Liturgia Mensal – Outubro/2020

23

S. ANTÔNIO MARIA CLARET, Bispo e Confessor

Festa de 3ª Classe- Missa “Sacerdotes tui”, com Coleta própria

DIA DE ABSTINÊNCIA

Antônio Maria Claret nasceu em Sallent, perto de Barcelona, aos 23 de dezembro de 1807. Seguindo o desejo de seu pai, trabalhou primeiro como operário têxtil; mas o Senhor escolheu-o para a vida mais alta. Ordenou-se em 1835 e julgou-se chamado ao apostolado entre os infiéis; deixando, pois o ministério paroquial, foi a Roma em 1840 para solicitar esse destino da Congregação da Propaganda. Mas Deus queria-o noutro lugar. Enviaram-no de volta à pátria para aí exercer o apostolado da pregação. Nesta missão percorreu em todos os sentidos a Catalunha e as Canárias, tocando e convertendo as almas com o seu zelo ardente, veemente palavra e profunda piedade. Ao mesmo tempo escrevia numerosos livros de edificação. Em 1849, com cinco outro padres, fundou no seminário de Vich a Congregação missionária dos Filhos do Coração Imaculado de Maria (Claretianos), que havia de ter um futuro bem fecundo. Pela mesma ocasião o Papa nomeou-o arcebispo de Santiago de Cuba. Aqui, no meio das pesadas tarefas pastorais, a que se entregou inteiramente, fundou o Instituto das Irmãs educadoras de Maria Imaculada. Em 1857 voltou à Espanha para ser o conselheiro e confessor da rainha Isabel II; seguiu-a no exílio em 1868, e morreu na França, no mosteiro cisterciense de Fontfroide, em 24 de outubro de 1870. Entretanto tinha participado ativamente no concílio do Vaticano, defendendo com intrepidez a infalibilidade pontifícia. Durante toda a sua vida mostrou uma grande piedade para com o Ssmo. Sacramento, o Coração Imaculado de Maria e o Santo Rosário, trabalhando sem cessar para propagar esta tríplice devoção. Foi beatificado em 1934 por Pio XI e canonizado em 7 de maio de 1950, por Pio XII.


Páginas 1348, 852 a 856 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Missa às 07:30 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


PRÓPRIO DO DIA

Introito (Sl 131, 9-10 | ib., 1)

Sacerdotes Tui, Domine, induant justitiam, et sancti Tui exsultent: propter David servum Tuum, non avertas faciem Christi Tui. Ps. Memento, Domine, David: et omnis mansuetudinis ejus. ℣. Glória Patri… Vossos Sacerdotes, Senhor, revistam-se de justiça, e exultem de alegria os vossos Santos; por amor de Davi, vosso servo, não volteis a face a vosso Ungido. Sl. Lembrai-Vos, Senhor, de Davi e de toda a sua submissão. ℣. Glória ao Pai…

Coleta

Deus, qui beátum Antónium Maríam Confessórem tuum atque Pontíficem, apostólicis virtútibus sublimásti, et per eum novas in Ecclésia clericórum ac vírginum famílias collegísti: concéde, quaésumus; ut, ejus dirigéntibus mónitis ac suffragántibus méritis, animárum salútem quaérere júgiter studeámus. Per D.N. Ó Deus, que ornastes ao bem-aventurado Antônio Maria, vosso confessor e pontífice, com apostólicas virtudes e por ele constituístes na Igreja novas famílias de clérigos e virgens, fazei que, guiados pelos seus ensinamentos e auxiliados pelos seus méritos, incessantemente trabalhemos na salvação das almas. Por N. S.

Epístola (Heb 7, 23-27)

Léctio Epístolæ beáti Pauli Apóstoli ad Hebraéos.

Fratres: Plures facti sunt sacerdotes idcírco quod morte prohiberentur permanere. Hic autem eo quod maneat in æternum sempiternum habet sacerdotium. Unde et salvare in perpetuo potest accedentes per semet ipsum ad Deum semper vivens ad interpellandum pro eis. Talis enim decebat ut nobis esset pontifex sanctus innocens inpollutus segregatus a peccatoribus et excelsior cælis factus. Qui non habet cotidie necessitatem quemadmodum sacerdotes prius pro suis delictis hostias offerre deinde pro populi hoc enim fecit semel se offerendo, Jesus Christus Dóminus noster.

Leitura da Epístola de São Paulo Apóstolo aos Hebreus.

Irmãos: Muitos foram feitos sacerdotes [no antigo Testamento], porque a morte não lhes permitia de o serem sempre. Jesus, porém, porque permanece para sempre, tem um Sacerdócio eterno. Por isso pode salvar perpetuamente os que por Ele chegam a Deus, pois vive sempre para interceder por nós. Convinha, pois, que tivéssemos um tal Pontífice, santo, inocente, imaculado, segregado dos pecadores e elevado acima dos céus, que não tivesse necessidade, como os outros sacerdotes, de oferecer sacrifícios todos os dias, primeiro por seus próprios pecados, depois pelos do povo. Isto fez uma vez para sempre, oferecendo-se a Si mesmo, Jesus Cristo, Senhor nosso.

Gradual (Sl 131, 16-17 | Sl 109, 4)

Sacerdotes ejus índuam salutári et sancti ejus exsultatióne exsultábunt. ℣. Illuc prodúcam cornu David: parávi lucérnam Christo meo. 

Allelúia, allelúia. ℣. Jurávit Dóminus, et non paenitébit eum. Tu es sacérdos in aetérnum, secúndum órdinem Melchísedech. Allelúia.

Revestirei os seus sacerdotes da virtude da salvação e os seus Santos exultarão contentes. ℣. Ali faço aparecer o poder de Deus e preparo uma luz para o meu Ungido.

Aleluia, aleluia. ℣. O Senhor jurou e não se arrependerá. Tu és sacerdote para sempre, segundo a ordem de Melquisedec. Aleluia.

Evangelho (Mt 24, 42-47)

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Matthaeum.

In illo témpore: Dixit Jesus discípulis suis: “Vigilate, quia nescitis qua hora Dominus vester venturus sit. Illud autem scitote, quoniam si sciret paterfamilias, qua hora fur venturus esset, vigiliaret utique, et non sineret perfodi domum suam. Ideo et vos nescitis hora, Filius hominis venturus est. Quis, putas est fidelis servus, et prudens, quem constituit dominus suus illiscibum in tempore? Beatus ille servus, quem, cum venerit dominus ejus, invenerit sic facientem. Amen dico vobis, quoniam super omnia bona sua constituet eum. 

Sequência do Santo Evangelho segundo Mateus.

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: Vigiai, porque não sabeis a hora em que virá o vosso Senhor. Sabei, porém, isto: Se o pai de família conhecesse a hora em que havia de vir o ladrão, vigiaria certamente e não o deixaria penetrar em sua casa. Portanto, estai vós também preparados, porque não sabeis em que hora virá o Filho do homem. Quem então será o servo fiel e prudente, que o Senhor estabeleceu sobre a sua família, para lhe distribuir, a tempo, o sustento? Bem-aventurado aquele servo a quem o seu senhor, quando vier, achar assim vigilante. Em verdade, vos digo que lhe confiará o governo de todos os seus bens. 

Ofertório (Sl 88, 25)

Veritas mea, et misericordia mea cum ipso: et in nomine meo exaltabitur cornu ejus. Minha fidelidade e minha misericórdia o acompanham, e em meu Nome se levantará o seu poder.

Secreta

Sancti Antónium Maríam Confessóris tui atque Pontíficis, quaésumus, Domine, ánnua solémnitas pietáti tuae nos reddat accéptos: ut, per haec piae placatiónis offícia, et íllum beáta retribútio comitétur, et nobis grátiae tuae dona concíliet. Per D. N. A solenidade anual de S. Antônio Maria, vosso Confessor e Pontífice, nos torne agradáveis à vossa clemência, a fim de que pela oblação deste sacrifício de propiciação o acompanhe a recompensa celeste e obtenha para nós os dons de vossa graça. Por N. S.

Prefácio (Comum)

℣. Dóminus vobíscum.
℞. Et cum spíritu tuo.
℣. Sursum corda.
℞. Habémus ad Dóminum.
℣. Grátias agámus Dómino Deo nostro.
℞. Dignum et iustum est.
.
Vere dignum et justum est, aequum et salutare, nos Tibi simper, et ubique gratias agere: Domine sancte, Pater omnipotens, aeterne Deus: per Christum Dominum nostrum. Per quem majestatem Tuam laudant Angeli, adorant Dominationes, tremunt Potestates, Coeli, Coelorumque Virtutes, ac beata Seraphim socia exultatione concelebrant. Cum quibus et nostras voces, ut admitti, jubeas, supplici confessione dicentes: Sanctus, Sanctus, Sanctus…
℣. O Senhor seja convosco.
℞. E com o vosso espírito,
℣. Para o alto os corações.
℞. Já os temos para o Senhor,
℣. Demos graças ao Senhor, nosso Deus.
℞. É digno e justo.
.
Verdadeiramente é digno e justo, razoável e salutar, que, sempre e em todo o lugar, Vos demos graças, ó Senhor santo, Paí onipotente, eterno Deus, por Jesus Cristo, Nosso Senhor. É por Ele que os Anjos louvam a vossa Majestade, as Dominações a adoram, tremem as Potestades. Os Céus, as virtudes dos Céus, e os bem-aventurados Serafins a celebram com recíproca alegria. Às suas vozes, nós Vos rogamos, mandeis que se unam as nossas, quando em humilde confissão Vos dizemos: Santo, Santo, Santo…

Comunhão (Mt 24, 46-47)

Beatus servus, quem, eum venerit dominus, invenerit vigilantem: Amen dico vobis, super omnia bona sua consituet eum. Bem-aventurado aquele servo a quem o Senhor, quando vier, achar vigilante. Em verdade, vos digo que lhe confiará o governo de todos os seus bens.

Pós-comunhão

Deus, fidélium remunerátor animárum: praesta; ut beáti Antónium Maríam Confessóris tui atque Pontíficis, cujus venerándam celebrámus festivitátem, précibus indulgéntiam consequámur. Per D.N. Ó Deus, Remunerador das almas fiéis, concedei que alcancemos o perdão de nossas culpas pelos rogos de S. Antônio Maria, vosso Confessor e Pontífice, cuja venerável solenidade celebramos. Por N. S.

Traduções extraídas do Missal Quotidiano de D. Beda (1947/1962). Comentário extraído do Missal Quotidiano de D. Gaspar Lefebvre (1963). 

Comente o post

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: