Liturgia Diária- 18/02/2019

S. SIMEÃO, Bispo e Mártir

Comemoração- Missa “Statuit” (1) com comemoração da féria

São Simeão, sucessor do apóstolo São Tiago como bispo de Jerusalém, foi preso e crucificado pelos anos 110, no reinado de Trajano. Governou Jerusalém durante uns 40 anos. 


Páginas 989; 817 a 823, e 119 a 123 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963).


Participe de nossa Galinhada Beneficente. Saiba mais, clicando aqui


Próximas Missas: clique e confira


PRÓPRIO DO DIA

Introito (Eclo 45, 30 | Sl, 131, 1)

Státuit ei Dóminus testaméntum pacis, et príncipem fecit eum: ut sit illi sacerdótii dígnitas in ætérnum. Ps.  Meménto, Dómine, David: et omnis mansuetúdinis ejus. ℣. Gloria Patri. O Senhor fez com ele uma aliança de paz, constituindo-o príncipe, a fim de que a dignidade sacerdotal sempre lhe pertencesse. Sl. Lembrai-Vos, Senhor, de Davi e de toda a sua submissão. ℣. Glória ao Pai.

Coleta

Infirmitátem nostram réspice, omnípotens Deus: et, quia pondus própriæ actiónis gravat, beáti Simeónis Martyris tui atque Pontíficis intercéssio gloriósa nos prótegat. Per D.N. Ó Deus onipotente, olhai para a nossa fraqueza e, por nos oprimir o peso de nossas culpas, fazei que a gloriosa intercessão de S. Simeão, vosso Mártir e Pontífice, nos proteja. Por N. S.

2ª Coleta (da Féria)

Preces pópuli tui, quǽsumus, Dómine, cleménter exáudi: ut, qui juste pro peccátis nostris afflígimur, pro tui nóminis glória misericórditer liberémur. Per D.N. Nós Vos suplicamos, Senhor, que escuteis, clemente, as preces de vosso povo, a fim de que, para glória de vosso Nome misericordiosamente sejamos livres dos males com que vossa justiça nos aflige pelos nossos pecados. Por N.S.

Epístola (Tg 1, 12-18)

Léctio Epístolæ beáti Jacóbi Apóstoli.

Caríssimi: Beátus vir, qui suffert tentatiónem: quóniam, cum probátus fúerit, accípiet corónam vitæ, quam repromísit Deus diligéntibus se. Nemo, cum tentátur, dicat, quóniam a Deo tentátur: Deus enim intentátor malórum est: ipse autem néminem tentat. Unusquísque vero tentátur a concupiscéntia sua abstráctus et illéctus. Deinde Concupiscéntia cum concéperit, parit peccátum: peccátum vero cum consummátum fúerit, génerat mortem. Nolíte itaque erráre, fratres mei dilectíssimi. Omne datum óptimum et omne donum perféctum desúrsum est, descéndens a Patre lúminum, apud quem non est transmutátio nec vicissitúdinis obumbrátio. Voluntárie enim génuit nos verbo veritátis, ut simus inítium aliquod creatúræ ejus.

Leitura da Epístola de São Tiago Apóstolo. 

Caríssimos: Bem-aventurado o homem que suporta a tentação, porque, depois que tiver sido provado receberá a coroa da vida, que Deus prometeu aos que O amam. Ninguém, quando é tentado, diga que é tentado por Deus, porque Deus não pode ser tentado para o mal, e Ele não tenta ninguém. Cada um, porém, é tentado por sua própria concupiscência que o atrai e alicia. Depois, quando a concupiscência já concebeu, gera o pecado e o pecado logo que é consumado, tem como consequência a morte. Não vos enganeis, pois, irmãos meus muito amados. Toda boa dádiva, todo dom perfeito, vem do alto e desce do Pai das luzes, no  qual não há mudança, nem sombra de vicissitude. Porque segundo a sua livre vontade nos gerou pela palavra da verdade, para que sejamos como primícias de suas criaturas.

Gradual (Sl 88, 21-23 | Sl 109, 4)

Invéni David servum meum, óleo sancto meo unxi eum: manus enim mea auxiliábitur ei, et bráchium meum confortabitá earn. ℣. Nihil profíciet inimícus in eo, et fílius iniquitátis non nocébit ei.

Escolhi Davi, para meu servo; com o meu santo óleo o ungi: minha mão lhe dará auxílio e meu braço o fortalecerá. ℣. Em nada prevalecerá o inimigo sobre ele, e o malfeitor não conseguirá prejudicá-lo.

Trato (Sl 20, 3-4)

Desidérium ánimæ ejus tribuísti ei: et voluntáte labiórum ejus non fraudásti eum. ℣. Quóniam prævenísti eum in benedictiónibus dulcédinis. ℣. Posuísti in cápite ejus corónam de lápide pretióso.

Vós satisfizestes o desejo de seu coração e não lhe negastes o que seus lábios Vos pediram. ℣. Vós lhe concedestes abundantes bênçãos. ℣. Pusestes em sua cabeça uma coroa de pedras preciosas.

Evangelho (Lc 14, 26-33)

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Lucam. 

In illo témpore: Dixit Jesus turbis: Si quis venit ad me, et non odit patrem suum, et matrem, et uxórem, et fílios, et fratres, et soróres, adhuc autem et ánimam suam, non potest meus esse discípulus. Et qui non bájulat crucem suam, et venit post me, non potest meus esse discípulus. Quis enim ex vobis volens turrim ædificáre, non prius sedens cómputat sumptus, qui necessárii sunt, si hábeat ad perficiéndum; ne, posteáquam posúerit fundaméntum, et non potúerit perfícere, omnes, qui vident, incípiant illúdere ei, dicéntes: Quia hic homo cœpit ædificáre, et non pótuit consummáre? Aut quis rex iturus commíttere bellum advérsus álium regem, non sedens prius cógitat, si possit cum decem mílibus occúrrere ei, qui cum vigínti mílibus venit ad se? Alióquin, adhuc illo longe agénte, legatiónem mittens, rogat ea, quæ pacis sunt. Sic ergo omnis ex vobis, qui non renúntiat ómnibus, quæ póssidet, non potest meus esse discípulus.

Sequência do Santo Evangelho segundo Lucas.

Naquele tempo, disse Jesus à multidão: Se alguém vem a mim e não odeia seu pai e a mãe, a mulher e os filhos, os irmãos e as irmãs e até a sua própria vida, não pode ser meu discípulo. Quem não carrega a sua cruz, seguindo-me, não pode ser meu discípulo. Por que, qual de vós, querendo edificar uma torre, não se senta primeiro a calcular os gastos, para ver se tem com que a acabar? Para que não suceda que depois de postos os alicerces e de não a poder concluir, todos os que o virem não comecem a zombar dele, dizendo: Este homem começou a edificar e não pôde terminar. Ou qual é o rei que, estando para entrar em guerra contra outro rei, não se senta primeiro a considerar, se com dez mil homens poderá ir ao encontro do que traz contra ele vinte mil? No caso contrário enviará uma embaixada, enquanto o outro ainda está longe, e pedir-lhe-á convênios de paz. Assim, pois, qualquer de vós que não renuncie a tudo o que possui não pode ser meu discípulo.

Ofertório (Sl 88, 25)

Véritas mea, et misericórdia mea cum ipso: et in nómine meo exaltábitur cornu ejus. Minha fidelidade e minha misericórdia estão com ele; e em meu Nome se levantará o seu poder.

Secreta

Hóstias tibi, Dómine, beáti Simeónis, Mártyris tui atque Pontíficis dicátas méritis, benígnus assúme: et ad perpétuum nobis tríbue proveníre subsídium. Per D.N. Senhor, aceitai benigno as hóstias que Vos oferecemos, e pelos méritos de S. Timóteo, vosso Mártir e Pontífice, concedei que elas nos sirvam de perpétuo socorro. Por N. S.

2ª Secreta (da Féria)

Munéribus nostris, quǽsumus, Dómine, precibúsque suscéptis: et cœléstibus nos munda mystériis, et cleménter exáudi. Per D.N. Nós Vos suplicamos, Senhor, que, recebendo as nossas ofertas e preces, nos purifiqueis com os celestes Mistérios e benignamente nos atendais. Por N. S. 

Prefácio (Comum)

Vere dignum et justum est, aequum et salutare, nos Tibi simper, et ubique gratias agere: Domine sancte, Pater omnipotens, aeterne Deus: per Christum Dominum nostrum. Per quem majestatem Tuam laudant Angeli, adorant Dominationes, tremunt Potestates, Coeli, Coelorumque Virtutes, ac beata Seraphim socia exultatione concelebrant. Cum quibus et nostras voces, ut admitti, jubeas, supplici confessione dicentes:

Sanctus, Sanctus, Sanctus…

Verdadeiramente é digno e justo, razoável e salutar, que, sempre e em todo o lugar, Vos demos graças, ó Senhor santo, Paí onipotente, eterno Deus, por Jesus Cristo, Nosso Senhor. É por Ele que os Anjos louvam a vossa Majestade, as Dominações a adoram, tremem as Potestades. Os Céus, as virtudes dos Céus, e os bem-aventurados Serafins a celebram com recíproca alegria. Às suas vozes, nós Vos rogamos, mandeis que se unam as nossas, quando em humilde confissão Vos dizemos:

Santo, Santo, Santo…

Comunhão (Sl 88, 36-38)

Semel jurávi in sancto meo: semen ejus in ætérnum manébit, et sedes ejus sicut sol in conspéctu meo, et sicut luna perfécta in ætérnum, et testis in coelo fidélis. Jurei uma vez, por minha santidade; a sua descendência durará eternamente e o seu trono será [inabalável] como o sol em minha presença, e como a lua que foi criada para para sempre e a testemunha que está no céu é fiel.

Pós-comunhão

Refécti participatióne múneris sacri, quǽsumus, Dómine, Deus noster: ut, cujus exséquimur cultum, intercedénte beáto Simeónem Mártyre tuo atque Pontífice, sentiámus efféctum. Per D.N. Fortalecidos com a participação deste Dom Sagrado, nós Vos rogamos, Senhor, nosso Deus, que por intercessão de S. Simeão, vosso Mártir e Pontífice, sintamos o efeito do Mistério que hoje celebramos. Por N. S.

2ª Pós-comunhão (da Féria)

Fidéles tui, Deus, per tua dona firméntur: ut eadem et percipiéndo requírant, et quæréndo sine fine percípiant. Per D.N. Vossos fiéis, ó Deus, sejam fortalecidos com os vossos Dons, para que, recebendo-os, continuem a desejá-los, e desejando-os para sempre os gozem. Por N. S.

Traduções extraídas do Missal Quotidiano de D. Beda (1947). Comentário retirado do Missal de D. Gaspar Lefevbre (1963).

Comente o post

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: