Liturgia Diária- 21/06/2019

S. LUÍS GONZAGA, Confessor

Festa de 3ª Classe- Missa própria

Nasceu em Castiglione, perto de Mântua, em 1568. Amante apaixonado da pureza e da oração, abdicou o seu condado e entrou na Companhia de Jesus. Morreu de peste, vítima de seu zelo e caridade.


Páginas 1116 a 1119 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Hoje NÃO HAVERÁ Missa.


PRÓPRIO DO DIA

Introito (Sl 8, 6 |Sl 148, 2)

Minuísti eum paulo minus ab Angelis: glória et honóre coronásti eum. Ps. Laudáte Dóminum, omnes Angeli eius: laudáte eum, omnes virtútes eius. ℣. Glória Patri… Vós o colocastes apenas um pouco abaixo dos Anjos e o coroastes de glória e de honra. Sl. Louvai ao Senhor, vós, todos os seus Anjos; louvai-O, todas vós, ó Potestades. ℣. Glória ao Pai…

Coleta

Coeléstium donórum distribútor, Deus, qui in angélico iúvene Aloísio miram vitæ innocéntiam pari cum poeniténtia sociásti: eius méritis et précibus concéde; ut, innocéntem non secúti, poeniténtem imitémur. Per D.N. Ó Deus, Distribuidor dos Dons celestiais, que unistes no angélico jovem Luiz uma admirável inocência de vida à prática da penitência, concedei-nos por seus méritos e preces que imitemos na penitência a quem não acompanhamos na inocência. Por N. S.

Epístola (Eclo 31, 8-11)

Léctio libri Sapiéntiae.

Beátus vir, qui inventus est sine mácula, et qui post aurum non ábiit, nec sperávit in pecúnia et thesáuris. Quis est hic, et laudábimus eum? fecit enim mirabília in vita sua. Qui probátus est in illo, et perféctus est, erit illi glória ætérna: qui potuit tránsgredi, et non est transgréssus: fácere mala, et non fecit: ídeo stabilíta sunt bona illíus in Dómino.

Leitura do livro da Sabedoria.

Bem-aventurado o homem que foi encontrado sem mancha, que se não deixou atrair pelo ouro, nem pôs sua esperança no dinheiro ou em tesouros. Quem é este para nós ó louvarmos? Porque fez coisas maravilhosas em sua vida. O que assim foi provado e encontrado perfeito, terá uma glória eterna. Pode transgredir a lei de Deus e não a transgrediu; pôde fazer o mal e não o fez. Por isso, o bem que praticou, se firmou no Senhor.

Gradual (Sl 70, 5-6; Sl 40, 13)

Dómine, spes mea a iuventúte mea: in te confirmátus sum ex útero: de ventre matris meæ tu es protéctor meus. ℣. Me autem propter innocéntiam suscepísti: et confirmásti me in conspéctu tuo in ætérnum. Senhor, Vós sois a minha esperança, desde a minha juventude; em Vós eu me firmei, desde o nascimento; já no seio de minha mãe fostes o meu protetor. ℣. Vós me acolhestes por causa de minha inocência e me confirmastes para sempre, em vossa presença.

Aleluia (Sl 64, 5)

Allelúia, allelúia. ℣. Beátus, quem elegísti et assumpsísti: inhabitábit in átriis tuis. Allelúia.

Aleluia, aleluia. ℣. Bem-aventurado aquele que escolhestes e chamastes; ele habitará em vossos tabernáculos. Aleluia.

Evangelho (Mt 22, 29-40)

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Matthǽum.

In illo témpore: Respóndens Iesus, ait sadducæis: Errátis, nesciéntes Scriptúras neque virtútem Dei. In resurrectióne enim neque nubent neque nubéntur: sed erunt sicut Angeli Dei in coelo. De resurrectióne autem mortuórum non legístis, quod dictum est a Deo dicénte vobis: Ego sum Deus Abraham et Deus Isaac et Deus Iacob? Non est Deus mortuórum, sed vivéntium. Et audiéntes turbæ, mirabántur in doctrína eius. Pharisæi autem audiéntes, quod siléntium imposuísset sadducæis, convenérunt in unum: et interrogávit eum unus ex eis legis doctor, tentans eum: Magíster, quod est mandátum magnum in lege? Ait illi Iesus: Díliges Dóminum, Deum tuum, ex toto corde tuo, et in tota ánima tua, et in tota mente tua. Hoc est máximum et primum mandátum. Secúndum autem símile est huic: Díliges próximum tuum, sicut teípsum. In his duóbus mandátis univérsa lex pendet et Prophétæ.

Sequência do Santo Evangelho segundo Mateus.

Naquele tempo, respondeu Jesus aos saduceus: Estais em erro, não entendendo nem as Escrituras, nem o poder de Deus. Porque na ressurreição os homens não tomarão mulheres, nem as mulheres, maridos, porém serão como Anjos de Deus, no céu. Quanto à ressurreição dos mortos, não lestes o que Deus vos disse: Eu sou o Deus de Abraão, o Deus de Isaac, e o Deus de Jacó? Ora, Deus não é Deus dos mortos e sim dos vivos. As multidões, ouvindo isto, admiraram-se de sua doutrina. Mas os fariseus, tendo ouvido que Ele reduzira ao silêncio os saduceus, congregaram-se e um deles, que era doutor da lei, perguntou-Lhe para O tentar: Mestre, qual é o grande mandamento da lei? Disse-lhe Jesus: Amarás ao Senhor, teu Deus, de todo o teu coração e de toda a tua alma e de todo o teu entendimento. Este é o máximo e o primeiro mandamento. O segundo, porém, é semelhante a este: Amarás a teu próximo como a ti mesmo. Nestes dois mandamentos estão contidos a lei e os Profetas.

Ofertório (Sl 23, 3-4)

Quis ascéndet in montem Dómini, aut quis stabit in loco sancto eius? Innocens mánibus, et mundo corde. Quem subirá à montanha do Senhor ou quem se manterá em seu santo lugar? O que tem as mãos inocentes e o coração puro.

Secreta

Coelésti convívio fac nos, Dómine, nuptiáli veste indútos accúmbere: quam beáti Aloísii pia præparátio et iuges lácrimæ inæstimabílibus ornábant margarítis. Per D.N. Fazei, Senhor, cheguemos ao celestial banquete revestidos com a veste nupcial que S. Luiz ornava com sua piedosa preparação e lágrimas constantes, como pérolas de um valor inestimável. Por N.S.

Prefácio (Comum)

℣. Dóminus vobíscum.
℞. Et cum spíritu tuo.
℣. Sursum corda.
℞. Habémus ad Dóminum.
℣. Grátias agámus Dómino Deo nostro.
℞. Dignum et iustum est.
.
Vere dignum et justum est, aequum et salutare, nos Tibi simper, et ubique gratias agere: Domine sancte, Pater omnipotens, aeterne Deus: per Christum Dominum nostrum. Per quem majestatem Tuam laudant Angeli, adorant Dominationes, tremunt Potestates, Coeli, Coelorumque Virtutes, ac beata Seraphim socia exultatione concelebrant. Cum quibus et nostras voces, ut admitti, jubeas, supplici confessione dicentes: Sanctus, Sanctus, Sanctus…
℣. O Senhor seja convosco.
℞. E com o vosso espírito,
℣. Para o alto os corações.
℞. Já os temos para o Senhor,
℣. Demos graças ao Senhor, nosso Deus.
℞. É digno e justo.
.
Verdadeiramente é digno e justo, razoável e salutar, que, sempre e em todo o lugar, Vos demos graças, ó Senhor santo, Paí onipotente, eterno Deus, por Jesus Cristo, Nosso Senhor. É por Ele que os Anjos louvam a vossa Majestade, as Dominações a adoram, tremem as Potestades. Os Céus, as virtudes dos Céus, e os bem-aventurados Serafins a celebram com recíproca alegria. Às suas vozes, nós Vos rogamos, mandeis que se unam as nossas, quando em humilde confissão Vos dizemos: Santo, Santo, Santo…

Comunhão (Sl 77, 24-25)

Panem coeli dedit eis: panem Angelórum manducávit homo. Ele lhes deu o Pão do céu e o homem se alimentou com o Pão dos Anjos.

Pós-comunhão

Angelórum esca nutrítos, angélicis étiam, Dómine, da móribus vívere: et eius, quem hódie cólimus, exémplo in gratiárum semper actióne manére. Per D.N. Senhor, alimentados com o Pão dos Anjos, concedei-nos vivamos de um modo angélico, e a exemplo do Santo que hoje festejamos, Vos rendamos contínuas ações de graças. Por N. S.


Traduções e comentários extraídos do Missal Quotidiano de D. Beda (1962).

Comente o post

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: