Liturgia Diária- 11/04/2019

QUINTA-FEIRA DA SEMANA DA PAIXÃO

Féria de 3ª Classe- Missa Própria – Estação em S. Apolinário

Com os penitentes, estamos no exílio (Introito, Ofertório). Instantemente pedimos perdão (com Asarias, na Leitura). Na Quinta-feira Santa os penitentes eram recebidos novamente na Comunhão dos fiéis. Hoje, oito dias antes, Jesus se anuncia amigo dos pecadores (Evangelho).


SÃO LEÃO I (MAGNO), Papa, Confessor e Doutor

Festa de 3ª Classe- Missa do dia, com 2ªs orações da missa “Si diligis me”

Desde 440 ocupando o trono pontifício, combateu as heresias (Monofisistas). Salvou Roma das hordas dos bárbaros (452). Por seus muitos méritos e zelo em firmar a autoridade da Sé apostólica, recebeu o título de “Grande”.


Páginas 312 a 315, 1031, 812 a 816 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Missa às 19 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


PRÓPRIO DO DIA

Introito (Dn 3, 31 | Sl 118, 1)

Omnia, quæ fecísti nobis, Dómine, in vero judício fecísti: quia peccávimus tibi, et mandátis tuis non obœdívimus: sed da glóriam nómini tuo, et fac nobíscum secúndum multitúdinem misericórdiæ tuæ. Ps. Beáti immaculáti in via: qui ámbulant in lege Dómini. Omnia quæ… Tudo quanto nos fizestes, Senhor, o fizestes com justiça; porque pecamos contra Vós, e não obedecemos a vossos mandamentos; mas agora glorificai vosso Nome e agi conosco segundo a abundância de vossa misericórdia. Sl. Bem-aventurados os puros em seu caminho; os que andam na lei do Senhor. — Tudo quanto nos fizestes…

Coleta

Præsta, quǽsumus, omnípotens Deus: ut dígnitas condiciónis humánæ, per immoderántiam sauciáta, medicinális parsimóniæ stúdio reformétur. Per D.N. Concedei, Vos pedimos, ó Deus onipotente, que a dignidade da natureza humana, corrompida pela intemperança, seja restaurada pela prática dessa abstinência salutar. Por N. S.

2ª Coleta (de S. Leão)

Gregem tuum, Pastor ætérnæ inténde: et per beátum Leonis, Confessóris tuo atque Summum Pontíficem, perpétua protectióne custódi; quem totíus Ecclésiæ præstitísti esse pastórem. Per D.N. Olhai propício, Pastor Eterno, para o vosso rebanho e guardai-o sob a vossa constante proteção, pela intercessão do bem-aventurado Leão vosso Confessor e Pontífice Supremo, a quem estabelecestes como Pastor de toda a Igreja. Por N. S.

Epístola (Dn 3, 25 e 34-45)

Léctio Daniélis Prophétae.

In diébus illis: Orávit Azarías Dóminum, dicens: Dómine, Deus noster: ne, quǽsumus, tradas nos in perpétuum propter nomen tuum, et ne díssipes testaméntum tuum: neque áuferas misericórdiam tuam a nobis propter Abraham diléctum tuum, et Isaac servum tuum, et Israël sanctum tuum: quibus locútus es, póllicens, quod multiplicáres semen eórum sicut stellas cœli et sicut arénam, quæ est in lítore maris: quia, Dómine, imminúti sumus plus quam omnes gentes, sumúsque húmiles in univérsa terra hódie propter peccáta nostra. Et non est in témpore hoc princeps, et dux, et prophéta, neque holocáustum, neque sacrifícium, neque oblátio, neque incénsum, neque locus primitiárum coram te, ut póssimus inveníre misericórdiam tuam: sed in ánimo contríto et spíritu humilitátis suscipiámur. Sicut in holocáusto aríetum et taurórum, et sicut in mílibus agnórum pínguium: sic fiat sacrifícium nostrum in conspéctu tuo hódie, ut pláceat tibi: quóniam non est confúsio confidéntibus in te. Et nunc séquimur te in toto corde, et timémus te, et quǽrimus fáciem tuam. Ne confúndas nos: sed fac nobíscum juxta mansuetúdinem tuam et secúndum multitúdinem misericórdiæ tuæ. Et érue nos in mirabílibus tuis, et da glóriam nómini tuo, Dómine: et confundántur omnes, qui osténdunt servis tuis mala, confundántur in omni poténtia tua: et robur eórum conterátur: et sciant, quia tu es Dóminus, Deus solus, et gloriósus super orbem terrárum, Dómine, Deus noster.

Leitura do Profeta Daniel.

Naqueles dias, orou Azarias ao Senhor, dizendo: Senhor, Deus nosso, não nos abandoneis para sempre, por causa de vosso Nome e não destruais a vossa aliança; não nos retireis a vossa misericórdia em consideração a Abraão, vosso escolhido, a Isaac, vosso servo, e a Israel, vosso santo, aos quais Vós falastes e prometestes multiplicar a sua posteridade, como as estrelas do céu, e como a areia das praias do mar. Porque, Senhor, estamos reduzidos a um número menor que todas as outras nações e somos hoje humilhados em toda a terra, por causa de nossos pecados. Não temos hoje nem príncipe, nem profeta, nem holocausto, nem sacrifício, nem oblação, nem incenso, nem lugar para Vos ofertar as nossas primícias, a fim de que possamos achar misericórdia perante Vós. Recebei, porém, os nossos corações contritos e nosso espírito humilhado. Assim como um holocausto de carneiros e de touros, como o de milhares de cordeiros gordos, assim nosso sacrifício se realize hoje, perante Vós para que Vos seja agradável, pois não serão confundidos aqueles que têm confiança em Vós. E agora, nós Vos queremos seguir de todo o coração e Vos tememos, e procuramos a vossa Face. Não nos envergonheis, mas agi para conosco segundo a vossa clemência e conforme a abundância de vossa misericórdia. Livrai-nos por vosso poder maravilhoso e dai glória a vosso Nome, Senhor. Confundi a todos os que fazem,sofrer vexames a vossos servos; envergonhados por vossa onipotência, seja derrubada a sua fôrça. Saibam eles, Senhor, que sois o Senhor, Deus único e glorioso, sobre toda a terra, ó Senhor, nosso Deus.

Gradual (Sl 95, 8-9) 

Tóllite hóstias, et introíte in átria ejus: adoráte Dóminum in aula sancta ejus. ℣. Revelávit Dóminus condénsa: et in templo ejus omnes dicent glóriam.

Tomai hóstias e entrai em seus átrios; adorai o Senhor, em seu santo Templo. ℣. O Senhor descobre o que está escondido; em seu templo cantem todos a sua glória.

Evangelho (Lc 7, 36-50)

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Lucam.


In illo témpore: Rogábat Jesum quidam de pharisǽis, ut manducáret cum illo. Et ingréssus domum pharisǽi, discúbuit. Et ecce múlier, quæ erat in civitáte peccátrix, ut cognóvit, quod accubuísset in domo pharisǽi, áttulit alabástrum unguénti: et stans retro secus pedes ejus, lácrimis coepit rigáre pedes ejus, et capíllis cápitis sui tergébat, et osculabátur pedes ejus, et unguénto ungébat. Videns autem pharisǽus, qui vocáverat eum, ait intra se, dicens: Hic si esset Prophéta, sciret útique, quæ et qualis est múlier, quæ tangit eum: quia peccátrix est. Et respóndens Jesus, dixit ad illum: Simon, hábeo tibi áliquid dícere. At ille ait: Magíster, dic. Duo debitóres erant cuidam fæneratóri: unus debébat denários quingéntos, et álius quinquagínta. Non habéntibus illis, unde rédderent, donávit utrísque. Quis ergo eum plus díligit? Respóndens Simon, dixit: Æstimo, quia is, cui plus donávit. At ille dixit ei: Recte judicásti. Et convérsus ad mulíerem, dixit Simóni: Vides hanc mulíierem? Intrávi in domum tuam, aquam pédibus meis non dedísti: hæc autem lácrimis rigávit pedes meos et capíllis suis tersit. Osculum mihi non dedísti: hæc autem, ex quo intrávit, non cessávit osculári pedes meos. Oleo caput meum non unxísti: hæc autem unguénto unxit pedes meos. Propter quod dico tibi: Remittúntur ei peccáta multa, quóniam diléxit multum. Cui autem minus dimíttitur, minus díligit. Dixit autem ad illam: Remittúntur tibi peccáta. Et cœpérunt, qui simul accumbébant, dícere intra se: Quis est hic, qui étiam peccáta dimíttit? Dixit autem ad mulíerem: Fides tua te salvam fecit: vade in pace.metum Judæórum.  

Sequência do Santo Evangelho segundo Lucas.

Naquele tempo, pedira a Jesus, um fariseu, que fosse comer consigo. Entrando em casa do fariseu, Ele se pôs à mesa. E uma mulher que era pecadora na cidade, sabendo que Ele se sentara à mesa, em casa do fariseu, trouxe um vaso de alabastro, cheio de bálsamo e prostrando-se a seus pés, atrás d’Ele, com- lágrimas se pôs a banhar-Lhe os pés, e a enxugá-los com os cabelos de sua cabeça, beijando-os e ungindo-os com o bálsamo. Vendo isto, o fariseu que convidara a Jesus, pensou em seu íntimo: Se este homem fosse o Profeta, saberia certamente quem é, e de que classe é a mulher que O toca, pois é uma pecadora. Compreendendo-o, Jesus lhe disse: Simão, tenho algo a dizer-te. E ele respondeu: Mestre, falai. [E Este:] Certo credor tinha dois devedores; um lhe devia quinhentos dinheiros e o outro cinquenta. Não tendo estes com que reembolsá-lo, ele perdoou a ambos a sua dívida. Qual deles lhe teria mais amor? Respondeu Simão, dizendo: Penso que aquele a quem mais perdoou. Retrucou-lhe Jesus: Julgaste bem. E voltando-se para a mulher, disse a Simão: Reparaste nesta mulher? Entrei em tua casa e não me deste água para os pés; ela porém, lavou-os com as suas lágrimas e os enxugou com os seus cabelos. Tu não me beijaste, porém ela, depois que entrou, não cessou de oscular os meus pés. Não me deste óleo para ungir a minha cabeça; ela no entanto, ungiu os meus pés com bálsamo. E por isto, digo-te que muitos pecados lhe são perdoados, porque muito amou. Aquele, porém, a quem se perdoa menos, menos ama. Disse então à mulher: Perdoados estão os teus pecados. E os que estavam à mesa diziam entre si: Quem é Este que até perdoa pecados? E Ele disse à mulher: Tua fé te salvou; vai em paz.

Ofertório (Sl 136, 1)

Super flúmina Babylónis illic sédimus et flévimus: dum recordarémur tui, Sion. Junto aos rios de Babilônia ali assentados, choramos lembrando-nos de ti, ó Sião.

Secreta

Dómine, Deus noster, qui in his pótius creatúris, quas ad fragilitátis nostræ subsídium condidísti, tuo quoque nómini múnera jussísti dicánda constítui: tríbue, quǽsumus; ut et vitæ nobis præséntis auxílium et æternitátis effíciant sacraméntum. Per D.N. Senhor, Deus nosso, que quisestes que as oferendas destinadas por Vós para alimento de nossa fraqueza fossem também imoladas em honra de vosso Nome, concedei, Vos rogamos, que elas nos sirvam de auxílio na vida presente e de Sacramento para a vida eterna. Por N.S.

2ª Secreta (de S. Leão)

Oblátis munéribus, quæsumus Dómine, Ecclésiam tuam benífgnus illúmina: ut, et gregis tui profíciat ubíque succéssus, et grati fiant nómini tuo, tegubernànte, pastóres. Per D.N. Por estas dádivas, Senhor, iluminai benignamente a vossa Igreja, para que, bem sucedida, progrida vosso rebanho em toda a parte e os pastores por Vós governados se tornem gratos ao vosso Nome. Por N. S.

Prefácio (da Santa Cruz)

Vere dignum et justum est, æquum et salutáre, nos tibi semper et ubíque grátias ágere: Dómine sancte, Pater omnípotens, ætérne Deus: Qui salútem humáni géneris in ligno Crucis constituísti: ut, unde mors oriebátur, inde vita resúrgeret: et, qui in ligno vincébat, in ligno quoque vincerétur: per Christum, Dóminum nostrum. Per quem majestátem tuam laudant Angeli, adórant Dominatiónes, tremunt Potestátes. Cœli cœlorúmque Virtútes ac beáta Séraphim sócia exsultatióne concélebrant. Cum quibus et nostras voces ut admítti júbeas, deprecámur, súpplici confessióne dicéntes:

Sanctus, Sanctus, Sanctus…

Verdadeiramente é digno e justo, razoável e salutar, que sempre e em todo o lugar, Vos demos graças, ó Senhor santo, Pai onipotente, eterno Deus, que estabelecestes no madeiro da Cruz a salvação do gênero humano, para que renascesse a vida de onde se originara a morte, e o que no lenho vencera, no lenho fosse vencido por Jesus Cristo, Nosso Senhor. Por Ele louvam os Anjos a vossa Majestade, as Dominações a adoram, tremem as Potestades. Os Céus, as Virtudes dos Céus, e os bem-aventurados Serafins a celebram com recíproca alegria. As suas vozes, nós Vos rogamos, mandeis que se unam as nossas, quando, em humilde confissão, Vos dizemos:

Santo, Santo, Santo…

Comunhão (Sl 118, 49-50) 

Meménto verbi tui servo tuo,Dómine, in quo mihi spem dedísti: hæc me consoláta est in humilitáte mea. Lembrai-Vos, Senhor, de vossa palavra a vosso servo, na qual me fizestes esperar; ela me consolou em minha miséria.

Pós-comunhão

Quod ore súmpsimus, Dómine, pura mente capiámus: et de munere temporáli, fiat nobis remédium sempitérnum. Per D.N. Fazei, Senhor, que em coração puro conservemos o que a nossa boca recebeu, e que desta dádiva temporal nos venha remédio para a eternidade. Por N. S.

2ª Pós-comunhão (de S. Leão)

Refectióne sancta enutrítam gubérna, quaésumus Dómine, tuam placátus Ecclésiam: ut poténti moderatióne dirécta, et increménta libertátis accípiat et in religiónis integritáte persístat. Per D.N. Senhor, governai benignamente a vossa igreja, agora alimentada com a Refeição Sagrada, para que, sustentada por vosso braço poderoso, venha a crescer em liberdade e perseverar na integridade da religião. Por N. S.

Oração 

Super populum: Orémus. Humiliáte cápita vestra Deo.

Esto, quǽsumus, Dómine, propítius plebi tuæ: ut, quæ tibi non placent, respuéntes; tuórum pótius repleántur delectatiónibus mandatórum. Per D.N.

Sobre o povo: Oremos. Humilhai as vossas cabeças diante de Deus.

Senhor, nós Vos suplicamos, sede propício a vosso povo a fim.de que, repelindo tudo o que Vos desagrada, sintamos as delícias de vossos mandamentos. Por N. S.


Traduções e comentários extraídos do Missal Quotidiano de D. Beda (1947).

Comente o post

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: