Liturgia Diária- 14/02/2018

QUARTA-FEIRA DE CINZAS

Féria de 1ª Classe- Missa Própria

Dia de Jejum e Abstinência

A Igreja abre a Quaresma com a imposição das cinzas, lembrando assim aos fiéis a sua condição de mortais e vincando bem a necessidade da penitência. 

Na primitiva Igreja, a programação duma penitência coletiva para os pecadores culpados de faltas graves e públicas, acompanhava  trabalho de preparação do catecúmeno para receber o batismo, no dia de Páscoa. Ao principiar a Quaresma, o bispo benzia os cilícios e as cinzas, e impunha-os aos penitentes, que durante quarenta dias expiavam suas faltas “in cinere et cilicio”, na expectativa da reconciliação sacramental da Quinta-feira Santa. A imposição das cinzas, como hoje a conhecemos, é uma extensão e transposição da antiga penitência pública: aquilo que, inicialmente, dizia respeito somente a uma categoria de fiéis, acabou por se aplicar a todos, perdendo, em consequência, o rigor primitivo. Foi o papa Urbano VI, no Concílio de Benevento (1091), que prescreveu a imposição das cinzas a todos os fiéis. 

A expiação tem a sua parte no esforço de purificação, a que a Igreja nos instiga; porém, maior ainda a da misericórdia divina. Leituras, cânticos e orações da imposição das cinzas, como as da Missa que se lhe segue, convidam-nos a implorá-la confiadamente. Este esforço prosseguirá toda a Quaresma, na esperança da Páscoa e da alegria dos resgatados. 


Páginas 139 a 146 do Missal Quotidiano.


Missa às 18:30 horas na Capela São Judas Tadeu.


PRÓPRIO DO DIA- MISSA

Introito (Sabedoria 11, 24-27; Salmo 56,2)

Senhor, Vós tendes compaixão de todos, e nada do que criaste Vos desgosta. Dissimulais os pecados dos homens, para que façam penitência e lhes perdoeis: porque Vós sois o Senhor nosso Deus. Sl. Tende compaixão de mim, Senhor, tende compaixão de mim, porque a minha alma confia em Vós. Glória ao Pai. 

Coleta

Fazei, Senhor, que os vossos fiéis entrem com a conveniente piedade nesta venerável solenidade dos jejuns, e a levem ao fim com devoção sincera. Por Nosso Senhor Jesus Cristo. 

Epístola (Joel 2, 12-19)


Apelo ao jejum e à verdadeira penitência, que brota dum coração contrito. Como outrora o profeta Joel, a Igreja dirige-se, em nome de Cristo, a todo o seu povo, sem excluir ninguém; é toda a família cristã que se deve empenhar na emenda de vida, na presença de Deus.


Leitura da Profecia de Joel.

É isto o que diz o Senhor: Voltai-vos a mim de todo o vosso coração, com jejuns, lágrimas e gemidos de luto. Rasgai vossos corações e não vossas vestes; voltai ao Senhor vosso Deus, porque ele é bom e compassivo, longânime e indulgente, pronto a arrepender-se do castigo que inflige. Quem sabe se ele mudará de parecer e voltará atrás, deixando após si uma bênção, ofertas e libações para o Senhor, vosso Deus? Tocai a trombeta em Sião: publicai o jejum, convocai a assembléia, reuni o povo; santificai a assembléia, agrupai os anciãos, congregai as crianças e os meninos de peito; saia o recém-casado de seus aposentos, e a esposa de sua câmara nupcial. Chorem os sacerdotes, servos do Senhor, entre o pórtico e o altar, e digam: Tende piedade de vosso povo, Senhor, não entregueis à ignomínia vossa herança, para que não se torne ela o escárnio dos pagãos! Por que diriam eles: onde está o seu Deus? O Senhor afeiçoou-se à sua terra, teve compaixão de seu povo; o Senhor respondeu ao seu povo: Vou mandar-vos trigo, vinho e óleo, e deles sereis fartos, e não vos farei mais objeto de opróbrio diante dos pagãos.

Gradual (Salmo 56, 2.4)

Tende compaixão de mim, Senhor, tende compaixão de mim, porque a minha alma confia em Vós. Veio do Céu, e libertou-me; e condenou ao opróbrio os que me espezinhavam. 

Trato (Salmo 102, 10; 78, 8-9)


Três vezes por semana, na segunda, na quarta e na sexta-feira, as missas da Quaresma, com exceção das Têmporas, repetem este instante apelo à misericórdia divina. O último versículo diz-se de joelhos.


Senhor, não nos trateis conforme merecem os pecados que fizemos, nem segundo a ignomínia das nossas iniquidades. Senhor, não Vos lembreis dos nossos crimes passados, mas mandai-nos a vossa misericórdia, porque somos muito pobres, Senhor. (Aqui todos se ajoelham) Ajudai-nos, ó Deus, nossa salvação; e livrai-nos, Senhor, que assim pede a glória do vosso nome. Pelo vosso nome, sede indulgente com os nossos pecados. 

Evangelho (Mt 6, 16-21)


Jejuar sem ostentação, dar esmola secretamente, com o fervor daqueles que, para se aproximar de Deus, se desprendem das coisas terrenas. As práticas quaresmais valem o que forem as nossas disposições interiores. 


Sequência do Santo Evangelho segundo Mateus.

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: Quando jejuardes, não tomeis um ar triste como os hipócritas, que mostram um semblante abatido para manifestar aos homens que jejuam. Em verdade eu vos digo: já receberam sua recompensa. Quando jejuares, perfuma a tua cabeça e lava o teu rosto. Assim, não parecerá aos homens que jejuas, mas somente a teu Pai que está presente ao oculto; e teu Pai, que vê num lugar oculto, recompensar-te-á. Não ajunteis para vós tesouros na terra, onde a ferrugem e as traças corroem, onde os ladrões furtam e roubam. Ajuntai para vós tesouros no céu, onde não os consomem nem as traças nem a ferrugem, e os ladrões não furtam nem roubam. Porque onde está o teu tesouro, lá também está teu coração.

Ofertório (Salmo 29,2-3)

Louvar-Vos-ei, Senhor, porque me tomastes sob a vossa proteção, e não deixastes que os inimigos motejassem de mim. Senhor, gritei por Vós, e curastes-me. 

Secreta


A Quaresma é aqui apresentada como um “sacramento”, instituição estabelecida para nos santificar.


Fazei, Senhor, que Vos ofereçamos, devidamente dispostos, estes dons, com os quais celebramos o exórdio da mesma venerável instituição. Por Nosso Senhor Jesus Cristo.

Comunhão (Salmo 1, 2-3)

Aquele que medita dia e noite na lei do Senhor, dará a seu tempo fruto abundante. 

Pós-comunhão

Fazei, Senhor, que a recepção deste sacramento Vos torne agradável o nosso jejum, e o faça redundar na cura dos nossos males. Por Nosso Senhor Jesus Cristo. 

Oração


Durante toda a Quaresma, nas missas feriais, depois da pós-comunhão, o celebrante diz uma “oração sobre o povo”. Nas missas estacionais, antes de despedir os fiéis, o papa abençoava, com uma oração final, a assembleia cristã. Outrora mais frequente, a oração sobre o povo só existe na Quaresma. 


Oremos. Curvai as vossas cabeças diante de Deus.

Dignai-Vos olhar, Senhor, com bondade, aqueles que se humilham na vossa presença, e fazei que, reanimados com estes dons divinos, se alimentem sempre com o socorro celeste. Por Nosso Senhor Jesus Cristo.


PARTITURAS E ÁUDIOS

 

Comente o post

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: