Liturgia Diária- 03/12/2018

SÃO FRANCISCO XAVIER, Confessor

Padroeiro das Missões – Festa de 3ª Classe- Missa Própria

Nasceu em 1506. Aos 19 anos, encontrou-se com S. Inácio de Loiola e tornou-se o maior missionário da Companhia de Jesus nas índias e no lapão. Sua única paixão era a de salvar as almas. Pio X o declarou padroeiro das Missões. Seu corpo está sepultado em Goa e seu braço direito, na igreja Al Gesú em Roma.


Páginas 1306 a 1310 do Missal Quotidiano. 


Missa às 18:30 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes. 


PRÓPRIO DO DIA

Introito (Sl 118, 36-47 | Sl 116, 1-2)

Loquébar de testimóniis tuis in conspéctu regum, et non confundébar: et meditábar in mandátis tuis, quæ diléxi nimis. Ps. Laudáte Dóminum, omnes gentes, laudáte eum, omnes pópuli: quóniam confirmáta est super nos misericórdia ejus, et véritas Dómini manet in aetérnum. V. Gloria Patri. Eu falava de vossos preceitos diante dos reis, e não me confundia; e meditava em vossos mandamentos que muito amo. Sl. Louvai ao Senhor, nações todas; louvai-O todos os povos. Porque se confirmou sobre nós a sua misericórdia e a fidelidade do Senhor perdura eternamente. V. Glória ao Pai.

Coleta

Deus, qui Indiárum gentes beáti Francísci prædicatióne et miráculis Ecclésiæ tuæ aggregáre voluísti: concéde propítius; ut, cujus gloriósa mérita venerámur, virtútum quoque imitémur exémpla. Per D.N. Ó Deus, que quisestes pela pregação e pelos milagres de S. Francisco chamar à vossa Igreja os povos das índias, concedei-nos propício que, venerando os seus gloriosos méritos, imitemos também os exemplos de suas virtudes. Por N. S.

2ª Coleta (da Féria)

Excita, quæsumus, Dómine, poténtiam tuam et veni; ut ab imminéntibus peccatórum nostrórum perículis, te mereámur protegénte éripi, te liberánte salvári. Qui vivis et regnas, cum Deo Patre in unitáte Spíritu Sancti, Deus, per omnia saecula saeculorum. Manifestai,. Senhor, Vos pedimos, o vosso poder e vinde, para que, por vossa proteção, mereçamos ser libertados dos perigos a que os nossos pecados nos expõem, e ser salvos por vossa mão libertadora. Vós, que, sendo Deus, viveis e reinais com Deus Padre em união com o Espírito Santo, por todos os séculos dos séculos.

Epístola (Rm 10, 10-18)

São Paulo fala, com brilho excepcional, da missão dos Apóstolos. São mensageiros de Nosso Senhor Jesus Cristo, anunciando ao mundo a boa nova da salvação, que Ele nos mereceu com seu sangue.

Léctio Epístolæ beáti Pauli Apóstoli ad Romános.

ratres: Corde enim créditur ad justítiam: ore autem conféssio fit ad salútem. Dicit enim Scriptúra: Omnis, qui credit in illum, non confundétur. Non enim est distínctio Judæi, et Græci: nam idem Dóminus ómnium, dives in omnes, qui invocant Illum. Omnis enim, quicúmque invocáverit nomen Dómini, salvus erit. Quómodo ergo invocábunt, in quem. non credidérunt? Aut quómodo credent ei, quem non audiérunt? Quómodo autem ádient sine prædicánte? Quómodo vero prædicábunt, nisi mittántur? sicut scriptum est: Quam speciósi pedes evangelizántium pacem, evangelizántium bona! Sed non omnes obédiunt Evangélio. Isaías enim. dicit: Dómine, quis crédidit audítui nostro? Ergo fides ex audítu, audítus autem per verbum Christi. Sed dico: Numquid non audiérunt? Et quidem in omnem terram exívit sonus eórum, et in fines orbis terræ verba eórum.

Leitura da Epístola de São Paulo Apóstolo aos Romanos. 

Irmãos: Com o coração se crê para alcançar a justiça; mas com a boca se faz a confissão para obter a salvação. Diz, pois, a Escritura: Todo o que Nele crê não  será confundido. Porque não há distinção entre Judeu e Grego [pagão], pois um mesmo é o Senhor de todos, rico para com todos os que O invocam. Porque todo o que invocar o Nome do Senhor será salvo. Mas como invocarão Aquele em quem não creram ? E como hão de crer n’Aquele de quem não ouviram falar ? E como hão de ouvir, se não houver pregadores? E como haverá pregadores, se não forem enviados? Assim está escrito: Que formosos são os pés dos que evangelizam a paz, dos que anunciam a Boa Nova! Mas nem todos obedecem ao Evangelho. Pois Isaías pergunta: Senhor, quem crê no que de nós ouviu ? Logo, a fé vem pela pregação e a pregação por ordem do Cristo. E pergunto: Acaso, não a ouviram ? Sim, certamente, pois por toda a terra, se difundiu sua pregação e até as extremidades da terra chegaram as suas palavras.

Gradual (Sl 91, 13 e 14 | Tg 1, 12)

Justus ut palma florébit: sicut cedrus Líbani multiplicábítur in domo Dómíni. V. Ad annuntiándum mane miseri-córdiam tuam, et veritátem tuam per noctem.

Allelúia, allelúia. V. Beátus vir, qui suffert tentatiónem: quóniam cum probátus fúerit, accípiet corónam vita. Allelúia.

O justo floresce como a palmeira, na plenitude da força, como o cedro do Líbano na casa do Senhor. V Para anunciar pela manhã a vossa misericórdia e a vossa fidelidade durante a noite.

Aleluia, aleluia. V. Bem-aventurado o homem que resiste à tentação, porque depois que tiver sido provado receberá a coroa da vida. Aleluia.

Evangelho (Mc 16, 15-18)

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Marcum. 

In illo témpore: Dixìt Jesus discípulis Suis: “Eúntes in mundum univérsum, prædicáte Evangélium omni creatúræ. Qui credíderit, et baptizátus fuerit, saivus erit: qui vero non credíderit, condemnábitur. Signa autem eos, qui credíderint, hæc sequéntur: In nómine meo dæmónia ejícient: linguis loquéntur novis: serpéntes tollent: et si mortíferum quid bíberint, non eis nocébit: super ægros manus impónent, et bene habébunt.”

Sequência do Santo Evangelho segundo Marcos.

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: Ide por toda a terra e ensinai o Evangelho a todos os povos. Quem crer e for batizado será salvo; porém o que não crer será condenado. Estes são os milagres que acompanharão aos que creem: Em meu Nome expulsarão os demônios; línguas novas falarão; dominarão as serpentes e se tomarem alguma coisa mortífera, nada lhes sucederá de mal. Impondo eles as mãos sobre os doentes, estes serão curados.

Ofertório (Sl 88, 25)

Véritas mea, et misericórdia mea cum ipso: et in nómine meo exaltábitur cornu ejus. Minha fidelidade e minha misericórdia estão com ele; e
em meu Nome se levantará o seu poder.

Secreta

Præsta nobis, quæsumus, omnípotens Deus: ut nostræ humilitátis oblátio, et pro tuórum tibi grata sit honóre Sanctórum, et nos córpore páriter et mente purfícet. Per D.N. Nós Vos rogamos, ó Deus onipotente, concedei-nos que esta nossa humilde oferenda, servindo para honrar os vossos Santos, Vos seja agradável, e purifique igualmente os nossos corpos e as nossas almas. Por N. S.

2ª Secreta (da Féria)

Hæc sacra nos, Dómine, potenti virtúte mundátos, ad suum fáciant purióres veníre princípium. Per D.N. Fazei, Senhor, que purificados pela poderosa força destas santas ofertas, mereçamos chegar mais puros Aquele que é delas o princípio. Por N. S.

Prefácio (Comum)

Vere dignum et justum est, aequum et salutare, nos Tibi simper, et ubique gratias agere: Domine sancte, Pater omnipotens, aeterne Deus: per Christum Dominum nostrum. Per quem majestatem Tuam laudant Angeli, adorant Dominationes, tremunt Potestates, Coeli, Coelorumque Virtutes, ac beata Seraphim socia exultatione concelebrant. Cum quibus et nostras voces, ut admitti, jubeas, supplici confessione dicentes:

Sanctus, Sanctus, Sanctus…

Verdadeiramente é digno e justo, razoável e salutar, que, sempre e em todo o lugar, Vos demos graças, ó Senhor santo, Paí onipotente, eterno Deus, por Jesus Cristo, Nosso Senhor. É por Ele que os Anjos louvam a vossa Majestade, as Dominações a adoram, tremem as Potestades. Os Céus, as virtudes dos Céus, e os bem-aventurados Serafins a celebram com recíproca alegria. Às suas vozes, nós Vos rogamos, mandeis que se unam as nossas, quando em humilde confissão Vos dizemos:

Santo, Santo, Santo…

Comunhão (Mt 24, 46-47)

Beátus servus, quem, cum vénerit dóminus, invénerit vigilántem: amen dico vobis, super ómnia bona sua constítuet eum. Bem-aventurado o servo a quem o Senhor, quando vier, achar vigilante. Em verdade vos digo que lhe confiará o, governo de todos os seus bens.

Pós-comunhão

Quæsumus, omnípotens Deus: ut, qui cæléstia aliménta percépimus, intercedénte beáto Francísco Confessóre tuo, per hæc contra ómnia advérsa muniámur. Per D.N. Tendo recebido o Alimento celestial, nós Vos suplicamos, ó Deus onipotente, que, pela intercessão de S. Francisco, vosso Confessor, sejamos fortalecidos contra todas as adversidades. Por N. S.

2ª Pós-comunhão (da Féria)

Suscipiámus, Dómine, miseri-córdiam tuam in médio templi tui: ut reparatiónis nostræ ventúra solémnia cóngruis honóribus præcedémus. Per D.N. Fazei, Senhor, que possamos receber a vossa misericórdia no meio de vosso templo, a fim de nos prepararmos com o devido respeito para a solenidade de nossa redenção que se aproxima. Por N. S.

Traduções e comentário principal do Missal de D. Beda Keickeisen (1947) e comentário da epístola do Missal de D. Gaspar Lefebvre (1963). 

Comente o post

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: