Liturgia Diária- 11/11/2019

S. MARTINHO, Bispo e Confessor

Festa de 3ª Classe- Missa própria, com comemoração de S. Mena, Mártir

Natural da Hungria, era soldado e foi batizado com 18 anos de idade. Fez-se monge e discípulo de S. Hilário de Poitiers. Depois de fundar o mosteiro de Lígugé, foi feito Bispo de Poitiers. Nem assim deixou os hábitos austeros de monge, mas foi de uma grande bondade para com o próximo, especialmente para com os pobres. Foi muito venerado já em vida e um dos primeiros Santos a ser oficialmente venerado pela liturgia sem ser mártir.


Páginas 1373 a 1375 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Missa às 18 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


PRÓPRIO DO DIA

Introito (Eclo 45, 30 | Sl 131,1)

Státuit ei Dóminus testaméntum pacis, et príncipem fecit eum: ut sit illi sacerdótii dígnitas in ætérnum. Ps. Memento, Dómine, David: et omnis mansuetúdinis eius. ℣. Glória Patri… O Senhor fez com ele uma aliança de paz, constituindo-o príncipe, a fim de que a dignidade sacerdotal lhe pertencesse para sempre. Sl. Lembrai-Vos, Senhor, de Davi, e de toda a sua submissão. ℣. Glória ao Pai…

Coleta

Deus, qui cónspicis, quia ex nulla nostra virtúte subsístimus: concéde propítius; ut, intercessióne beáti Martíni Confessóris tui atque Pontíficis, contra ómnia advérsa muniámur. Per D.N. Ó Deus, que vedes que por nossa própria fôrça não podemos subsistir, concedei-nos benigno, por intercessão de S. Martinho, vosso Confessor e Pontífice, sejamos protegidos contra tudo o que impede a salvação. Por N. S.

2ª Coleta (do s. mártir)

Præsta, quǽsumus, omnípotens Deus: ut, qui beáti Mennæ Martyris tui natalítia cólimus, intercessióne eius, in tui nóminis amóre roborémur. Per D.N. Concedei-nos, ó Deus onipotente, que celebrando o natalício de S. Mena, vosso Mártir, por sua intercessão sejamos confirmados no amor de vosso Nome. Por N. S.

Epístola (Eclo 44, 16-27; 45, 3-20)

Léctio libri Sapiéntiae.

Ecce sacérdos magnus, qui in diébus suis plácuit Deo, et invéntus est iustus: et in témpore iracúndiæ factus est reconciliátio. Non est inventus símilis illi, qui conservávit legem Excélsi. Ideo iureiurándo fecit illum Dóminus créscere in plebem suam. Benedictiónem ómnium géntium dedit illi, et testaméntum suum confirmávit super caput eius. Agnóvit eum in benedictiónibus suis: conservávit illi misericórdiam suam: et invénit grátiam coram óculis Dómini. Magnificávit eum in conspéctu regum: et dedit illi corónam glóriæ. Státuit illi testaméntum ætérnum, et dedit illi sacerdótium magnum: et beatificávit illum in glória. Fungi sacerdótio, et habére laudem in nómine ipsíus, et offérre illi incénsum dignum in odórem suavitátis.

Leitura do livro da Sabedoria.

Eis o grande sacerdote que nós dias de sua vida agradou a Deus e foi considerado Justo; no tempo da ira, tornou-se a reconciliação dos homens. Ninguém o igualou na observância das leis do Altíssimo. Por isso o Senhor jurou que o havia de glorificar em sua descendência. Abençoou nele todas as nações e confirmou sua aliança sobre a sua cabeça. Distinguiu-o com as suas bênçãos; conservou-lhe a sua misericórdia e ele achou graça diante do Senhor. Enalteceu-o diante dos reis e deu-lhe uma coroa de glória. Fez com ele uma aliança eterna; deu-lhe o sumo sacerdócio, e encheu-o de felicidade na glória, para exercer o sacerdócio, cantar louvores a seu Nome e oferecer-Lhe dignamente incenso de agradável odor.

Gradual (Eclo 44, 16 e 20 | -) 

Ecce sacérdos magnus, qui in diébus suis plácuit Deo. ℣. Non est invéntus símilis illi, qui conserváret legem Excelsi. 

Allelúia, allelúia. ℣. Beátus vir, sanctus Martínus, urbis Turónis Epíscopus, requiévit: quem suscéperunt Angeli atque Archángeli, Throni, Dominatiónes et Virtútes. Allelúia.

Eis o grande sacerdote que nos dias de sua vida agradou a Deus. ℣. Ninguém o igualou na observância das leis do Altíssimo.

Aleluia, aleluia. ℣. S. Martinho, o varão bem-aventurado, Bispo da cidade de Tours, descansou; acolheram-no os Anjos e os Arcanjos, os Tronos, as Dominações e as Virtudes. Aleluia.

Evangelho (Lc 11, 33-36)

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Lucam.

In illo témpore: Dixit Iesus discípulis suis: Nemo lucérnam accéndit, et in abscóndito ponit, neque sub módio: sed supra candelábrum, ut, qui ingrediúntur, lumen vídeant. Lucérna córporis tui est óculus tuus. Si óculus tuus fúerit simplex, totum corpus tuum lúcidum erit: si autem nequam fúerit, étiam corpus tuum tenebrósum erit. Vide ergo, ne lumen, quod in te est, ténebræ sint. Si ergo corpus tuum totum lúcidum fúerit, non habens áliquam partem tenebrárum, erit lúcidum totum, et sicut lucérna fulgóris illuminábit te. 

Sequência do Santo Evangelho segundo Lucas.

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: Ninguém, acendendo uma luz, a coloca em lugar escondido, nem debaixo do alqueire, mas sim sobre o candelabro, para que os que entram vejam a luz. A luz de teu corpo é o teu olho. Se o teu olho for claro, todo o teu corpo será luminoso; se, porém estiver turvado, também o teu corpo será tenebroso. Vê, pois, não suceda que a luz em ti seja trevas! Se portanto o teu corpo for todo luminoso sem que parte nenhuma esteja em trevas, todo ele será luminoso, e qual lâmpada fulgurante, iluminar-te-á.  

Ofertório (Sl 88, 25) 

Véritas mea et misericórdia mea cum ipso: et in nómine meo exaltábitur cornu ejus. Minha fidelidade e minha misericórdia estão com ele, e em meu Nome se levanta todo o seu poder.

Secreta

Sanctífica, quǽsumus, Dómine Deus, hæc múnera, quæ in sollemnitáte sancti Antístitis tui Martíni offérimus: ut per ea vita nostra inter advérsa et próspera ubíque dirigátur. Per D. N. Senhor, Deus, nós Vos rogamos, santificai estas dádivas que oferecemos na festividade de vosso Antístite S. Martinho, e fazei que sempre por elas seja dirigida a nossa vida tanto na prosperidade como na adversidade. Por N. S.

2ª Secreta (do s. mártir)

Munéribus nostris, quǽsumus, Dómine, precibúsque suscéptis: et coeléstibus nos munda mystériis, et cleménter exáudi. Per D. N. Nós Vos suplicamos, Senhor, que aceitando as nossas dádivas e preces, Vos digneis purificar-nos com os celestiais Mistérios e ouvir-nos, benignamente. Por N. S.

Prefácio (Comum)

℣. Dóminus vobíscum.
℞. Et cum spíritu tuo.
℣. Sursum corda.
℞. Habémus ad Dóminum.
℣. Grátias agámus Dómino Deo nostro.
℞. Dignum et iustum est.
.
Vere dignum et justum est, aequum et salutare, nos Tibi simper, et ubique gratias agere: Domine sancte, Pater omnipotens, aeterne Deus: per Christum Dominum nostrum. Per quem majestatem Tuam laudant Angeli, adorant Dominationes, tremunt Potestates, Coeli, Coelorumque Virtutes, ac beata Seraphim socia exultatione concelebrant. Cum quibus et nostras voces, ut admitti, jubeas, supplici confessione dicentes: Sanctus, Sanctus, Sanctus…
℣. O Senhor seja convosco.
℞. E com o vosso espírito,
℣. Para o alto os corações.
℞. Já os temos para o Senhor,
℣. Demos graças ao Senhor, nosso Deus.
℞. É digno e justo.
.
Verdadeiramente é digno e justo, razoável e salutar, que, sempre e em todo o lugar, Vos demos graças, ó Senhor santo, Paí onipotente, eterno Deus, por Jesus Cristo, Nosso Senhor. É por Ele que os Anjos louvam a vossa Majestade, as Dominações a adoram, tremem as Potestades. Os Céus, as virtudes dos Céus, e os bem-aventurados Serafins a celebram com recíproca alegria. Às suas vozes, nós Vos rogamos, mandeis que se unam as nossas, quando em humilde confissão Vos dizemos: Santo, Santo, Santo…

Comunhão (Mt 24, 46-47)

Beátus servus, quem, cum vénerit dóminus, invénerit vigilántem: amen, dico vobis, super ómnia bona sua constítuet eum. Bem-aventurado aquele servo a quem o Senhor, quando vier, achar vigilante. Em verdade, vos digo que lhe confiará o governo de todos os seus bens.

Pós-comunhão

Præsta, quǽsumus, Dómine, Deus noster: ut, quorum festivitáte votíva sunt sacraménta, eórum intercessióne salutária nobis reddántur. Per D.N. Nós Vos rogamos, Senhor, nosso Deus, fazei que estas oferendas, que na festividade de vossos Santos Vos consagramos, por intercessão deles se nos tornem salutares. Por N. S.

2ª Pós-comunhão (do s. mártir)

Da, quǽsumus, Dómine, Deus noster: ut, sicut tuórum commemoratióne Sanctórum temporáli gratulámur offício; ita perpétuo lætémur aspéctu. Per D.N. Concedei-nos, ó Deus e Senhor nosso, que assim como nos alegramos com a comemoração de vossos Santos durante esta vida, assim também gozemos de sua presença na eternidade. Por N. S.

Traduções e comentários extraídos do Missal Quotidiano de D. Beda (1947/1962).

Comente o post

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: