Liturgia Diária- 26/10/2021

MISSA DA FÉRIA

4ª Classe- Missa Própria, com comemoração de S. Evaristo, Papa e Mártir

Irrepreensíveis, deve encontrar-nos o Cristo no dia do juízo. O espírito de humildade e penitência (Introito, Ofertório e Communio) é, portanto, muito necessário neste tempo, assim como uma consciência nítida de nossos deveres. Quais são esses deveres, vemos na Epístola, pelo próprio exemplo que nos dá o Apóstolo S. Paulo; vemos ainda no Gradual, que é um louvor da caridade fraterna. Finalmente, no Evangelho, Jesus Cristo nos ensina as nossas obrigações para com a autoridade civil, e antes de tudo, o dever que temos de entregar, sem reserva, a nossa alma a Deus.


Páginas 704 a 707, 1353 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


PRÓPRIO DO DIA

Introito (Sl 129, 3-4 | ib., 1-2) (Áudio)

Si iniquitátes observáveris, Dómine: Dómine, quis sustinébit? quia apud te propitiátio est, Deus Israël. Ps. De profúndis clamávi ad te, Dómine: Dómine, exáudi vocem meam. ℣. Glória Patri… Se observardes, Senhor, as nossas iniquidades, Senhor, quem subsistirá? Mas tudo em Vós é clemência, ó Deus de Israel. Sl. Das profundezas do abismo clamei a Vós, Senhor! Senhor, escutai a minha voz. ℣. Glória ao Pai…

Coleta

Deus, refúgium nostrum et virtus: adésto piis Ecclésiæ tuæ précibus, auctor ipse pietátis, et præsta; ut, quod fidéliter pétimus, efficáciter consequámur. Per D.N. Ó Deus, nosso refúgio e fôrça, atendei às piedosas súplicas de vossa Igreja, e porque sois o próprio Autor da piedade, fazei que realmente consigamos o que com viva confiança pedimos. Por N. S.

2ª Coleta (do s. mártir)

Gregem tuum, Pastor ætérne, placátus inténde: et, per beátum Evarístum Mártyrem tuum atque Summum Pontíficem, perpétua protectióne custódi; quem totíus Ecclésiæ præstitísti esse pastórem. Per D.N. Olhai propício, pastor Eterno, para o vosso rebanho e guardai-o sob a vossa constante proteção, pela intercessão do bem-aventurado Evaristo, vosso Mártir e Pontífice Supremo, a quem estabelecestes como Pastor de toda a Igreja. Por N. S.

Epístola (Filip. 1, 6-11)

Léctio Epístolæ beáti Pauli Apóstoli ad Philippénses.Fratres: Confídimus in Dómino Iesu, quia, qui cœpit in vobis opus bonum, perfíciet usque in diem Christi Iesu. Sicut est mihi iustum hoc sentíre pro ómnibus vobis: eo quod hábeam vos in corde, et in vínculis meis, et in defensióne, et confirmatióne Evangélii, sócios gáudii mei omnes vos esse. Testis enim mihi est Deus, quómodo cúpiam omnes vos in viscéribus Iesu Christi. Et hoc oro, ut cáritas vestra magis ac magis abúndet in sciéntia et in omni sensu: ut probétis potióra, ut sitis sincéri et sine offénsa in diem Christi, repléti fructu iustítiæ per Iesum Christum, in glóriam et laudem Dei. Leitura da Epístola de São Paulo Apóstolo aos Filipenses.Irmãos: Tenho firme confiança no Senhor Jesus, que Aquele que em vós começou a boa obra, há de completá-la até o dia do Cristo Jesus. É justo que eu tenha este sentir de vós todos, porque vos tenho no coração, e quer em minhas prisões, quer na defesa e continuação do Evangelho, todos sois participantes de minha alegria. Deus me é testemunha da ternura com que amo a todos vós no afeto íntimo de Jesus Cristo. O que Lhe peço é que a vossa caridade aumente mais e mais, em conhecimento e compreensão, para que aprecieis o que é melhor; a fim de que sejais puros e sem mancha para o dia do Cristo, cheios de frutos de justiça, por Jesus Cristo, para a glória e louvor de Deus.

Gradual (Sl 132, 1-2 | Sl 113, 11) (Vídeo-1) (Áudio-2)

Ecce, quam bonum et quam iucúndum, habitáre fratres in unum! ℣. Sicut unguéntum in cápite, quod descéndit in barbam, barbam Aaron. Allelúia, allelúia. ℣. Qui timent Dóminum sperent in eo: adiútor et protéctor eórum est. Allelúia. Vede quanto é bom e suave que os irmãos vivam unidos! ℣. É como o óleo precioso sobre a cabeça, o qual escorre sobre a barba e por toda a barba de Aarão.Aleluia, aleluia. ℣. Os que temem o Senhor confiem n’Ele, pois Ele é o seu amparo e o seu protetor. Aleluia.

Evangelho (Mt 22, 15-21)

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Matthaeum.

In illo témpore: Abeúntes pharisǽi consílium iniérunt, ut cáperent Iesum in sermóne. Et mittunt ei discípulos suos cum Herodiánis, dicéntes: Magíster, scimus, quia verax es et viam Dei in veritáte doces, et non est tibi cura de áliquo: non enim réspicis persónam hóminum: dic ergo nobis, quid tibi vidétur, licet censum dare Cǽsari, an non? Cógnita autem Iesus nequítia eórum, ait: Quid me tentátis, hypócritæ? Osténdite mihi numísma census. At illi obtulérunt ei denárium. Et ait illis Iesus: Cuius est imágo hæc et superscríptio? Dicunt ei: Cǽsaris. Tunc ait illis: Réddite ergo, quæ sunt Cǽsaris, Cǽsari; et, quæ sunt Dei, Deo. 

Sequência do Santo Evangelho segundo Mateus.

Naquele tempo, retiraram-se os fariseus para consultarem entre si a ver como apanhariam a Jesus em alguma palavra. E enviaram-Lhe seus discípulos com alguns herodianos, dizendo: Mestre, sabemos que sois amigo da verdade e ensinais o caminho de Deus, segundo a verdade, sem Vos preocupardes com quem quer que seja, porque não julgais o homem segundo a sua carne. Dizei-nos, pois, o vosso parecer. É lícito pagar o tributo a César, ou não? Conheceu porém, Jesus, a sua maldade, e disse: Porque me tentais, hipócritas? Mostrai-me a moeda do tributo. Eles Lhe apresentaram um dinheiro. E Jesus lhes disse: De quem é esta imagem e esta inscrição? Responderam-Lhe: De César. Então Ele lhes replicou: Daí, pois, a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus. 

Ofertório (Est 4, 12 e 13) (Áudio)

Recordáre mei, Dómine, omni potentátui dóminans: et da sermónem rectum in os meum, ut pláceant verba mea in conspéctu príncipis. Lembrai-Vos de mim, Senhor, que estais acima de todo o poder; ponde em minha boca palavras justas para que sejam agradáveis ao príncipe.

Secreta

Da, miséricors Deus: ut hæc salutáris oblátio et a própriis nos reátibus indesinénter expédiat, et ab ómnibus tueátur advérsis. Per D. N. Concedei, ó Deus de misericórdia, que esta salutar oblação nos livre inteiramente das cadeias de nossas próprias culpas, e nos defenda de todas as adversidades. Por N. S.

2ª Secreta (do s. mártir)

Oblátis munéribus, quǽsumus, Dómine, Ecclésiam tuam benígnus illúmina: ut, et gregis tui profíciat ubique succéssus, et grati fiant nómini tuo, te gubernánte, pastóres. Per D. N. Por estas dádivas, Senhor, iluminai, benignamente, a vossa Igreja, para que, bem sucedida, progrida vosso rebanho em toda parte e os pastores por Vós governados se tornem gratos ao vosso Nome. Por N. S.

Prefácio (Comum)

℣. Dóminus vobíscum.
℞. Et cum spíritu tuo.
℣. Sursum corda.
℞. Habémus ad Dóminum.
℣. Grátias agámus Dómino Deo nostro.
℞. Dignum et iustum est.
.
Vere dignum et justum est, aequum et salutare, nos Tibi simper, et ubique gratias agere: Domine sancte, Pater omnipotens, aeterne Deus: per Christum Dominum nostrum. Per quem majestatem Tuam laudant Angeli, adorant Dominationes, tremunt Potestates, Coeli, Coelorumque Virtutes, ac beata Seraphim socia exultatione concelebrant. Cum quibus et nostras voces, ut admitti, jubeas, supplici confessione dicentes: Sanctus, Sanctus, Sanctus…
℣. O Senhor seja convosco.
℞. E com o vosso espírito,
℣. Para o alto os corações.
℞. Já os temos para o Senhor,
℣. Demos graças ao Senhor, nosso Deus.
℞. É digno e justo.
.
Verdadeiramente é digno e justo, razoável e salutar, que, sempre e em todo o lugar, Vos demos graças, ó Senhor santo, Paí onipotente, eterno Deus, por Jesus Cristo, Nosso Senhor. É por Ele que os Anjos louvam a vossa Majestade, as Dominações a adoram, tremem as Potestades. Os Céus, as virtudes dos Céus, e os bem-aventurados Serafins a celebram com recíproca alegria. Às suas vozes, nós Vos rogamos, mandeis que se unam as nossas, quando em humilde confissão Vos dizemos: Santo, Santo, Santo…

Comunhão (Sl 16, 6) (Áudio)

Ego clamávi, quóniam exaudísti me, Deus: inclína aurem tuam et exáudi verba mea. Eu clamei por Vós, ó Deus, pois Vós me ouvis; inclinai os vossos ouvidos e atendei às minhas, súplicas.

Pós-comunhão

Súmpsimus, Dómine, sacri dona mystérii, humíliter deprecántes: ut, quæ in tui commemoratiónem nos fácere præcepísti, in nostræ profíciant infirmitátis auxílium: Qui vivis et regnas Tendo recebido os Dons do Sagrado Mistério, com humildade Vos rogamos, Senhor, que sirva de socorro à nossa fraqueza o Sacrifício que em vossa memória nos mandastes oferecer. Vós, que sendo Deus, viveis e reinais.

2ª Pós-comunhão (do s. mártir)

Refectióne sancta enutrítam gubérna, quǽsumus, Dómine, tuam placátus Ecclésiam: ut, poténti moderatióne dirécta, et increménta libertátis accípiat et in religiónis integritáte persístat. Per D.N. Senhor, governai benignamente a vossa Igreja, agora alimentada com a Refeição Sagrada, para que, sustentada por vosso braço poderoso, venha a crescer em liberdade e perseverar na integridade da religião. Por N. S.
Santo Evaristo, Papa e Mártir

Traduções e comentários extraídos do Missal Quotidiano de D. Beda (1947/1962).

Comente o post

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: