Liturgia Diária- 08/09/2018

NATIVIDADE DA SANTÍSSIMA VIRGEM MARIA

Festa de 2ª Classe- Missa Própria

Festejando solenemente o nascimento da Virgem Maria, a Igreja canta a aurora de Redenção, a aparição neste mundo daquela que devia ser a Mãe do Salvador. Recordando tudo o que anunciava este nascimento, a Igreja exulta e pede a Deus um aumento das graças de paz, trazidas aos homens pelo mistério da Encarnação.

Mais antiga no Oriente do que no Ocidente, esta festa parece ter sido introduzida na liturgia romana no fim do século VII pelo papa Sérgio I. A data de 8 de setembro, fixada pelo papa Sérgio, determinou, no século passado a de 8 de dezembro para a festa da Imaculada Conceição.


SANTO ADRIANO, Mártir

Comemoração – Missa do dia, com 2ªs orações da Missa “In virtute”

A liturgia da Natividade de Nossa Senhora em Roma compreendia uma procissão que tinha o seu início na igreja de Santo Adriano no Fórum. Daí a memória de santo Adriano tradicionalmente ligada à festa de 8 de Setembro. É possível que se trate de um mártir da Nicomédia, vítima da perseguição de Diocleciano.


Páginas 1271 a 1274 e 823 a 826 do Missal Quotidiano.


Missa às 18:30 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


PRÓPRIO DO DIA

Introito (Sl 44,2)

Salve, ó Mãe santíssima, que destes à luz o Rei que governa a Terra e o Céu, por todos os séculos. Sl. Saiu do meu coração uma palavra boa: consagrarei ao Rei todo o meu ser. Glória ao Pai.

Coleta

Concedei, Senhor, aos vossos servos o dom da vossa graça, e fazei que a Natividade da Virgem concilie incrementos de paz àqueles para quem o seu parto foi princípio de salvação. Por Nosso Senhor Jesus Cristo.

Coleta (de S. Adriano)

Fazei, ó Deus onipotente, por intercessão do bem-aventurado mártir Adriano, que a celebração do seu aniversário fortifique em nós o amor do vosso nome. Por Nosso Senhor Jesus Cristo.

Epístola (Pr 8,22-35) 


Poder e presença eterna na mente de Deus, solicitude com os interesses dos homens, que podem ouvindo-Lhe os conselhos, encontrar os caminhos da salvação, tais são os predicados da Sabedoria Eterna, que a Santa Igreja aplica a Nossa Senhora e igualmente a Jesus Cristo, tão intimamente ambos se associam na realização dos grandes desígnios de Deus.


Leitura do Livro da Sabedoria.

O Senhor me criou, como primícia de suas obras, desde o princípio, antes do começo da terra. Desde a eternidade fui formada, antes de suas obras dos tempos antigos. Ainda não havia abismo quando fui concebida, e ainda as fontes das águas não tinham brotado. Antes que assentados fossem os montes, antes dos outeiros, fui dada à luz; antes que fossem feitos a terra e os campos e os primeiros elementos da poeira do mundo. Quando ele preparava os céus, ali estava eu; quando traçou o horizonte na superfície do abismo, quando firmou as nuvens no alto, quando dominou as fontes do abismo, quando impôs regras ao mar, para que suas águas não transpusessem os limites, quando assentou os fundamentos da terra, junto a ele estava eu como artífice, brincando todo o tempo diante dele, brincando sobre o globo de sua terra, achando as minhas delícias junto aos filhos dos homens. E agora, meus filhos, escutai-me: felizes aqueles que guardam os meus caminhos. Ouvi minha instrução para serdes sábios, não a rejeiteis. Feliz o homem que me ouve e que vela todos os dias à minha porta e guarda os umbrais de minha casa! Pois quem me acha encontra a vida e alcança o favor do Senhor.

Gradual

Bendita e venerável sois, Virgem Maria, que sem mácula concebestes e destes à luz o Salvador. Virgem Mãe de Deus, Aquele que o mundo não pode conter, em vosso ventre se encerrou para se fazer homem.

Aleluia

Aleluia, aleluia. V. Feliz sois vós, Virgem sagrada, e digna de todo o louvor, pois de vós nasceu o Sol da justiça, Cristo, o nosso Deus. Aleluia.

Evangelho (Mt 1,1-16)


Pela sua genealogia, Cristo está ligado aos principais depositários das promessas messiânicas, Abraão e David, passando pela descendência real deste último. Maria pertencia à descendência real de David.


Início do Santo Evangelho segundo Mateus.

Genealogia de Jesus Cristo, filho de Davi, filho de Abraão. Abraão gerou Isaac. Isaac gerou Jacó. Jacó gerou Judá e seus irmãos. Judá gerou, de Tamar, Farés e Zara. Farés gerou Esron. Esron gerou Arão. Arão gerou Aminadab. Aminadab gerou Naasson. Naasson gerou Salmon. Salmon gerou Booz, de Raab. Booz gerou Obed, de Rute. Obed gerou Jessé. Jessé gerou o rei Davi. O rei Davi gerou Salomão, daquela que fora mulher de Urias. Salomão gerou Roboão. Roboão gerou Abias. Abias gerou Asa. Asa gerou Josafá. Josafá gerou Jorão. Jorão gerou Ozias. Ozias gerou Joatão. Joatão gerou Acaz. Acaz gerou Ezequias. Ezequias gerou Manassés. Manassés gerou Amon. Amon gerou Josias. Josias gerou Jeconias e seus irmãos, no cativeiro de Babilônia. E, depois do cativeiro de Babilônia, Jeconias gerou Salatiel. Salatiel gerou Zorobabel. Zorobabel gerou Abiud. Abiud gerou Eliacim. Eliacim gerou Azor. Azor gerou Sadoc. Sadoc gerou Aquim. Aquim gerou Eliud. Eliud gerou Eleazar. Eleazar gerou Matã. Matã gerou Jacó. Jacó gerou José, esposo de Maria, da qual nasceu Jesus, que é chamado Cristo.

Ofertório

Feliz sois vós, Virgem Maria, que trouxestes no seio o Criador do mundo. Destes à luz Quem te criou, sem jamais deixares de ser virgem.

Secreta

Socorrei-nos, Senhor, pela santa humanidade do vosso Filho Unigênito; e como, havendo nascido duma virgem, não alterou, antes consagrou a integridade de mãe, fazei com que, na festa do nascimento de Maria, esse mesmo Jesus Cristo Nosso Senhor nos livre dos nossos pecados e Vos torne agradável a nossa oblação. O qual, sendo Deus, vive e reina.

Secreta (de S. Adriano)

Senhor, que nos aceitas as preces e os dons, purificai-nos com estes divinos mistérios e ouvi-nos por misericórdia. Por Nosso Senhor Jesus Cristo.

Comunhão

Ditosas as entranhas da Virgem Santíssima, que foram dignas de acolher o Filho do Pai eterno.

Pós-comunhão

Que a recepção dos sagrados mistérios, que celebramos nesta solenidade, nos conciliem os remédios necessários para vida temporal e para a eterna. Por Nosso Senhor Jesus Cristo.

Pós-comunhão (de S. Adriano)

Fazei, Senhor, que, assim como celebramos com alegria na terra a memória dos vossos santos, assim tenhamos a ventura de os contemplar para sempre no Céu. Por Nosso Senhor Jesus Cristo.

Comente o post

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: