Liturgia Diária- 30/08/2020

S. ROSA DE LIMA, Virgem

Festa de 1ª Classe- PADROEIRA DA AMÉRICA LATINA – Missa própria, com comemoração do XIII Domingo depois de Pentecostes

Nasceu Santa Rosa de S.ta Maria, em Lima, m ano de 1586 e morreu em 1617, depois de uma vida de duras provações, calúnias e perseguições, pacientemente suportadas. Não contente, com tudo isto, e seguindo o exemplo de Santa Catarina de Sena, como terceira dominicana, espontaneamente se submeteu a extraordinárias mortificações e jejuns. Este seu amor ao sofrimento lhe mereceu também singulares consolações e um comércio verdadeiramente familiar com a Mãe de Deus e o seu santo Anjo da Guarda. Sendo ela a única que até hoje foi distinguida como Santa com as honras dos altares na América Latina, com certeza protegerá estes países de maneira especial. Jubilosos celebramos com o coro dos Santos e Anjos a sua festa (Introito), e suplicamos a Deus a graça de imitar as suas virtudes (Oração), para também com ela um dia reinarmos na glória (Postcommunio).

Sobre o domingo: Três pensamentos preparam-nos para a santa Missa de hoje: 1. A necessidade que temos do auxilio de deus. 2. A prontidão do auxilio divino. 3. A prova de que Deus nos auxilia. No Introito pedimos o auxílio em geral; na Oração, um aumento de fé, esperança e caridade, virtudes que, como sementes, foram pelo Batismo depostas em nossa alma, e que não se desenvolvem em nós sem a graça de Deus. Nossa súplica é baseada na Epístola que fala na fidelidade de Deus em suas promessas. Abraão é um exemplo de fé, esperança e caridade. A ele e seus descendentes dirigem-se as promessas de Deus. No Evangelho vemos como o Salvador prometido se desempenha de sua missão. E na santa Missa sabemos que Ele a continua no Sacrifício e no Sacramento, como nos mostram a Secreta, a Communio e a Postcommunio.


Páginas [34] a [36] e 648 a 651 PRÓPRIO DO BRASIL – do Missal Quotidiano  (D. Gaspar Lefebvre)


Missa Rezada às 07:30 horas e Missa Cantada às 09:30 horas na Capela Nossa Senhora de Lourdes.


PRÓPRIO DO DIA

Introito (- | Sl 44, 2)

Gaudeámus omnes in Domino, diem festum celebrantes sub honóre beátae Rosae Vírginis: de cujus solemnitáte gaudent Angeli et colláudant Filium Dei. Sl. Eructávit cor meum verbum bonum: dico ego ópera mea Regi. ℣. Gloria Patri. Alegremo-nos todos no Senhor, festejando este dia em honra da Santa Virgem Rosa; nesta solenidade se regozijam os Anjos e louvam o Filho de Deus. Sl. Exulta o meu coração em alegre canto: ao Rei dedico as minhas obras. ℣. Glória ao Pai.

Coleta

Bonórum ómnium largítor, omnípotens Deus, qui beátam Rosam, coeléstis grátiæ rore prævéntam, virginitátis et patiéntiæ decóre Indis floréscere voluísti: da nobis fámulis tuis; ut, in odórem suavitátis eius curréntes, Christi bonus odor éffici mereámur: Qui tecum vivit et regnat. Ó Deus onipotente, Dispensador de todos os bens, desde cedo enriquecestes Santa Rosa com o orvalho celestial de vossa graça e a fizestes florescer entre os índios com o brilho da virgindade e da paciência, Concedei a vossos servos que, correndo após o perfume de suas virtudes mereçam tornar-se o bom odor do Cristo, que, sendo Deus, convosco vive e reina

2ª Coleta (do domingo)

Omnípotens sempitérne Deus, da nobis fídei, spei et caritátis augméntum: et, ut mereámur asséqui quod promíttis, fac nos amáre quod prǽcipis. Per D.N. Ó Deus onipotente e eterno, aumentai em nós a fé, a esperança e a caridade, e fazei com que amemos o que ordenais, para que mereçamos alcançar o que prometeis. Por N. S.

Epístola (II Cor, 10, 17-18; 11, 1-2)

Léctio Epístolæ beáti Pauli Apóstoli ad Corínthios.

Fratres: Qui gloriátur, in Dómino gloriétur. Non enim, qui seípsum comméndat, ille probátus est; sed quem Deus comméndat. Utinam sustinerétis módicum quid insipiéntiæ meæ, sed et supportáte me: æmulor enim vos Dei æmulatióne. Despóndi enim vos uni viro vírginem castam exhibére Christo.

Leitura da Epístola de São Paulo Apóstolo aos Coríntios. 

Irmãos: Aquele que se gloria, glorie-se no Senhor. Porque não é o que se recomenda a si mesmo que é aprovado, mas, sim, aquele que Deus recomenda. Ah! se quisésseis suportar um pouco de loucura da minha parte, mas suportai-me ainda. Porque estou zeloso de vós, com zelo de Deus. Com efeito, eu vos desposei com um Esposo único, o Cristo, para vos apresentar a Ele como uma virgem pura.

Gradual (Sl 45, 6 e 5| Eclo 50, 8 )

Spécie tua et pulchritúdine tua inténde, próspere procéde et regna. ℣. Propter veritátem et mansuetúdinem et iustítiam: et dedúcet te mirabíliter déxtera tua.

Allelúia, allelúia. ℣. Adducántur Regi Vírgines post eam: próximæ eius afferéntur tibi in lætítia. Allelúia.

Deus a ajuda com o seu olhar. Deus está com ela e não a deixará fraquear. ℣. As torrentes do rio alegram a cidade de Deus. O Altíssimo santificou o seu tabernáculo.

Aleluia, aleluia. ℣. Ela é como o arco-iris que reluz entre as nuvens transparentes; como a flor da roseira nos dias de primavera. Aleluia.

Evangelho (Mt 13, 31-35)

Sequéntia sancti Evangélii secúndum Matthaeum. 

ln illo témpore: Dixit Jesus turbis parábolam bane: Símile est regnum caelórum grano sinápis, quod accípiens homo seminávit in agro suo: quod mínimum quidem est ómnibus: cum autem créverit, majus est ómnibus oléribus, et fit árbor, ita ut vólucres caeli véniant et hábitent in ramis ejus. Aliam parábolam locútus est eis: Símile est regnum caelórum ferménto, quod accéptum múlier abscóndit in farínae satis tribus, donec fermentátum est totum. Haec ómnia locútus est Jesus in parábolis ad turbas: et sine parábolis non loquebátur eis: ut implerétur quod dictum erat per Prophétam dicéntem: Apériam in parábolis os meum, eructábo abscóndita a constitutióne mundi. — CREDO…

Sequência do Santo Evangelho segundo Mateus.

Naquele tempo, propôs Jesus esta parábola ao povo, que O seguira: O Reino dos céus é semelhante a um grão de mostarda, que um homem tomou e semeou em seu campo. Este grão é, na verdade, a menor de todas as sementes; mas depois de crescida, é a maior de todas as hortaliças, e chega a tornar-se uma árvore, de maneira que as aves do céu se vêm aninhar entre os seus ramos. Disse-lhes ainda outra parábola: O Reino do céu é semelhante ao fermento que uma mulher toma, e põe em três medidas de farinha até que toda ela fique levedada. Todas estas coisas disse Jesus ao povo em parábolas, e sem parábolas não lhes falava para que se cumprisse o que estava escrito pelo Profeta: Abrirei em parábolas os meus lábios; publicarei coisas ocultas desde a criação do mundo. — CREIO…

Ofertório (Eclo 39, 17-18)

Obaudíte me, divíni fructus, et quasi rosa plantáta super rivos aquárum fructificáte: quasi Líbanus odorem suavitátis habéte. Escutai-me, vós que sois uma raça divina, e como o rosal plantado nas margens das águas, frutificai. Exalai um aroma suave como o do Líbano.

Secreta

Accépta sint tibi, Domine, laudis hóstiae, quas humíliter immolámus, beátae Rosae Vírginis fragrántia perfúsas: ut illi cónferant ad honórem; et nobis propitiatóriae reddántur ad salútem. Per D.N. Sejam aceitas por Vós, Senhor, estas hóstias de louvor, as quais, inundadas da fragrância da S. Virgem Rosa, humildemente Vos imolamos, a fim de que para ela sejam aumento de glória e a nós, alcancem a salvação. Por N. S.

2ª Secreta (do domingo)

Propitiáre, Dómine, pópulo tuo, propitiáre munéribus: ut, hac oblatióne placátus, et indulgéntiam nobis tríbuas et postuláta concedas. Per D. N. Senhor, sede propício a vosso povo e aceitai benigno as nossas oferendas, a fim de que, aplacado por esta oblação, nos concedais o perdão e atendais às nossas súplicas. Por N. S.

Prefácio (da Santíssima Trindade)

℣. Dóminus vobíscum.
℞. Et cum spíritu tuo.
℣. Sursum corda.
℞. Habémus ad Dóminum.
℣. Grátias agámus Dómino Deo nostro.
℞. Dignum et iustum est.
.
Vere dignum et justum est, aequum et salutare, nos tibi semper, et ubique gratias agere: Domine sancte, Pater omnipotens, aeterne Deus. Qui cum unigenito Filio: tuo et Spiritu Sancto, unus es Deus, unus es Dominus: non in unnius singularitate personae, sed in unius Trinitae substantiae. Quod enim de tua Gloria, revelante te, credimus, hoc de Filio tuo, hoc de Spiritu Sancto, sine differentia discretionis sentimus. Ut in confessione verae, sempiternaeque Deitatis, et in personis proprietas, et in essentia unitas, et in majestate adoretur aequalitas. Quam laudant Angeli atque Archangeli, Cherubim, quoque ac Seraphim: qui non cessant clamare quotidie, una voce dicentes: Sanctus, Sanctus, Sanctus…
℣. O Senhor seja convosco.
℞. E com o vosso espírito,
℣. Para o alto os corações.
℞. Já os temos para o Senhor,
℣. Demos graças ao Senhor, nosso Deus.
℞. É digno e justo.
.
É verdadeiramente digno, justo, racional e salutar, que sempre e em toda a parte Vos rendamos graças, Senhor Santo, Pai onipotente e Deus eterno; Que sois, com o Vosso Filho Unigênito e com o Espírito Santo, um só Deus e um só Senhor, não na singularidade duma só pessoa, mas na Trindade duma só substância. Porque tudo aquilo que nos revelastes e cremos da Vossa glória, isso mesmo sentimos, sem diferença nem distinção, do Vosso Filho e do Espírito Santo, de maneira que, confessando a verdadeira e eterna Divindade, adoramos a propriedade nas Pessoas, a unidade na Essência e a igualdade na Majestade, a qual louvam os Anjos e os Arcanjos, os Querubins e os Serafins, que não cessam de cantar dizendo a uma só voz: Santo, Santo, Santo…

Comunhão (Eclo 39, 19)

Floréte, flores, quasi lílium, et câllaudáte cánticum: et benedícite Dóminum in opéribus suis. Dai viçosas flores como o lírio, e entoai cânticos de louvor; bendizei o Senhor em suas obras.

Pós-comunhão

Ascéndant ad te, Domine, preces nostrae beátae Rosae Vírginis suavitátem redoléntes: ut, caeléstibus dápibus temporáliter recreáti; aetérni convívii dulcédine perfruámur.  Per D.N. Subam a Vós, Senhor, as nossas preces, rescendentes da suavidade da S. Virgem Rosa a fim de que, reconfortados na vida presente com os Banquetes celestes, gozemos a doçura do convívio eterno. Por N. S.

2ª Pós-comunhão (do domingo)

Sumptis, Dómine, cœléstibus sacraméntis: ad redemptiónis ætérnæ, quǽsumus, proficiámus augméntum. Per D.N. Nós Vos rogamos, Senhor, que pela recepção destes Sacramentos celestes, alcancemos aumento da salvação eterna. Por N. S.
A cura dos dez leprosos

Traduções e comentário principal extraídos do Missal Quotidiano de D. Beda (1947).

Comente o post

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: