Liturgia Diária- II Domingo do Advento

Domingo de 1ª Classe- Missa Própria- Estação em Santa Cruz de Jerusalém

Reunimo-nos na igreja de “Santa Cruz em Jerusalém.” Ela representa para nós a verdadeira Jerusalém, a Igreja de Deus na terra e no céu. Felizes somos por pertencermos ao número de seus membros.

“O Senhor vem à Jerusalém. ” Em sua primeira vinda, apareceu na Jerusalém da Terra Santa. Hoje virá à Jerusalém de nossas almas e na festa de Natal virá à Jerusalém do Novo Testamento, que é a sua santa Igreja (Introito). Nesta Igreja acharão todos a salvação: os judeus pela promessa que lhes foi feita, os pagãos, porém, pela misericórdia de Deus. E reinará a alegria e a paz pela vinda do Salvador (Epístola e Cânticos. Introito, Gradual, Ofertório e Communio.) No Evangelho prova-nos S. João, de maneira engenhosa, que o Cristo é o Messias e que é Ele quem cura todas as doenças de nossa fraqueza e a nossa cegueira, ressuscita-nos da morte e nos comunica a vida da graça. Vê pois, alma cristã, o gozo que te virá de teu Deus (Communio).


Páginas 12 a 16 do Missal Quotidiano. 


Missa Rezada às 09:30 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes e Missa Cantada às 15:30 horas na Catedral Diocesana.


PRÓPRIO DO DIA

Introito (Sl 24, 1-4) [Áudio]

Populus Sion, ecce Dóminus véniet ad salvándas gentes: et audítam fáciet Dóminus Glóriam vocis suæ in lætítia cordis vestri. Ps. Qui regis Israël inténde: qui dedúcis velut ovem, Joseph. V. Gloria Patri.  Povo de Sião, eis que o Senhor virá para salvar as nações e o Senhor fará ouvir a glória de sua voz, para alegria de vosso coração. Sl. Vós, que governais a Israel, escutai; Vós, que conduzis a José como um pastor à ovelha. V. Glória ao Pai.

Coleta

Excita, Dómine, corda nostra ad præparándas Unigéniti tui vias: ut per ejus advéntum, purificátis tibi méntibus servíre mereámur. Qui vivis et regnas. Excitai, Senhor, os nossos corações para prepararmos os caminhos do vosso Unigênito, a fim de que, por sua vinda, mereçamos servir-Vos, comias nossas almas purificadas Vós, que, sendo Deus, viveis e reinais.

Epístola (Rm 15, 4-13)

O chamamento de Deus dirige-se a todos os homens, sem olhar à origem ou ao ambiente em que vivam, a méritos ou privilégios. Lembrando esta verdade aos fiéis, convertidos do paganismo ou do judaísmo, S. Paulo dá graças a Deus por esta vocação universal, fundamento da esperança cristã.

Lectio Epístolæ beáti Pauli Apóstoli ad Romános.

Fratres, quæcúmque scripta sunt, ad nostram doctrínam scripta sunt: ut per patiéntiam et consolatiónem Scripturárum, spem habeámus. Deus autem patiéntiæ et solátii det vobis idípsum sápere in altérutrum secúndum Jesum Christum: ut unánimes uno ore honorificétis Deum, et patrem Dómini nostri Jesu Christi. Propter quod suscípite invicem, sicut et Christus suscépit vos in honórem Dei. Dico enim Christum Jesum ministrum fuisse circumcisiónis propter veritátem Dei, ad con-firmándas promissiónes patrum. Gentes autem super misericórdia honoráre Deum, sicut Scriptum est: Proptérea confitébor tibi in géntibus Dómine, et nomini tuo cantábo. Et iterum dicit: Lætámini Gentes cum plebe ejus. Et iterum: Laudáte omnes Gentes Dóminum: et magnificáte eum omnes pópuli. Et rursus Isaías ait: Erit radix Jesse et qui exsúrget regere Gentes, in eum Gentes sperábunt. Deus autem spei répleat vos omni gáudio, et pace in credéndo: ut abundétis in spe, et virtute Spíritus Sancti. 

Leitura da Epístola de São Paulo Apóstolo aos Romanos. 

Irmãos: Tudo o que está escrito foi escrito para nosso ensinamento, para que, pela paciência e pela consolação das Escrituras, tenhamos esperança. O Deus da paciência e da consolação vos dê que tenhais entre vós sentimentos segundo Jesus Cristo, para que, unânimes, a uma voz, glorifiqueis a Deus, Pai de Nosso Senhor Jesus Cristo. Por isso, socorrei uns aos outros, como também o Cristo vos acolheu para glória de Deus. Digo-vos, pois, que Jesus Cristo foi o ministro da circuncisão, em testemunho da fidelidade de Deus, e em ratificação das promessas feitas a nossos país. Quanto aos gentios, que também glorifiquem a Deus em sua misericórdia, como está escrito: Por isso confessar-Vos-ei entre os povos, Senhor, e cantarei hinos a vosso Nome. Alhures está ainda escrito: Alegrai-vos, nações, com o seu povo. E ainda: Louvai ao Senhor, todos os povos: celebrai-O, todas as nações. E também diz Isaías: Sairá uma raiz de Jessé e  as nações esperarão n’Aquele que dela se levantará para regê-las. O Deus da esperança vos encha de toda a alegria e paz em vossa fé, para que sejais riquíssimos na esperança, pela virtude do Espírito Santo. 

Gradual (Sl 49, 2-3 e 5 | Sl 121, 1) [Áudio 1] [Áudio 2 – Aleluia]

Ex Sion spécies decóris ejus; Deus maniféste véniet. V. Congregáte illi sanctos ejus, qui ordinavérunt testaméntum ejus super sacrifícia.

Alleluia, alleluia. V. Lætátus sum in his quæ dicta sunt mihi: in Dómum Dómini íbimus. Alleluia.

De Sião irradia o esplendor de sua formosura. Deus aparecerá visivelmente. V. Congregai diante d’Ele os Santos que fizeram aliança para Lhe oferecer sacrifícios.

Aleluia, aleluia. V. Alegrei-me com o que me foi dito: iremos para a casa do Senhor. Aleluia.

Evangelho (Mt 11, 2-10)

Jesus define-se como Messias, tendo em vista aquilo de Isaías: “A boa nova é anunciada aos pobres”. E ajunta imediatamente: “Feliz aquele para quem Eu não for pedra de escândalo”. Fujamos de criar para nós um Messias e uma religião, segundo a nossa maneira de ver.

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Matthaeum. 

In illo tempore: Cum audisset Jóannes in vinculis ópera Christi, mittens duos de discípulis suis, ait illi: Tu es, qui ventúrus es, an álium exspectámus? Et respóndens Jesus ait illis: “Eúntes renuntiáte Joánni quæ audístis, et vidístis. Cæci vident, claudi ámbulant, leprósi mundántur, surdi áudiunt, mórtui resúrgunt, páuperes evangélizátur: et beátus est, qui non fúerit scandalizátus in Me. Illis autem abeúntibus, coepit Jesus dícere ad turbas de Joánne: “Quid exístis in desértum vidére? Arúndinem vento agitátem? Sed qui exístis vidére? Hóminem móllibus vestítum? Ecce qui móllibus vestiúntur, in dómibus regum sunt. Sed quis exístis vidére? Prophétam? Etiam dico vobis, et plus quam prophetam. Hic est enim de quo scriptum est: Ecce ego mitto angelum meum ante fáciem tuam, qui præparábit viam ante te.”

Sequência do Santo Evangelho segundo Mateus.

Naquele tempo, ouvindo João, no cárcere, as obras do Cristo, enviou dois dos seus discípulos a dizer-Lhe: És Tu o que há de vir, ou devemos esperar por outro? E respondendo, Jesus lhes disse: Ide repetir a João o que ouvistes e vistes: os cegos vêem, os coxos andam, os leprosos são limpos, os surdos ouvem, os mortos ressuscitam, os pobres são evangelizados e bem-aventurado é aquele que de Mim não se escandalizar. E quando eles partiram, começou Jesus a falar ao povo acerca de João: Que saístes a ver no deserto? Uma cana agitada pelo vento? Mas que saístes a ver? Um homem vestido suntuosamente? Ora, os que vestem roupas finas habitam os palácios dos reis. Então, que saístes a ver? Um Profeta? Sim, eu vos digo, e vistes mais que um Profeta. Porque este é de quem está escrito: Eis que envio diante de tua face o meu Mensageiro, que preparará o teu caminho adiante de ti.

Ofertório (Sl 24, 1-3) [Áudio]


Reconhecer-se-á neste canto do ofertório o ardente apelo à salvação que vem de Deus, à sua misericórdia, apelo que a Igreja repete todos os dias nas preces que o sacerdote pronuncia aos pés do altar. 


Deus, tu convérsus vivificábis nos, et plebs tua lætábitur in te: osténde nobis, Dómine, misericórdiam tuam, et salutáre tuum da nobis. Ó Deus, voltando-Vos para nós, dar-nos-eis vida nova e em Vós se alegrará vosso povo. Mostrai-nos, Senhor, a vossa misericórdia, e daí-nos a vossa salvação.

Secreta

Placáre, quæsumus Dómine, humilitátis nostræ précibus et hóstiis: et ubi nulla súppetunt suffrágia meritórum, tuis nobis succúrre præsídiis. Per D.N. Nós Vos suplicamos, Senhor, que Vos aplaqueis com as nossas humildes preces e sacrifícios e que o socorro de vossos auxílios supra a falta de nossos méritos. Por N. S.

Prefácio (da Ssma. Trindade) 

Vere dignum et justum est, aequum et salutare, nos tibi semper, et ubique gratias agere: Domine sancte, Pater omnipotens, aeterne Deus. Qui cum unigenito Filio: tuo et Spiritu Sancto, unus es Deus, unus es Dominus: non in unnius singularitate personae, sed in unius Trinitae substantiae. Quod enim de tua Gloria, revelante te, credimus, hoc de Filio tuo, hoc de Spiritu Sancto, sine differentia discretionis sentimus. Ut in confessione verae, sempiternaeque Deitatis, et in personis proprietas, et in essentia unitas, et in majestate adoretur aequalitas. Quam laudant Angeli atque Archangeli, Cherubim, quoque ac Seraphim: qui non cessant clamare quotidie, una voce dicentes:

Sanctus, Sanctus, Sanctus…

É verdadeiramente digno, justo, racional e salutar, que sempre e em toda a parte Vos rendamos graças, Senhor Santo, Pai onipotente e Deus eterno; Que sois, com o Vosso Filho Unigênito e com o Espírito Santo, um só Deus e um só Senhor, não na singularidade duma só pessoa, mas na Trindade duma só substância. Porque tudo aquilo que nos revelastes e cremos da Vossa glória, isso mesmo sentimos, sem diferença nem distinção, do Vosso Filho e do Espírito Santo, de maneira que, confessando a verdadeira e eterna Divindade, adoramos a propriedade nas Pessoas, a unidade na Essência e a igualdade na Majestade, a qual louvam os Anjos e os Arcanjos, os Querubins e os Serafins, que não cessam de cantar dizendo a uma só voz:

Santo, Santo, Santo…

Comunhão (Baruque 5, 5; 4, 36) [Áudio]

Jerúsalem, surge, et sta in excélso: et vide jucunditáatem, quæ véniet tibi a Deo tuo. Jerusalém, levanta-te e firma-te no alto, e vê o gozo que te virá de teu Deus.

Pós-comunhão

Repléti cibo Spíritualis alimóniæ, súpplices te, Dómine, deprecámur, ut hujus participatióne mystéerii, dóceas nos terréna despícere, et amáre Cæléstia. Per D.N. Saciados, Senhor, com o alimento espiritual, humildemente Vos suplicamos que, pela participação deste Mistério, nos ensineis a desprezar os bens terrestres e a amar os celestes. Por N. S.

Traduções e comentário principal do Missal de D. Beda Keickeisen (1947); e demais comentários do Missal de D. Gaspar Lefebvre (1963). Áudio retirado do site “CCWatershed”.

Comente o post

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: