Liturgia Diária- 27/12/2018

SÃO JOÃO, Apóstolo e Evangelista

Festa de 2ª Classe- Missa Própria – Estação em Santa Maria Maior

No Presépio do Menino Jesus (Statio), não faltam as rosas purpúreas do martírio nem os lírios alvos da pureza. Ontem foi a coragem de Sto. Estêvão, o primeiro fruto da vinda do Salvador. Hoje é o discípulo amado – amado por sua pureza virginal – quem segue o cortejo do Divino Infante. Reclinado sobre o Coração de Jesus, ele aprendeu a verdadeira sabedoria, que ensina nas reuniões dos fiéis (Introito e Oração), e cujo louvor é cantado na Epístola. No Evangelho, Jesus nos avisa não somente que o martírio corporal nos salva, como também, que o martírio espiritual, a abnegação, a pureza virginal, são caminhos para a salvação. Com S. João, unamo-nos, pois, ao sacrifício do Cristo, renunciemos ao mundo e floresceremos como a palmeira, imagem do Justo (Ofertório). Assim estaremos preparados para receber o penhor da imortalidade a – santa Comunhão – até que venha o Senhor. (Communio). .


Páginas 66 a 69 do Missal Quotidiano.


Missa às 18:30 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


PRÓPRIO DO DIA

Introito (Eclo 15, 5 | Sl 91, 2) 

In médio Ecclésiæ apéruit os ejus: et implévit eum Dóminus spíritu sapiéntiæ et intelléctus: stolam glóriæ índuit eum. Ps. Bonum est confitéri Dómino: et psálle ℣. Gloria Patri. No meio da assembleia, o Senhor o fez falar e o encheu com o Espírito de sabedoria e inteligência. E o revestiu com uma túnica de glória. Sl. É bom louvar o Senhor e cantar salmos a vosso Nome, ó Altíssimo. ℣. Glória ao Pai.

Coleta

Ecclésiam tuam, Dómine, benígnus illústra: ut, beáti Joánnis Apóstoli tui et Evangelístæ illumináta doctrínis, ad dona pervéniat sempitérna. Per D.N. Ilustrai, Senhor, benignamente, a vossa Igreja, para que iluminada com as doutrinas de S. João, vosso Apóstolo e Evangelista, possa alcançar os bens eternos. Por N. S.

2ª Coleta (do Natal)

Concéde, quǽsumus, omnípotens Deus: ut nos Unigéniti tui nova per carnem Natívitas líberet; quos sub peccáti jugo vetústa sérvitus tenet. Per eúndem Dóminum. Concedei, Vos pedimos, ó Deus onipotente, que o novo Nascimento de vosso Unigênito, feito homem, nos livre do jugo do pecado em que nos retém o antigo cativeiro. Pelo mesmo J. C. 

Epístola (Eclo 15, 1-6)

A epístola, tal como o introito, aplica a S. João os textos sapienciais, que a Igreja costuma reservar à liturgia dos Doutores.

Lectio libri Sapiéntiæ.

Qui timet Deum, fáciet bona: et qui cóntinens est justítiæ, apprehéndet illam, et obviábit illi quasi mater honorificáta. Cibábit illum pane vitæ et intelléctus, et aqua sapiéntiæ sa- lutáris potábit illum: et firmábitur in illo, et non flecté tur: et continébit illum, et non confundétur: et exal- tábit illum apud próximos suos, et in médio ecclésiæ apériet os ejus, et adimplébit illum spíritu sapiéntiæ et intelléctus, et stola glóriæ véstiet illum. Jucunditátem et exsultatiónem thesaurizábit super illum, et nómine ætérno hereditábit illum, Dóminus, Deus noster.

Leitura do Livro da Sabedoria.

Aquele que teme a Deus praticará boas obras, e o que está firmado na justiça possuirá a sabedoria, que lhe virá ao encontro como mãe cheia de dignidade. Ela o nutrirá com o pão da vida e da inteligência, e lhe dará a beber a água da sabedoria salutar. E firmar-se-á nele e torná-lo-á inabalável. Sustentá-lo-á e ele não será confundido. Ela o exalta entre os seus companheiros e o faz falar no meio da assembleia; enche-o com o Espírito de sabedoria e de inteligência e o reveste com manto de glória. O Senhor, nosso Deus, o cumulará de alegria e exultação e dar-lhe-á por herança um nome eterno.

Gradual (Jo 21, 23 e 19 | ib. 21, 24)

Exiit sermo inter fratres, quod discípulus ille non móritur: et non dixit Jesus: Non móritur, ℣. Sed: Sic eum volo manére, donec véniam: tu me séquere.

Allelúia, allelúia, ℣. Hic est discípulus ille, qui testimónium pérhibet de his: et scimus, quia verum est testimónium ejus. Allelúia.

Espalhou-se entre os irmãos que aquele discípulo não haveria de morrer; mas Jesus não dissera: Ele não morrerá. ℣. E sim: Eu quero que fique assim, até que eu venha; segue-me tu.

Aleluia, aleluia. ℣. É este mesmo discípulo quem dá testemunho destas coisas; e sabem os que o seu testemunho é verdadeiro. Aleluia.

Evangelho (Jo 21, 19-24)

Baseados numa palavra de Jesus, cujo sentido o mesmo S. João não quis revelar, os primeiros cristãos estiveram, por algum tempo, persuadidos que o Apóstolo amado, cuja velhice se ia prolongando, não morreria. 

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Joannem.

In illo témpore: Dixit Jesus Petro: Séquere me. Convérsus Petrus vidit illum discípulum, quem diligébat Jesus, sequén- tem, qui et recúbuit in cena super pectus ejus, et dixit: Dómine, quis est qui tradet te? Hunc ergo cum vidísset Petrus, dixit Jesu: Dómine, hic autem quid? Dicit ei Jesus: Sic eum volo manére, donec
véniam, quid ad te? tu me séquere. Exiit ergo sermo iste inter fratres, quia discípulus ille non móritur. Et non dixit ei Jesus: Non móritur; sed: Sic eum volo manére, donec véniam: quid ad te? Hic est discípulus ille, qui tes- timóniumpérhibet de his, et scripsit hæc: et scimus,
quia verum est testimónium ejus.

Sequência do Santo Evangelho segundo João.

Naquele tempo, disse Jesus a Pedro: Segue-me. Voltando-se, Pedro viu que o seguia aquele discípulo a quem Jesus amava, e que, na ceia, reclinara a cabeça sobre o seu peito e Lhe perguntara: Senhor, quem é aquele que Vos há de trair? Por isso, vendo-o, Pedro disse a Jesus: Senhor, e o que será deste? Respondeu-lhe Jesus: Eu quero que fique assim, até que eu venha; que te importa? Segue-me. Correu logo esta notícia entre os irmãos que aquele discípulo não haveria de morrer. No entanto, Jesus não lhe dissera: Não morrerá. E sim: Eu quero que fique assim, até que eu venha; que te importa? É este mesmo discípulo quem dá testemunho destas coisas e as escreveu, e sabemos que o seu testemunho é verdadeiro.

Ofertório (Sl 91, 13)

Justus ut palma florébit: sicut cedrus, quæ in Líbano est, mulliplicábitur O Justo floresce como a palmeira na plenitude da força, como o cedro do Líbano.

Secreta

Súscipe, Dómine, múnera, quæ in ejus tibi sollemnitáte deférimus, cujus nos confídimus patrocínio liberári.  Per D.N. Recebei, Senhor, as ofertas que Vos apresentamos na solenidade do Santo por cujo auxílio confiamos seremos livres de todo mal. Por N. S.

2ª Secreta (do Natal)

Obláta, Dómine, múnera, nova Unigéniti tui Nativitáte sanctífica: nosque a peccatórum nostrórum máculis emúnda. Per eúndem Dóminum. Santificai, Senhor, com o novo Nascimento de vosso Unigênito os dons oferecidos e purificai-nos das máculas de nossos pecados. Pelo mesmo J. C.

Prefácio (do Natal)

Vere dignum et justum est, æqum et salutáre, nos tibi semper, et ubique grátias ágere: Dómine sancte, Pater omnípotens, ætérne Deus. Quia per incarnáti Verbi mystérium nova mentis nostræ óculis lux tuæ claritátis infúlsit: ut dum visibíliter Deum cognóscimus, per hunc invisibílium amórem rapiámur. Et ídeo cum Angelis et Archángelis, cum Thronis et Dóminatiónibus, cumque omni milítia coeléstis exércitus, hymnum glóriæ tuæ cánimus sine fine dicéntes:

Sanctus, Sanctus, Sanctus…

Verdadeiramente é digno e Justo, razoável e salutar, que, sempre e em todo o lugar, Vos demos graças, ó Senhor santo, Pai onipotente, eterno Deus: Porque pelo Mistério do Verbo Incarnado, um novo clarão de vosso esplendor iluminou os olhos de nossa alma, para que conhecendo a Deus visivelmente, ao mesmo tempo por Ele sejamos transportados ao amor das coisas invisíveis. E por isso, com os Anjos e os Arcanjos, com os Tronos e as Dominações, e com toda a milícia do exército celestial, cantamos hinos à vossa glória, dizendo sem fim:

Santo, Santo, Santo…

Comunhão (Jo 21, 23)

Exiit sermo inter fratres, quod discípulus ille non móritur: et non dixit Jesus: Non móritur; sed: Sic eum volo manére, donec véniam. Espalhou-se entre os irmãos que aquele discípulo não haveria de morrer. Mas Jesus não dissera: Ele não morrerá. E sim: Eu quero que fique assim, até que eu venha

Pós-comunhão

Refécti cibo potúque caelésti, Deus noster, te súpplices deprecámur: ut, in cujus hæc commemoratióne percépimus, ejus muniámur et précibus. Per D. N.  Fortalecidos com o Alimento e a Bebida celestial, nós Vos suplicamos, ó Deus nosso, que sejamos protegidos pelas preces do Santo em cuja memória recebemos este Sacramento. Por N. S.

2ª Pós-comunhão (do Natal)

Pæsta, quǽsumus, omnípotens Deus: ut natus hódie Salvátor mundi, sicut divínæ nobis generatiónis est auctor; ita et immortalitátis sit ipse largítor: Qui tecum vivit et regnat. Concedei, Vos pedimos, ó Deus onipotente, que o Salvador do mundo hoje nascido, assim como nos comunica a Vida divina, da mesma sorte nos conceda a imortalidade. Ele que, sendo Deus, convosco vive e reina.

 


Traduções e comentário principal do Missal de D. Beda Keickeisen (1947). Demais comentários do Missal de D. Gaspar Lefebre (1963). 

Comente o post

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: