Bento XVI: a Igreja tem urgente necessidade de pastores que resistam ao espírito da época

Para o Papa emérito, a Igreja se encontra em uma necessidade particularmente urgente de pastores convincentes que possam resistir à ditadura do espírito da época. E destaca que o cardeal entendeu que «o Senhor não abandona a sua Igreja, incluso quando o barco há assumido tanta água que está a ponto de tombar-se».

(Fidem in Terra/InfoCatólica)

Tradução de Airton Vieira

O funeral de Joachim Cardeal Meisner ocorreu esta manhã, sábado 15 de julho, na magnífica catedral de Colônia. Uma mensagem do Papa Francisco foi lida pelo Arcebispo Nikola Eterović, Núncio Apostólico na Alemanha. Para surpresa dos presentes, o Arcebispo Georg Gänswein, Prefeito da Prefeitura da Casa Pontifícia e Secretário Pessoal de Bento XVI, leu uma mensagem do Papa Emérito.

A seguir nossa tradução da bela mensagem de Bento XVI no Funeral de seu amigo próximo o Cardeal Meisner:

A esta hora, quando a igreja de Colônia e os fiéis de outras partes se reuniram para dizer adeus ao cardeal Joachim Meisner, meu coração e pensamentos estão também com vocês, e aceitando alegremente o convite do cardeal Woelki, desejo dirigir umas palavras de recordação para meu amigo.

Quando ouvi falar da morte do cardeal Meisner na quarta-feira passada, não queria crê-lo. No dia anterior havíamos falado pelo telefone. Estava agradecido pelo fato de ter estado de férias depois de haver participado na beatificação do bispo Teofilius Matulionis em Vilna, no domingo anterior (25 de junho) e tinha uma voz clara.

O amor à Igreja nos países vizinhos do Oriente, que havia sofrido tanto sob a perseguição comunista, assim como a gratidão pelos sofrimentos daquele tempo, forjaram sua vida. E assim não é nenhuma coincidência que a última visita de sua vida fosse para um Confessor da Fé nesses países.

O que particularmente me impressionou nessa última conversação com o cardeal retirado, foi a alegria espontânea, a alegria interior e a confiança que havia encontrado. Sabemos que a este apaixonado pastor lhe era difícil abandonar seu posto, especialmente em um momento em que a Igreja se encontra em uma necessidade particularmente urgente de pastores convictos que possam resistir à ditadura do espírito da época e que vivam e pensem a fé com determinação. Não obstante, o que mais me emocionou foi que, neste último período de sua vida, aprendeu a deixar ir e viver de uma profunda convicção de que o Senhor não abandona a sua Igreja, incluso quando o barco há assumido tanta água que está a ponto de tombar-se.

Duas coisas nos últimos tempos que lhe agradaram mais que tudo:

Por um lado, ele sempre me disse quão profundamente se alegrava de como no Sacramento da Penitência os jovens, especialmente os jovens, estão experimentando a graça do perdão – no Dom, hão encontrado a vida que só Deus pode dar.

A outra coisa que sempre lhe tocou e lhe deu alegria, foi o tranquilo crescimento da Adoração Eucarística. Na Jornada Mundial da Juventude de Colônia, seu ponto central era a Adoração, um silêncio no que só o Senhor falava ao coração. Alguns expertos pastorais e litúrgicos consideraram que esse silêncio ao olhar ao Senhor não poderia lograr-se com um número tão grande de pessoas. Alguns eram também da opinião que a Adoração Eucarística foi alcançada como tal, pela Missa, já que o Senhor seria recebido em pão eucarístico. Mas que este pão não se pode comer como qualquer alimento, e que o sacramento eucarístico «acolhe» todas as dimensões de nossa existência – que a recepção deve ser o culto, se há convertido em algo muito claro. Assim, o tempo da Adoração Eucarística na Jornada Mundial da Juventude de Colônia se converteu em um evento interior, que permaneceu inesquecível para o Cardeal.

Quando, em sua última manhã, o cardeal Meisner não apareceu na Missa, foi encontrado morto em sua habitação. Seu Breviário se lhe havia escapado das mãos: estava rezando enquanto morria, mirando ao Senhor, falando com o Senhor. A morte que se lhe concedeu, mostra uma vez mais como viveu: mirando ao Senhor e falando com ele. Assim podemos recomendar com confiança sua alma à bondade de Deus. Senhor, te damos graças pelo testemunho de teu servo Joaquim. Que seja intercessor da Igreja de Colônia, e de toda a Igreja terrenal! Descanse em paz!


Fonte: http://www.infocatolica.com/?t=noticia&cod=29924

Comente o post

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: