Liturgia Diária- 06/03/2020

SEXTA-FEIRA DAS TÊMPORAS DA QUARESMA

Féria de 3ª Classe- Missa Própria, com comemoração das Stas. Perpétua e Felicidade, Mártires – Estação na Basílica dos Doze Apóstolos

Os ordenandos são apresentados aos doze Apóstolos para seguirem o seu exemplo no zelo apostólico. Esta igreja era antigamente cercada por várias piscinas, reunidas por colunatas. Deste dia para a Páscoa faltam ainda 38 dias, circunstâncias que talvez influíssem na escolha do Evangelho. A piscina de Betsaida era uma figura das águas batismais.


Páginas 181 a 185; 1001 e 1002 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Missa às 19 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


PRÓPRIO DO DIA

Introito (Sl 24, 17 e 18 | ib., 1-2)

De necessitátibus meis éripe me, Dómine: vide humilitátem meam et labórem meum, et dimítte ómnia peccáta mea. Ps. Ad te, Dómine, levávi ánimam meam: Deus meus, in te confído, non erubéscam. ℣. Gloria Patri. Ó Senhor, livrai-me de minhas angústias,- vede a minha miséria e o meu sofrimento, e perdoai todos os meus pecados. Sl. A Vós, Senhor, elevo a minha alma. Ó meu Deus, em Vós confio: não serei envergonhado. ℣. Glória ao Pai.

Coleta

Esto, Dómine, propítius plebi tuæ: et, quam tibi facis esse devótam, benígno réfove miserátus auxílio. Per D.N. Sede propício, Senhor, ao vosso povo e tendo-lhe concedido a graça da submissão à vossa vontade, favorecei-o com o vosso benigno auxílio. Por N. S.

2ª Coleta (das ss. mártires)

Da nobis, quǽsumus, Dómine, Deus noster, sanctarum Mártyrum tuárum Perpétuæ et Felicitátis palmas incessábili devotióne venerári: ut, quas digna mente non póssumus celebráre, humílibus saltem frequentémus obséquiis. Per D.N. Concedei-nos, ó Senhor, nosso Deus, que veneremos com perene devoção as vitórias de vossas santas Mártires Perpétua e Felicidade, e por não podermos celebrá-las dignamente, fazei ao menos as festejemos com humildes obséquios. Por N. S.

Epístola (Ez 18, 20-28)

Léctio Ezechiélis Prophétae.

Hæc dicit Dóminus Deus: Anima, quae peccáverit, ipsa moriétur: fílius non portábit iniquitátem patris, et pater non portábit iniquitátem fílii: justítia justi super eum erit, et impíetas ímpii erit super eum. Si autem ímpius égerit pæniténtiam ab ómnibus peccátis suis, quæ operátus est, et custodíerit ómnia præcépta mea, et fécerit judícium et justítiam: vita vivet, et non moriétur. Omnium iniquitátum ejus, quas operátus est, non recordábor: in justítia sua, quam operátus est, vivet. Numquid voluntátis meæ est mors ímpii, dicit Dóminus Deus, et non ut convertátur a viis suis, et vivat? Si autem avértent se justus a justítia sua, et fécerit iniquitátem secúndum omnes abominatiónes, quas operári solet ímpius, numquid vivet? omnes justítiæ ejus, quas fécerat, non recordabúntur: in prævaricatióne, qua prævaricátus est, et in peccáto suo, quod peccávit, in ipsis moriétur. Et dixístis: Non est æqua via Dómini. Audíte ergo, domus Israël: Numquid via mea non est æqua, et non magis viæ vestræ pravæ sunt? Cum enim avértent se justus a justítia sua, et fecerit iniquitátem, moriétur in eis: in injustítia, quam operátus est, moriétur. Et cum avértent se ímpius ab impietáte sua, quam operátus est, et fécerit judícium et justítiam: ipse ánimam suam vivificábit. Consíderans enim, et avértens se ab ómnibus iniquitátibus suis, quas operátus est, vita vivet, et non moriétur, ait Dóminus omnípotens.mea custodíerit, ut fáciat veritátem: hic justus est, vita vivet, ait Dóminus omnípotens. 

Leitura do Profeta Ezequiel.

Eis o que diz o Senhor Deus: A alma que pecar, essa morrerá; o filho não levará a iniquidade do pai, e o pai não levará a iniquidade do filho; a justiça do justo virá sobre ele, e a impiedade do ímpio sobre ele recairá. Mas se o ímpio fizer penitência de todos os pecados que cometeu, se guardar todos os meus preceitos e proceder conforme a equidade e a justiça, certamente viverá e não morrerá. Eu não me lembrarei mais de nenhuma das iniquidades que fez e ele viverá por causa da justiça que praticou. Porventura é de minha vontade a morte do ímpio? diz o Senhor Deus. E não quero, antes, que ele se retire de seus maus caminhos e viva? Mas se o justo se apartar de sua justiça e vier a cometer a iniquidade, seguindo todas as abominações que o ímpio costuma praticar, porventura viverá ele? Serão esquecidas todas as obras de justiça que houver praticado; por causa da prevaricação em que caiu e do pecado que cometeu, por causa disto morrerá. E vós dissestes: O caminho do Senhor não é justo! Ouvi, pois, ó casa de Israel: Porventura não é justo o meu caminho, e não são antes os vossos, que estão corrompidos? Porque, quando o justo se apartar de sua justiça, e cometer a iniquidade, morrerá nesse estado; morrerá nas obras injustas que cometeu. E quando o ímpio se apartar da impiedade que cometeu e proceder segundo a equidade e a justiça, fará viver a sua alma, porque, considerando o estado em que. se acha, e apartando-se de todas as iniquidades que praticou, viverá certamente e não morrerá, assim diz o Senhor todo poderoso.

Gradual (Sl 85, 2 e 6)

Salvum fac servum tuum. Deus meus, sperántem in te. ℣. Auribus pércipe, Dómine, oratiónem meam.

Salvai, ó Deus meu, o vosso servo, que em Vós espera. ℣. Ouvi, Senhor, a minha oração.

Trato (Sl 102, 10 | Sl 78, 8-9)

Dómine, non secúndum peccáta nostra, quæ fécimus nos: neque secúndum iniquitátes nostras retríbuas nobis. ℣. Dómine, ne memíneris iniquitátum nostrarum antiquarum: cito antícipent nos misericórdiæ tuæ, quia páuperes facti sumus nimis. (Hic genuflectitur) ℣. Adjuva nos, Deus, salutáris noster: et propter glóriam nóminis tui, Dómine, libera nos: et propítius esto peccátis nostris, propter nomen tuum.

Senhor, não nos trateis segundo os pecados que cometemos, nem nos castigueis como merecem as nossas iniquidades. ℣. Senhor, não Vos recordeis de nossos antigos delitos. Venham depressa ao nosso encontro vossas misericórdias, porque fomos reduzido à extrema miséria. (Todos se ajoelham) ℣. Ajudai-nos, ó Deus, salvação nossa, e para glória de vosso Nome, livrai-me, Senhor; e perdoai-nos os nossos pecados, para honra de vosso Nome.

Evangelho (Mt 15, 21-28)

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Matthaeum.

In illo témpore: Erat dies festus Judæórum, et ascéndit Jesus Jerosólymam. Est autem Jerosólymis Probática piscína, quæ cognominátur hebráice Bethsáida, quinque pórticus habens. In his jacébat multitúdo magna languéntium, cæcórum, claudórum, aridórum exspectántium aquæ motum. Angelus autem Dómini descendébat secúndum tempus in piscínam, et movebátur aqua. Et, qui prior descendísset in piscínam post motiónem aquæ, sanus fiébat, a quacúmque detinebátur infirmitáte. Erat autem quidam homo ibi, trigínta et octo annos habens in infirmitáte sua. Hunc cum vidísset Jesus jacéntem, et cognovisset, quia jam multum tempus habéret, dicit ei: Vis sanus fíeri? Respóndit ei lánguidus: Dómine, hóminem non hábeo, ut, cum turbáta fúerit aqua, mittat me in piscínam: dum vénio enim ego, álius ante me descéndit. Dicit ei Jesus: Surge, tolle grabátum tuum, et ámbula. Et statim sanus factus est homo ille: et sústulit grabátum suum, et ambulábat. Erat autem sábbatum in die illo. Dicébant ergo Judǽi illi, qui sanátus fúerat: Sábbatum est, non licet tibi tóllere grabátum tuum. Respóndit eis: Qui me sanum fecit, ille mihi dixit: Tolle grabátum tuum, et ámbula. Interrogavérunt ergo eum: Quis est ille homo, qui dixit tibi: Tolle grabátum tuum et ámbula? Is autem, qui sanus fúerat efféctus, nesciébat, quis esset. Jesus enim declinávit a turba constitúta in loco. Póstea invénit eum Jesus in templo, et dixit illi: Ecce, sanus factus es: jam noli peccáre, ne detérius tibi áliquid contíngat. Abiit ille homo, et nuntiávit Judǽis, quia Jesus esset, qui fecit eum sanum.

Sequência do Santo Evangelho segundo Mateus.

Naquele tempo, realizava-se Uma festa dos judeus, e Jesus subiu a Jerusalém. Ora, há em Jerusalém uma piscina Probática, que, em hebraico, se chama Bethsaida, a qual tem cinco pórticos. Neles jazia uma grande multidão de enfermos, de cegos, de coxos e de paralíticos, os quais esperavam o movimento da água. Porque um Anjo do Senhor descia em certo tempo à piscina, e a água era agitada. E o primeiro que descesse à piscina depois do movimento da água, ficava curado de qualquer doença que tivesse. Ora, estava ali um homem, que havia trinta e oito anos se encontrava enfermo. Jesus, vendo-o deitado, e sabendo que estava assim havia longo tempo, disse-lhe.. Queres ficar são? O enfermo respondeu-Lhe: Senhor, não tenho homem que me ajude a descer à piscina, quando a água é agitada; enquanto vou, desce outro primeiro do que eu. Disse-lhe Jesus: Levanta-te, toma o teu leito e anda. E no mesmo instante ficou são aquele homem, e tomou o seu leito, e começou a andar. Ora, aquele dia era um sábado. Por isso os judeus diziam ao que tinha sido curado. Hoje é sábado, e não te é lícito levar o teu leito. Ele lhes respondeu: Aquele que me curou, disse-me: Toma o teu leito e anda. Perguntaram-lhe então: Quem é esse homem que te disse: Toma o teu leito e anda? Aquele que tinha sido curado, não sabia quem Ele era. Porque Jesus havia evitado a multidão que estava naquele lugar. Depois disto, Jesus encontrou-o no templo, e disse-lhe: Eis que estás curado: não peques mais, para que te não suceda alguma coisa pior. Foi aquele homem anunciar aos judeus que era Jesus quem o havia curado.

Ofertório (Sl 102, 2 e 5)

Bénedic, anima mea, Dómino, et noli oblivísci omnes retributiónes ejus: et renovábitur, sicut áquilæ, juvéntus tua. Bendiz, ó minha alma, ao Senhor, e não esqueças nenhum de seus benefícios; e Ele renovará, como a da águia, a tua mocidade.

Secreta

Súscipe, quǽsumus, Dómine, múnera nostris obláta servítiis: et tua propítius dona sanctífica. Per D.N. Nós Vos suplicamos, Senhor, aceitai os dons que Vos oferecemos em nosso sacrifício, e, propício, santificai essas vossas dádivas. Por N.S.

2ª Secreta (das ss. mártires)

Inténde, quǽsumus, Dómine, múnera altáribus tuis pro sanctárum Mártyrum tuárum Perpétuæ et Felicitatis festivitáte propósita: ut, sicut per hæc beáta mystéria illis glóriam contulísti; ita nobis indulgéntiam largiáris. Per D.N. Nós Vos suplicamos, Senhor, considerai os dons apresentados sobre o vosso altar na festividade de vossas santas Mártires Perpétua e Felicidade, e assim como por estes santos Mistérios lhes concedestes a glória, assim também nos concedais o perdão. Por N.S.

Prefácio (da Quaresma)

℣. Dóminus vobíscum.
℞. Et cum spíritu tuo.
℣. Sursum corda.
℞. Habémus ad Dóminum.
℣. Grátias agámus Dómino Deo nostro.
℞. Dignum et iustum est.

Vere dignum et iustum est, æquum et salutáre, nos tibi semper, et ubíque grátias agere: Dómine, sancte Pater, omnípotens ætérne Deus: Qui corporáli ieiúnio vítia cómprimis, mentem élevas, virtútem largíris et prǽmia: per Christum Dóminum nostrum. Per quem maiestátem tuam laudant Angeli, adórant Dominatiónes, tremunt Potestátes. Cæli cælorúmque Virtútes, ac beáta Séraphim, sócia exsultatióne concélebrant. Cum quibus et nostras voces, ut admitti iúbeas, deprecámur, súpplici confessióne dicentes:

Sanctus, Sanctus, Sanctus…

℣. O Senhor seja convosco.
℞. E com o vosso espírito,
℣. Para o alto os corações.
℞. Já os temos para o Senhor,
℣. Demos graças ao Senhor, nosso Deus.
℞. É digno e justo.

Verdadeiramente é digno e justo, razoável e salutar, que, sempre e em todo o lugar, Vos demos graças, ó Senhor santo, Pai onipotente, eterno Deus, que pelo jejum corporal reprimis os vícios, elevais a inteligência, concedeis a virtude e o prêmio dela, por Jesus Cristo, Nosso Senhor. Por Ele louvam os Anjos a vossa Majestade, as Dominações a adoram, tremem as Potestades. Os Céus, as Virtudes dos Céus e os bem-aventurados Serafins a celebram com recíproca alegria. As suas vozes, nós Vos rogamos mandeis que se unam as nossas, quando, em humilde confissão, Vos dizemos:

Santo, Santo, Santo…

Comunhão (Sl 6, 11)

Erubéscant et conturbéntur omnes inimíci mei: avertántur retrórsum, et erubéscant valde velóciter. Envergonhem-se e fiquem perturbados todos os meus inimigos: retirem-se e sejam num momento confundidos.

Pós-comunhão

Per hujus, Dómine, operatiónem mystérii, et vítia nostra purgéntur, et justa desidéria compleántur. Per D.N. Fazei, Senhor, que pela ação deste Mistério, sejam purificados os nossos vícios e satisfeitos os nossos justos desejos. Por N. S.

2ª Pós-comunhão (das ss. mártires)

Mýsticis, Dómine, repléti sumus votis et gáudiis: præsta, quǽsumus; ut intercessiónibus sanctárum Mártyrum tuárum Perpétuæ et Felicitátis, quæ temporáliter ágimus, spirituáliter consequámur. Per D.N. Senhor, cheios de místicos dons e alegrias, Vos suplicamos nos concedais, por intercessão de vossas santas Mártires Perpétua e Felicidade, obtenhamos espiritualmente o que celebramos pela solenidade temporal. Por N. S.

Oração 

Super populum: Orémus. Humiliáte cápita vestra Deo.

Exáudi nos, miséricors Deus: et méntibus nostris grátiæ tuæ lumen osténde. Per D.N.

Sobre o povo: Oremos. Humilhai as vossas cabeças diante de Deus.

Ouvi-nos, ó Deus misericordioso, e manifestai às nossas almas a luz da vossa graça. Por N. S.


Traduções e comentários extraídos do Missal Quotidiano de D. Beda (1947/1962).

Comente o post

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: