Liturgia Diária- 10/04/2019

QUARTA-FEIRA DA SEMANA DA PAIXÃO

Féria de 3ª Classe- Missa Própria – Estação em S. Marcelo

A Leitura se dirige aos catecúmenos. Havia quinze dias que tinham recebido a lei de Deus e hoje deviam repeti-la no escrutínio. No Introito pedimos perdão, com eles, por nossos pecados. Como,  na Leitura, Deus diz: “Eu sou o Senhor”, assim, no Evangelho, Jesus proclama: “Eu sou o Filho de Deus”. Os que ouvem a sua voz, isto é, os que Nele creem e O seguem, terão a vida eterna.


Páginas 307 a 311 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Missa às 19 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


PRÓPRIO DO DIA

Introito (Sl 17, 48-49 | ib., 2-3)

Liberátor meus de géntibus iracúndis: ab insurgéntibus in me exaltábis me: a viro iníquo erípies me, Dómine. Ps. Díligam te, Dómine, virtus mea: Dóminus firmaméntum meum, et refúgium meum, et liberátor meus. Liberátor meus Vós sois quem me salva da fúria dos pagãos. Vós me elevareis muito acima de meus adversários; livrar-me-eis, ó Senhor, do homem perverso. Sl. Eu Vos amo, Senhor, que sois a minha força. O Senhor é a minha rocha, e o meu libertador. — Vós sois…

Coleta

Sanctificáto hoc jejúnio, Deus, tuórum corda fidélium miserátor illústra: et quibus devotiónis præstas afféctum, præbe supplicántibus pium benígnus audítum Per D.N. Ó Deus, santificai este jejum, iluminai misericordiosamente os corações de vossos fiéis e ouvi benigno as súplicas daqueles a quem inspirais sentimentos de fervor religioso. Por N. S.

Epístola (Lv 19, 1-2, 11-19 e 25)

Léctio libri Levítici.

In diébus illis: Locútus est Dóminus ad Móysen, dicens: Lóquere ad omnem cœtum filiórum Israël, et dices ad eos: Ego Dóminus, Deus vester. Non faciétis furtum. Non mentiémini, nec decípiet unusquísque próximum suum. Non perjurábis in nómine meo, nec póllues nomen Dei ;ui. Ego Dóminus. Non fácies calúmniam próximo tuo: nec vi ópprimes eum. Non morábitur opus mercennárii tui apud te usque mane. Non maledíces surdo, nec coram cæco pones offendículum: sed timébis Dóminum, Deum tuum, quia ego sum Dóminus. Non fácies quod iníquum est, nec injúste judicábis. Non consíderes persónam páuperis, nec honóres vultum poténtis. Juste júdica próximo tuo. Non eris criminátor, nec susúrro in pópulo. Non stabis contra sánguinem próximi tui. Ego Dóminus. Non óderis fratrem tuum in corde tuo, sed públice árgue eum, ne hábeas super illo peccátum. Non quæras ultiónem, nec memor eris injúriae cívium tuórum. Díliges amícum tuum sicut teípsum. Ego Dóminus. Leges meas custodíte. Ego enim sum Dóminus, Deus vester. 

Leitura do livro do Levítico.

Naqueles dias, disse o Senhor a Moisés: Fala a toda a multidão dos filhos de Israel e dize-lhes: Eu sou o Senhor, vosso Deus. Não fareis furtos. Não deveis mentir; ninguém engane a seu próximo. Não jurareis falso em meu Nome, nem profanareis o Nome de vosso Deus. Eu sou o Senhor. Não caluniareis o vosso próximo e não o oprimíreis pela violência. O salário do mercenário que vos dá o seu trabalho, não fique em vossa casa até pela manhã. Não amaldiçoareis o surdo, nem poreis diante do cego coisa que lhe possa fazer mal; mas deveis temer ao Senhor, vosso Deus, porque eu sou o Senhor. Nada fareis contra a justiça e não julgueis iniquamente. Não tenhais contemplação com a pessoa do pobre [ofendendo a justiça] nem bajuleis a pessoa do homem poderoso. Julgai o vosso próximo com justiça. Não sejais caluniador público, entre o povo, nem maldizente. Não urdireis tramas contra o sangue de vosso próximo. Eu sou o Senhor. Não odiareis o vosso irmão, em vosso coração, porém o repreendereis publicamente, par a que não venhais a pecar, por sua causa. Não procureis vingar-vos, nem vos lembreis das injúrias de vossos semelhantes. Amareis o vosso próximo como a vós mesmos. Eu sou o Senhor. Guardai a minha lei. Porque eu sou o Senhor, vosso Deus.

Gradual (Sl 29, 2-4) 

Exaltábo te, Dómine, quóniam suscepísti me: nec delectásti inimícos meos super me. ℣. Dómine, Deus meus, clamávi ad te, et sanásti me: Dómine, abstraxísti ab ínferis ánimam meam, salvásti me a descendéntibus in lacum.

Eu Vos exaltei, Senhor, porque Vós me acolhestes, e não deixastes que os meus inimigos triunfassem sobre mim. ℣. Senhor, Deus meu, eu clamei por Vós e me curastes. Senhor, retirastes da região dos mortos a minha alma, salvastes-me dentre os que descem à sepultura.

Trato (Sl 102, 10 | Sl 78, 8-9)

Dómine, non secúndum peccáta nostra, quæ fécimus nos: neque secúndum iniquitátes nostras retríbuas nobis. ℣. Dómine, ne memíneris iniquitátum nostrarum antiquarum: cito antícipent nos misericórdiæ tuæ, quia páuperes facti sumus nimis. (Hic genuflectitur) ℣. Adjuva nos, Deus, salutáris noster: et propter glóriam nóminis tui, Dómine, libera nos: et propítius esto peccátis nostris, propter nomen tuum.

Senhor, não nos trateis segundo os pecados que cometemos, nem nos castigueis como merecem as nossas iniquidades. ℣. Senhor, não Vos recordeis de nossos antigos delitos. Venham depressa ao nosso encontro vossas misericórdias, porque fomos reduzido à extrema miséria. (Todos se ajoelham) ℣. Ajudai-nos, ó Deus, salvação nossa, e para glória de vosso Nome, livrai-me, Senhor; e perdoai-nos os nossos pecados, para honra de vosso Nome.

Evangelho (Jo 10, 22-38)

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Joánnem.

In illo témpore: Facta sunt Encǽnia in Jerosólymis: et hiems erat. Et ambulábat Jesus in templo, in pórticu Salomónis. Circumdedérunt ergo eum Judǽi, et dicébant ei: Quoúsque ánimam nostram tollis? Si tu es Christus, dic nobis palam. Respóndit eis Jesus: Loquor vobis, et non créditis: Opera, quæ ego fácio in nómine Patris mei, hæc testimónium pérhibent de me: sed vos non créditis, quia non estis ex óvibus meis. Oves meæ vocem meam áudiunt: et ego cognósco eas, et sequúntur me: et ego vitam ætérnam do eis: et non períbunt in ætérnum, et non rápiet eas quisquam de manu mea. Pater meus quod dedit mihi, majus ómnibus est: et nemo potest rápere de manu Patris mei. Ego et Pater unum sumus. Sustulérunt ergo lápides Judǽi, ut lapidárent eum. Respóndit eis Jesus: Multa bona ópera osténdi vobis ex Patre meo, propter quod eórum opus me lapidátis? Respondérunt ei Judǽi: De bono ópere non lapidámus te, sed de blasphémia: et quia tu, homo cum sis, facis teípsum Deum. Respóndit eis Jesus: Nonne scriptum est in lege vestra: quia Ego dixi, dii estis? Si illos dixit deos, ad quos sermo Dei factus est, et non potest solvi Scriptúra: quem Pater sanctificávit, et misit in mundum, vos dicitis: Quia blasphémas: quia dixi, Fílius Dei sum? Si non fácio ópera Patris mei, nolíte crédere mihi. Si autem fácio, et si mihi non vultis crédere, opéribus crédite, ut cognoscátis et credátis, quia Pater in me est et ego in Patre. 

Sequência do Santo Evangelho segundo João.

Naquele tempo, celebrava-se a festa da dedicação em Jerusalém, e era inverno. E andava Jesus no templo, no pórtico de Salomão. Os judeus O cercaram, então, perguntando-Lhe: Até quando nos deixas na incerteza? Se és o Cristo, dize-nos claramente. Respondeu-lhes Jesus: Eu vos falo e vós não me credes. As obras que faço em Nome de meu Pai, testemunham de Mim: porém vós não acreditais porque não sois das minhas ovelhas. Minhas ovelhas atendem à minha voz; eu as conheço e elas me seguem. Eu lhes dou a vida eterna e jamais perecerão, e ninguém poderá tirá-las de minha mão. O que meu Pai me deu é maior que todas as coisas e ninguém o poderá tirar da mão de meu Pai. Eu e meu Pai somos um só [Deus]. Então os judeus apanharam pedras para O lapidar. Disse-lhes Jesus: Eu vos mostrei muitas obras boas, vindas de meu Pai; por qual delas; vós me quereis lapidar? Responderam-Lhe os judeus: Não é por nenhuma boa obra que Te apedrejamos, mas pela blasfêmia; e porque, sendo homem. Tu Te fazes Deus. Respondeu-lhes Jesus: Não está escrito em vossa lei: Eu disse: vós sois deuses? Se ela chama deuses àqueles aos quais a palavra de Deus foi dirigida — e a Escritura não pode errar — como dizeis Àquele a quem o Paí santificou e enviou ao mundo: Vós blasfemais, porque eu disse que sou o Filho de Deus? Se não fizer as obras de meu Paí, não deveis crer em Mim. Se as faço, porém, e se não me quereis acreditar, crede ao menos em minhas obras, a fim de que conheçais e acrediteis que o Pai está em Mim e eu no Pai.

Ofertório (Sl 58, 2)

Eripe me de inimícis meis, Deus meus: et ab insurgéntibus in me líbera me, Dómine. Salvai-me de meus inimigos, ó Deus meu; livrai-me, Senhor, dos que se levantaram contra mim.

Secreta

Annue, miséricors Deus: ut hóstias placatiónis et laudis sincéro tibi deferámus obséquio. Per D.N. Atendei a nossos rogos, ó Deus misericordioso, a fim de que Vos ofereçamos, com sincera submissão, estas hóstias de propiciação e louvor. Por N.S.

Prefácio (da Santa Cruz)

Vere dignum et justum est, æquum et salutáre, nos tibi semper et ubíque grátias ágere: Dómine sancte, Pater omnípotens, ætérne Deus: Qui salútem humáni géneris in ligno Crucis constituísti: ut, unde mors oriebátur, inde vita resúrgeret: et, qui in ligno vincébat, in ligno quoque vincerétur: per Christum, Dóminum nostrum. Per quem majestátem tuam laudant Angeli, adórant Dominatiónes, tremunt Potestátes. Cœli cœlorúmque Virtútes ac beáta Séraphim sócia exsultatióne concélebrant. Cum quibus et nostras voces ut admítti júbeas, deprecámur, súpplici confessióne dicéntes:

Sanctus, Sanctus, Sanctus…

Verdadeiramente é digno e justo, razoável e salutar, que sempre e em todo o lugar, Vos demos graças, ó Senhor santo, Pai onipotente, eterno Deus, que estabelecestes no madeiro da Cruz a salvação do gênero humano, para que renascesse a vida de onde se originara a morte, e o que no lenho vencera, no lenho fosse vencido por Jesus Cristo, Nosso Senhor. Por Ele louvam os Anjos a vossa Majestade, as Dominações a adoram, tremem as Potestades. Os Céus, as Virtudes dos Céus, e os bem-aventurados Serafins a celebram com recíproca alegria. As suas vozes, nós Vos rogamos, mandeis que se unam as nossas, quando, em humilde confissão, Vos dizemos:

Santo, Santo, Santo…

Comunhão (Sl 25, 6-7) 

Lavábo inter innocéntes manus meas, et circuíbo altáre tuum, Dómine: ut áudiam vocem laudis tuæ, et enárrem univérsa mirabília tua. Lavo as minhas mãos entre os inocentes, e me aproximo de vosso altar, ó Senhor, para ouvir os vossos louvores e proclamar todas as vossas maravilhas.

Pós-comunhão

Cœléstis doni benedictióne percépta: súpplices te, Deus omnípotens, deprecámur; ut hoc idem nobis et sacraménti causa sit et salútis. Per D.N. Acabamos de receber a bênção deste Dom celestial, e Vos imploramos humildemente, ó Deus onipotente, que este mesmo Dom seja par a nós causa de santificação e de salvação. Por N. S.

Oração 

Super populum: Orémus. Humiliáte cápita vestra Deo.

Adésto supplicatiónibus nostris, omnípotens Deus: et, quibus fidúciam sperándæ pietátis indúlges; consuétæ misericórdiæ tríbue benígnus efféctum. Per D.N.

Sobre o povo: Oremos. Humilhai as vossas cabeças diante de Deus.

Atendei às nossas súplicas, ó Deus onipotente, e aos que dais a graça de confiarem em vossa bondade , concedei benigno o efeito de vossa habitual misericórdia. Por N. S.


Traduções e comentários extraídos do Missal Quotidiano de D. Beda (1947).

Comente o post

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: