Liturgia Diária- 29/02/2020

SÁBADO DEPOIS DAS CINZAS

Féria de 3ª Classe- Missa Própria – Estação em S. Trifão

A escolha da “Statio” e do Evangelho permite a conclusão de que a Missa foi composta em tempo de calamidade pública em Roma, talvez inundação do Tibre ou alguma peste (10 anos de ind.). Dura e penosa é a jornada no tempo da penitência, mas Jesus Cristo nos ensina e fortalece (Evangelho-Eucaristia).


Páginas 155 a 158 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Missa às 19 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


PRÓPRIO DO DIA

Introito (Sl 29, 11 | ib., 2)

Audívit Dóminus, et misértus est mihi: Dóminus factus est adjútor meus. Ps. Exaltábo te, Dómine, quóniam suscepísti me: nec delectásti inimícos meos super me. ℣. Gloria Patri. O Senhor me ouviu e se compadeceu de mim. O Senhor se fez o meu auxílio. Sl. Eu Vos glorificarei, Senhor, porque me recebestes, e não permitistes que os meus inimigos se alegrassem à minha custa.℣. Glória ao Pai.

Coleta

Adésto, Dómine, supplicatiónibus nostris: et concéde; ut hoc sollémne jejúnium, quod animábus corporibúsque curándis salúbriter institútum est, devóto servítio celebrémus. Per D.N. Atendei, Senhor, às nossas súplicas e concedei-nos celebrar, como servos devotos, este solene jejum, salutarmente instituído para curar nossas almas e nossos corpos. Por N. S.

Epístola (Is 58, 9-14)

Léctio Isaíae Prophétae.

Hæc dicit Dóminus Deus: Si abstúleris de médio tui caténam, et desíeris exténdere dígitum, et loqui quod non prodest. Cum effúderis esuriénti ánimam tuam, et ánimam afflíctam repléveris, oriétur in ténebris lux tua, et ténebræ tuæ erunt sicut merídies. Et réquiem tibi dabit Dóminus semper, et implébit splendóribus ánimam tuam, et ossa tua liberábit, et eris quasi hortus irríguus, et sicut fons aquárum, cujus non defícient aquæ. Et ædificabúntur in te desérta sæculórum: fundaménta generatiónis et generatiónis suscitábis: et vocáberis ædificátor sépium, avértens sémitas in quiétem. Si avérteris a sábbato pedem tuum, fácere voluntátem tuam in die sancto meo, et vocáveris sábbatum delicátum, et sanctum Dómini gloriósum, et glorificáveris eum, dum non facis vias tuas, et non invénitur volúntas tua, ut loquáris sermónem: tunc delectáberis super Dómino: et sustóllam te super altitúdines terræ, et cibábo te hereditáte Jacob, patris tui. Os enim Dómini locútum est.

Leitura do Profeta Isaías.

Eis o que diz o Senhor Deus: Se afastares a cadeia do meio de ti e deixares de estender o dedo, e de dizer o que não convém, se abrires tua mão ao faminto e consolares a alma aflita, levantar-se-á nas trevas a tua luz, e as tuas trevas serão como o meio dia. Descanso sem fim te dará o Senhor que encherá de luz a tua alma e libertará os teus ossos. Tornar-te-ás como um jardim bem irrigado; assim como uma fonte, cujas águas jamais secarão. Reconstruirás as ruínas dos séculos passados, elevarás os fundamentos das gerações inteiras e serás chamado o construtor dos muros, aquele que torna seguro os caminhos. Se retiveres o teu pé, por causa do sábado, para não fazeres a tua vontade no meu santo dia; se chamares ao sábado tuas delícias, o dia santo e glorioso do Senhor, e o santificares, deixando de seguir as tuas veredas, não executando a tua própria vontade e não dizendo palavras vãs, então te alegrarás no Senhor, e eu te elevarei, acima das alturas da terra e te alimentarei com a herança de Jacó, teu pai. Assim falou a boca do Senhor.

Gradual (Sl 26, 4)

Unam pétii a Dómino, hanc requíram, ut inhábitem in domo Dómini, ℣. Ut vídeam voluptátem Dómini, et prótegar a templo sancto ejus.

Uma só coisa pedi ao Senhor, e tornarei a pedi-la: que eu habite na casa do Senhor. ℣. Para ver a grandeza do Senhor, e encontrar proteção em seu santo templo.

Evangelho (Mt 6, 47-56)

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Matthaeum.

In illo témpore: Cum sero esset, erat navis in médio mari, et Jesus solus in terra. Et videns discípulos suos laborántes in remigándo (erat enim ventus contrárius eis), et circa quartam vigíliam noctis venit ad eos ámbulans supra mare: et volébat præteríre eos. At illi, ut vidérunt eum ambulántem supra mare, putavérunt phantásma esse, et exclamavérunt. Omnes enim vidérunt eum, et conturbáti sunt. Et statim locútus est cum eis, et dixit eis: Confídite, ego sum, nolíte timére. Et ascéndit ad illos in navim, et cessávit ventus. Et plus magis intra se stupébant: non enim intellexérunt de pánibus: erat enim cor eórum obcæcátum. Et cum transfretássent, venérunt in terram Genésareth, et applicuérunt. Cumque egréssi essent de navi, contínuo cognovérunt eum: et percurréntes univérsam regiónem illam, cœpérunt in grabátis eos, qui se male habébant, circumférre ubi audiébant eum esse. Et quocúmque introíbat, in vicos vel in villas aut civitátes, in platéis ponébant infírmos, et deprecabántur eum, ut vel fímbriam vestiménti ejus tángerent: et quotquot tangébant eum, salvi fiébant.

Sequência do Santo Evangelho segundo Mateus.

Naquele tempo, tendo caído a tarde, estava a barca no meio do mar e Jesus, sozinho em terra. E viu que os seus discípulos labutavam com os remos (porque o vento lhes estava contrário). Pela quarta vigília da noite foi até eles, andando sobre o mar e querendo passar-lhes adiante. Quando eles O viram, andando sobre o mar, pensaram que era um fantasma e gritaram. Todos eles o puderam ver e ficaram atemorizados. E logo Jesus lhes falou e lhes disse: Tende confiança, sou eu, não vos assusteis. Quando subiu até eles, na barca, o vento cessou. E ainda mais se admiraram, no íntimo, pois não haviam compreendido o milagre dos pães, por estar obcecado o seu coração. Quando passaram à outra banda, vieram à terra de Genesaré e aí abordaram. Saindo da barca, os do lugar reconheceram logo a Jesus. E percorrendo eles toda aquela região, começaram a trazer-Lhe, em leitos, aqueles que tinham enfermidades, onde ouviam dizer que Ele estava. Onde quer que entrasse, nas aldeias, nas vilas, e nas cidades punham nas praças os doentes, e Lhe pediam que ao menos os deixasse tocar na orla de seu vestido. E todos os que O tocavam ficavam curados.

Ofertório (Sl 118, 154 e 125)

Dómine, vivífica me secúndum elóquium tuum: ut sciam testimónia tua. Senhor, vivificai-me segundo a vossa palavra, para que eu conheça a vossa lei.

Secreta

Súscipe, Dómine, sacrifícium, cujus te voluísti dignánter immolatióne placári: præsta, quǽsumus; ut, hujus operatióne mundáti, beneplácitum tibi nostræ mentis offerámus afféctum. Per D.N. Recebei, Senhor, este Sacrifício cuja imolação quisestes pudesse dignamente Vos aplacar; e concedei, Vos rogamos, que purificados por sua ação, Vos ofereçamos o afeto de nosso coração como uma oblação agradável. Por N.S.

Prefácio (da Quaresma)

℣. Dóminus vobíscum.
℞. Et cum spíritu tuo.
℣. Sursum corda.
℞. Habémus ad Dóminum.
℣. Grátias agámus Dómino Deo nostro.
℞. Dignum et iustum est.

Vere dignum et iustum est, æquum et salutáre, nos tibi semper, et ubíque grátias agere: Dómine, sancte Pater, omnípotens ætérne Deus: Qui corporáli ieiúnio vítia cómprimis, mentem élevas, virtútem largíris et prǽmia: per Christum Dóminum nostrum. Per quem maiestátem tuam laudant Angeli, adórant Dominatiónes, tremunt Potestátes. Cæli cælorúmque Virtútes, ac beáta Séraphim, sócia exsultatióne concélebrant. Cum quibus et nostras voces, ut admitti iúbeas, deprecámur, súpplici confessióne dicentes:

Sanctus, Sanctus, Sanctus…

℣. O Senhor seja convosco.
℞. E com o vosso espírito,
℣. Para o alto os corações.
℞. Já os temos para o Senhor,
℣. Demos graças ao Senhor, nosso Deus.
℞. É digno e justo.

Verdadeiramente é digno e justo, razoável e salutar, que, sempre e em todo o lugar, Vos demos graças, ó Senhor santo, Pai onipotente, eterno Deus, que pelo jejum corporal reprimis os vícios, elevais a inteligência, concedeis a virtude e o prêmio dela, por Jesus Cristo, Nosso Senhor. Por Ele louvam os Anjos a vossa Majestade, as Dominações a adoram, tremem as Potestades. Os Céus, as Virtudes dos Céus e os bem-aventurados Serafins a celebram com recíproca alegria. As suas vozes, nós Vos rogamos mandeis que se unam as nossas, quando, em humilde confissão, Vos dizemos:

Santo, Santo, Santo…

Comunhão (Sl 2, 11-12)

Servi te Dómino in timóre, et exsultáte ei cum tremóre: apprehéndite disciplínam, ne pereátis de via justa. Servi ao Senhor com temor; exaltai-O, com tremor; aprendei sua doutrina, para que não vos afasteis do caminho da justiça.

Pós-comunhão

Cœléstis vitæ múnere vegetáti, quǽsumus, Dómine: ut, quod est nobis in præsénti vita mystérium, fiat æternitátis auxílium. Per D.N. Alimentados, Senhor, com o Dom da vida celestial, fazei, Vos suplicamos, com que, sendo ele para nós Mistério na vida presente, seja auxílio para a vida eterna. Por N. S.

Oração 

Super populum: Orémus. Humiliáte cápita vestra Deo.

Fidéles tui, Deus, per tua dona firméntur: ut éadem et percipiéndo requírant, et quæréndo sine fine percípiant. Per D.N.

Sobre o povo: Oremos. Humilhai as vossas cabeças diante de Deus.

Vossos fiéis, ó Deus, sejam fortalecidos por vossas dádivas, para que, recebendo-as, as procurem, e procurando-as, as recebam sem fim. Por N. S.


Traduções e comentários extraídos do Missal Quotidiano de D. Beda (1947/1962).

Comente o post

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: