Liturgia Diária- 30/11/2021

S. ANDRÉ, Apóstolo

Festa de 2ª Classe- Missa própria

S. André, irmão de S. Pedro, foi chamado juntamente com este por Nosso Senhor (Evangelho). Pregou o Evangelho na Ásia Menor e nos Balcans onde foi martirizado. Seu corpo está em Amalfi e sua cabeça em Roma. Sigamos o seu exemplo na prontidão com que seguiu o chamamento do Senhor e no amor que teve à Cruz.


Páginas 903 a 906 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Liturgia Diária- 30/11/2020

S. ANDRÉ, Apóstolo

Festa de 2ª Classe- Missa própria

S. André, irmão de S. Pedro, foi chamado juntamente com este por Nosso Senhor (Evangelho). Pregou o Evangelho na Ásia Menor e nos Balcans onde foi martirizado. Seu corpo está em Amalfi e sua cabeça em Roma. Sigamos o seu exemplo na prontidão com que seguiu o chamamento do Senhor e no amor que teve à Cruz.


Páginas 903 a 906 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Missa às 07:30 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- 30/11/2019

S. ANDRÉ, Apóstolos

Festa de 2ª Classe- Missa própria

S. André, irmão de S. Pedro, foi chamado juntamente com este por Nosso Senhor (Evangelho). Pregou o Evangelho na Ásia Menor e nos Balcans onde foi martirizado. Seu corpo está em Amalfi e sua cabeça em Roma. Sigamos o seu exemplo na prontidão com que seguiu o chamamento do Senhor e no amor que teve à Cruz.


Páginas 903 a 906 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Missa às 19 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


Liturgia Diária- 30/11/2018

SANTO ANDRÉ, Apóstolo

Festa de 2ª Classe- Missa Própria

S. André, irmão de S. Pedro, foi chamado juntamente com este por Nosso Senhor (Evangelho). Pregou o Evangelho na Ásia Menor e nos Balcans onde foi martirizado. Seu corpo está em Amalfi e sua cabeça em Roma. Sigamos o seu exemplo na prontidão com que seguiu o chamamento do Senhor e no amor que teve à Cruz.


Páginas 903 a 906 do Missal Quotidiano (D. G. Lefebvre, 1963). 


Missa às 18:30 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes. 


Liturgia Diária- 30/11/2017

SANTO ANDRÉ, Apóstolo

Festa de 2ª Classe- Missa Própria

Santo André nasceu em Betsaida, no tempo de Jesus, e de início foi discípulo de João Batista até que aproximou-se do Cordeiro de Deus e com São João, começou a segui-lo, por isso André é reconhecido pela Liturgia como o “protocleto”, ou seja, o primeiro chamado: “Primeiro a escutar o apelo, ao Mestre, Pedro conduzes; possamos ao céu chegar, guiados por tuas luzes!”

Santo André se expressa no Evangelho como “ponte do Salvador”, porque é ele que se colocou entre seu irmão Simão Pedro e Jesus; entre o menino do milagre da multiplicação dos pães e Cristo; e, por fim, entre os gentios (gregos) e Jesus Cristo. Conta-nos a Tradição que depois do Batismo no Espírito Santo em Pentecostes, Santo André teria ido pregar o Evangelho na região dos mares Cáspio e Negro.

Apóstolo da coragem e alegria, Santo André foi fundador das igrejas na Acaia, onde testemunhou Jesus com o seu próprio sangue, já que foi martirizado numa cruz em forma de X, a qual recebeu do santo este elogio: “Salve Santa Cruz, tão desejada, tão amada. Tira-me do meio dos homens e entrega-me ao meu Mestre e Senhor, para que eu de ti receba o que por ti me salvou!”


Páginas 903 a 906 do Missal Quotidiano.


Missa às 18:30 horas na Capela São Judas Tadeu.


LEITURAS

Epístola (Rm 10, 10-18)


São Paulo fala, com brilho excepcional, da missão dos Apóstolos. São mensageiros de Nosso Senhor Jesus Cristo, anunciando ao mundo a boa nova da salvação, que Ele nos mereceu com seu sangue.


Leitura da carta de São Paulo aos Romanos.

Irmãos: É crendo de coração que se obtém a justiça, e é professando com palavras que se chega à salvação. A Escritura diz: Todo o que nele crer não será confundido (Is 28,16). Pois não há distinção entre judeu e grego, porque todos têm um mesmo Senhor, rico para com todos os que o invocam, porque todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo (Jl 3,5). Porém, como invocarão aquele em quem não têm fé? E como crerão naquele de quem não ouviram falar? E como ouvirão falar, se não houver quem pregue? E como pregarão, se não forem enviados, como está escrito: Quão formosos são os pés daqueles que anunciam as boas novas (Is 52,7)? Mas não são todos que prestaram ouvido à boa nova. É o que exclama Isaías: Senhor, quem acreditou na nossa pregação (Is 53,1)? Logo, a fé provém da pregação e a pregação se exerce em razão da palavra de Cristo. Pergunto, agora: Acaso não ouviram? Claro que sim! Por toda a terra correu a sua voz, e até os confins do mundo foram as suas palavras (Sl 18,5).

Evangelho (Mt 4, 18-22)


Dois grupos de irmãos, Pedro e André, Tiago e João, foram os primeiros chamados pelo Mestre. A pressa que se deram em segui-Lo havia de os conduzir mais longe do que pensavam. 


Sequência do Santo Evangelho segundo Mateus.

Naquele tempo, caminhando Jesus próximo ao mar da Galiléia, viu dois irmãos: Simão (chamado Pedro) e André, seu irmão, que lançavam a rede ao mar, pois eram pescadores. E disse-lhes: Vinde após mim e vos farei pescadores de homens. Na mesma hora abandonaram suas redes e o seguiram. Passando adiante, viu outros dois irmãos: Tiago, filho de Zebedeu, e seu irmão João, que estavam com seu pai Zebedeu consertando as redes. Chamou-os, e eles abandonaram a barca e seu pai e o seguiram.