Liturgia Diária- VIII Domingo depois de Pentecostes

Domingo de 2ª Classe- Missa Própria

Todo o ensinamento do evangelho de hoje implica uma lição de prudência cristã e de zelo sobrenatural. Somente o Céu nos interessa, e é para lá que é preciso tender, utilizando as situações transitórias de aquém, para prosseguir, com todo o afã, no sentido do além. No assegurar-nos a vida eterna, deveríamos mostrar solicitude e prudência pelos menos iguais à que têm dos filhos das trevas, em seus negócios temporais. 

Encontrar-se-á, na epístola, a razão profunda deste desapego das coisas terrenas, e o segredo desta poderosa aspiração às coisas do Céu. É a graça que nos transforma e prepara para entrar no reino dos Céus. É o próprio Espírito Santo que nos dá uma alma de filhos e nos faz clamar a Deus: “Abba! Pai!”. 


Páginas 627 a 630 do Missal Quotidiano.


[APENAS] Terço às 15 horas e Missa Cantada às 15:30 na Catedral Santa Terezinha. Haverá ainda a 1ª comunhão de uma aluna da catequese da Irmandade.


PRÓPRIO DO DIA

Introito (Sl 47,10-11*. 2)

Recebemos, ó Deus, a vossa misericórdia no meio do vosso templo. A vossa glória, ó Deus, chega com o vosso nome até os confins da Terra, porque a vossa direita está cheia de justiça [isto é, da salvação que Ele nos traz]. Sl. Grande é o Senhor e infinitamente digno de louvor, na cidade do nosso Deus e no seu monte santoGlória ao Pai. 

Coleta


Tudo devemos a Deus. Na ordem da natureza, e ainda mais na da salvação. Como poderíamos, sem Deus, “viver segundo Deus”?


Dai-nos, Senhor, nós Vos suplicamos, a graça de pensar e de agir sempre com justiça, para que, não podendo existir sem Vós, vivamos conformes com a vossa vontade. Por Nosso Senhor Jesus Cristo.

Epístola (Rm 8,12-17)


“Abba! Pai!” era a oração de Cristo, que sintetiza todo o impulso do seu amor ao pai e que resume a religião cristã. Rezada no íntimo do cristão pelo Espírito Santo, eleva-o para além da Terra. 


Leitura da Epístola de São Paulo Apóstolo aos Romanos.

Irmãos, estamos em dívida, mas não com a carne, como devendo viver segundo a carne. Pois, se viverdes segundo a carne morrereis; mas se, pelo Espírito, matardes o procedimento carnal, então vivereis. Todos aqueles que se deixam conduzir pelo Espírito de Deus são filhos de Deus. De fato, vós não recebestes espírito de escravos, para recairdes no medo, mas recebestes o Espírito que, por adoção, vos torna filhos, e no qual clamamos: “Abbá, Pai!” O próprio Espírito se une ao nosso espírito, atestando que somos filhos de Deus. E, se somos filhos, somos também herdeiros: herdeiros de Deus e co-herdeiros de Cristo.

Gradual (Sl 30, 3; 70,1)

Sede para mim um Deus de proteção e um lugar de abrigo e salvai-me. Esperei em Vós, Senhor, e não serei confundido para sempre. 

Aleluia (Sl 47, 2)

Aleluia, aleluia. É grande o Senhor e muito digno de louvor, na cidade do nosso Deus e no seu monte santo. Aleluia.

Evangelho (Lc 16,1-9)


A parábola do administrador infiel precisa de ser bem compreendida. Não se trata, de maneira nenhuma, de aprovar a gerência desonesta. A lição é clara: como este homem garantiu o futuro, assegurai vós a eternidade, sem pôr nisso menos zelo! O próprio Jesus nos indica o meio; os pobres são os privilegiados do seu reino. Com nossas esmolas façamos deles amigos e, mais tarde, nos introduzirão no Céu. 


Sequência do Santo Evangelho segundo São Lucas.

Naquele tempo, Jesus disse aos discípulos esta parábola: “Um homem rico tinha um administrador que foi acusado de esbanjar os seus bens. Ele o chamou e lhe disse: ‘Que ouço dizer a teu respeito? Presta contas da tua administração, pois já não podes mais administrar meus bens’. O administrador, então, começou a refletir: ‘Meu senhor vai me tirar a administração. Que vou fazer? Para cavar não tenho força; de mendigar tenho vergonha. Ah! Já sei o que fazer, para que alguém me receba em sua casa quando eu for afastado da administração’. Então chamou cada um dos que estavam devendo ao seu senhor. E perguntou ao primeiro: ‘Quanto deves ao meu senhor?’ Ele respondeu: ‘Cem barris de óleo!’ O administrador disse: ‘Pega a tua conta, senta- te, depressa, e escreve: cinquenta!’ Depois perguntou a outro: ‘E tu, quanto deves?’ Ele respondeu: ‘Cem sacas de trigo.’ O administrador disse: ‘Pega tua conta e escreve: oitenta’. E o senhor elogiou o administrador desonesto, porque agiu com esperteza. De fato, os filhos deste mundo são mais espertos em seus negócios do que os filhos da luz. “Eu vos digo: usai o ‘Dinheiro’, embora iníquo, a fim de fazer amigos, para que, quando acabar, vos recebam nas moradas eternas.”

Ofertório (Sl 12, 28.32)

O Senhor há de salvar o povo que é humilde, e derribar a arrogância do soberbo; porque só Vós sois Deus, Senhor.

Secreta

Dignai-Vos aceitar, Senhor, os dons que Vos oferecemos depois de os havermos recebido da vossa generosidade, e fazei que, mediante a vossa graça, estes santos mistérios nos santifiquem na vida presente e nos conduzam às alegrias da eterna. Por Nosso Senhor Jesus Cristo. 

Comunhão (Sl 33,9)

Provai e vede que o Senhor é bom. Feliz o homem que espera n’Ele. 

Pós-comunhão

Que este divino mistério, Senhor, nos renove a alma e o corpo, a fim de sentirmos o efeito do sacrifício que celebramos. Por Nosso Senhor Jesus Cristo. 


PARTITURAS E ÁUDIOS

Comente o post

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: