Liturgia Diária – 08/11/2022

MISSA DA FÉRIA

4ª Classe – Missa de Domingo, com comemoração dos Ss. Quatro Coroados, Mártires.

Irrepreensíveis, deve encontrar-nos o Cristo no dia do juízo. O espírito de humildade e penitência (Introito, Ofertório e Communio) é, portanto, muito necessário neste tempo, assim como uma consciência nítida de nossos deveres. Quais são esses deveres, vemos na Epístola, pelo próprio exemplo que nos dá o Apóstolo S. Paulo; vemos ainda no Gradual, que é um louvor da caridade fraterna. Finalmente, no Evangelho, Jesus Cristo nos ensina as nossas obrigações para com a autoridade civil, e antes de tudo, o dever que temos de entregar, sem reserva, a nossa alma a Deus.


Páginas 704 a 707 e 1368 a 1369 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963).


Missa rezada às 7:00 na Capela do Colégio Santo Tomás de Aquino.


Liturgia Diária- 08/11/2019

MISSA DA FÉRIA

4ª Classe- Missa do domingo, com comemoração dos Ss. Quatro Coroados, Mártires

Profunda confiança na proteção de Deus nos inspiram os Cânticos do Introito e da Communio. Sem essa confiança não poderíamos subsistir e muito menos, vencer. Ardentemente desejamos no domingo passado a pátria celeste, mas não nos será fácil alcançá-la. O Evangelho fala-nos da responsabilidade das contas que temos a dar no último juízo. A Epístola mostra-nos a luta: tentações do inimigo, dias maus. Devemos estar armados para o combate. Anima-nos um exemplo: o paciente jó, que, apesar de sua vida levada no temor de Deus, foi gravemente tentado, mas obteve por sua perseverança a felicidade temporal e a eterna (Ofertório). A fé e a confiança em Deus hão de fazer-nos triunfar nas lutas desta vida.


Páginas 699 a 703 e 1368 a 1369 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Missa às 19 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- 08/11/2018

SANTOS QUATRO COROADOS, Mártires

Comemoração- Missa “Intret”, com orações e leituras próprias e 2ªs orações da Féria

300px-4coronati-mariominitti1600

A Igreja de Roma festeja hoje um grupo de cinco escultores cristãos da Panônia (Hungria), martirizados sob Diocleciano, em 306. Seus corpos foram levados para Roma, onde um erro hagiográfico fez que os confundissem com quatro mártires de Albano. A basílica dos “Santos Quatro Coroados”, construída no monte Célio, é uma das mais características da Roma medieval.