Liturgia Diária- 15/09/2018

SETE DORES DE NOSSA SENHORA

Festa de 2ª Classe- Missa Própria

A festa das Sete Dores de Nossa Senhora nasceu da piedade cristã, que se compraz em associar a Virgem Maria à paixão de seu Filho. Já no século XI as dores da Virgem Santa eram objeto de devoção particular. No século XIV apareceu o comovente “Stabat Mater” que uma tradição atribui ao bem-aventurado Jacopone da Todi. Celebrada com grande solenidade pelos Servitas no século XVII, a festa das Sete Dores da Virgem foi estendida por Pio VII a toda a Igreja, em 1814, a fim de lembrar os sofrimentos que ela acabava de atravessar na pessoa do seu chefe, primeiro exilado e cativo, depois solto graças à proteção da Virgem. Pio X, em 1912, fixou-a em 15 de Setembro, oitava da Natividade. A Igreja, ao mesmo tempo que sublinha os sofrimentos de Maria, insiste igualmente no corajoso amor que a levou a tomar parte tão íntima na obra da nossa redenção. Ela é verdadeiramente aquela que, à semelhança de Judite perante a tribulação do seu povo, nada deixou de fazer para nos salvar da ruína. Oferecendo seu Filho por nós, tornou-se nossa Mãe e nós tornamo-nos seus filhos.


SÃO NICOMEDES, Mártir

Comemoração- Missa do dia, com 2ªs orações próprias

Mártir romano duma época desconhecida, São Nicomedes repousa não longe dos muros de Roma, na via Nomentana; a piedade dos fiéis edificou sobre o seu túmulo uma basílica cemiterial. 


Páginas 1283 a 1289 do Missal Quotidiano.


Hoje NÃO HAVERÁ Missa às 18:30 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


PRÓPRIO DO DIA

Introito (Jo 19, 26-27)

Estavam de pé, junto à cruz do Senhor, sua Mãe, a irmã de sua Mãe, Maria de Cléofas, Salomé e Maria Madalena. Sl. Mulher, eis aí o teu Filho, disse Jesus; e ao discípulo: Eis aí a tua mãe. Glória ao Pai.

Coleta

Ó Deus, em cuja paixão, uma espada de dor varou, conforme o predissera Simeão, a alma santíssima de Maria, virgem e mãe, fazei por vossa misericórdia que, celebrando as dores da acerba transfixão que sofreu, logremos, por seus merecimentos e pelos de todos os santos que rodeiam fielmente a cruz, recolher os ditosos frutos da vossa Paixão. Vós que viveis e reinais.

Coleta (de S. Nicomedes)

Dignai-Vos atender, Senhor, o vosso povo, a fim de que, celebrando os merecimentos do glorioso mártir Nicomedes, seja de contínuo socorrido pelo seu patrocínio, para alcançar a vossa misericórdia. Por Nosso Senhor Jesus Cristo.

Epístola (Judite 13, 22 e 23-25)


Judite libertando o seu povo é figura da Virgem Maria. A Igreja toma o elogia de Judite e aplica-o à Virgem.


Leitura do Livro de Judite.

O Senhor te abençoou com o seu poder, porque ele por ti aniquilou os nossos inimigos. Ozias, príncipe do povo de Israel, acrescentou: Minha filha, tu és bendita do Senhor Deus altíssimo, mais que todas as mulheres da terra. Bendito seja o Senhor, criador do céu e da terra, que te guiou para cortar a cabeça de nosso maior inimigo! Ele deu neste dia tanta glória ao teu nome, que nunca o teu louvor cessará de ser celebrado pelos homens, que se lembrarão eternamente do poder do Senhor. Ante os sofrimentos e a angústia de teu povo, não poupaste a tua vida, mas salvaste-nos da ruína, em presença de nosso Deus.

Gradual

Estais dolorosa e cheia de lágrimas, Virgem Maria, ao pé da cruz do Senhor Jesus, vosso Filho e Redentor. V. Virgem Maria e Mãe de Deus, Aquele que o mundo todo não pode conter, sofre o suplício da cruz, Ele que é o Autor da vida feito homem.

Aleluia

Aleluia, aleluia. V. Maria Santíssima, rainha do Céu e soberana do mundo, estava cheia de dor à beira da cruz de Nosso Senhor Jesus Cristo. Aleluia.

Sequência (Jacopone da Todi, +1306)

De pé, a mãe dolorosa
junto da cruz, lacrimosa,
via o filho que pendia.

Na sua alma agoniada
enterrou-se a dura espada
de uma antiga profecia

Oh! Quão triste e quão aflita
entre todas, Mãe bendita,
que só tinha aquele Filho.

Quanta angústia não sentia,
Mãe piedosa quando via
as penas do Filho seu!

Quem não chora vendo isso:
contemplando a Mãe de Cristo
num suplício tão enorme?

Quem haverá que resista
se a Mãe assim se contrista
padecendo com seu Filho?

Por culpa de sua gente
Vira Jesus inocente
Ao flagelo submetido:

Vê agora o seu amado
pelo Pai abandonado,
entregando seu espírito.

Faze, ó Mãe, fonte de amor
que eu sinta o espinho da dor
para contigo chorar:

Faze arder meu coração
do Cristo Deus na paixão
para que o possa agradar.

Ó Santa Mãe dá-me isto,
trazer as chagas de Cristo
gravadas no coração:

Do teu filho que por mim
entrega-se a morte assim,
divide as penas comigo.

Oh! Dá-me enquanto viver
com Cristo compadecer
chorando sempre contigo.

Junto à cruz eu quero estar
quero o meu pranto juntar
Às lágrimas que derramas.

Virgem, que às virgens aclara,
não sejas comigo avara
dá-me contigo chorar.

Traga em mim do Cristo a morte,
da Paixão seja consorte,
suas chagas celebrando.

Por elas seja eu rasgado,
pela cruz inebriado,
pelo sangue de teu Filho!

No Julgamento consegue
que às chamas não seja entregue
quem por ti é defendido.

Quando do mundo eu partir
dai-me ó Cristo conseguir,
por vossa Mãe a vitória.

Quando meu corpo morrer
possa a alma merecer
do Reino Celeste, a glória. Amém.

Evangelho (João 19, 25-27)


Dando Maria por Mãe a São João, Jesus confia-nos todos a ela, e é na própria oferta de seu Filho que se inaugura a sua missão de Mãe junto de nós.


Sequência do Santo Evangelho segundo João.

Naquele tempo: Junto à cruz de Jesus estavam de pé sua mãe, a irmã de sua mãe, Maria, mulher de Cléofas, e Maria Madalena. Quando Jesus viu sua mãe e perto dela o discípulo que amava, disse à sua mãe: Mulher, eis aí teu filho. Depois disse ao discípulo: Eis aí tua mãe. E dessa hora em diante o discípulo a levou para a sua casa.

Ofertório (Jer 18, 20*)

Lembrai-Vos, ó Virgem Mãe de Deus, agora que estais na presença do Senhor, lembrai-vos de interceder em nosso favor, e de Lhe pedir que afaste de nós a sua ira. 

Secreta

Nós Vos oferecemos, Senhor as nossas preces e sacrifícios e, venerando a transfixão da dulcíssima alma da bem-aventurada Maria vossa Mãe, Vos suplicamos humildemente nos concedais, por sua piedosa e eficaz intercessão e pela dos santos que estiveram ao pé da Cruz, a graça de participarmos na felicidade dos bem-aventurados, pelos merecimentos da vossa morte. Vós que viveis e reinais.

Secreta (de S. Nicomedes)

Recebei, por vossa misericórdia, Senhor, os dons que Vos oferecemos, e fazei que a oração do bem-aventurado Nicomedes nos recomende à vossa majestade. Por Nosso Senhor Jesus Cristo.

Comunhão

Ditosa a carne da Virgem Maria que, sem morrer, mereceu a palma do martírio ao pé da cruz do Senhor.

Pós-comunhão

Que este sacrifício, Senhor Jesus Cristo, que celebramos em memória da transfixão da Virgem Santíssima, vossa Mãe, nos alcance da vossa misericórdia efeitos salutares de redenção. Vós que viveis e reinais. 

Pós-comunhão (de S. Nicomedes)

Purificai-nos, Senhor, pela recepção destes santos mistérios, e por intercessão do bem-aventurado Nicomedes, perdoai-nos todos os pecados. Por Nosso Senhor Jesus Cristo.

um comentário

Comente o post

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: