Liturgia Diária- 14/03/2020

SÁBADO DA 2ª SEMANA DA QUARESMA

Féria de 3ª Classe- Missa Própria – Estação na igreja dos SS. Marcelino e Pedro

Os dois santos Padroeiros, embora não fossem irmãos pelo sangue, o foram na morte, pelo testemunho que deram a Cristo; e sempre foram venerados juntos. De dois pares de irmãos nos falam as Leituras: Jacó é a figura dos catecúmenos chamados para Deus pelo Batismo. O filho pródigo é a imagem dos penitentes que voltam para Deus cheios de arrependimento.


Páginas 218 a 224 do Missal Quotidiano (D. Gaspar Lefebvre, 1963)


Missa às 19 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


PRÓPRIO DO DIA

Introito (Sl 18,8 | ib., 2)

Lex Dómini irreprehensíbilis, convértens ánimas: testimónium Dómini fidéle, sapiéntiam præstans párvulis. Ps. Cœli enárrant glóriam Dei: et ópera mánuum ejus annúntiat firmaméntum. ℣. Gloria Patri. A lei do Senhor é sem falha, e dá força às almas. O testamento do Senhor é fiel e dá sabedoria aos pequenos. Sl. Os céus proclamam a glória de Deus, e o firmamento anuncia as obras de suas mãos. ℣. Glória ao Pai.

Coleta

Da, quǽsumus, Dómine, nostris efféctum jejúniis salutárem: ut castigátio carnis assúmpta, ad nostrárum vegetatiónem tránseat animárum. Per D.N. Senhor, nós Vos rogamos, daí a nossos jejuns efeitos salutares, para que a mortificação que fazemos na carne seja proveitosa à saúde de nossas almas. Por N. S.

Epístola (Gn 27, 6-40)

Léctio libri Genesis.

In diébus illis: Dixit Rebécca fílio suo Jacob: Audívi patrem tuum loquéntem cum Esau fratre tuo, et dicéntem ei: Affer mihi de venatióne tua, et fac cibos, ut comédam et benedícam tibi coram Dómino, ántequam móriar. Nunc ergo, fili mi, acquiésce consíliis meis: et pergens ad gregem, affer mihi duos hædos óptimos, ut fáciam ex eis escas patri tuo, quibus libénter véscitur: quas cum intúleris et coméderit, benedícat tibi, priúsquam moriátur. Cui ille respóndit: Nosti, quod Esau, frater meus, homo pilósus sit, et ego lenis: si attrectáverit me pater meus et sénserit, tímeo, ne putet me sibi voluísse illúdere, et indúcam super me maledictiónem pro benedictióne. Ad quem mater: In me sit, ait, ista male díctio, fili mi: tantum audi vocem meam, et pergens affer quæ dixi. Abiit, et áttulit, dedítque matri. Parávit illa cibos, sicut velle nóverat patrem illíus. Et véstibus Esau valde bonis, quas apud se habébat domi, índuit eum: pelliculásque hædórum circúmdedit mánibus, et colli nuda protéxit. Dedítque pulméntum, et panes, quos cóxerat, trádidit. Quibus illátis, dixit: Pater mi! At ille respóndit: Audio. Quis es tu, fili mi? Dixítque Jacob: Ego sum primogénitus tuus Esau: feci, sicut præcepísti mihi: surge, sede, et cómede de venatióne mea, ut benedícat mihi ánima tua. Rursúmque Isaac ad fílium suum: Quómodo, inquit, tam cito inveníre potuísti, fili mi? Qui respóndit: Volúntas Dei fuit, ut cito occúrreret mihi quod volébam. Dixítque Isaac: Accéde huc, ut tangam te, fili mi, et probem, utrum tu sis fílius meus Esau, an non. Accéssit ille ad patrem, et palpáto eo, dixit Isaac: Vox quidem vox Jacob est, sed manus manus sunt Esau. Et non cognóvit eum, quia pilósæ manus similitúdinem majóris exprésserant. Benedícens ergo illi, ait: Tu es fílius meus Esau? Respóndit: Ego sum. At ille: Affer mihi, inquit, cibos de venatióne tua, fili mi, ut benedícat tibi ánima mea. Quos cum oblátos comedísset, óbtulit ei étiam vinum. Quo hausto, dixit ad eum: Accéde ad me, et da mihi ósculum, fili mi. Accéssit, et osculátus est eum. Statímque ut sensit vestimentórum illíus fragrántiam, benedícens illi, ait: Ecce, odor fílii mei sicut odor agri pleni, cui benedíxit Dóminus. Det tibi Deus de rore cœli, et de pinguédine terræ abundántiam fruménti et vini. Et sérviant tibi pópuli, et ad orent te tribus: esto dóminus fratrum tuórum, et incurvéntur ante te fílii matris tuæ. Qui male díxerit tibi, sit ille maledíctus: et qui benedíxerit tibi, benedictiónibus repleátur. Vix Isaac sermónem impléverat, et egrésso Jacob foras, venit Esau, coctósque de venatióne cibos íntulit patri, dicens: Surge, pater mi, et cómede de venatióne fílii tui, ut benedícat mihi ánima tua. Dixítque illi Isaac: Quis enim es tu? Qui respóndit: Ego sum fílius tuus primogénitus Esau. Expávit Isaac stupóre veheménti, et ultra quam credi potest, admírans, ait: Quis ígitur ille est, qui dudum captam venatiónem áttulit mihi, et comédi ex ómnibus, priúsquam tu veníres? Benedixíque ei, et erit benedíctus. Audítis Esau sermónibus patris, irrúgiit clamóre magno, et consternátus, ait: Bénedic  etiam et mihi, pater mi. Qui ait: Venit germánus tuus fraudulénter, et accépit benedictiónem tuam. At ille subjunxit: Juste vocátum est nomen ejus Jacob: supplantávit enim me en áltera vice: primogénita mea ante tulit, et nunc secúndo surrípuit benedictiónem meam. Rursúmque ad patrem: Numquid non reservásti, ait, et mihi benedictiónem? Respóndit Isaac: Dóminum tuum illum constítui, et omnes fratres ejus servitúti illíus subjugávi: fruménto et vino stabilívi eum, et tibi post hæc, fili mi, ultra quid fáciam? Cui Esau: Num unam, inquit, tantum benedictiónem habes, pater? mihi quoque óbsecro ut benedícas. Cumque ejulátu magno fleret, motus Isaac, dixit ad eum: In pinguédine terræ, et in rore cœli désuper erit benedíctio tua.

Leitura do livro do Gênesis.

Naqueles dias, disse Rebeca a seu filho Jacó: Ouvi teu pai falando a Esaú, teu irmão, e dizendo-lhe: Traze-me a tua caça e prepara-me de que comer e te abençoarei diante do Senhor, antes de morrer. Segue agora, filho meu, o conselho que te vou dar: Vai ao rebanho e traze-me dois dos melhores cabritos para que eu prepare para teu pai um prato de que muito gosta, para que, depois de lho teres apresentado, tendo ele comido, te abençoe antes de morrer. Ao que ele respondeu:, Sabes que Esaú, meu irmão, é um homem peludo e eu não tenho pelos. Se meu pai me tocar e me reconhecer, tenho medo que pense que eu o quis iludir e atraía assim maldição, em vez de bênção. Disse-lhe sua mãe: Caía sobre mim esta maldição, meu filho; atende ao que te aconselho e traze-me o que te pedi. Ele partiu e trouxe a caça, dando-a a sua mãe. Preparou ela o alimento da forma que o pai dele gostava. E pôs em Jacó as melhores vestes de Esaú, as quais ela guardava em sua casa, envolvendo as mãos de Jacó com as peles dos cabritos e cobrindo a parte nua do pescoço. Entregando-lhe o guisado, deu-lhe também os pães que havia cozido. Tendo Jacó levado tudo a Isaac, disse-lhe: Meu pai! E ele respondeu: Ouço. Quem és tu, meu filho? Disse Jacó: Sou teu filho primogênito Esaú. Fiz o que me recomendaste; levanta-te, senta-te e come da minha caça para que tua alma me abençoe. Novamente disse Isaac a seu filho: Como pudeste tão depressa encontrar caça, meu filho? Respondeu ele: Foi vontade de Deus que se apresentasse depressa a mim aquilo que desejava. Disse ainda Isaac: Aproxima-te, meu filho, para que te toque e conheça se és ou não o meu filho Esaú. Chegou-se Jacó ao pai, e Isaac o apalpou, dizendo: Esta voz é em verdade a voz de Jacó, porém as mãos são as de Esaú. E não o reconheceu por causa dos pelos que o cobriam e o tornavam semelhante ao mais velho. Abençoando-o, pois, disse: És tu meu filho Esaú? Respondeu Jacó: Eu sou. Disse o pai: Traze-me, meu filho, os guisados de tua caçada e minha alma te abençoará. Jacó lhos serviu e depois que ele os comeu, apresentou-lhe também vinho. Depois de bebê-lo, disse Isaac: Chega-te a mim e dá-me um ósculo, meu filho. Aproximou-se ele e beijou-o. Sentindo o perfume que suas vestes exalavam, abençoou-o, dizendo: O perfume de meu filho é como o perfume de um campo florido, que foi abençoado pelo Senhor. Deus te conceda o orvalho do céu e a fertilidade da terra, trigo e vinho, em abundância. Sirvam-te as nações, e façam-te honra as tribos. Sê o Senhor de teus irmãos e curvem-se diante de ti os filhos de tua mãe. Maldito seja aquele que te amaldiçoar e cumulado de bênçãos aquele que te abençoar. Mal Isaac acabara de falar, tendo partido Jacó, chegou Esaú, trazendo os guisados que havia preparado com sua caça, para seu pai. E disse-lhe: Levanta-te, meu pai, e come a caçada de teu filho, a fim de que tua alma me abençoe. Disse-lhe Isaac: Quem és tu? Ele respondeu: Sou Esaú, teu filho primogênito. Possuído de profundo espanto, admirou-se Isaac, além do que se pode crer, e disse: Quem é então aquele que me trouxe do que havia caçado, e eu comi de tudo antes que tu chegasses? Eu o abençoei e ele será o bendito. Ouvindo Esaú estas palavras de seu pai, deu um grito de dor, e ficando consternado em extremo, disse: Dá-me também tua bênção, meu pai. E este respondeu: Teu irmão veio enganar-me e recebeu a bênção que era tua. E continuou Esaú: Com justeza lhe foi dado o nome de Jacó: porque esta é a segunda vez que me suplanta: tirou-me antes o direito de primogenitura e agora, nesta segunda vez, roubou a minha bênção. E disse novamente ao pai: Não reservaste, porventura, uma bênção para mim? Respondeu-lhe Isaac: Eu o estabeleci como teu senhor e sujeitei todos os seus irmãos à sua dominação. Assegurei-o na posse do trigo e do vinho. E depois disto, meu filho, que te posso ainda conceder? Replicou-lhe Esaú: Acaso, não tens ao menos uma bênção para mim, meu pai? Suplico-te que também a mim abençoes. E como rompesse em grande pranto, comoveu-se Isaac, e disse-lhe: Na abundância da terra e no orvalho do céu, está a tua bênção.

Gradual (Sl 91, 2-3)

Bonum est confitéri Dómino: et psállere nómini tuo, Altíssime. ℣. Ad annuntiándum mane misericórdiam tuam, et veritátem tuam per noctem.

É bom louvar o Senhor, e cantar em honra de vosso Nome, ó Altíssimo! ℣. Para anunciar vossa misericórdia desde a manhã, e a vossa fidelidade durante a noite.

Evangelho (Lc 15, 11-32)

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Lucam.

In illo témpore: Dixit Jesus pharisǽis et scribis parábolam istam: Homo quidam hábuit duos fílios, et dixit adolescéntior ex illis patri: Pater, da mihi portiónem substántiæ, quæ me cóntingit. Et divísit illis substántiam. Et non post multos dies, congregátis ómnibus, adolescéntior fílius péregre proféctus est in regiónem longínquam, et ibi dissipávit substántiam suam vivéndo luxurióse. Et postquam ómnia consummásset, facta est fames válida in regióne illa, et ipse cœpit egére. Et ábiit, et adhǽsit uni cívium regiónis illíus. Et misit illum in villam suam, ut pásceret porcos. Et cupiébat implére ventrem suum de síliquis, quas porci manducábant: et nemo illi dabat. In se autem revérsus, dixit: Quanti mercennárii in domo patris mei abúndant pánibus, ego autem hic fame péreo? Surgam, et ibo ad patrem meum, et dicam ei: Pater, peccávi in cœlum et coram te: jam non sum dignus vocari fílius tuus: fac me sicut unum de mercennáriis tuis. Et surgens venit ad patrem suum. Cum autem adhuc longe esset, vidit illum pater ipsíus, et misericórdia motus est, et accúrrens cécidit super collum ejus, et osculátus est eum. Dixítque ei fílius: Pater, peccávi in cœlum et coram te, jam non sum dignus vocari fílius tuus. Dixit autem pater ad servos suos: Cito proférte stolam primam, et indúite illum, et date ánulum in manum ejus, et calceaménta in pedes ejus: et addúcite vítulum saginátum et occídite, et manducémus et epulémur, quia hic fílius meus mórtuus erat, et revíxit: períerat, et invéntus est. Et cœpérunt epulári. Erat autem fílius ejus senior in agro: et cum veníret, et appropinquáret dómui, audívit symphóniam et chorum: et vocávit unum de servis, et interrogávit, quid hæc essent. Isque dixit illi: Frater tuus venit, et occídit pater tuus vítulum saginátum, quia salvum illum recépit. Indignátus est autem, et nolébat introíre. Pater ergo illíus egréssus, cœpit rogáre illum. At ille respóndens, dixit patri suo: Ecce, tot annis sérvio tibi, et numquam mandátum tuum præterívi, et numquam dedísti mihi hædum, ut cum amícis meis epulárer: sed postquam fílius tuus hic, qui devorávit substántiam suam cum meretrícibus, venit, occidísti illi vítulum saginátum. At ipse dixit illi: Fili, tu semper mecum es, et ómnia mea tua sunt: epulári autem et gaudére oportébat, quia frater tuus hic mórtuus erat, et revíxit: períerat, et invéntus est.

Sequência do Santo Evangelho segundo Lucas.

Naquele tempo, disse Jesus aos fariseus e aos escribas esta parábola: Um homem tinha dois filhos. E disse o mais novo deles ao pai: Pai, dá-me a parte da herança que me cabe. E este fez a partilha de seus bens. Passados alguns dias, reunindo tudo quanto lhe pertencia, partiu o filho mais jovem para uma terra longínqua e ali dissipou toda a sua herança, vivendo em orgias. Depois de ter perdido tudo, houve naquela região uma grande fome e ele se achou em extrema penúria. Saiu dali, pois, e foi servir em casa de um dos habitantes daquele país. Este o mandou para uma sua vivenda no campo, a guardar porcos. E o jovem desejava saciar sua fome com a comida que era para os porcos, mas ninguém lhe dava. Tendo refletido, disse consigo mesmo: Quantos mercenários existem em casa de meu pai, tendo pão em grande fartura, e eu aqui a morrer de fome! Levantar-me-ei e irei a meu pai, dizendo-lhe: Pai, pequei contra o céu e contra ti. Já não sou digno de chamar-me teu filho; trata-me como a um de teus mercenários. E erguendo-se, foi a seu pai. Quando ainda estava longe, seu pai o avistou, e compadecido, correu a seu encontro, abraçando- o e beijando-o. E disse-lhe o filho: Pai, pequei contro o céu e contra ti. Já não sou digno de chamar-me teu filho. O pai disse então a seus servos: Trazei depressa a veste mais rica e vesti-lha: ponde em seu dedo um anel, e sapatos em seus pés. Trazei depois um vitelo gordo e matai-o. Comamo-lo e façamos festa porque meu filho, que aqui vedes, estava morto e ressuscitou; havia-se perdido e foi encontrado. E começaram a banquetear-se. Quando seu filho mais velho, que estava no campo, voltava à casa, ao se aproximar ouviu músicas. E chamando um dos servos, perguntou-lhe que era aquilo. E ele lhe disse: Teu irmão regressou, e teu pai mandou matar um vitelo gordo, porque o encontrou com saúde. Indignou-se com isso [o mais velho] e não queria entrar. O pai, saindo então, começou a rogar-lhe que o fizesse. Respondendo, disse ele ao pai: Há tantos anos que te sirvo e nunca transgredi nenhuma ordem tua, e jamais tu me deste um cabrito para me banquetear com meus amigos. Logo, porém, que este teu filho voltou, após ter dissipado sua herança com mulheres, tu ordenaste que matassem um novilho gordo. Então seu pai lhe disser Filho, tu estás sempre comigo, e tudo que me pertence é teu. Era porém justo que fizéssemos festa e nos regozijássemos, porque este teu irmão que estava morto, reviveu; andava perdido, e foi encontrado.

Ofertório (Sl 12, 4-5)

Illúmina óculos meos, ne umquam obdórmiam in morte: ne quando dicat inimícus meus: Præválui advérsus eum. Iluminai meus olhos, para que eu não adormeça na morte; para que meu inimigo não diga: Prevaleci contra ele.

Secreta

His sacrifíciis, Dómine, concéde placátus: ut, qui própriis orámus absólvi delíctis, non gravémur extérnis. Per D.N. Aplacado por estes Sacrifícios concedei-nos, Senhor, que, rogando-Vos o perdão de nossos
próprios delitos, não sejamos agravados com os dos outros. Por N.S.

Prefácio (da Quaresma)

℣. Dóminus vobíscum.
℞. Et cum spíritu tuo.
℣. Sursum corda.
℞. Habémus ad Dóminum.
℣. Grátias agámus Dómino Deo nostro.
℞. Dignum et iustum est.

Vere dignum et iustum est, æquum et salutáre, nos tibi semper, et ubíque grátias agere: Dómine, sancte Pater, omnípotens ætérne Deus: Qui corporáli ieiúnio vítia cómprimis, mentem élevas, virtútem largíris et prǽmia: per Christum Dóminum nostrum. Per quem maiestátem tuam laudant Angeli, adórant Dominatiónes, tremunt Potestátes. Cæli cælorúmque Virtútes, ac beáta Séraphim, sócia exsultatióne concélebrant. Cum quibus et nostras voces, ut admitti iúbeas, deprecámur, súpplici confessióne dicentes:

Sanctus, Sanctus, Sanctus…

℣. O Senhor seja convosco.
℞. E com o vosso espírito,
℣. Para o alto os corações.
℞. Já os temos para o Senhor,
℣. Demos graças ao Senhor, nosso Deus.
℞. É digno e justo.

Verdadeiramente é digno e justo, razoável e salutar, que, sempre e em todo o lugar, Vos demos graças, ó Senhor santo, Pai onipotente, eterno Deus, que pelo jejum corporal reprimis os vícios, elevais a inteligência, concedeis a virtude e o prêmio dela, por Jesus Cristo, Nosso Senhor. Por Ele louvam os Anjos a vossa Majestade, as Dominações a adoram, tremem as Potestades. Os Céus, as Virtudes dos Céus e os bem-aventurados Serafins a celebram com recíproca alegria. As suas vozes, nós Vos rogamos mandeis que se unam as nossas, quando, em humilde confissão, Vos dizemos:

Santo, Santo, Santo…

Comunhão (Lc 15, 32)

Opórtet te, fili, gaudére, quia frater tuus mórtuus fúerat, et revíxit: períerat, et invéntus est. É necessário, filho, que tu te alegres, porque teu irmão que estava morto, reviveu; andava perdido e foi encontrado.

Pós-comunhão

Sacraménti tui, Dómine, divína libátio, penetrália nostri cordis infúndat: et sui nos partícipes poténter effíciat. Per D.N. A divina libação de vosso Sacramento, Senhor, penetre até o íntimo de nosso coração e nos faça eficazmente participar de sua fôrça. Por N. S.

Oração 

Super populum: Orémus. Humiliáte cápita vestra Deo.

Famíliam tuam, quǽsumus, Dómine, contínua pietáte custódi: ut, quæ in sola spe grátiæ cœléstis innítitur, cœlésti étiam protectióne muniátur. Per D.N.

Sobre o povo: Oremos. Humilhai as vossas cabeças diante de Deus.

Nós Vos rogamos, Senhor, guardai a vossa família com a vossa contínua misericórdia, a fim de que, confiando unicamente no auxílio da graça celeste, seja também munida da proteção do céu. Por N. S.


Traduções e comentários extraídos do Missal Quotidiano de D. Beda (1947/1962).

Comente o post

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: