Liturgia Diária- 25/01/2020

CONVERSÃO DE SÃO PAULO

Festa de 3ª Classe- Missa Própria

A festa é um louvor à graça divina (Leitura). Fiel a essa graça S. Paulo tudo abandonou e trabalhou como bom soldado de Cristo.


Páginas 947 a 951 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963). 


De 25/01 (sábado) a 16/02 (domingo) NÃO HAVERÁ Missa na Capela Nossa Senhora de Lourdes, em razão das atividades da Paróquia na celebração da padroeira da Capela. Por esse motivo, haverá Missa tão somente na Catedral e na Paróquia Bom Jesus, como de costume. 


PRÓPRIO DO DIA

Introito (II Tm 1, 12 | Sl 138, 1-2)

Scio, cui crédidi, et certus sum, quia potens est depósitum meum serváre in illum diem, justus judex. Ps. Dómine, probásti me et cognovísti me: tu cognovísti sessiónem meam et resurrectiónem meam. ℣. Glória Patri. O Senhor fez com ele uma aliança de paz, constituindo-o príncipe a fim de que a dignidade sacerdotal lhe pertencesse para sempre. Sl. Lembrai-Vos, Senhor, de Davi e de toda a sua piedade. ℣. Glória ao Pai.

Coleta

Deus, qui univérsum mundum beáti Pauli Apóstoli prædicatióne docuísti: da nobis, quǽsumus; ut, qui ejus hódie Conversiónem cólimus, per ejus ad te exémpla gradiámur. Per D.N. Ó Deus, que instruístes o mundo inteiro pela pregação do Apóstolo S. Paulo, concedei-nos, Vos rogamos, que celebrando hoje a sua Conversão, caminhemos para Vós, imitando-lhe os exemplos. Por N. S.

2ª Coleta (de S. Pedro)

Deus, qui beáto Petro Apostolo tuo, collátis clávibus regni caeléstis, ligandi atque solvéndi pontifícium tradidísti: concéde; ut, intercessiónis ejus auxílio, a peccatórum nostrórum néxibus liberémur: Qui vivis et regnas. Ó Deus, que, confiando a S. Pedro, vosso Apóstolo, as chaves do Reino celestial lhe conferistes a autoridade pontifícia de ligar e desligar, concedei, pelo poder da sua intercessão, sejamos livres das cadeias de nossos pecados. Vós, que, sendo Deus, viveis e reinais.

Epístola (At 9, 1-22)

Léctio Actuum Apostolórum.

In diébus illis: Saulus adhuc spirans minárum et cædis in discípulos Dómini, accéssit ad príncipem sacerdótum, et pétiit ab eo epístolas in Damáscum ad synagógas: ut, si quos invenísset hujus viæ viros ac mulíeres, vinctos perdúceret in Jerúsalem. Et cum iter fáceret, cóntigit, ut appropinquáret Damásco: et súbito circumfúlsit eum lux de cœlo. Et cadens in terram, audívit vocem dicéntem sibi: Saule, Saule, quid me perséqueris? Qui dixit: Quis es, Dómine? Et ille: Ego sum Jesus, quem tu perséqueris: durum est tibi contra stímulum calcitráre. Et tremens ac stupens, dixit: Dómine, quid me vis fácere? Et Dóminus ad eum: Surge et ingrédere civitátem, et ibi dicétur tibi, quid te opórteat fácere. Viri autem illi, qui comitabántur cum eo, stabant stupefácti, audiéntes quidem vocem, néminem autem vidéntes. Surréxit autem Saulus de terra, apertísque óculis nihil vidébat. Ad manus autem illum trahéntes, introduxérunt Damáscum. Et erat ibi tribus diébus non videns, et non manducávit neque bibit. Erat autem quidam discípulus Damásci, nómine Ananías: et dixit ad illum in visu Dóminus: Ananía. At ille ait: Ecce ego, Dómine. Et Dóminus ad eum: Surge et vade in vicum, qui vocátur Rectus: et quære in domo Judæ Saulum nómine Tarsénsem: ecce enim orat. (Et vidit virum, Ananíam nómine, introeúntem et imponéntem sibi manus, ut visum recipiat.) Respóndit autem Ananías: Dómine, audívi a multis de viro hoc, quanta mala fécerit sanctis tuis in Jerúsalem: et hic habet potestátem a princípibus sacerdótum alligándi omnes, qui ínvocant nomen tuum. Dixit autem ad eum Dóminus: Vade, quóniam vas electiónis est mihi iste, ut portet nomen meum coram géntibus et régibus et fíliis Israël. Ego enim osténdam illi, quanta opórteat eum pro nómine meo pati. Et ábiit Ananías et introívit in domum: et impónens ei manus, dixit: Saule frater, Dóminus misit me Jesus, qui appáruit tibi in via, qua veniébas, ut vídeas et impleáris Spíritu Sancto. Ei conféstim cecidérunt ab óculis ejus tamquam squamæ, et visum recépit: et surgens baptizátus est. Et cum accepísset cibum, confortátus est. Fuit autem cum discípulis, qui erant Damásci, per dies áliquot. Et contínuo in synagógis prædicábat Jesum, quóniam hic est Fílius Dei. Stupébant autem omnes, qui audiébant, et dicébant: Nonne hic est, qui expugnábat in Jerúsalem eos, qui invocábant nomen istud: et huc ad hoc venit, ut vinctos illos dúcere ad príncipes sacerdótum?  Saulus autem multo magis convalescébat, et confundébat Judǽos, qui habitábant Damásci, affírmans, quóniam hic est Christus.

Leitura dos Atos dos Apóstolos. 

Naqueles dias, Saulo, respirando ainda ameaças e desejos de morte contra os discípulos do Senhor, foi procurar o príncipe dos sacerdotes e pediu-lhe poderes para as sinagogas de Damasco, a fim de que, se encontrasse homens ou mulheres adeptos [da doutrina de Cristo], ele os trouxesse cativos a Jerusalém. Como porém estivesse em caminho e se aproximasse de Damasco, aconteceu que, de repente, viu-se cercado por uma luz vinda do céu. E caindo em terra, ouviu uma voz que lhe dizia: Saulo, Saulo, por que me persegues? Ele respondeu: Quem sois, Senhor? E a voz : Eu sou Jesus, a quem persegues: duro te é rebelar-te contra o aguilhão. Então, tremendo de susto, disse Saulo: Senhor, que quereis que faça ? E o Senhor lhe diz; Levanta-te e entra na cidade, e aí dir-te-ão o que deves fazer. Ora, os homens que o acompanhavam haviam parado, admirados, ouvindo a voz, mas não vendo ninguém. Erguendo-se Saulo, e tendo os olhos abertos, não via coisa alguma. Conduzindo-o então pela mão, fizeram-no entrar em Damasco e ele ali ficou três dias sem ver, não tendo comido nem bebido coisa alguma. Ora, havia em Damasco, um discípulo chamado Ananias. E o Senhor o chamou, em visão: Ananias. E ele respondeu: Eis-me aqui, Senhor. O Senhor lhe disse -. Levanta-te e vai à rua, que se chama Direita, e procura, em casa de Judas, a Saulo, chamado de Tarso: porque ele faz oração. (Este viu um homem chamado Ananias, que entrava e lhe impunha as mãos, para que recuperasse a vista.) Respondeu no entanto Ananias: Senhor, ouvi muitos dizerem quantos males este homem tem feito a vossos santos em Jerusalém; e aqui ele tem poderes dos príncipes dos sacerdotes para prender todos aqueles que invocam o vosso Nome. O Senhor lhe disse: Vai, porque ele é o instrumento que eu escolhi para levar meu Nome ante as nações, os reis e os filhos de Israel. Eu lhe mostrarei quanto lhe será preciso sofrer por meu Nome. E Ananias foi e entrou em casa [de Judas]; e impondo as mãos a Saulo, disse: Saulo, irmão, o Senhor Jesus, que te apareceu no caminho pelo qual vinhas, enviou-me para que vejas e sejas possuído do Espírito Santo. E logo caíram dos olhos de Saulo como que escamas e ele recuperou a vista; e tendo-se, levantado, foi batizado. Quando tomou alimento, restaurou-se, permanecendo ainda alguns dias entre os discípulos que estavam em Damasco. E logo foi anunciar a Jesus nas sinagogas, dizendo que Ele era o Filho de Deus. Admirados ficavam todos os que o ouviam, dizendo: Não é este o mesmo que perseguia, em Jerusalém, aos que invocam este Nome e que aqui chegou para levá-los cativos aos príncipes dos sacerdotes? Saulo porém cada vez mais se fortalecia e confundia os judeus que residiam em Damasco, afirmando que Jesus era o Cristo

Gradual (Gl 2, 8 e 9; I Cor 15, 10 | -)

Qui operátus est Petro in apostolátum, operátus est ei mihi inter gentes: et cognovérunt grátiam Dei, quæ data est mihi. ℣. Grátia Dei in me vácua non fuit: sed grátia ejus semper in me manet. 

Allelúia, allelúia. ℣. Magnus sanctus Paulus, vas electiónis, vere digne est glorificándus, qui et méruit thronum duodécimum possídere. Allelúia.

Aquele que auxiliou a Pedro no apostolado, também me auxiliou a mim entre os gentios; e eles conheceram a graça de Deus que me foi dada. ℣. A graça de Deus não foi estéril em mim; e sempre a sua graça permanece em mim.

Aleluia, aleluia. ℣. O grande S. Paulo, instrumento escolhido por Deus, é digno de ser louvado, ele que mereceu ocupar o duodécimo trono.. Aleluia.

Evangelho (Mt 19, 27-29)

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Matthaeum. 

In illo témpore: Dixit Petrus ad Jesum: Ecce, nos relíquimus ómnia, et secúti sumus te: quid ergo erit nobis? Jesus autem dixit illis: Amen, dico vobis, quod vos, qui secúti estis me, in regeneratióne, cum séderit Fílius hóminis in sede majestátis suæ, sedébitis et vos super sedes duódecim, judicántes duódecim tribus Israël. Et omnis, qui relíquerit domum, vel fratres, aut soróres, aut patrem, aut matrem, aut uxórem, aut fílios, aut agros, propter nomen meum, céntuplum accípiet, et vitam ætérnam possidébit.

Sequência do Santo Evangelho segundo Mateus.

Naquele tempo, disse Pedro a Jesus: Eis que abandonamos tudo e Vos seguimos: que recompensa haverá então para nós? Respondeu-lhe Jesus: Em verdade vos digo, que no dia da regeneração, quando o Filho do homem se assentar no trono de sua glória, também vós, que me seguistes, assentar-vos-eis em doze tronos, e julgareis as doze tribos de Israel. E todo aquele que deixar a casa, ou os irmãos, ou as irmãs, ou o pai, ou a mãe, ou a mulher, ou os filhos, ou as terras, por causa de meu Nome, receberá o cêntuplo e possuirá a vida eterna.

Ofertório (Sl 20, 3-4)

Mihi autem nimis honoráti sunt amíci tui, Deus: nimis confortátus est principátus eórum. Tenho em grande estima os vossos amigos, ó Deus; muito se firmou o seu poder.

Secreta

Apóstoli tui Pauli précibus, Dómine, plebis tuæ dona sanctífica: ut, quæ tibi tuo grata sunt institúto, gratióra fiant patrocínio supplicántis. Per D.N. Santificai, Senhor, pelas preces do Apóstolo S. Paulo os dons de vosso povo, de sorte que esta oferenda, que já Vos é agradável porque instituída por Vós, mais agradável se torne ainda pelo patrocínio daquele que intercede por nós. Por N. S.

2ª Secreta (de S. Pedro)

Ecclésiæ tuæ, quǽsumus, Dómine, preces et hóstias beáti Petri Apóstoli comméndet orátio: ut, quod pro illíus glória celebrámus, nobis prosit ad véniam. Per D.N. Nós Vos pedimos, Senhor, que a oração do Apóstolo S. Pedro Vos torne agradáveis as preces e as hóstias de vossa Igreja, para que nos obtenha o vosso perdão o que celebramos em sua glória. Por N.S.

Prefácio (dos Apóstolos)

℣. Dóminus vobíscum.
℞. Et cum spíritu tuo.
℣. Sursum corda.
℞. Habémus ad Dóminum.
℣. Grátias agámus Dómino Deo nostro.
℞. Dignum et iustum est.
.
Vere dignum et justum est, æqum et salutáre, Te Dómine supplicíter exoráre, ut gregem tuum pastor ætérne, non déseras: sed per beátos Apóstolos tuos contínua protectióne custódias. Ut iísdem rectóribus gubernétur, quos óperis tui vicários eídem contulísti præésse pastóres. Et ídeo cum Angelis et Archángelis, cum Thronis et Dóminatiónibus, cumque omni milítia coeléstis exércitus, hymnum glóriæ tuæ cánimus sine fine dicéntes: Sanctus, Sanctus, Sanctus…
℣. O Senhor seja convosco.
℞. E com o vosso espírito,
℣. Para o alto os corações.
℞. Já os temos para o Senhor,
℣. Demos graças ao Senhor, nosso Deus.
℞. É digno e justo.
.
Verdadeiramente é digno e justo, razoável e salutar, suplicar-Vos humildemente, Senhor, que, como pastor eterno, não abandoneis o vosso rebanho, mas antes por intercessão de vossos bem-aventurados Apóstolos, o guardeis sob a vossa contínua proteção, para que seja dirigido pelos mesmos guias, que, encarregados como vigários de perpetuar a vossa obra, quisestes o governassem como pastores. E por isso, com os Anjos e os Arcanjos, com os Tronos e as Dominações, e com todo o exército da milícia celestial, cantamos hinos à vossa glória, dizendo sem fim: Santo, Santo, Santo…

Comunhão (Mt 19, 28 e 29)

Amen, dico vobis: quod vos, qui reliquístis ómnia et secúti estis me, céntuplum accipiétis, et vitam ætérnam possidébitis. Em verdade vos digo: vós que abandonastes tudo e me seguistes, recebereis o cêntuplo e possuireis a vida eterna.

Pós-comunhão

Sanctificáti, Dómine, salutári mystério: quǽsumus; ut nobis ejus non desit orátio, cujus nos donásti patrocínio gubernári. Per D.N. Santificados por este Mistério salutar, nós Vos rogamos, Senhor, não nos falte a intercessão do Santo que nos destes como guia e padroeiro. Por N. S.

2ª Pós-comunhão (de S. Pedro)

Lætíficet nos, Dómine, munus oblátum: ut, sicut in Apóstolo tuo Petro te mirábilem prædicámus; sic per illum tuæ sumámus indulgéntiæ largitátem. Per D.N. Alegre-nos, Senhor, este Sacrifício que Vos oferecemos, a  fim de que, assim como Vos proclamamos admirável em vosso Apóstolo S. Pedro, assim também por ele recebamos vossa misericórdia. Por N. S.

Traduções e comentário principal extraídos do Missal Quotidiano de D. Beda (1947/1962). 

Comente o post

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: