos graças, ó Senhor santo, Paí onipotente, eterno Deus, por Jesus Cristo, Nosso Senhor. É por Ele que os Anjos louvam a vossa Majestade, as Dominações a adoram, tremem as Potestades. Os Céus, as virtudes dos Céus, e os bem-aventurados Serafins a celebram com recíproca alegria. Às suas vozes, nós Vos rogamos, mandeis que se unam as nossas, quando em humilde confissão Vos dizemos: Santo, Santo, Santo…

Comunhão (Levit 23, 41 e 43)

Mense séptimo festa celebrábitis, cum in tabernáculis habitáre fécerim fílios Israël, cum edúcerem eos de terra Ægýpti, ego Dóminus, Deus vester. Celebrareis festas no sétimo mês, porque eu fiz habitar em tendas os filhos de Israel, quando os tirei da terra do Egito: Eu, o Senhor, vosso Deus.

Pós-comunhão

Perfíciant in nobis, Dómine, quǽsumus, tua sacraménta quod cóntinent: ut, quæ nunc spécie gérimus, rerum veritáte capiámus. Per D.N. Nós Vos rogamos, Senhor, que os vossos Sacramentos produzam em nós a graça que contêm a fim de que alcancemos a realidade do que celebramos agora com sinais externos. Por N. S.

2ª Pós-comunhão (dos ss. mártires)

Præsta nobis, quǽsumus, Dómine: intercedéntibus sanctis Martýribus tuis Cypriáno et Iustína; ut, quod ore contíngimus, pura mente capiámus. Per D.N. Concedei-nos, Senhor, por intercessão de vossos santos Mártires Cipriano e Justina, guardemos com o coração puro o que a nossa boca recebeu. Por N. S.

 


* Textos extraídos do Missal Quotidiano de D. Beda (1962). 

Comente o post

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: