Liturgia Diária- 16/03/2020

SEGUNDA-FEIRA DA 3ª SEMANA DA QUARESMA

Féria de 3ª Classe- Missa Própria – Estação  em S. Marcos

Os candidatos ao Batismo são convidados para o primeiro escrutínio, na quarta-feira. Refere-se toda a Missa à fôrça prodigiosa das águas batismais. Tendo uma fé humilde e obediente na palavra de Deus, seremos purificados e salvos, como Naaman (Epístola). Dos fariseus, duros de coração e orgulhosos, retira-se o Médico divino, e com isto perdem eles a sua salvação (Evangelho). Agradeçamos com os catecúmenos, termos sido escolhidos para o Reino de Deus. 


Páginas 230 a 234 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


PRÓPRIO DO DIA

Introito (Sl 55, 5 | ib., 2)

In Deo laudábo verbum, in Dómino laudábo sermónem: in Deo sperábo, non timebo, quid fáciat mihi homo. Ps. Miserére mei, Deus, quóniam conculcávit me homo: tota die bellans tribulávit me. ℣. Gloria Patri. Em Deus me glorio, por causa de sua promessa: no Senhor me glorio por causa de sua palavra. Espero em Deus; não temo; que poderá fazer-me o homem? Sl. Tende piedade de mim, ó Deus, pois o inimigo me calca aos pés e procura oprimir-me, todo o dia. ℣. Glória ao Pai.

Coleta

Córdibus nostris, quǽsumus, Dómine, grátiam tuam benígnus infúnde: ut, sicut ab escis carnálibus abstinémus; ita sensus quoque nostros a nóxiis retrahámus excéssibus. Per D.N. Nós Vos rogamos, Senhor, derramai benigno em nossos corações a vossa graça, para que guardemos nossos sentidos de todo excesso perigoso, como nos abstemos dos alimentos carnais. Por N. S.

Epístola (4 Reis 5, 1-15)

Léctio libri Regum.

In diébus illis: Náaman, princeps milítiæ regis Sýriæ, erat vir magnus apud dóminum suum, et honorátus: per illum enim dedit Dóminus salútem Sýriæ: erat autem vir fortis et dives, sed leprósus. Porro de Sýria egressi fúerant latrúnculi, et captivam dúxerant de terra Israël puéllam párvulam, quæ erat in obséquio uxoris Náaman, quæ ait ad dóminam suam: Utinam fuísset dóminus meus ad Prophétam, qui est in Samaría: profécto curásset eum a lepra, quam habet. Ingréssus est itaque Náaman ad dóminum suum, et nuntiávit ei, dicens: Sic et sic locúta est puélla de terra Israël. Dixítque ei rex Sýriæ: Vade, et mittam lítteras ad regem Israël. Qui cum proféctus esset, et tulísset secum decem talénta argénti, et sex mília áureos, et decemmutatória vestimentórum, détulit lítteras ad regem Israël in hæc verba: Cum accéperis epístolam hanc, scito, quod míserim ad te Náaman servum meum, ut cures eum a lepra sua. Cumque legísset rex Israël lítteras, scidit vestiménta sua, et ait: Numquid Deus ego sum, ut occídere possim et vivificáre, quia iste misit ad me, ut curem hóminem a lepra sua? animadvértite et vidéte, quod occasiónes quærat advérsum me. Quod cum audísset Eliséus vir Dei, scidísse videlícet regem Israël vestiménta sua, misit ad eum, dicens: Quare scidísti vestiménta tua? véniat ad me, et sciat esse prophétam in Israël. Venit ergo Náaman cum equis et cúrribus, et stetit ad óstium domus Eliséi: misítque ad eum Eliséus núntium, dicens: Vade, et laváre sépties in Iordáne, et recípiet sanitátem caro tua, atque mundáberis. Iratus Náaman recedébat, dicens: Putábam, quod egrederétur ad me, et stans invocáret nomen Dómini, Dei sui, et tángeret manu sua locum lepræ, et curáret me. Numquid non melióres sunt Abana et Pharphar, flúvii Damásci, ómnibus aquis Israël, ut laver in eis, et munder? Cum ergo vertísset se, ci abíret indígnans, accessérunt ad eum servi sui, et locúti sunt ei: Pater, et si rem grandem dixísset tibi Prophéta, certe fácere debúeras: quanto magis quia nunc dixit tibi: Laváre, et mundáberis? Descéndit, et lavit in Iordáne sépties, iuxta sermónem viri Dei, et restitúta est caro eius, sicut caro pueri párvuli, et mundátus est. Reversúsque ad virum Dei cum univérso comitátu suo, venit, et stetit coram eo, et ait: Vere scio, quod non sit álius Deus in univérsa terra, nisi tantum in Israël.

Leitura do livro dos Reis.

Naqueles dias, Naaman, general do exército do rei da Síria, era um homem poderoso e considerado junto de.seu senhor, porque por ele havia o Senhor salvo a Síria. Era um homem forte e rico, porém leproso. Ora, da Síria haviam fugido alguns ladrões, e levaram cativa da terra de Israel, uma menina que foi posta ao serviço da mulher de Naaman. Disse ela à sua senhora: Oxalá o meu senhor fosse ter com o Profeta que está em Samaria; sem dúvida, ele o havia de curar da lepra que tem. Ouvindo isto, Naaman foi procurar o seu senhor e contou-lhe o fato, dizendo: Tal e tal coisa disse a menina da terra de Israel. Respondeu-lhe o rei da Síria: Vai, e mandarei uma carta ao rei de Israel. Ele partiu, pois, e tomou consigo dez talentos de prata, seis mil moedas de ouro e dez roupas de festa; e levou a carta ao rei de Israel. Esta era assim redigida: Quando tiveres recebido esta carta, saberás que eu te mandei o meu servo Naaman, para o curares de sua lepra. Quando o rei de Israel acabou de ler a carta, rasgou as suas vestimentas e disse: Acaso sou eu Deus, que pode tirar ou dar a vida? Por que me enviou ele este homem para eu o curar de sua lepra? Reparai bem e vede que ele procura uma ocasião para me perder. Quando Eliseu, homem de Deus, ouviu falar que o rei de Israel rasgara suas vestes, mandou-lhe dizer: Por que rasgaste tuas vestes? Venha esse homem a mim e saiba que ainda há um profeta em Israel. Veio, pois, Naaman, com os seus cavalos e carros e parou a soleira da casa de Eliseu. E enviou-lhe Eliseu um mensageiro, dizendo-lhe: Vai lavar-te sete vezes no Jordão e o teu corpo ficará são. Irado, retirou-se Naaman, dizendo: Pensei que ele viesse a mim, e de pé, invocasse o Nome do Senhor, seu Deus, e tocasse sua mão no lugar da lepra e assim me curasse. Não serão porventura melhores, Abana e Farfar, rios de Damasco, do que todas as águas de Israel, podendo eu lavar-me ali e ficar são? Ele já se havia voltado e ia retirar-se, indignado, quando os seus servos se aproximaram e lhe falaram: Pai, mesmo que coisas difíceis te dissesse o Profeta, certamente deverias fazê-las; quanto mais que só te disse: Lava-te e ficarás limpo. Desceu, pois, Naaman, e lavou-se sete vezes no Jordão, conforme o ordenara o homem de Deus, e limpa ficou a sua carne como a carne duma criancinha; e curado ficou. Voltando ao homem de Deus, com toda a sua comitiva, veio e apresentou-se diante dele, dizendo-lhe: Verdadeiramente, sei que não há outro Deus em toda a terra, como O que está em Israel.

Gradual (Sl 55, 9 e 2)

Deus, vitam meam annuntiávi tibi: posuísti lácrimas meas in conspéctu tuo. ℣. Miserére mei, Dómine, quóniam conculcávit me homo: tota die bellans tribulávit me.  

Ó Deus, eu Vos exponho a minha vida: as minhas lágrimas chegam à vossa presença. ℣. Tende piedade de mim, Senhor, porque o inimigo me pisa e todo o dia me oprime.  

Trato (Sl 102, 10 | Sl 78, 8-9)

Dómine, non secúndum peccáta nostra, quæ fécimus nos: neque secúndum iniquitátes nostras retríbuas nobis. ℣. Dómine, ne memíneris iniquitátum nostrarum antiquarum: cito antícipent nos misericórdiæ tuæ, quia páuperes facti sumus nimis. (Hic genuflectitur) ℣. Adjuva nos, Deus, salutáris noster: et propter glóriam nóminis tui, Dómine, libera nos: et propítius esto peccátis nostris, propter nomen tuum.

Senhor, não nos trateis segundo os pecados que cometemos, nem nos castigueis como merecem as nossas iniquidades. ℣. Senhor, não Vos recordeis de nossos antigos delitos. Venham depressa ao nosso encontro vossas misericórdias, porque fomos reduzido à extrema miséria. (Todos se ajoelham) ℣. Ajudai-nos, ó Deus, salvação nossa, e para glória de vosso Nome, livrai-me, Senhor; e perdoai-nos os nossos pecados, para honra de vosso Nome.

Evangelho (Lc 4, 23-30)

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Lucam.

In illo témpore: Dixit Iesus pharisǽis: Utique dicétis mihi hanc similitúdinem: Médice, cura teípsum: quanta audívimus facta in Caphárnaum, fac et hic in pátria tua. Ait autem: Amen, dico vobis, quia nemo prophéta accéptus est in pátria sua. In veritáte dico vobis, multæ víduæ erant in diébus Elíæ in Israël, quando clausum est cœlum annis tribus et ménsibus sex, cum facta esset fames magna in omni terra: et ad nullam illarum missus est Elías, nisi in Sarépta Sidóniæ ad mulíerem viduam. Et multi leprósi erant in Israël sub Eliséo Prophéta: et nemo eórum mundátus est nisi Náaman Syrus. Et repléti sunt omnes in synagóga ira, hæc audiéntes. Et surrexérunt, et eiecérunt illum extra civitátem: et duxérunt illum usque ad supercílium montis, super quem cívitas illórum erat ædificáta, ut præcipitárent eum. Ipse autem tránsiens per médium illórum, ibat.

Sequência do Santo Evangelho segundo Lucas.

Naquele tempo, disse Jesus aos fariseus: Sem dúvida, aplicais a mim este provérbio: Médico, cura-te a ti mesmo; as grandes coisas feitas por ti em Cafarnaum, de que ouvimos falar, faze-as aqui em teu país.E acrescentou: Em verdade, eu vos digo que nenhum profeta é bem recebido em sua pátria. Digo-vos, na verdade: havia muitas viúvas no tempo de Elias, em Israel, quando o céu foi fechado durante três anos e seis meses, havendo uma grande fome em toda a terra. E a nenhuma foi Elias enviado, senão a uma viúva de Sarepta, no país de Sidon. E havia muitos leprosos em Jerusalém, no tempo do profeta Eliseu e nenhum deles foi curado, a não ser Naaman, o sírio. Cheios de cólera ficaram todos, na sinagoga, ouvindo estas palavras. E levantando-se, O expulsaram da cidade e O levaram até a beira do monte sobre o qual a sua cidade fora edificada, para dali O lançarem abaixo, Jesus, porém, passou no meio deles, e se afastou.

Ofertório (Sl 54, 2-3)

Exáudi, Deus, oratiónem meam, et ne despéxeris deprecatiónem meam: inténde in me, et exáudi me. Ouvi, ó Deus, a minha oração, e não desprezeis a minha súplica: atendei-me e ouvi-me.

Secreta

Munus, quod tibi, Dómine, nostræ servitútis offérimus, tu salutáre nobis pérfice sacraméntum. Per D.N. Senhor, os dons que Vos oferecemos como sinal de nossa submissão, transformai-os para nós neste salutar Sacramento. Por N.S.

Prefácio (da Quaresma)

℣. Dóminus vobíscum.
℞. Et cum spíritu tuo.
℣. Sursum corda.
℞. Habémus ad Dóminum.
℣. Grátias agámus Dómino Deo nostro.
℞. Dignum et iustum est.

Vere dignum et iustum est, æquum et salutáre, nos tibi semper, et ubíque grátias agere: Dómine, sancte Pater, omnípotens ætérne Deus: Qui corporáli ieiúnio vítia cómprimis, mentem élevas, virtútem largíris et prǽmia: per Christum Dóminum nostrum. Per quem maiestátem tuam laudant Angeli, adórant Dominatiónes, tremunt Potestátes. Cæli cælorúmque Virtútes, ac beáta Séraphim, sócia exsultatióne concélebrant. Cum quibus et nostras voces, ut admitti iúbeas, deprecámur, súpplici confessióne dicentes:

Sanctus, Sanctus, Sanctus…

℣. O Senhor seja convosco.
℞. E com o vosso espírito,
℣. Para o alto os corações.
℞. Já os temos para o Senhor,
℣. Demos graças ao Senhor, nosso Deus.
℞. É digno e justo.

Verdadeiramente é digno e justo, razoável e salutar, que, sempre e em todo o lugar, Vos demos graças, ó Senhor santo, Pai onipotente, eterno Deus, que pelo jejum corporal reprimis os vícios, elevais a inteligência, concedeis a virtude e o prêmio dela, por Jesus Cristo, Nosso Senhor. Por Ele louvam os Anjos a vossa Majestade, as Dominações a adoram, tremem as Potestades. Os Céus, as Virtudes dos Céus e os bem-aventurados Serafins a celebram com recíproca alegria. As suas vozes, nós Vos rogamos mandeis que se unam as nossas, quando, em humilde confissão, Vos dizemos:

Santo, Santo, Santo…

Comunhão (Sl 13, 7)

Quis dabit ex Sion salutáre Israël? cum avértent Dóminus captivitátem plebis suæ, exsultábit Iacob, et lætábitur Israël. Venha de Sião o Salvador de Israel! Quando o Senhor terminar o cativeiro de seu povo, exultará Jacó e alegrar-se-á Israel.

Pós-comunhão

Præsta, quǽsumus, omnípotens et miséricors Deus: ut, quod ore contíngimus, pura mente capiámus. Per D.N. Nós Vos suplicamos, ó Deus onipotente e misericordioso, que possamos guardar com o coração puro o que a nossa boca recebeu. Por N. S.

Oração 

Super populum: Orémus. Humiliáte cápita vestra Deo.

Subvéniat nobis, Dómine, misericórdia tua: ut ab imminéntibus peccatórum nostrórum perículis, te mereámur protegénte éripi, te liberánte salvári. Per D.N.

Sobre o povo: Oremos. Humilhai as vossas cabeças diante de Deus.

Venha, Senhor, sobre nós, a vossa misericórdia, a fim de que, por vossa proteção, mereçamos ser livres dos perigos que nos ameaçam por nossos pecados e ser salvos por vossa mão libertadora. Por N. S.


Traduções e comentários extraídos do Missal Quotidiano de D. Beda (1947/1962).

Comente o post

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: