Liturgia Diária- 10/11/2018

SANTO ANDRÉ AVELINO, Confessor

Festa de 3ª Classe- Missa “Os justi”, 1ª do Comum dos Confessores, com Coleta própria

Da ordem dos Teatinos dedicou-se com zelo a cura das almas. Morreu, pronunciando, ao pé do altar, as palavras: “Introibo ad altare Dei”.


SS. TRIFÃO, RESPÍCIO E NINFA (Virgem), Mártires

Comemoração – Missa de 01/09, com alguns próprios

S. Trifão (ou Trifônio), cujas reliquías se conservaram em Cattaro, na Dalmácia, tinha em Roma um oratório, onde os gregos lhe celebravam festa no 1º de fevereiro. Por razões desconhecidas os hagiógrafos associaram-no a S.Respício, que parece ter sido um mártir romano. S. Ninfa era venerada em Porto, na Sicília; seu corpo, trasladado para Roma, foi sepultado na igreja dos santos Trifão e Respício. 


PRÓPRIO DO DIA

Introito (Sl 36, 30-31. 1)

Os justi meditábitur sapiéntiam, et lingua ejus loquétur judícium: lex Dei ejus in corde ipsíus. Ps. Noli æmulári in malignántibus; neque zeláveris faciéntes iniquitatem. V. Gloria Patri. A boca do justo fala a sabedoria e a sua língua profere a equidade. A lei de seu Deus está em seu coração. Ps. Não tenhas ciúmes dos maus, nem tenhas inveja dos que praticam a iniquidade. V. Glória ao Pai.

Coleta

Deus, qui in corde beáti Andréae Confessóris tui, per árduum quotídie in virtútibus proficiéndi votum, admirábiles ad te ascensiónes disposuísti: concéde nobis, ipsíus méritis et intercessióne, ita ejúsdem grátiae partícipes fíeri; ut, perfectióra semper exsequéntes, ad glóriae tuae fastígium feliciter perducámur. Per D.N. Ó Deus, que pelo voto heroico de progredir, cada dia, na virtude, dispusestes no coração de vosso Confessor S. André, ascensões admiráveis para elevar-se a Vós, concedei-nos por seus méritos e sua intercessão participarmos dessa mesma graça, de sorte que, tentando sempre obter o mais perfeito, cheguemos felizes ao supremo cume de vossa glória. Por N. S.

2ª Coleta (dos SS. Mártires)

Fac nos, quaesumus, Dómine, sanctórum Mártyrum tuórum Tryphónis, Respícii et Nymphae semper festa sectári: quorum suffrágiis, protectiónis tuae dona sentiámus. Per D.N. Nós Vos rogamos, Senhor, que festejemos sempre vossos santos Mártires Trifônio, Respício e Ninfa, para que, por seus sufrágios, experimentemos os benefícios de vossa proteção. Por N. S.

Epístola (Eclo 31, 8-11)

Tomado dos livros Sapienciais, o elogio do justo é um dos temas fundamentais da liturgia dos confessores. O cristão reconhece nele o seu ideal religioso e as condições de vida em que deve pô-lo em prática. 

Léctio líbri Sapiéntiae.

Beátus vir, qui invéntus est sine mácula, et qui post aurum non ábiit, nec sperávit in pecúnia et thesáuris. Quis est hic, et laudábimus eum? Fecit enim mirabília in vita sua. Qui probátus est in illo, et perféctus est, erit illi glória ætérna: qui pótuit tránsgredi, et non est transgréssus: fácere mala, et non fecit: ideo stabilíta sunt bona illius in Dómino, et eleemósynas illíus enarrábit omnis ecclésia sanctórum.

Leitura do Livro da Sabedoria.

Bem-aventurado o homem que foi encontrado sem mancha, que se não deixou atrair pelo ouro, nem pôs sua esperança no dinheiro ou em riquezas. Quem é este, para nós o louvarmos?Porque fez coisas maravilhosas em sua vida. O que assim foi provado e encontrado perfeito, terá uma glória eterna. Pôde transgredir a lei de Deus, e não a transgrediu; pôde praticar o mal e
não o fez. Por isso o bem que fez se firmou no Senhor, e toda a assembléia dos Santos falará das suas esmolas.

Gradual (Sl 91, 13-14. 3)

Justus ut palma florébit: sicut cedrus Líbani multiplicábitur in domo Dómini. V. Ad annuntiándum mane misericórdiam tuam, et veritatem tuam per noctem.  O Justo floresce como a palmeira na plenitude da força, como o cedro do Líbano na casa do Senhor. V. Para anunciar pela manhã a vossa misericórdia e a vossa fidelidade
durante a noite.

Aleluia (Tg 1, 12)

Allelúia, allelúia. V. Beátus vir, qui suffert
tentatiónem: quóniam, cum probátus fúerit, accípiet corónam vitae. Allelúia.
Aleluia, aleluia. V. Bem-aventurado
o homem que suporta a tentação, porque depois que tiver sido provado receberá a coroa da vida. Aleluia.

Evangelho (Lc 12, 35-40)

A parábola dos servos vigilantes diz bem qual foi a atitude dos santos: fidelidade absoluta e confiança perseverante, à espera da vinda do Mestre. 

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Lucam. 

In illo témpore: Dixit Jesus discípulis Suis: “Sint lumbi vestri præcíncti, et lucérnæ ardéntes in mánibus vestris,et vos símiles homínibus exspectántibus dóminum suum, quando revertátur a núptiis: ut, cum vénerit, et pulsáverit, conféstim apériant ei. Beáti servi illi, quos cum vénerit dóminus, invénerit vigilántes: amen dico vobis, quod præcínget se, et fáciet illos discúmbere, et tránsiens ministrábit illis. Et si vénerit in secúnda vigília, et si in tértia vigília vénerit, et ita invénerit, beáti sunt, beati sunt servi illi. Hoc autem scitóte, quóniam si sciret paterfamílias, quia hora fur vénerit, vigiláret útique, et non síneret pérfodi domum suam. Et vos estúte paráti, quis qua hora non putátis. Fílius hóminis véniet.”

Sequência do Santo Evangelho segundo Lucas.

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: Estejam cingidos os vossos rins, e em vossas mãos lâmpadas acesas. E sede semelhantes a homens que esperam o seu senhor quando volta das bodas, para que, quando vier e bater à porta, logo a possam abrir. Bem-aventurados aqueles servos, que o Senhor, ao voltar, achar vigilantes. Em verdade vos digo: ele se cingirá e os fará
sentar à mesa, e, passando por entre eles, os servirá. E se vier na segunda vigília, ou se vier na terceira e assim os encontrar, bem-aventurados esses
servos! Atendei porém a isto: se o pai de família soubesse a hora em que viria o ladrão, com certeza haveria de vigiar e, sem dúvida, não deixaria invadir a sua casa. Assim, estai também vós preparados, porque à hora em que não cuidais, virá o Filho do homem.

Ofertório (Sl 88, 25)

Veritas mea, et misericórdia mea cum ipso: et in nómine meo exaltábitur cornu ejus. Minha fidelidade e minha misericórdia
o acompanham e em meu Nome se levantará o seu poder.

Secreta

Laudis tibi, Dómine, hóstias immolámus in tuórum commemoratióne sanctórum: quibus nos et præséntibus éxui malis confídimus et futúris. Per D.N. Senhor, em memória de vossos Santos, nós Vos oferecemos estas hóstias de louvor, pelas quais esperamos livrar-nos dos males presentes e futuros. Por N. S.

2ª Secreta (dos SS. Mártires)

Múnera tibi, Dómine, nostrae devotiónis offérimus: quae et pro tuórum tibi grata sint honóre justórum, et nobis salutária, te miseránte, reddántur. Per D.N. Nós Vos oferecemos, Senhor, estes dons de nossa devoção; eles Vos sejam agradáveis em honra de vossos Justos e a nós sejam salutares por vossa misericórdia Por N. S.

Prefácio (Comum)

Vere dignum et justum est, aequum et salutare, nos Tibi simper, et ubique gratias agere: Domine sancte, Pater omnipotens, aeterne Deus: per Christum Dominum nostrum. Per quem majestatem Tuam laudant Angeli, adorant Dominationes, tremunt Potestates, Coeli, Coelorumque Virtutes, ac beata Seraphim socia exultatione concelebrant. Cum quibus et nostras voces, ut admitti, jubeas, supplici confessione dicentes:

Sanctus, Sanctus, Sanctus…

Verdadeiramente é digno e justo, razoável e salutar, que, sempre e em todo o lugar, Vos demos graças, ó Senhor santo, Paí onipotente, eterno Deus, por Jesus Cristo, Nosso Senhor. É por Ele que os Anjos louvam a vossa Majestade, as Dominações a adoram, tremem as Potestades. Os Céus, as virtudes dos Céus, e os bem-aventurados Serafins a celebram com recíproca alegria. Às suas vozes, nós Vos rogamos, mandeis que se unam as nossas, quando em humilde confissão Vos dizemos:

Santo, Santo, Santo…

Comunhão (Mt 24, 46-47)

Beátus servus, quem, cum vénerit dóminus, invénerit vigilántem: amen dico vobis, super ómnia bona sua constituet eum. Bem-aventurado o servo a quem o Senhor, quando vier, achar vigilante. Em verdade vos digo, que lhe confiará o governo de todos os seus bens.

Pós-comunhão

Refécti cibo potúque caelésti, Deus noster, te súpplices
exorámus: ut, in cujus haec commemoratióne
percépimus, ejus muniámur et précibus.. Per D. N.
Fortalecidos com este alimento e com esta bebida celestiais, humildemente Vos rogamos, ó Deus nosso, que nos defendam as preces dos Santos em cuja memória os recebemos.  Por N. S.

2ª Pós-comunhão (dos SS. Mártires)

Praesta nobis, quaesumus, Dómine: intercedéntibus sanctus Mártyribus tuis Tryphóne, Respício et Nympha; ut, quod ore contíngimus, pura mente capiámus. Per D. N. Concedei-nos, Senhor, Vos pedimos, que pela intercessão de vossos santos Mártires Trifônio, Respício e Ninfa, guardemos num coração puro, o que a nossa boca recebeu. Por N. S.

Traduções do Missal de D. Beda Keickeisen (1947), com exceção dos comentários da comemoração e das leituras, extraídos do Missal de D. Gaspar Lefebvre (1963).

Comente o post

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: