Liturgia Diária- Festa da Invenção da Santa Cruz

Festa de 2ª Classe– PRÓPRIO DO BRASIL– Missa própria

Duas vezes no ano venera a santa Igreja a Relíquia da santa Cruz, o instrumento de nossa Redenção, santificado pelo Sangue preciosíssimo de Jesus Cristo. No dia de hoje se comemora a Invenção deste venerável Madeiro pela imperatriz Santa Helena. A Oração alude ao milagre da cura de uma doente, ocorrido nessa ocasião. Em geral os textos desta Missa lembram os benefícios e bênçãos que nos vêm da Cruz “salvadora”. No Evangelho, Jesus fala da necessidade do renascimento pelo Batismo, da fé na revelação divina e da sua exaltação na Cruz, simbolizada pela serpente de bronze.

Rubricas sobre esta Festa: a Sagrada Congregação dos Ritos, atendendo a razões especiais, no dia 12 de dezembro de 1962 concedeu que se mantivesse a mesma festa e seja celebrada com rito de II classe, em todo o Brasil (site Apostolado FERR). 

Nos domingos de 2ª classe apenas são preferidas as festas de 1ª classe, ou uma festa do Senhor de 2ª classe; neste último caso celebra-se da festa, com todos os privilégios e direitos inerentes ao domingo, e sem qualquer comemoração deste. (Missa Quotidiano- D. Gaspar Lefebvre, 1963, p. XV-XVI; grifos nossos)


Esta Missa não consta no Missal Quotidiano de D. Gaspar Lefebvre (1963).


PRÓPRIO DO DIA

Introito (Gal 6, 14 | Sl 66, 2)

Nos autem gloriári opórtet in Cruce Dómini nostri Jesu Christi: in quo est salus, vita et resurréctio nostra: per quem salváti et liberáti sumus, allelúia, allelúia. Ps. Deus misereátur nostri, et benedícat nobis: illúminet vultum suum super nos, et misereátur nostri. ℣. Glória Patri… A nós convém gloriar-nos na Cruz de Nosso Senhor Jesus Cristo, em quem está a nossa Salvação, Vida e Ressurreição. Por Ele fomos salvos e livres, aleluia, aleluia. Sl. Deus tenha piedade de nós e nos abençoe; faça resplandecer sobre nós a sua face e se compadeça de nós. ℣. Glória ao Pai…

Coleta

Deus, qui in praeclára salutíferae Crucis Inventióne passiónis tuae mírácula suscitásti: concéde; ut, vitális ligni prétio, setérnae vita suffrágía consequámur: Qui vivis et regnas. Ó Deus, que na gloriosa Invenção da Cruz, instrumento de nossa salvação, renovais os Mistérios de vossa Paixão, concedei-nos, pelo preço deste Lenho de Vida, alcancemos a graça da vida eterna. Vós, que, sendo Deus, viveis e reinais.

Epístola (Filip. 2, 5-11)

Léctio Epístolæ beáti Paui Apóstoli ad Philippénses.

Fratres: Hoc enim sentíte ín vobis, quod et in Christo Jesu: qui, cum in forma Dei esset, non rapinam arbitrátus est esse se aequálem Deo: sed semetípsum exinanívit formam servi accípiens, in similitúdinem hóminum factus, et hábitu invéntus ut homo. Humiliávit semetípsum, factus oboediens usque ad mortem, mortem autem crucis. Propter quod et Deus exaltávit illum: et donávit illi nomen, quod est super omne nomen: (hic genufléctitur) ut in nómine Jesu omne genu flectátur caeléstium, terréstrium et infernórum: et omnis língua confiteátur, quia Dómínus Jesus Christus in glória est Dei Patris.

Leitura da Epístola de São Paulo Apóstolo aos Filipenses.

Irmãos: Tende em vós os mesmos sentimentos que teve Jesus Cristo, que, sendo Deus por natureza, não reputou usurpação ser igual a Deus. E aniquilou-se a Si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens e sendo reconhecido como homem pela aparência. Humilhou-se a Si mesmo, feito obediente até a morte, e morte de Cruz. Por isso também Deus O exaltou e Lhe deu um Nome [novo] que está acima de todo nome (aqui todos se ajoelham), a fim de que ao Nome de Jesus se dobrem os joelhos de todos aqueles que estão nos céus, na terra e nos infernos e toda língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor na glória de Deus Pai.

Aleluia (Sl 95, 10 | -)

Allelúia, allelúia. ℣. Dícite in géntibus, quia Dóminus regnávit a ligno. Allelúia. ℣. Dulce lignum, dulces clavos, dúlcia ferens pondera: quae sola fuisti digna sustinére Regem caelórum et Dóminum.

Aleluia, aleluia. ℣. Anunciai aos povos que o Senhor reinou do Lenho. Aleluia. ℣. Doce Lenho, doces cravos, que precioso fardo suportais! Só tu, ó Cruz, foste digna de sustentar o Senhor, o Rei dos céus. Aleluia.

Evangelho (Jo 3, 1-15)

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Joannem.

In illo témpore: Erat homo ex pharisaeis, Nicodemus nomine, princeps Iudaeorum. Hic venit ad eum nocte et dixit ei: “Rabbi, scimus quia a Deo venisti magister; nemo enim potest haec signa facere, quae tu facis, nisi fuerit Deus cum eo”. Respondit Iesus et dixit ei: “Amen, amen dico tibi: Nisi quis natus fuerit desuper, non potest videre regnum Dei”. Dicit ad eum Nicodemus: “Quomodo potest homo nasci, cum senex sit? Numquid potest in ventrem matris suae iterato introire et nasci?”. Respondit Iesus: “Amen, amen dico tibi: Nisi quis natus fuerit ex aqua et Spiritu, non potest introire in regnum Dei. Quod natum est ex carne, caro est; et, quod natum est ex Spiritu, spiritus est. Non mireris quia dixi tibi: Oportet vos nasci denuo. Spiritus, ubi vult, spirat, et vocem eius audis, sed non scis unde veniat et quo vadat; sic est omnis, qui natus est ex Spiritu”. Respondit Nicodemus et dixit ei: “Quomodo possunt haec fieri?”. Respondit Iesus et dixit ei: “Tu es magister Israel et haec ignoras? Amen, amen dico tibi: Quod scimus, loquimur et, quod vidimus, testamur; et testimonium nostrum non accipitis. Si terrena dixi vobis, et non creditis, quomodo, si dixero vobis caelestia, credetis? Et nemo ascendit in caelum, nisi qui descendit de caelo, Filius hominis. Et sicut Moyses exaltavit serpentem in deserto, ita exaltari oportet Filium hominis, ut omnis, qui credit, in ipso habeat vitam aeternam”. – CREDO…

Sequência do Santo Evangelho segundo João.

Naquele tempo, havia entre os fariseus um homem chamado Nicodemos, que era um dos príncipes dos judeus. Uma noite veio ele ter com Jesus e Lhe disse: Mestre, sabemos que fostes enviado por Deus para ensinar, porque ninguém pode fazer estes milagres que fazeis, se Deus não está com ele. Respondeu Jesus: Em verdade te digo, que ninguém pode ver o Reino de Deus, se não nasce de novo. Perguntou Nicodemos a Jesus: Como pode o homem renascer, sendo já velho? Acaso pode tornar a entrar no seio da sua mãe e renascer? Respondeu Jesus: Em verdade, em verdade, te digo, que ninguém pode entrar no Reino de Deus, se não renascer da água e do Espirito Santo. O que nasceu da carne, é carne; e o que nasceu do Espírito, é espírito. Não te admires, pois, de te haver dito: E necessário nascer de novo. O vento sopra onde quer; ouves a sua voz, mas não sabes donde vem, nem para onde vai. O mesmo acontece com aquele que nasceu do Espirito. Perguntou Nicodemos: Como pode acontecer isso? Replicou-lhe Jesus: Tu és mestre em Israel e ignoras estas coisas? Em verdade, em verdade te digo: nós sabemos e damos testemunho do que temos visto, mas vós não aceitais o nosso testemunho. Se, quando vos falo nas coisas terrenas, não credes, como crereis se vos falar nas celestes? Ninguém subiu ao céu senão Aquele que desceu do céu, o Filho do homem, que está no céu. Como Moisés levantou no deserto a serpente, assim é preciso que seja exaltado o Filho do homem, para que todo o que n’Ele crê não pereça, e tenha a Vida eterna. – CREIO…

Ofertório (Sl 117, 16-17)

Déxtera Dómini fecit virtútem, déxtera Dómini exaltávitme: non móriar, sed vivam, et narrábo ópera Dómini, allelúia. A Destra do Senhor mostra o seu poder; a Destra do Senhor me exalta; não morrerei, mas viverei, e contarei as obras do Senhor. Aleluia.

Secreta

Sacrifícium, Domine, quod tibi immolámus, placátus inténde: ut ab omni nos éruat bellórum nequítia, et per vexíllum sanctae Crucis Fílii tui, ad conteréndas potestátis advérsae insídias, nos in tuae protectiónis securitáte constítuat. Per eúndem D.N. Olhai benignamente, Senhor, para a Vítima que Vos imolamos a fim de que ela nos preserve de todos os males das guerras, e nos coloque seguros debaixo de sua proteção, para que, pelo estandarte da Santa Cruz de vosso Filho, vençamos todas as insídias de nossos inimigos. Pelo mesmo J. C.

Prefácio (da Santa Cruz)

℣. Dóminus vobíscum.
℞. Et cum spíritu tuo.
℣. Sursum corda.
℞. Habémus ad Dóminum.
℣. Grátias agámus Dómino Deo nostro.
℞. Dignum et iustum est.

Vere dignum et justum est, æquum et salutáre, nos tibi semper et ubíque grátias ágere: Dómine sancte, Pater omnípotens, ætérne Deus: Qui salútem humáni géneris in ligno Crucis constituísti: ut, unde mors oriebátur, inde vita resúrgeret: et, qui in ligno vincébat, in ligno quoque vincerétur: per Christum, Dóminum nostrum. Per quem majestátem tuam laudant Angeli, adórant Dominatiónes, tremunt Potestátes. Cœli cœlorúmque Virtútes ac beáta Séraphim sócia exsultatióne concélebrant. Cum quibus et nostras voces ut admítti júbeas, deprecámur, súpplici confessióne dicéntes:

Sanctus, Sanctus, Sanctus…

℣. O Senhor seja convosco.
℞. E com o vosso espírito,
℣. Para o alto os corações.
℞. Já os temos para o Senhor,
℣. Demos graças ao Senhor, nosso Deus.
℞. É digno e justo.

Verdadeiramente é digno e justo, razoável e salutar, que sempre e em todo o lugar, Vos demos graças, ó Senhor santo, Pai onipotente, eterno Deus, que estabelecestes no madeiro da Cruz a salvação do gênero humano, para que renascesse a vida de onde se originara a morte, e o que no lenho vencera, no lenho fosse vencido por Jesus Cristo, Nosso Senhor. Por Ele louvam os Anjos a vossa Majestade, as Dominações a adoram, tremem as Potestades. Os Céus, as Virtudes dos Céus, e os bem-aventurados Serafins a celebram com recíproca alegria. As suas vozes, nós Vos rogamos, mandeis que se unam as nossas, quando, em humilde confissão, Vos dizemos:

Santo, Santo, Santo…

Comunhão 

Per signum Crucis de inimícis nostris libera nos, Deus noster, allelúia. Pelo sinal da Santa Cruz, livrai-nos, Deus nosso, de nossos inimigos, aleluia.

Pós-comunhão

Repléti alimónia caelésti et spiritáli póculo recreáti, quaesumus, omnípotens Deus: ut ab hoste maligno deféndas, quos per lignum sanctae Crucis Fílii tui, arma justítiae pro salúte mundi, triumpháre jussísti. Per eúndem D. N. Saciados com o Alimento celestial, e confortados com a Bebida espiritual, humildemente Vos pedimos,ó Deus onipotente, defendei da malícia do inimigo aqueles que quisestes triunfassem pelo sagrado madeiro da Santa Crus de vosso Filho, a arma da justiça para a salvação do mundo. Pelo mesmo J. C.


Traduções e comentários extraídos do Missal Quotidiano de D. Beda (1947/1962).

Comente o post

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: