Liturgia Diária- 10/03/2020

TERÇA-FEIRA DA 2ª SEMANA DA QUARESMA

Féria de 3ª Classe- Missa Própria – Estação em S. Balbina

Com os catecúmenos e os penitentes, procuramos a face do Senhor (Introito). A viúva de Sarefta (Leitura) e a Santa da igreja estacional nos mostram o caminho: a fé e a caridade. O Evangelho nos exorta: fugir ao espírito farisaico e seguir o “Mestre” que nos ensina o caminho para Deus.


SS. 40 MÁRTIRES

Comemoração – Missa do dia, com 2ªs orações próprias

Eram soldados romanos na Capadócia. Presos no cárcere por causa de sua fé, foram, certa noite, inteiramente despidos e expostos sobre o gelo de um lago. Pediram que nenhum deles perdesse a coroa do martírio e como um não soubesse resistir aos sofrimentos, um dos carcereiros de converteu, tomando o seu lugar e ganhando o prêmio com os outros trinta e nove.


Páginas 201 a 204; 1004 a 1005 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Missa às 19 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


PRÓPRIO DO DIA

Introito (Sl 26, 8 e 9 | ib., 1)

Tibi dixit cor meum, quæsívi vultum tuum. vultum tuum, Dómine, requíram: ne avértas fáciem tuam a me. Ps. Dóminus illuminátio mea, et salus mea: quem timébo?. ℣. Gloria Patri. Meu coração Vos diz: Procuro a vossa face, Senhor, procurarei a vossa presença; não afasteis de mim a vossa face. Sl. O Senhor é minha Luz e minha Salvação; a quem temerei? ℣. Glória ao Pai.

Coleta

Pérfice, quǽsumus, Dómine, benignus in nobis observántiæ sanctæ subsídium: ut, quæ te auctóre faciénda cognóvimus, te operánte impleámus. Per D.N. Nós Vos rogamos, Senhor, continuai a assistir-nos com a vossa bondade durante a observância deste santo jejum, a fim de com o vosso auxílio cumprirmos o dever que de Vós mesmo aprendemos. Por N. S.

2ª Coleta (dos ss. mártires)

Præsta, quǽsumus, omnípotens Deus: ut, qui gloriósos Mártyres fortes in sua confessióne cognóvimus, pios apud te in nostra intercessióne sentiámus. Per D.N. Nós Vos suplicamos, ó Deus onipotente, fazei que, assim como reconhecemos os gloriosos Mártires corajosos na confissão de sua fé, também sintamos os efeitos de sua caridosa intercessão junto de Vós. Por N. S.

Epístola (3 Reis, 17, 8-16)

Léctio libri Regum.

In diébus illis: Factus est sermo Dómini ad Elíam Thesbíten, dicens: Surge et vade in Saréphta Sidoniórum, et manébis ibi: præcépi enim ibi mulíeri víduæ, ut pascat te. Surréxit et ábiit in Saréphta. Cumque venísset ad portam civitátis, appáruit ei múlier vídua cólligens ligna, et vocávit eam, dixítque ei: Da mihi páululum aquæ in vase, ut bibam. Cumque illa pérgeret, ut afférret, clamávit post tergum eius, dicens: Affer mihi, óbsecro, et buccéllam panis in manu tua. Quæ respóndit: Vivit Dóminus, Deus tuus, quia non habeo panem, nisi quantum pugíllus cápere potest farínæ in hýdria, et páululum ólei in lécytho: en, collige duo ligna, ut ingrédiar, et fáciam illum mihi et fílio meo, ut comedámus et moriámur. Ad quam Elías ait: Noli timére, sed vade, et fac, sicut dixísti: verúmtamen mihi primum fac de ipsa farínula subcinerícium panem párvulum, et affer ad me: tibi autem et fílio tuo fácies póstea. Hæc autem dicit Dóminus, Deus Israël: Hýdria farínæ non defíciet, nec lécythus ólei minuétur, usque ad diem, in qua Dóminus datúrus est plúviam super fáciem terræ. Quæ ábiit, et fecit iuxta verbum Elíæ: et comédit ipse et illa et domus eius: et ex illa die hýdria farínæ non defécit, et lécythus ólei non est imminútus, iuxta verbum Dómini, quod locútus fúerat in manu Elíæ.  

Leitura do livro dos Reis.

Naqueles dias, a palavra do Senhor foi dirigida a Elias, de Tesbé, nestes termos: Levanta-te, vai a Sarepta dos Sidônios e ali permanece: porque ordenei ali a uma mulher viúva, que te sustente. Levantou-se [Elias] e foi a Sarepta. Chegando à porta da cidade, apareceu-lhe uma mulher viúva que juntava lenha. Chamou-a, dizendo-lhe: Dá-me um pouco dágua em um vaso, para que beba. Enquanto ela ia buscar água para lhe dar, ele gritou atrás dela, dizendo. Traze-me também, suplico-te, um bocado de pão, em tua mão. Ao que ela respondeu: Pelo Senhor, teu Deus, que não tenho pão; tenho apenas um pouco de farinha, quanto possa caber em uma vasilha, e um pouco de azeite em um vaso. Venho apanhar alguns pedaços de lenha para ir aprontar comida para mim e para meu filho, para que comamos e depois morramos. E Elias respondeu: Não te [preocupes, mas vai e faze como disseste; porem prepara primeiro para mim, desse restinho de farinha, um pequeno pão cozido nas cinzas e traze-mo; farás o mesmo depois para ti e para teu filho. Porque, eis o que disse o Senhor Deus de Israel: A farinha que está na vasilha não faltará, nem o óleo diminuirá no vaso até o dia em que o Senhor faça chover sobre a terra. Foi-se pois a mulher e fez conforme a palavra de Elias; e Ele comeu, e ela, e toda a sua família. E desde esse dia, a farinha não faltou na vasilha, nem o óleo diminuiu no vaso, como o Senhor dissera pela boca de Elias.

Gradual (Sl 54: 23, 17, 18 e 19)

Jacta cogitátum tuum in Dómino, et ipse te enútriet. ℣. Dum clamárem ad Dóminum, exaudívit vocem meam ab his, qui appropínquant mihi..

Deixa ao Senhor os teus cuidados e Ele mesmo te nutrira. ℣. Eu clamei ao Senhor, e Ele ouviu a minha voz, livrando-me dos que me atacavam.

Evangelho (Mt 23, 1-12)

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Matthaeum.

In illo témpore: Locútus est Iesus ad turbas et ad discípulos suos, dicens: Super cáthedram Moysi sedérunt scribæ et pharisǽi. Omnia ergo, quæcúmque díxerint vobis, serváte et fácite: secúndum ópera vero eórum nolíte fácere: dicunt enim, et non fáciunt. Alligant enim ónera grávia et importabília, et impónunt in húmeros hóminum: dígito autem suo nolunt ea movére. Omnia vero ópera sua fáciunt, ut videántur ab homínibus: dilátant enim phylactéria sua, et magníficant fímbrias. Amant autem primos recúbitus in cenis, et primas cáthedras in synagógis, et salutatiónes in foro, et vocári ab homínibus Rabbi. Vos autem nolíte vocári Rabbi: unus est enim Magíster vester, omnes autem vos fratres estis. Et patrem nolíte vocáre vobis super terram, unus est enim Pater vester, qui in cœlis est. Nec vocémini magístri: quia Magíster vester unus est, Christus. Qui maior est vestrum, erit miníster vester. Qui autem se exaltáverit, humiliábitur: et qui se humiliáverit, exaltábitur.

Sequência do Santo Evangelho segundo Mateus.

Naquele tempo, falou Jesus às multidões e a seus discípulos, dizendo: Sobre a cadeira de Moisés assentaram-se os escribas e os fariseus. Tudo pois, quanto eles vos disserem, observai-o e fazei-o. Não imiteis, porém, as suas obras, porque o que dizem, não o fazem. Eles amarram fardos pesados e insustentáveis e os põem nos ombros dos homens; não querem, porém, movê-los com um dedo seu. Fazem todas as suas obras, para serem vistos pelos homens, pelo que, usam filatérias mais largas e mais compridas franjas. Gostam dos primeiros lugares nas festas, e das primeiras cadeiras nas sinagogas, das saudações no foro, e de serem chamados mestres pelos homens. Vós, porém, não queirais ser chamados mestres, porque um só é vosso Mestre; todos vós sois, no entanto, irmãos. E não chameis de pai a ninguém na terra: um só é vosso Pai, O que está nos céus. Não vos chamem de mestres, que o vosso Mestre é só um: o Cristo. O que é o maior dentre vós será o vosso servo. Aquele que se exaltar será humilhado, e quem se humilhar exaltado será.

Ofertório (Sl 50, 3)

Miserére mei, Dómine, secúndum magnam misericórdiam tuam: dele, Dómine, iniquitátem meam. Tende piedade de mim, Senhor, segundo vossa grande misericórdia; destruí, Senhor, a minha iniquidade.

Secreta

Sanctificatiónem tuam nobis, Dómine, his mystériis operáre placátus: quæ nos et a terrénis purget vítiis, et ad cœléstia dona perdúcat Per D.N. Concedei-nos benignamente, ó Senhor, que a vossa obra de nossa santificação se faça por meio destes mistérios, de sorte que nos purifique dos vícios terrestres, e nos conduza aos Dons celestes. Por N.S.

2ª Secreta (dos ss. mártires)

Preces, Dómine, tuórum réspice oblationésque fidélium: ut et tibi gratæ sint pro tuórum festivitáte Sanctórum, et nobis cónferant tuæ propitiatiónis auxílium. Per D.N. Olhai benigno, Senhor, as preces e as oferendas de vossos fiéis; elas Vos sejam agradáveis na festa de vossos Santos e nos alcancem o socorro de vossa misericórdia. Por N.S.

Prefácio (da Quaresma)

℣. Dóminus vobíscum.
℞. Et cum spíritu tuo.
℣. Sursum corda.
℞. Habémus ad Dóminum.
℣. Grátias agámus Dómino Deo nostro.
℞. Dignum et iustum est.

Vere dignum et iustum est, æquum et salutáre, nos tibi semper, et ubíque grátias agere: Dómine, sancte Pater, omnípotens ætérne Deus: Qui corporáli ieiúnio vítia cómprimis, mentem élevas, virtútem largíris et prǽmia: per Christum Dóminum nostrum. Per quem maiestátem tuam laudant Angeli, adórant Dominatiónes, tremunt Potestátes. Cæli cælorúmque Virtútes, ac beáta Séraphim, sócia exsultatióne concélebrant. Cum quibus et nostras voces, ut admitti iúbeas, deprecámur, súpplici confessióne dicentes:

Sanctus, Sanctus, Sanctus…

℣. O Senhor seja convosco.
℞. E com o vosso espírito,
℣. Para o alto os corações.
℞. Já os temos para o Senhor,
℣. Demos graças ao Senhor, nosso Deus.
℞. É digno e justo.

Verdadeiramente é digno e justo, razoável e salutar, que, sempre e em todo o lugar, Vos demos graças, ó Senhor santo, Pai onipotente, eterno Deus, que pelo jejum corporal reprimis os vícios, elevais a inteligência, concedeis a virtude e o prêmio dela, por Jesus Cristo, Nosso Senhor. Por Ele louvam os Anjos a vossa Majestade, as Dominações a adoram, tremem as Potestades. Os Céus, as Virtudes dos Céus e os bem-aventurados Serafins a celebram com recíproca alegria. As suas vozes, nós Vos rogamos mandeis que se unam as nossas, quando, em humilde confissão, Vos dizemos:

Santo, Santo, Santo…

Comunhão (Sl 9, 2-3)

Narrábo ómnia mirabília tua: lætábor, et exsultábo in te: psallam nómini tuo, Altíssime. Contarei todas as vossas maravilhas; alegrar-me-ei e exultarei em Vós: cantarei o vosso Nome, ó Altíssimo!

Pós-comunhão

Ut sacris, Dómine, reddámur digni munéribus: fac nos tuis, quǽsumus, semper obœdíre mandátis. Per D.N. Senhor, para que sejamos dignos de vossos Dons sagrados, fazei, Vos rogamos, que obedeçamos sempre aos vossos mandamentos. Por N. S.

2ª Pós-comunhão (dos ss. mártires)

Sanctórum tuórum, Dómine, intercessióne placátus: præsta, quǽsumus; ut, quæ temporáli celebrámus actióne, perpétua salvatióne capiámus. Per D.N. Aplacado pela intercessão de vossos Santos, fazei, Senhor, sintamos na salvação eterna o fruto dos Mistérios que no tempo celebramos. Por N. S.

Oração 

Super populum: Orémus. Humiliáte cápita vestra Deo.

Propitiáre, Dómine, supplicatiónibus nostris, et animárum nostrárum medére languóribus: ut, remissióne percépta, in tua semper benedictióne lætámur. Per D.N.

Sobre o povo: Oremos. Humilhai as vossas cabeças diante de Deus.

Sede propício às nossas súplicas, Senhor, e curai as enfermidades de nossas almas, a fim de que, obtido o perdão, sempre nos alegremos com a vossa bênção. Por N. S.


Traduções e comentários extraídos do Missal Quotidiano de D. Beda (1947/1962).

Comente o post

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: